"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

FOTOS

Álbum de Família 1969
Geraldo, Zilda e os filhos Maria Graziela, Ivana Maria, Maria Fernanda e Geraldo Júnior

sábado, 29 de agosto de 2009

FOTOS

Comemoração das BODAS DE PRATA
1975

FOTOS

Família - Foto tirada em 1969

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Crônica publicada no Jornal de Piracicaba em 25 de julho de 2009

APRENDENDO COM O “VOINHO”
Maria Helena Aguiar Corazza


Linda essa atuação do “Voinho” Dr. Geraldo Victorino de França em lançar dia dezoito passado seu segundo livro, não só pelas crianças que ele atinge com a preciosidade do conteúdo, como aos adultos, ávidos por matérias eficientes, decentes e bem intencionadas às gerações atualmente tão confusas e mal orientadas, por uma sociedade que não sabe mais, como cuidar dos pensamentos e comportamentos infantis. Mas, o “Voinho” sabe. E, ele não só sabe como os expõem com tal vivência, capacidade e sabedoria, que chegam a comover tal a diversidade disposta!
O livro tem os mais diversos assuntos desde ensinamentos sobre rochas, desertos, animais em extinção, fartas curiosidades geográficas, reino animal e vegetal, regiões polares, plantas e flores, curiosidades de todos os tipos, folclore e numerais, esportes e sistema solar, países, datas e populações, combustíveis e plásticos, corpo humano... Enfim, língua portuguesa em tantas explanações e eteceteras, que, se continuasse a relatar os títulos que compõem o livro, eles, por si, já completariam o tamanho dessa crônica inteira. (E, só para provocar, porventura muita gente lembra ou sabe o que são “onomatopéias”? No livro tem...).
Ufa! Que trabalho aprimorado e encorpado, meu Deus! Que abundância de abordagens e detalhes! Que boa intenção, boa vontade e dedicação ao ensinar todos os “netinhos” dessa maneira tão ricamente ornamentada dos conhecimentos colocados em pauta que, sem duvida nenhuma, ficarão muito mais bem formados, informados e instruídos ao aprenderem tantas lições com temas de incrível gabarito.
Com toda certeza, ninguém pode deixar de brindar seus filhos ou netos presenteando-os com um livro como esse, útil também para adultos, cuja “fartura de ensinamentos” funcionará como um compêndio a ser consultado em muitas pesquisas de trabalhos escolares, além da cultura que jamais continuará precária ou minúscula após esse contato de grande porte literário.
Sem exageros, como já relatou em suas considerações na contra capa do livro, nosso querido Príncipe dos Poetas Lino Vitti, “esse livro, deveria ser adotado em todas as escolas” (para o que acrescentamos: “em todas as escolas brasileiras”!).
Então, o que fazer mais, além de reverenciar e enaltecer esse ato de generosidade (acima de tudo), senão agradecer? No entanto, quais palavras melhores para louvar uma atitude tão benéfica de compartilhar a vida? Bem verdade mesmo é que há casos onde as palavras necessárias ficam pequenas para expressar certas emoções... Devem existir, porém, votos mais extensos para, além de agradecer, homenagear nesse ato de suma contribuição! Então, com muita consideração e carinho olhamos para a linda família do caríssimo autor, almejando que a paz, a harmonia e a união sejam a maior constante em suas vidas e, que o amor que os une cresça cada dia mais, alegrando e preenchendo de muita saúde a todos que privam a querida presença do “Voinho”, Dr. Geraldo, este coração tão bonito, numa alma que não envelheceu...

M. Helena Corazza é escritora e presidente da Academia Piracicabana de Letras, da qual o "voinho" faz parte

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

FOTOS


Reveillon em Família - 1986

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

FOTOS

Fotos do Lançamento do Livro - "Aprendendo com o Voinho" - Volume II 18 de julho de 2009



























APRENDENDO COM O "VOINHO" - Volume II




APRENDENDO COM O VOINHO vol. II

APRESENTAÇÃO:

Este é o segundo livro de verbetes variados de Geraldo Victorino de França.
O primeiro surgiu de um passatempo, após muitas mensagens de e-mails enviados aos filhos e netos.
Como engenheiro agrônomo, pesquisador e estudioso de assuntos diversos, elaborava mensagens muito instrutivas, e os filhos concluíram que seria interessante repassá-las para outras pessoas, principalmente às crianças, pois poderiam ser muito úteis.
Muitos desses verbetes já foram publicados na coluninha Planeta Terra, editada pelo Jornal de Piracicaba, no suplemento infantil, aos sábados.
O Príncipe dos Poetas de Piracicaba Lino Vitti, assim se expressou ao receber o primeiro volume da obra: “Li o belo, importante, novo, valioso, generoso, culturalíssimo livro do doutor Geraldo. Uma coisa é certa: os livros nascem muitas vezes de nadas, de uma diversão, de um entretenimento, do advento de algum fato diferente na vida das pessoas, como o Aprendendo com o Voinho”, e eu vou passando de mão em mão para que meu pessoal desfrute também dessa beleza cultural engendrada pelo ineditismo de um processo internético entre gente de estirpe literária. É importante, oportuno e caprichado. Deveria ser adotado em nossas escolas”.
E como há ainda farto material sendo produzido, certamente um terceiro livro será editado!


DEDICATÓRIA

Dedico esta obra à minha querida e saudosa esposa Zilda ( in memoriam ), a meus filhos Maria Graziela, Ivana Maria, Maria Fernanda e Geraldo Júnior, a meus netos Octávio Helene Neto ( in memoriam ), Ricardo, Grazielinha, Eduardo , George, Cassio Fernando, Ana Camilla, Ivan Gabriel, Maurício, Marcela e Matheus e às bisnetas Mariana, Talita e Ana Clara.


INFORMAÇÃO SOBRE BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

Foram consultadas numerosas fontes, incluindo: diversas enciclopédias, manuais técnicos, anais de congressos e reuniões científicas, livros-textos e revistas especializadas.

Capa: Desenhos feitos com lápis de cor de autoria do neto caçula, Matheus de França Cabrini

Montagem e compilação dos verbetes:: Ivana Maria França de Negri

Volume II

CONHECENDO AS ROCHAS

Vulgarmente chamadas pedras, as rochas são agregados naturais, compactos e duros, encontrados na crosta terrestre e formados pela associação de um ou mais minerais. Quando constituídas por um único mineral, são chamadas rochas simples, como por exemplo o quartzito, formado praticamente só de grãos de quartzo. Quando constituídas por dois ou mais minerais são chamadas rochas compostas, como por exemplo o granito, formado por uma associação de quartzo, feldspato e mica.
De acordo com a sua origem, as rochas são classificadas em três grupos: a) ígneas ou magmáticas; b) metamórficas; c) sedimentares.
A. Rochas ígneas ou magmáticas. São originadas quando o magma irrompe na superfície e depois esfria, solidificando-se. Subdividem-se em? a) rochas intrusivas ou plutônicas, se o magma se solidificou lentamente, a uma certa profundidade; b) rochas extrusivas ou vulcânicas, quando o magma extravasou, como lava, sobre a superfície do solo, solidificando-se rapidamente.
Como exemplos de rochas intrusivas podem ser citados o granito e o diorito; como exemplos de rochas vulcânicas, o basalto e o gabro.
B. Rochas metamórficas. São as que se formam a partir de outras rochas ( ígneas
ou sedimentares ),por metamorfismo, ou seja, por efeito de alta temperatura e/ou alta pressão com o auxílio de água e outros agentes químicos. Como exemplos, podem ser citados: gnaisse, x isto e mármore.
C. Rochas sedimentares. Derivam do intemperismo ( desagregação e decomposição ) de rochas preexistentes; o material resultante é transportado e depositado pela água, vento ou gelo. Geralmente são estratificadas (depositadas em sucessivas camadas ). Como exemplos podem ser citados: arenito, folhelho, calcário.
D. Importância. Além de constituírem o material de origem dos solos, as rochas
são utilizadas principalmente como material de construção e como um importante componente do concreto ( pedra britada ).

CONHECENDO OS DESERTOS

Deserto é a designação que se dá às regiões onde as chuvas são escassas e a cobertura vegetal é praticamente ausente ou, então, reduzida a algumas plantas adaptadas à seca. Geralmente ocorrem nas regiões áridas, onde a precipitação média é inferior a 250 mm/ano. Também ocorrem nas regiões muito frias.
Distinguem-se três tipos de desertos: a) quentes, como o deserto do Saara, no norte da África; b) temperados, como o deserto de Atacama, na costa do Peru e do Chile; c) frios, ou Tundra, no norte do Canadá e da Sibéria.
A Tundra se caracteriza pela presença do "permafrost" ou subsolo permanentemente congelado e pela cobertura de musgos e liquens na superfície do solo.
Os desertos típicos são constituídos predominantemente por areias, podendo conter pedras e oásis. Neles a ação do vento ( erosão eólica ) ocorre de forma intensa. Quando formados de areia e pedras pequenas, o vento leva as partículas de areia e deixa os seixos, dando origem ao chamado " pavimento de deserto ", uma espécie de pedreira. Em geral, as areias finas são transportadas e vão sedimentar fora do deserto, enquanto as areias grossas sedimentam-se no próprio deserto, formando as dunas.
Os desertos pedregosos normalmente apresentam pedras, às vezes maciços rochosos, com formas e altitudes muito variáveis.
Oásis são pequenas áreas úmidas,no meio do deserto, onde a cobertura vegetal
é mais desenvolvida, sendo freqüente a presença de tamareiras.
Poucas plantas são adaptadas às condições de aridez do deserto, sendo chamadas xerófitas, representadas principalmente pelas Cactáceas e Bromeliáceas.

CONHECENDO OS ANIMAIS EM EXTINÇÃO

A extinção de animais pode parecer coisa recente, mas na verdade começou nos
primórdios da presença humana. Calcula-se que nos últimos 500 anos foram extintas mais de 800 espécies animais. Atualmente, estima-se que, de 1,75 milhões de espécies conhecidas, cerca de 9.000 estão ameaçadas de extinção.
Grande parte das espécies em extinção são endêmicas, isto é, só vivem em determinada área. Por isso, a devastação do habitat é responsável por 80% dos casos de desaparecimento de espécies. A extinção de animais ocorre também por causa de mudanças climáticas, derrubada de mata, caça e pesca, agricultura,aumento das áreas urbanas e poluição.
No Brasil, a lista organizada pelo IBAMA aponta 202 espécies com risco de extinção. Algumas são verdadeiros símbolos da fauna nacional, como onça-pintada, sagüi, ariranha, jacaré-de-papo-amarelo, tatu-canastra, guará, jaguatirica, mico-leão-dourado, peixe-boi, etc.
No resto do mundo, entre muitas espécies estão ameaçadas de extinção: baleia-azul, elefante africano, gorila-das-montanhas, panda-gigante, rinoceronte-de-Java, tigre-de-Bengala, etc.

CONHECENDO SIMBIOSE E PARASITISMO

Do grego " syn " = junto e " bios " = vida, é um termo usado para designar a vida em comum de duas plantas, ou de uma planta e um animal. Neste tipo de associação, também chamado mutualismo, os organismos que dela participam são chamados simbiontes e, ao contrário do parasitismo, se beneficiam mutuamente,
O exemplo clássico é representado pelos liquens, que são uma associação de um
fungo com uma alga, para formar um novo ser simbiótico.
Outro exemplo é o das bactérias do gênero Rhizobium, que vivem em simbiose nas raízes das plantas da família Leguminosas e são responsáveis pela fixação biológica do nitrogênio atmosférico, elemento necessário à nutrição das plantas.
Por outro lado, parasita ( do grego" para " = sobre e " sitos " = comida ) é o nome dado ao organismo que vive associado a outro ser vivo, de espécie diferente, denominado hospedeiro, do qual depende para retirar o seu alimento - seiva das plantas ou sangue dos animais.
O parasitismo pode ocorrer tanto entre vegetais como entre animais. No caso dos vegetais, os parasitas são plantas heterótrofas, isto é, incapazes de realizar a fotossíntese, ou seja, de produzir compostos orgânicos a partir de inorgânicos; portanto, devem recebê-los de outras plantas capazes dessa função ( plantas autótrofas ).
As plantas parasitas desenvolvem haustórios, isto é, raízes sugadoras, que penetram nos tecidos das plantas parasitadas, chamadas plantas hospedeiras, dela retirando os elementos que necessitam. É uma situação diferente da planta heterótrofa que obtém seu alimento de organismos mortos e que é chamada saprófita; e contrapõem-se à simbiose, pelo fato de a parasita prejudicar a hospedeira.
Como exemplo de parasita entre os vegetais,pode ser citado o cipó-chumbo. As ferrugens do cafeeiro e da cana-de-açúcar são causadas por fungos que parasitam essas plantas. Como exemplos de parasitas entre os animais, podem ser citados: protozoários, vermes, pulgas, carrapatos, etc.

CONHECENDO A LOCOMOÇÃO ANIMAL

Locomoção é a função dos seres vivos de se deslocar de um lugar para outro, principalmente os animais. A locomoção resulta da ação dinâmica da musculatura. Enquanto nos vegetais a locomoção é a exceção, nos animais é a regra, salvo nas espécies fixas, como pólipos, esponjas, alguns vermes e moluscos bivalves.
A locomoção pode ser realizada em diferentes ambientes e por diferentes processos.
1. Na superfície do solo, a locomoção pode ser feita por: a) reptação - cobras; b) sal-
to - canguru, sapo, rã, grilo; c) marcha bípede - homem, aves corredoras; d) marche tetrápode - quadrúpedes ( passo, trote, galope ); e) marcha-hexápode - insetos; f) marcha octópode - aranha, escorpião.
2. No interior do solo: a) escavação - tatu, toupeira, minhoca, larvas de insetos.
3. Na superfície da água: a) natação remada - pato, ganso, cisne; b) natação anfíbia -
jacaré, crocodilo.
4. No meio das águas: a) flutuação - plâncton; b) natação por ginga ou ondulação do corpo - peixe, baleia, lula, lula, camarão.
5. No ar: a) vôo planado - aves grandes, como a águia; b) vôo remado - aves, morcego; c) vôo zunido - insetos.
6. Nas árvores; a) braquiação - macacos antropomorfos ( gorila, chimpanzé ); b) subida com auxílio das patas - macacos, esquilo, insetos; c) alternância de poleiro, salto e vôo - pássaros.

CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 1

a) " Cuesta " é o nome dado a uma forma de relevo assimétrica, geralmente chamada de " serra ", porém só tem duas superfícies: um planalto no reverso da cuesta; e uma vertente escarpada na frente da cuesta. Exemplos: serra de Botucatu, serra de São Pedro. Convém lembrar que a serra verdadeira tem um espigão ou divisor de águas e duas vertentes.
b) Calcula-se que durante a estação das chuvas, o rio Mississipi ( Estados Unidos )
transporta diariamente cerca de 10 milhões de toneladas de terra para o Golfo do México.
c) Meandros são as sinuosidades de um rio, geralmente numa planície aluvial, que se caracterizam pela erosão nas margens côncavas e deposição de material transportado nas
margens convexas, onde a velocidade das águas é menor. Assim, os meandros tendem a se
deslocar para o lado de jusante. Por exemplo: encontram-se muitos meandros na planície aluvial do rio Paraíba do Sul ( vale do Paraíba, SP).
d) A maior erupção do Vesúvio, vulcão localizado na Itália Central, ocorreu no ano 79 da nossa era. A catástrofe soterrou as cidades de Pompéia e Herculano, nas proximidades de Nápoles.

CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 2

a) Admitindo a Austrália como continente, a maior ilha do mundo é a Groenlândia, situada no Oceano Atlântico, a nordeste do Canadá, cuja superfície mede 2.175.600 km2.
b) O ponto mais alto do mundo é o Monte Everest, situado na Cordilheira do Himalaia, na Ásia Central, com 8.844,4 metros acima do nível
do mar.
c) O ponto mais baixo da superfície terrestre é o Mar Morto, entre Israel e Jordânia. A sua superfície de água está situada a 396 metros abaixo do nível do mar.
d) O lago mais alto do mundo é o Titicaca, na Cordilheira dos Andes, no Peru, situado a 3.811 metros acima do nível do mar.
e) O lago mais profundo é o Lago Baikal, situado na Sibéria Central, com 1.640 metros de profundidade.


CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 3

a) Os maiores países do mundo quanto à área são:
km2
1. Rússia................... 17.075.400
2. Canadá.................. 9.970.600
3. China..................... 9.561.000
4, Estados Unidos..... 9.519.660
5. Brasil...................... 8. 511.960

b) A maior cordilheira é a Cordilheira dos Andes, situada na América do Sul, junto à costa do Oceano Pacífico, com 7.600 km de extensão.
c) O oceano mais profundo é o Pacífico, com uma profundidade média de 4.267 metros. As fossas submarinas das Marianas e das Filipinas ultrapassam 10.000 metros de profundidade.
d) O maior lago é o Mar Cáspio ( água salgada ), situado entre a Rússia e o Irã, com superfície de 371.800 km2 e profundidade de 980 metros.
e) O lugar mais seco do mundo é o Deserto de Atacama, no Chile, onde praticamente não chove. Aí se encontram jazida de salitre do Chile ( nitrato de sódio ), uma substância muito solúvel em água e que é utilizada como adubo nitrogenado.

CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 4

a) " Grandes Lagos " é o nome dado à extensa área lacustre localizada no centro-les-
te da América do Norte, na região fronteiriça entre os Estados Unidos e o Canadá. É constituída por nada menos de 5 grandes lagos interligados: Superior, Michigan, Hudson, Erie e Ontário.
b) O " Grand Canyon " é uma das maravilhas criadas pela natureza, localizado no Planalto do Colorado, a noroeste do estado do Arizona ( Estados Unidos ). Trata-se do mais grandioso exemplo de garganta escavada pelo Rio Colorado. É um vale profundo que se estende por 350 km, chegando a ter 29 km na sua parte mais larga e 1.500 km de profundidade média. Transportando 500.000 toneladas de terra por ano, o rio vem escavando formas espetaculares de erosão.
c) Considerando a Austrália como continente, a maior ilha do mundo é a Groenlândia, com cerca de 2.175.600 quilômetros quadrados. É cortada pelo Círculo Polar Ártico e cercada pelo Oceano Glacial Ártico ao norte e pelo Oceano Atlântico ao sul.
d) A maior ilha fluvial do Brasil é a Ilha de Bananal, formada por uma bifurcação do Rio Araguaia, no Estado de Goiás. Estende-se por 320 km no sentido N - S e mede, em seu trecho mais largo, 70 km no sentido E - O.

CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 5

a) As Ilhas Hawaí são um arquipélago situado no meio do Oceano Pacífico e que constituem um estado dos Estados Unidos. Suas origens estão ligadas a erupções vulcânicas da plataforma submarina. As ilhas do arquipélago correspondem aos cones emersos de uma cadeia de vulcões.
b) O Krakatoa, um vulcão situado numa pequena ilha entre Sumatra e Java, é um vulcão do tipo explosivo, isto é, o material expelido consiste principalmente de gases misturados com cinza, sem derramamento de lava. Em 1.883, entrou em violenta erupção que eliminou todas as formas de vida da pequena ilha.
c) Tomando como referência o nível do mar, o ponto culminante da crosta terrestre é o pico do Everest, localizado na Cordilheira do Himalaia, na Ásia Central, com 8.880 metros de altitude. Por outro lado, a fossa submarina mais profunda fica no Oceano Pacífico, à leste da Ilha de Mindanao, nas Filipinas, que atinge 11.200 metros de profundidade.
d) O Mar Cáspio é um mar fechado ( sem comunicação com o oceano ), localizado na região fronteiriça entre Rússia, Irã e Casaquistão. Apesar de ser um dos maiores mares fechados e receber as águas de grandes rios como o Volga, vem diminuindo paulatinamente, em consequência de forte evaporação

CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 6

1. A cidade italiana de Veneza foi construída sobre um arquipélago formado por 118 ilhas e ilhotas, possuindo 160 canais e 400 pontes.
2. Alguns países são formados por arquipélagos ou conjunto de ilhas, destacando-se: a) Indonésia, com 13.700 ilhas; b) Filipinas, com 7.107; c) Maldivas, com 1.196.
3. Os continentes ocupam apenas 1/3 da superfície do globo terrestre; os oceanos e mares ocupam 2/3.
A Lagoa dos Patos, situada no litoral do Rio Grande do Sul, é a maior lagoa do Brasil e a segunda da América Latina. Contudo, não tem patos, só um ou outro grupo de marrecos. O seu nome está ligado às tribos de índios que habitavam essa região.
5.O menor país do mundo é o Vaticano, encravado dentro da cidade de Roma, servindo como sede do Papa. Possui apenas 44.000 metros quadrados e menos de 800 habitantes.
6. Escandinávia é o nome de uma grande península situada no norte da Europa, a qual inclui a Suécia, a Noruega e a Dinamarca

CONHECENDO AS VOZES DOS BICHOS

As vozes dos bichos recebem os seguintes nomes:
Arrulho: pombo
Balido: ovelha, carneiro
Barrido: elefante
Berro: cabra, carneiro
Cacarejo: galinha
Chilrear: pássaros
Coaxar: sapo, rã
Cricri: grilo
Ganido: cachorro
Gorjeio: pássaros
Grunhido: porco, javali
Guincho: macaco, gavião
Latido: cachorro
Miado: gato, onça
Mugido: boi
Relincho: cavalo
Rosnado: cachorro, lobo, raposa
Uivo: cachorro, lobo
Zumbido: abelha, vespa
Zurro: burro

CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 1

a) Um camelo consegue beber 120 litros de água em 10 minutos. Ele retém água para 8 dias. Porém, a girafa e o rato podem viver sem água mais tempo que o camelo.
b) As girafas atingem 7 metros de altura. Apesar do tamanho, o seu pescoço tem apenas 7 ossos, o mesmo número de ossos que o pescoço do homem. A cabeça da girafa fica a mais de 2 metros de distância do coração. Para fazer o sangue subir, o coração precisa ser muito forte. O coração da girafa é 43 vezes maior que o do homem.
c) O porco-espinho tem, em média, cerca de 30.000espinhos. Ele é um excelente nadador, porque os espinhos o ajudam a flutuar.
d) As grandes orelhas do elefante servem para resfriar o animal. Quando o sangue
passa pelos vasos próximos à superfície das orelhas, se resfria com o vento. Além disso, abanar as orelhas também ajuda a refrescar.
e) A carapaça das tartarugas é a própria pele que engrossou e ficou dura. Elas não
conseguem sair da carapaça, mas colocam a cabeça e as patas para fora.

CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL – 2

a) A anta é maior mamífero terrestre do Brasil. Pode atingir até 2 metros de comprimento e 1 metro de altura, chegando a pesar 300 quilos.
b) Cada salto em distância do canguru alcança 10 metros, enquanto o sapo pula até 5,5 metros. Em termos de altura, o canguru alcança 2,7 metros, menos que o puma, que atinge 3,1 metros.
c) O beija-flor bate as asas 90 vezes por segundo, quatro vezes mais que a libélula.
Ele voa de frente, de costas e até de ponta-cabeça. Procura néctar em cerca de 2.000 flores
por dia.
d) A preguiça movimenta-se lentamente durante a noite e dorme de dia ( mais de 18 horas ). Tem um pescoço que pode até 180 graus. Assim, não precisa mexer o corpo para olhar o que está acontecendo ao seu redor.
e) Os morcegos são os únicos mamíferos que sabem voar. Eles não são cegos, embora tenham dificuldade de enxergar em locais mal-iluminados, mesmo sendo animais de hábitos noturnos. Usam o nariz em forma de ferradura para emitir ultra-sons que os ajudam a detectar obstáculos em sua trajetória de vôo e desviar-se deles.

CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 3

a) Os dois únicos mamíferos ovíparos, isto é, que botam ovos, são o ornitorrinco e a equidna, os quais vivem exclusivamente na Austrália.
b) Outro animal exclusivo da fauna australiana é o casuar, uma ave corredora, com asas curtas e patas fortes, semelhante ao avestruz.
c) A preguiça é um mamífero curioso, que tem o corpo coberto por pelos grossos e
longos, que vive nas matas, movimentando-se nas árvores muito lentamente ( daí o seu nome ). Dorme de dia e movimenta-se à noite, alimentando-se de folhas das árvores.
d) Os morcegos são os únicos mamíferos que voam. Eles não são cegos, embora tenham dificuldade de enxergar e tenham hábitos noturnos. Eles usam o nariz para emitir ultrassons que os ajudam a detectar obstáculos em sua trajetória. Essas vibrações atingem os objetos e voltam em sua direção, permitindo avaliar o seu tamanho e localização.
e) O pica-pau é uma ave com ouvido muito apurado, que consegue localizar as larvas de insetos dentro do tronco e galhos das árvores. Então fura a árvore no ponto certo, dando repetidas bicadas e abrindo um buraco, que lhe permite introduzir a língua e apanhar a larva

CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 4

a) O maior ovo é o do avestruz, que mede 15 - 20 cm e pesa 1,2 kg, equivalente a duas dúzias de ovos de galinha; enquanto o menor ovo é o do beija-flor, com 1,2 cm.
b) As cobras comem a cada 15 dias, em média. Elas demoram todo esse tempo para comer de novo porque a sua digestão é muito lenta, já que elas engolem suas presas inteiras,sem mastigar.
c) Conforme a espécie, uma lacraia ou centopéia tem de 28 a 354 patinhas!
d) Testes feitos por cientistas com diversos animais, mostram que o chimpanzé e o golfinho são os mais inteligentes.
e) O falcão voa bem alto e possui excelente visão. Quando ele avista uma presa, se lança sobre ela num vôo tão rápido que chega a atingir 300 km/hora!
f) As formigas-correição são conhecidas por saírem de seu ninho em bandos enormes, que caminham em fileira, atacando e devorando todos os pequenos animais que encontram, tais como: lagartas, lesmas, grilos, baratas, aranhas, escorpiões, etc.

CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 5

a) As formigas-correição costumam sair do formigueiro em bandos enormes, com milhares de indivíduos que desfilam, durante horas, atacando e devorando todos os pequenos animais que encontram, tais como: lagartas, lesmas, grilos, baratas, aranhas, escorpiões, etc. b) O cavalo-marinho é um pequeno peixe com aparência de um cavalo. Curiosamente, a fêmea deposita os ovos ( em número de 200 - 400 ) em uma bolsa ou saco abdominal do macho, onde são incubados. Portanto, o macho é que fica grávido.
c) O louva-deus, apesar da sua atitude que lembra uma pessoa em oração, é um inseto predador de outros insetos. Algumas espécies chegam a praticar o canibalismo, não sendo raros os casos em que a fêmea, de tamanho maior, devora o macho após a cópula.
d) Quando em perigo, os elefantes formam um círculo, com os mais fortes na frente,
protegendo os mais fracos.
e) Toda as cobras produzem uma substância tóxica, porém poucas espécies possuem a capacidade de injetá-la porque não possuem dentes para isso. O veneno misturado à saliva ajuda na digestão das presas engolidas. As cobras que conseguem injetar o seu veneno são consideradas peçonhentas. No Brasil, a jararaca é responsável por 85% dos casos de picada em seres humanos. Depois, vêm a cascavel e a coral.

CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 6

a) O animal que vive mais tempo é a tartaruga de Galápagos, que pode viver até 360
anos.
b) O animal mais veloz na terra é o guepardo, que pode atingir a velocidade de 100 Km/hora. O mais veloz no ar é o falcão peregrino, capaz de mergulhar à velocidades de 300 Km/hora.
c) O animal de língua mais comprida é o tamanduá, cuja língua pode medir até 50 centímetros. Ela libera um líquido doce que serve de isca para atrair formigas e cupins. Sua boca, no entanto, tem apenas 2,5 centímetros de largura.
d) O animal mais fedido é o zorrilho africano; quando se sente ameaçado, ele esguicha um líquido mal-cheiroso que provém de suas glândulas anais.
e) A rêmora é um pequeno peixe que possui, na parte superior da cabeça, uma placa com várias ventosas, utilizadas para sua fixação em animais maiores ( baleia, tartarugas e outros peixes, como cação e tubarão ) e até mesmo em barcos. As rêmoras são assim transportadas sem despender nenhum esforço.

CONHECENDO AS REGIÕES POLARES

Chamam-se pólos terrestres cada um dos pontos em que o eixo de rotação da Terra
encontra sua superfície. Distinguem-se os pólos norte e sul.
Na região polar norte não há continente, somente uma área do Oceano Ártico permanentemente congelado, apesar de incluir parte da Groenlândia. Já na região polar sul fica a Antártida, um continente maior que o Brasil. No inverno, por causa do congelamento do mar vizinho, a parte sólida aumenta de tamanho, ficando quase do tamanho da África.
Na região polar norte vive uma pequena população humana nativa - os esquimós, que constroem casas com blocos de gelo, chamadas iglus. Nessa região também vivem ursos polares, assim como focas, morsas e baleias.
Em contraste com a região polar norte, a Antártida é um continente gelado rodeado pelo oceano, em parte também congelado. Aí vivem os pingüins, assim como o krill, semelhante ao camarão, que serve de alimento para animais maiores, como focas e baleias.
Na região polar sul praticamente não há noites no verão. Já no inverno, é o dia que
não amanhece. Nas áreas próximas ao pólo sul, o sol brilha por seis meses consecutivos; mas em compensação, escurece em maio e só amanhece em outubro.
Por outro lado, no pólo norte o sol nasce em março e só se põe em setembro.

CONHECENDO SUBSTANTIVOS COLETIVOS DE PLANTAS

1. Algodoal - algodoeiros
2. Arboreto - árvores cultivadas
3. Bananal - bananeiras
4. Cacho - uvas, bananas
5. Cafezal - cafeeiros
6. Eucaliptal - eucaliptos
7. Feixe - capins
8. Flora - plantas
9. Floresta - árvores
10. Folhagem - folhas
11. Gramado - gramas
12. Laranjal - laranjeiras
13. Penca - flores, frutas
14. Pomar - árvores frutíferas
15. Raizame - raízes
16. Ramagem - ramos
17. Ramalhete - flores
18. Renque - árvores enfileiradas
19. Réstia - alhos, cebolas
20. Trigal - plantas de trigo

CUIDADO COM OS CACÓFATOS

Cacófato é um vício de linguagem caracterizado por som desagradável ou palavras de sentido ridículo ou torpe, resultante da seqüência de certos vocábulos na frase. Exemplos:
1. A boca dela.
2. Por cada mil habitantes.
3. Faca, garfo e colher.
4. Ela tinha medo.
5. A moribunda.
6. Desculpe então.
7. Encurralado.
8. Pegou com uma mão.
9. O pinho é uma madeira mole.
10. Ela trina maviosamente.


CONHECENDO AS PLANTAS EPÍFITAS E TREPADEIRAS

Epífitas (do grego " epi " = superfície + " fito " = planta ) é a designação dada às plantas que nascem e se desenvolvem sobre outras, porém sem parasitá-las. Portanto. são plantas autótrofas, isto é, capazes de produzir compostos orgânicos a partir de inorgânicos (fotossíntese ), ao contrário das plantas parasitas, que são heterótrofas ( incapazes dessa função ).
A água de chuva e os restos vegetais que se acumulam nas árvores de casca grossa, favorecem a formação de um estrato, principalmente de musgos, que permitem a sobrevivência das plantas epífitas.
As epífitas são comumente confundidas com parasitas, devido ao local se encontram, porém, na verdade elas funcionam de maneira completamente diferente.
Entre as principais epífitas conhecidas têm-se as orquídeas e as bromélias ( destas últimas existem também espécies terrestres). Alguns filodendros vivem, indiferentemente, em árvores ou no solo, dependendo do local onde nascem.
Trepadeiras é a denominação dada às plantas que crescem apoiando-se em um suporte qualquer, inclusive em outras plantas.Certas trepadeiras possuem gavinhas, que são caules ou folhas modificadas, que permitem a fixação ao suporte; algumas se agarram por meio de ventosas, enquanto outras, com caule volúvel, se enrolam ao redor do suporte.
Geralmente as trepadeiras são plantas de jardim, mas também crescem em estado selvagem, como os cipós. Existem espécies anuais e perenes. Nos dois grupos encontram-se exemplares com belas flores, como o maracujá, que produz frutos muito apreciados. Outra planta trepadeira muito conhecida é o chuchuzeiro. Algumas sobem até em paredes ou rochas, como a hera, que se fixa ao suporte por meio de pequenas e numerosas raízes que nascem, de espaço em espaço, ao longo dos seus caules.

CONHECENDO OS PRIMATAS

Os Primatas constituem uma ordem da classe Mamíferos, compreendendo cerca de 180 espécies, estando a maioria delas confinada às regiões tropicais. São quase todos animais arborícolas ( que vivem nas árvores ) e onívoros ( que comem de tudo ).
Dentro da ordem Primatas distinguem-se dois grupos ou subordens: a) Primatas inferiores ou Prossímios, que incluem lêmures e lórix; b) Primatas superiores, também conhecidos como Símios ou Antropóides, que abrangem társios, macacos e o homem.
Entre outras características, os Primatas possuem: a) olhos voltados para a frente,
com visão binocular ( percepção da terceira dimensão ); b) tato refinado, com áreas táteis nos dedos; c) pés e mãos preênseis, adaptados para se movimentarem com segurança pelas árvores; d) cérebro desenvolvido, permitindo agir com inteligência.
Os primatas inferiores são todos arborícolas, sendo que os lêmures estão confinados às florestas de Madagascar, enquanto os lóris são encontrados na África e sudeste da Ásia.
Os primatas superiores são predominantemente arborícolas, mas algumas espécies, como os babuínos, são encontrados em áreas abertas. Os társios vivem nas florestas das Filipinas e Indonésia.
Os macacos do Novo Mundo são representados principalmente pelos sagüis, bugio, macaco-aranha e macaco-prego. Os macacos do Velho Mundo incluem os macacos propriamente ditos, mandris, macaco-narigudo e babuínos.
Os macacos antropóides abrangem os gibões, chimpanzés, orangotangos e gorilas. O maior de todos é o gorila, que chega a pesar 275 kg.

CONHECENDO O SOLO

Solo é um corpo natural desenvolvido na porção superior do regolito ou manto de intemperismo. Se a rocha subjacente está próxima da superfície, o solo corresponde a todo o regolito.
A conceituação de solo não é fácil, ficando na dependência do ponto de vista considerado, que pode ser: físico, químico, biológico, pedológico.
Do ponto de vista físico, solo é um corpo sólido, poroso e trifásico. Seu volume se distribui quase quase igualmente entre matéria sólida e poros. Além da fase sólida, o solo contém uma fase líquida ( água ) e uma fase gasosa ( ar ). A fase sólida consta de partículas minerais originadas do intemperismo das rochas, as quais podem se apresentar na forma de grãos simples ( areia, seixos ) ou reunidas em agregados ( argilas ). Os poros compreendem: a ) macroporos, ocupados pelo ar ; b ) microporos, que retêm a água, ou melhor, a solução do solo.
Do ponto de vista químico, solo é uma associação de: a) minerais primários - remanescentes da rocha que lhes deu origem; b ) minerais secundários - formados no solo. Os primeiros compõem principalmente a fração areia; e os segundos, a fração argila. À parte mineral acrescentam-se proporções variáveis de matériaorgânica, constituída por restos vegetais e animais em diferentes graus de decomposição. A
fração argila tem propriedades coloidais, sendo a sede de uma infinidade de reações químicas.
Do ponto de vista biológico, solo é o ambiente para o desenvolvimento das raízes, permitindo a fixação das plantas e a absorção de água e nutrientes minerais, necessários á nutrição das plantas.
Do ponto de vista pedológico, solos são corpos naturais diferenciados em camadas ou horizontes apresentando propriedades diferentes no tocante a: espessura, cor, textura, fertilidade, etc., disso resultando diferentes capacidades de uso agrícola.

CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 1

a) As plantas da família Leguminosas vivem em simbiose com certas bactérias do solo fixadoras de nitrogênio atmosférico, que formam nódulos nas raízes das plantas. Por isso, além das leguminosas cultivadas para alimentação humana ( soja, feijão, ervilha, etc. ), outras leguminosas ( feijão-de-porco, lab-lab, soja perene, etc. ) são utilizadas como " adubo verde ",isto é, são plantadas em terra de cultura e depois enterradas no solo como fontes de nutrientes para as culturas principais, principalmente de nitrogênio.
b) As micorrizas constituem outro tipo de associação simbiótica, que ocorre entre as raízes de muitas plantas e certos fungos do solo, com efeitos benéficos tanto para a planta como para o fungo.
c) As chamadas plantas epífitas nascem e se desenvolvem sobre outras plantas sem parasitá-las. A água de chuva e os restos vegetais que se acumulam nas árvores com troncos de casca grossa favorecem a formação de um extrato de musgos, graças ao qual sobrevivem as epífitas, como por exemplo as orquídeas.
d) Os cactos, plantas típicas de deserto, possuem epiderme espessa e eriçada de espinhos; a primeira reduz as perdas de água por transpiração e os espinhos impedem os animais herbívoros de comer os cactos.
e) A tamareira é uma palmeira cujo estipe ( tronco ) chega a atingir 20 metros de altura, que cresce nos desertos da África e da Arábia, ou melhor, nos oásis que ocorrem nesses desertos. Nos oásis, o lençol de água subterrânea fica próximo da superfície do solo, permitindo o desenvolvimento de certas plantas, entre as quais se incluem as tamareiras.

CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 2

a) A árvore mais alta do mundo é a sequóia, encontrada principalmente na costa úmida do Atlântico, na Califórnia ( Estados Unidos ), cuja altura chega a ultrapassar 100 metros, atingindo o diâmetro do seu tronco mais de 8 metros. Por outro lado, no mar existem algas pluricelulares e que também podem ultrapassar 100 metros de comprimento.
b) A jaca é uma fruta exótica que nasce no tronco e nos galhos mais grossos da jaqueira. É o maior fruto comestível, chegando a medir 80 centímetros de comprimento e pesar mais de 15 quilogramas.
c) A vitória-régia é uma planta aquática da região Amazônica, cujas folhas flutuam na superfície das águas, com os bordos avermelhados e levantados, chegando a ter 2 metros de diâmetro.As flores são grandes, chegando a ter 30 centímetros de diâmetro e 40 centímetros de altura, belíssimas e perfumadas, mas que só se abrem à noite.
d) O baobá é uma árvore que cresce na savana da África, de raiz central profunda e raízes laterais grossas, que se estendem até 30 metros do tronco. Embora o baobá não ultrapasse 30 metros de altura, é um colosso vegetal, com tronco grosso e copa com mais de 20 metros de circunferência. Também possui grande longevidade, existindo exemplares com mais de 3.000 anos!

CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 3

a) Indaiá e barba-de-bode são duas plantas típicas dos cerrados do Brasil Central, que crescem em solos de baixa fertilidade, juntamente com os chamados " paus tortos ". Indaiá é uma palmeirinha baixa, praticamente sem caule; e barba-de-bode é uma gramínea que forma tufos.
b) O eucalipto é uma árvore nativa da Austrália, onde chega a atingir 100 metros de
altura; e que foi introduzida com sucesso em todos os países do mundo devido ao seu rápido crescimento, servindo para a formação de quebra-ventos e fornecimento de lenha e de madeira, esta utilizada para várias finalidades.
c) A seringueira é uma árvore nativa da Amazônia, hoje introduzida em outros países, principalmente da zona tropical, importante por produzir um látex utilizado na produção de borracha natural.
d) A barriguda é uma árvore nativa da zona da caatinga, no Nordeste Brasileiro, que apresenta um aspecto curioso: o seu tronco é engrossado na parte média ( daí o seu nome ), onde chega a atingir 4 metros de diâmetro.
e) O repolho ou couve chinesa é uma espécie de couve de pequena altura, cujas folhas se enovelam, formando uma bola com as folhas concêntricas.

CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 4

a) Gutação é um processo fisiológico que ocorre em plantas e que consiste na exsudação de gotas d'água no ápice e nas margens das folhas . Isso ocorre quando as condições ambientais são favoráveis à absorção de água pelas raízes ( solo muito úmido ) e desfavoráveis à transpiração ( noite fria, quando os estômatos estão fechados ).
b) Os fungos chamados " chapéu-de-sol- luminescentes " têm aspecto normal durante o dia, mas brilham misteriosamente na escuridão da noite, ostentando cores que vão do amarelo-alaranjado ao verde-escuro.
c) Geralmente as flores e frutos das plantas se formam no ápice dos ramos, mas no
caso da jabuticabeira e do cacaueiro eles se formam na parte basal dos caules, isto é, no tronco e nos galhos.
d) Assim como as sequóias são as maiores plantas terrestres, as algas parda pluricelulares, chamadas " kelps ", são as maiores plantas marinhas. Ambas podem atingir a dimensão de uma centena de metros.
e) As Pteridófitas sâo plantas Criptógamas vasculares, que não possuem sementes; a sua reprodução se faz por meio de esporos. São representantes típicos: felicíneas, cavalinhas e licopódios.

CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 5

a) As plantas que não possuem clorofila não conseguem fabricar compostos orgânicos, sendo obrigadas a obtê-los de outra maneira.Um processo utilizado é o dos saprófitos ( quase todos bactérias e fungos ), que se nutrem de organismos mortos ou em decomposição, ou de partes mortas de plantas.
b) Por que nem todos os lagos, mares e oceanos contêm algas verdes? A razão é porque as algas necessitam de substâncias minerais para que possam desenvolver e multiplicar-se. Assim, embora possam crescer nos oceanos, junto às costas, não vivem longe do litoral porque, nesse caso, não encontram os nitratos, fosfatos e outros sais que são trazidos pelas águas correntes ( cursos d'água ), provenientes das terras adjacentes.
c) Quando uma semente germina, seu caule cresce para cima e sua raiz, para baixo.
Esse comportamento é denominado geotropismo, que exprime a reação da planta à ação da
gravidade, o qual é positivo para a raiz e negativo para o caule.
d) Embora seja uma planta parasita, o visco - semelhante `a erva-de-passarinho, contém clorofila e realiza a fotossíntese em escala reduzida. Essa planta se auto-abastece, pelo menos
em parte, de suas necessidades alimentares. No entanto, depende inteiramente da planta hospedeira, no tocante ao suprimento de água e de sais minerais, que obtém por meio de haustórios ou raízes sugadoras que penetram nos ramos da hospedeira.

CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 6

a) A algarobeira é uma planta freatófita, isto é, indicadora da presença de lençol freático no subsolo de regiões áridas. Suas raízes penetram a grande profundidade ( até cerca de 10 m abaixo da superfície). Muitos poços no deserto da Califórnia ( Estados Unidos ) foram perfurados entre moitas de algarobeiras.
b) O morangueiro e a grama-de-jardim são plantas estoloníferas, isto é, que produzem estolões, os quais são brotos do caule capazes de formar, vegetativamente, outras plantas. Os estolões emitem raízes em alguns de seus nós e formam novos ramos aéreos.
c) O figo-da- índia é uma planta da família das Cactáceas, semelhante a um arbusto, cultivada em muitas regiões de clima tropical ou subtropical. Produz um fruto muito apreciado, armado ou não de gloquídeos, que são pelos providos de espinhos.
d) A couve-flor é uma hortaliça que forma uma grande " cabeça " ( inflorescência que não frutifica ), compacta e tenra, de sabor muito apreciado.
e) O repolho é uma hortaliça semelhante à couve, formando uma espécie de globo com as folhas concêntricas, as quais constituem a parte comestível da planta.


CONHECENDO OS MONSTROS MITOLÓGICOS

Na mitologia grega, além dos deuses fabulosos, havia também vilões tão horrendos quanto poderosos, que só podiam ser enfrentados pelos deuses, mais dotados de poderes sobrenaturais. Os principais são:
1. Centauro.Homem da cintura para cima e cavalo da cintura para baixo.
2. Cérbero.Terrível cão de três cabeças que guardava a entrada do palácio de Plutão o rei do inferno.
3. Cíclopes. Operários de Vulcano. O deus do fogo; eram gigantes com um só olho, situado no meio da testa.
4. Fênix. Ave fabulosa que morria e renascia das suas próprias cinzas.
5. Górgonas.Três irmãs monstruosas, com cabeça e corpo de mulher , dentes compridos como as presas do javali e mãos com garras em vez de unhas. No lugar dos cabelos tinham serpentes vivas,
6. Grifo. Uma espécie de cavalo alado. Seu corpo era metade leão, metade águia, com orelhas de cavalo.
7. Hárpias. Filhas de Netuno e da Terra; tinham rosto de mulher, corpo de abutre e orelhas de urso.
8. Hidra de Lerna. Serpente medonha, que tinha nove cabeças teimosas, pois renasciam toda vez que eram cortadas.
9. Minotauro. Monstro com corpo de homem e cabeça de touro, que vivia encerrado num labirinto.
10. Sereia. Ser metade peixe e metade mulher que, empunhando uma lira, atraía od
navegantes com seu canto mavioso e os devorava.
11. Quimera. Monstro misto de leão, dragão e cabra.
12. Unicórnio.Cavalo branco dotado de um chifre no focinho.

CONHECENDO AS GRANDES OBRAS DO HOMEM

Dentre as muitas grandes obras feitas pelo homem, destacamos alguns exemplos, apresentados a seguir.
1. Grande muralha da China. Tem 7.300 quilômetros de extensão, da China até a
Mongólia. Começou a ser construída no século II a. C. e foi concluída por volta de 250 a. C. Cerca de 3.000 soldados trabalharam na sua construção. Seus muros têm, em geral, 16 metros de altura,´possuindo cerca de 40.000 torres de observação.
2. Torre Eiffel. Construída em Paris, na França, tem 324 metros de altura, divididos em três pisos. Sua estrutura possui 2,5 milhões de rebites e 15.000 pedaços de ferro. Cerca de 6 milhões de pessoas visitam o monumento por ano.
3. Eurotúnel. Túnel construído sob o canal da Mancha, ligando a França e a Inglaterra. É a segunda maior via subterrânea do mundo, com 50.500 metros de extensão. Há um túnel ainda mais extenso para trens, no Japão, com 53.850 metros.
4. Canal do Panamá. Canal artificial construído pelos Estados Unidos, mediante
acordo com o Panamá, e que faz a ligação entre os oceanos Atlântico e Pacífico. O seu comprimento total é de 82,1 km, profundidade mínima de 12,8 metros e largura média de 91,4 metros.Do lado do Pacífico há dois portos: Balboa ( americano ) e Panamá ( panamenho ), bem como da lado do Atlântico: Cristóbal ( americano ) e Calau ( panamenho ).
5. Empire State Building. É o edifício mais famoso do mundo, localizado em Nova York, nos Estados Unidos. Mede 381 metros de altura, possui 103 andares e utiliza 73 elevadores,
6. Ponte Donghai. Localizada na China, possui 32, 5 km de comprimento, sendo
a ponte mais extensa do mundo.
7. Edifício Burj. Construido em Dubai, é o edifício mais alto do mundo, com 900
metros de altura.

CONHECENDO OS ADJETIVOS

Adjetivos são palavras que expressam as qualidades ou características dos seres ou coisas, ou seja, que auxiliam a perfeita compreensão dos substantivos. Por exemplo: homem bom, homem mau, homem preguiçoso, etc.
Os adjetivos podem ser classificados da seguinte maneira:
a) Adjetivos determinativos. Quando indicam o ser ou coisa do qual se fala. Exemplos: minha casa, aquela casa, etc.
b) Adjetivos qualificativos. Quando indicam os atributos do ser ou coisa. Exemplos: casa branca, casa grande, etc.
c) Adjetivos absolutos. Exemplos: casa baixa, homem inteligente, etc.
d) Adjetivos comparativos. Exemplos: casa mais baixa, homem mais inteligente, etc.
e) Adjetivos pátrios. Designam nacionalidade ou país de origem. Exemplos: brasileiro, português, carro norte-americano, vinho chileno, etc.
f) Adjetivos eruditos. Significam " relativo a ".Exemplos: humano ( homem ), térmico ( calor ), didático, etc.
Os adjetivos concordam com os substantivos em gênero e número. Exemplos: cão raivoso, mulher caridosa, flores belas, etc.


CONHECENDO AS DIFERENÇAS ENTRE ANIMAIS SEMELHANTES

Alguns animais são tão semelhantes, que chegam a causar confusão entre os leigos. Vejamos alguns exemplos.
a) Camelo e dromedário. Apesar de ambos terem duas corcovas, no dromedário uma
delas é muito pequena e quase não aparece. Por isso, costuma-se diferenciá-los dizendo que
o dromedário tem uma corcova e o camelo,duas.
b) Crocodilo e jacaré. Ambos são da classe Répteis, mas pertencem a famílias diferentes. Os crocodilos são maiores, têm o focinho alongado e, quando fecham a boca, deixam alguns dentes à mostra. Os jacarés possuem focinho mais largo e não expõem nenhum dente ao fecharem a boca.
c) Coelho e lebre. O coelho é menor e tem orelhas curtas. A lebre é maior e tem orelhas mais compridas até mesmo que a sua cabeça.
d) Borboleta e mariposa. A mariposa tem hábitos noturnos, corpo mais robusto e, ao pousar, deixa as asas abertas na horizontal. A borboleta tem hábitos diurnos, asas mais vistosas e, ao pousar, mantém as asas juntas, na vertical.
e) Sapo, rã e perereca. Os três pertencem à mesma ordem - Anuros, porém são de
famílias diferentes. Os sapos são maiores e têm pele rugosa e seca; as rãs têm pele fina e úmida; e as pererecas têm discos digitais nas patas, os quais funcionam como ventosas.
f) Vaga-lume e pirilampo. Ambos são besouros da mesma família. O pirilampo possui dois olhinhos luminosos na cabeça; enquanto o vaga-lume possui luminescência no abdome.

CONHECENDO AS NEBULOSAS

Nebulosas são nuvens que contêm grande quantidade d gases e poeira cósmica, finamente dividida, que se encontram no espaço sideral. Correspondem a regiões do espaço onde a matéria cósmica interestelar é mais densa do que a média.
A presença ocasional de estrelas muito quentes perto dessas nuvens as tornam ionizadas e altamente aquecidas ( cerca de 10.000 graus centígrados ), havendo então emissão de luz. São as chamadas nebulosas de emissão.
Se a estrela circundante não é muito quente, a temperatura da nebulosa não é suficiente para que haja emissão de luz; apenas se observa a reflexão e difusão de luz da estrela mais próxima.
As nebulosas que não se situam perto de qualquer estrela permanecem excessivamente frias: os átomos de gases se combinam e formam moléculas tais como água, metano e amoníaco, as quais se aglutinam e formam finíssima poeira. Neste caso, a nebulosa absorve a luz das estrelas, impedido a observação das regiões do espaço que se situam além dela. Formam verdadeiras manchas negras no céu, como o chamado " saco de carvão ", situado junto à constelação Cruzeiro do Sul.
Existem nebulosas de todos os tamanhos, encontrando-se principalmente nos braços das galáxias espirais e nas galáxias irregulares

CONHECENDO AS ESTRELAS

Estrelas são corpos celestes dotados de luz própria e geralmente tão distantes que, apesar de seu grande tamanho e movimentos rápidos, parecem pontos fixos no céu. Normalmente, encontram-se situadas no interior de nuvens de gases e poeira cósmica, chamadas nebulosas.
As estrelas nada mais são do que aglomerados de gases, com temperaturas elevadíssimas, que irradiam energia por fusão nuclear. Existem bilhões de estrelas, mas a olho nu podem ser vistas apenas cerca de duas mil. Não considerando o Sol, a estrela mais próxima da Terra é Alfa do Centauro, que dista 4,3 anos-luz.
As estrelas de temperatura relativamente mais baixa são amarelas, denominadas estrelas-anãs; enquanto as de temperatura elevadíssima são vermelhas, chamada estrelas-gigantes, de luminosidade muito maior.
Existe no espaço grande número de estrelas múltiplas, principalmente duplas, que
gravitam em torno de um centro de gravidade comum. Por exemplo: Rígel é uma estrela tripla, enquanto a estrela Castor, da constelação de Gêmeos, possui seis componentes individuais.
Existem estrelas variáveis, em que a variação do brilho se deve a alterações na própria luminosidade, como é o caso de Cefeu. Existem ainda estrelas temporárias, chamadas novas, que aparecem devido a perturbações internas que aumentam o seu brilho temporariamente e depois voltam à condição original.
As estrelas mais brilhantes são: Sirius, Canopus, Alfa do Centauro e Vega. Sirius
é também uma das estrelas mais próximas daTerra.
As estrelas maiores são: Betelgeuse, Aldebaran e Antares, consideradas estrelas super-gigantes. Calcula-se que o diâmetro de Betelgeuse, por exemplo, seja cerca de 400 vezes maior que o do Sol.

CURIOSIDADES DO CORPO HUMANO

a) As unhas das mãos crescem 1 centímetro a cada 28 dias. Elas crescem aproximadamente quatro vezes mais rápido do que as unhas dos pés.
b) Considerando-se as unhas das mãos e dos pés, cada pessoa corta, no decorrer da
sua vida, cerca de 58 metros de unhas. Se uma pessoa cortar a s unhas das mãos e dos pés
duas vezes por mês, aos trinta anos terá acumulado 7 quilos de unhas.
c) Quando uma pessoa espirra, o ar saído seu nariz com uma velocidade média de 160 km/hora. Os homens espirram mais do que as mulheres.
d) O intestino delgado mede 6 a 9 metros de comprimento. O intestino grosso tem apenas 1,5 metro, mas é três vezes mais grosso.
e) A água constitui cerca de 70% do corpo humano. Dentro dele, a água transporta alimentos, resíduos e sais minerais; lubrifica tecidos e articulações, conduz glicose e oxigênio para o interior das células e regula a temperatura do corpo.

CONHECENDO A CONSTELAÇÕES

Constelação é o nome que se dá a certos agrupamentos de estrelas. Para formá-los,
ligam-se as estrelas próximas por meio de linhas imaginárias, compondo as figuras que lhes conferem os nomes pelos quais são conhecidas. Elas são em número de 88 e servem para orientar nômades e navegantes.
A menor constelação é a do Cruzeiro do Sul, que tem milhares de estrelas, mas apenas 5 são visíveis a olho nu. A Hidra Fêmea é a que ocupa maior área no céu, possuindo 24 estrelas visíveis a olho nu. Mas a maior constelação quanto ao número de estrelas visíveis é Eridana, com 37 estrelas.
Os nomes pelos quais as constelações são conhecidas são, na sua maior parte, originários do grego, tais como: Andrômeda, Centauro,Fênix, Hércules, Sagitário, etc.
Conforme a sua localização, as constelações são divididas em grupos: a) austrais ( hemisfério norte ); b) boreais ( hemisfério sul ); c) equatoriais ( faixa que acompanha o equador celeste ); d) zodiacais ( região da eclíptica onde se situam o Sol, a Lua e os planetas ).
No hemisfério sul podem ser observadas as constelações de Andrômeda, Leão, Lira ( ou Balança ), Escorpião, Cruzeiro do Sul, etc.
Muito conhecidas são as Tres Marias, nome dado às estrelas que formam o cinto da constelação de Orion.

CONHECENDO AS LINHAS IMAGINÁRIAS DA TERRA

a) Equador. Círculo máximo, situado no meio do globo terrestre, dividindo-o em dois hemisférios: norte e sul.
b) Paralelos. Linhas orientadas na direção leste-oeste ( horizontais no mapa ), perpendiculares ao equador, que servem para determinar as latitudes. O equador corresponde ao ponto zero e os pólos, a 90 graus, norte ou sul. Um grau de latitude corresponde a 111 quilômetros.
c) Meridianos. Linhas situadas na direção norte-sul ( verticais no mapa ), perpendiculares ao equador, que servem para determinar as longitudes. O ponto correspondente a zero graus de longitude fica na cidade inglesa de Greenwich. A longitude é usada juntamente com a latitude para localizar, no seu cruzamento, qualquer ponto da superfície da Terra.
d) Trópico de Câncer. Linha paralela de latitude que marca 1/4 da distância entre o
equador e o pólo norte.
e) Trópico de Capricórnio. Outra linha paralela de latitude que indica 1/4 da distância entre o equador e o pólo sul. No Brasil, o Trópico de Capricórnio passa pelos estados de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.
f) Círculo Polar Ártico. Círculo paralelo ao equador que indica 3/4 da distância entre o equador e o pólo norte.
g) Círculo Polar Antártico. Círculo paralelo ao equador que marca 3/4 da distância
entre o equador e o pólo sul.

CONHECENDO AS PLANTAS QUE PRODUZEM FLORES

As plantas que produzem flores, chamadas Fanerógamas, abrangem as formas vegetais mais evoluídas; são as plantas predominantes, com mais de 250.000 espécies. Compreendem dois grandes grupos: a) Ginospermas; b) Angios-´permas.
As Angiospermas distinguem -se das Ginospermas ( como as Coníferas ), por produzirem uma ou mais sementes abrigadas dentro de um ovário transformado em fruto; enquanto as Ginospermas produzem sementes nuas, isto é, presas a folhas modificadas, como acontece nas araucárias, pinheiros, etc.
As plantas floríferas se distribuem por quase todos os habitats, exceto geleiras e oceanos, compreendendo a maioria das plantas cultivadas. Apresentam grande diversidade de formas e tamanhos, com alturas variando desde alguns centímetros até cerca de 100 metros ( sequóia, eucalipto ), sendo que alguns exemplares de baobá, na África, chegam a medir mais de 20 metros de circunferência.
A flor completa é composta por uma série de estruturas concêntricas, incluindo: sépalas, pétalas, estigmas com ovário contendo óvulos e estames com bolsa de grãos de pólen. Os óvulos são os gametas femininos e os grãos de pólen, os gametas masculinos.
A polinização ocorre quando um grão de pólen, proveniente dos estames da própria planta ou de flores de plantas vizinhas da mesma espécie, transportado pelo vento ou por insetos, é depositado no estigma e estende o tubo polínico até o ovário. Após a fecundação, o ovário se desenvolve formando o fruto, dentro do qual estão uma ou mais sementes, contendo o embrião de uma nova planta,

CONHECENDO AS CADEIAS ALIMENTARES

Cadeias alimentares são seqüências de transferência de matéria e energia provenientes dos alimentos, entre os organismos de um ecossistema. Os organismos podem ser divididos em dois grupos: a) produtores, representados pelas plantas autótrofas, ou seja, providas de clorofila e, portanto, capazes de sintetizar compostos orgânicos a partir da água e sais minerais absorvidos do solo pelas raízes, e do dióxido de carbono do ar atmosférico, assimilado pelas folhas, via fotossíntese; b) consumidores, incluindo os animais e as plantas heterótrofas, isto é, desprovidas de clorofila e, portanto, incapazes de realizar a fotossíntese; por isso, necessitam obter alimentos de outros organismos, quer sejam plantas ( herbívoros ), quer sejam animais ( carnívoros ) , vivos ou mortos. Portanto, os consumidores incluem as plantas parasitas e as saprófitas ( bactérias, fungos ), bem como os animais herbívoros e os carnívoros.
Estes últimos, por sua vez, podem comer ou ser comidos.
Dessa maneira, os consumidores podem ser considerados: primários - herbívoros;
secundários - carnívoros; terciários – carnívoros que comem outros carnívoros, como é o caso dos felinos e das aves de rapina.
A cadeia alimentar mais simples é constituída por dois elos. Exemplo: planta autótrofa e planta parasita. A maior parte das cadeias alimentares possui três elos : planta autótrofa, herbívoro e carnívoro.Cadeias mais complexas envolvem carnívoros que comem outros carnívoros.
As cadeias alimentares marinhas também têm quatro elos: fitoplancton, zooplancton, peixes menores, peixes maiores. Cada transferência acarreta uma perda de substância da ordem de 10 para 1. Assim, 1.000 kg de fitoplancton produz 100 kg de zooplancton e este, 10 kg de peixes menores que, por sua vez, corresponde a 1 kg de peixes maiores.

CONHECENDO RAIO, RELÂMPAGO E TROVÃO

Raio, relâmpago e trovão são fenômenos atmosféricos que ocorrem antes ou durante tempestades, causados por descargas elétricas entre nuvens ( relâmpago ) ou entre uma nuvem e o solo ( raio ), acompanhados de um estrondo ( trovão ).
O raio ocorre quando uma nuvem, carregada de eletricidade estática, atinge um potencial eletrostático tão elevado que a camada de ar existente entre ela e o solo deixa de ser isolante, permitindo assim, que uma descarga elétrica a atravesse e atinja o solo. Já o relâmpago é uma descarga entre nuvens. Essas descargas elétricas produzem um clarão, geralmente em zigue-zague.
O trovão é o som que acompanha a violenta expansão do ar quando é rapidamente
aquecido. Devido à diferença de velocidades da luz e do som, quando o raio ou relâmpago ocorre a grande distância do local de observação, o trovão é ouvido alguns segundos depois do clarão.
As partes salientes da superfície terrestre ( árvores, edifícios ) atraem os raios que procuram chegar ao solo. Por isso, para evitar o perigo de incêndio, no topo dos edifícios altos colocam-se pára-raios, que atraem os raios e os conduzem para placas metálicas enterradas no solo.

CONHECENDO SUBSTANTIVOS COLETIVOS DE ANIMAIS

1. Alcatéia - lobos
2. Bando - aves, macacos
3. Boiada - bois
4. Cardume - peixes
5. Colônia - animais inferiores ( pólipos )
6. Enxame - abelhas
7. Fato - cabras
8. Fauna - animais de uma região
9. Gado - vacas leiteiras ( gado leiteiro ) e novilhos ( gado de corte )
10. Junta - animais de tração
11. Manada - animais de grande porte
( búfalos, elefantes )
12. Matilha - cães de caça
13. Ninhada - filhotes de aves
14. Nuvem - gafanhotos, mosquitos
15. Plantel - animais reprodutores
16. Porcada - porcos
17. Rebanho - bovinos, eqüinos, suínos, ovinos e caprinos
18. Tropa - cavalos, burros
19. Vara - porcos


CONHECENDO SUBSTANTIVOS COLETIVOS DE COISAS

1. Acervo: obras de arte.
2. Álbum: fotografias, selos.
3. Armada: navios de guerra.
4. Arquipélago: ilhas.
5. Atlas: mapas.
6. Baixela: utensílios de mesa.
7; Bateria: utensílios de cozinha.
8. Biblioteca: livros.
9. Código: leis.
10. Comboio: veículos.
11. Constelação: estrelas.
12. Discoteca: discos.
13. Enxoval: roupas.
14. Maquinaria: máquinas.
15. Mobília: móveis.
16. Pinacoteca: quadros, telas.
17. Esquadra: navios.
18. Frota: veículos.
19. Cordilheira: montanhas.
20. Ramalhete: flores.

CONHECENDO SUBSTANTIVOS COLETIVOS DE PESSOAS

1. Assembléia: deputados.
2. Banca: examinadores.
3. Bando: crianças, bandidos.
4. Batalhão: soldados.
5. Câmara: vereadores.
6. Caravana: viajantes.
7. Concílio: bispos.
8. Congregação: religiosos, professores.
9. Congresso: parlamentares, professores.
10. Colônia: grupo de imigrantes estabelecidos em terra estranha.
11. Elenco: atores.
12. Exército: soldados.
13. Horda: malfeitores.
14. Júri: jurados.
15. Legião: soldados.
16. Piquete: grevistas.
17. População: habitantes.
18. Quadrilha: ladrões.
19. Senado: senadores.
20. Turma: alunos, trabalhadores.

CONHECENDO AS PLANTAS CRIPTÓGAMAS

O termo Criptógamas, que significa " sexualidade oculta ", é o nome dado às plantas inferiores, que não produzem sementes, em oposição às Fanerógamas - plantas superiores cujos órgãos reprodutores são as sementes.
Distinguem-se: a) Criptógamas celulares, atualmente compreendendo Bactérias, Talófitas e Briófitas: b) Criptógamas vasculares, hoje denominadas Pteridófitas.
As plantas consideradas inferiores reproduzem-se por meio de esporos, e não por sementes, como as plantas superiores.
1. BACTÉRIAS. São plantas inferiores, sem sexualidade, que são organismos unicelulares ou que formam colônias pouco diferenciadas, onde geralmente falta a divisão de trabalho entre as células. Reproduzem-se por simples divisão celular.
As bactérias desempenham na natureza papéis importantes, pela diversidade de fenômenos em que tomam parte, como por exemplo: decomposição da matéria orgânica, fermentações, doenças, etc.
2. TALÓFITAS. São plantas que não produzem flores, sem raiz, sem caule e sem folhas, sendo seu aparelho vegetativo restringido a apenas um "talo" (células aproximadamente homogêneas ), como acontece com as algas e os liquens. "Alga" é um termo amplo, geralmente aplicado a plantas inferiores que não possuem nenhum tipo de modificação para viver fora da água. A maioria das algas vive em águas salgadas, mas algumas vivem em rios, lagos, solos, troncos de árvores e até mesmo no gelo. Podem ser unicelulares ou pluricelulares, e muitas espécies são capazes de realizar a fotossíntese. Os liquens constituem uma associação simbiótica entre uma alga e um fungo.
3. BRIÓFITAS. Plantas inferiores sem sexualidade, pluricelulares, sem flores e também sem vasos ( xilema e floema ), que se reproduzem por esporos. Compreendem os fungos e as hepáticas, Não possuem clorofila, portanto, não realizam a fotossíntese.
Os fungos têm grande importância, seja em fermentações industriais ou produção
de antibióticos, seja como causadores de doenças em plantas, animais e no próprio homem.
4. PTERIDÓFITAS. Grupo de plantas vasculares, sem sementes, mas que possuem raízes, caule e folhas. Dentre elas destacam-se:fetos arborescentes, samambaias, avencas, cavalinhas, etc.

CONHECENDO OS ROEDORES

A ordem dos Roedores é a mais numerosa dentre os Mamíferos, com aproximadamente 6.000 espécies distribuídas em 30 famílias, correspondendo a cerca de 40% das espécies de mamíferos conhecidas. Além de serem os mamíferos mais numerosos, são também os de mais ampla distribuição, encontrando-se em todos os continentes, com exceção da Antártida.
Todos possuem uma arcada dentária semelhante e dois pares de incisivos, um superior e outro inferior, separados dos molares por um espaço ( não possuem caninos ). Em todas as espécies, os incisivos crescem continuamente, durante toda a vida do animal; são recobertos por esmalte apenas na face externa, gastando-se rapidamente na face interna, possuindo bordas cortantes.
Os roedores são basicamente vegetarianos, alimentando-se de folhas, frutos, sementes, raízes, tubérculos, etc. A maioria é de pequeno porte, embora a capivara atinja o tamanho de um carneiro. Como exemplos, podem ser citados: esquilo, castor, marmota, rato, camundongo, cobaia, coelho, lebre, etc.
Muitos são fossadores e alguns chegam a construir tocas complexas, inclusive com barragens de galhos para represar a água de cursos d' água, como o castor.
Destaque para os ratos, que são nocivos, quer pelos estragos que provocam, quer
pelas doenças que transmitem aos humanos,das quais são portadores.

CONHECENDO OS ANIMAIS AQUÁTICOS

O meio aquático se caracteriza pela: a) ausência quase completa de peso, não ultrapassando a densidade dos seres vivos a da água, donde a " moleza " de muitos animais sem esqueleto e a facilidade de deslocamentos verticais sem pontos de apoio; b) inexistência de evaporação exceto na superfície, o que permite aos seres aquáticos utilizar grandes superfícies de troca ( brânquias ).
Os principais animais aquáticos são:
1. Cetáceos. São mamíferos marinhos, com as patas anteriores transformadas em
nadadeiras, corpo pisciforme e liso, sem membros posteriores. Nadam admiravelmente bem e, apesar da sua respiração pulmonar, suportam mergulhos prolongados. Exemplos: golfinho, boto, cachalote, baleia, etc.
2. Peixes. Possuem corpo alongado, freqüentemente coberto de escamas e número variável de barbatanas. Respiram por meio de brânquias, podendo viver em meio aquático: a) marinho - arenque, atum, bacalhau, tubarão, etc.; b) de água doce ( rios e lagos ) - carpa, dourado, piranha, salmão, etc.
3. Moluscos. Têm corpo mole, geralmente provido de concha dorsal e pé ventral que pode estar dividido em tentáculos. Alguns podem viver em terra, como o caracol e a lesma, mas a maioria dos moluscos possui respiração por brânquias e vive em ambiente marinho - mexilhão, lula, polvo, etc.
4. Crustáceos. São Artrópodes geralmente marinhos, mas alguns vivem em terra,
como os tatuzinhos e certos caranguejos. Mas a maioria dos crustáceos tem respiração por
brânquias, tais como: camarão, lagosta, siri, etc.
5. Vermes. Animais de corpo alongado, inteiramente mole, desprovido de patas.
Alguns são terrestres, como a minhoca; outros são parasitas, como a tênia; mas a maioria é
marinha ou de água doce, como poliquetas e sanguessuga.
6. Equinodermas. São muito diferentes dos outros animais, pois apresentam simetria axial, como: pepino-do-mar, ouriço-do-mar, estrela-do-mar, etc.
7. Celenterados. Também apresentam simetria axial, tendo como exemplos os
pólipos, as medusas e a anêmona-do-mar.

CONHECENDO AS MUDANÇAS DE NOME

Ao longo da história, vários países e cidades mudaram de nome. Vejamos alguns exemplos:
a) PAÍSES
Nome antigo Nome atual

Abissínia Etiópia
Birmânia Mianma
Costa do Ouro Gana
Daomé Benin
Honduras Britânica Belize
Indochina Vietnã
Pérsia Irã
Sião Tailândia
Tanganica e
Zanzibar Tanzânia

b) Cidades
Christiana Oslo ( Noruega )
Guidanski Danzig ( Polônia )
Nanjing Nanquim ( China )
Nova Amsterdã Nova York ( Estados Unidos )
Pequim Beijing ( China )
Tenochtitián Cidade do México
Yedo Tóquio ( Japão )

CURIOSIDADES DO UNIVERSO

a) Segundo os astrônomos, o Universo tem mais de 14 bilhões de anos. Supõem que uma grande explosão, chamada " big-bang ", tenha dado origem ao Universo b) O sol é apenas uma das mais de 200 bilhões de estrelas da nossa galáxia, a Via Látea. Numa noite de céu aberto e sem lua, é possível contar até 2.500 estrelas à olho nu.
c) A Via Látea tem uma extensão aproximada de 100 mil anos-luz ( algo em torno de 950 quatrilhões de quilômetros ), lembrando que um ano-luz é a distância percorrida pela luz, com a velocidade de 300.000 km/seg. Os cientistas calculam a existência de mais de 100 bilhões de galáxias.
d) O sol fica a 25.000 anos-luz do centro da nossa galáxia. Para se ´ter uma idéia
dessa distância, um ano-luz equivale a ...9.460.500.000 quilômetros.
e) Acredita-se que o Sistema Solar teve origem em uma nuvem de gases e poeira, há 4,6 bilhões de anos. Os átomos e partículas da nuvem começaram a se chocar uns contra os outros e também a se unir, liberando muita luz e calor, dando origem à estrela Sol. Depois, as partículas que se afastaram do Sol esfriaram e foram se aglomerando, para dar origem aos planetas gasosos - Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Os blocos de rocha que estavam nessa nuvem também se uniram, formando os planetas rochosos - Mercúrio, Vênus, Terra e Marte.
f) A maior estrela é a Epsilon de Ariga, localizada na constelação de Ariga, a 465 anos-luz da Terra. Ela é 1.278 vezes maior que o Sol.

CURIOSIDADES DO REINO MINERAL -1

a) Os geólogos usam a terminação ita para designar minerais, como: albita, calcita, hematita, caulinita, etc.; e a terminação ito para rochas, como: granito, diorito, quartzito, arenito, etc.
b) O calcário é uma rocha sedimentar solúvel em água contendo gás carbônico, dando origem à formação de: 1) dolina, ou depressões em forma de funil, nas quais se acumula água; 2) cavernas ou grutas, com as conhecidas esta-
lactites ( no teto ) e estalagmites ( no chão ); 3) trechos de rios subterrâneos.
c) O carbono, elemento químico básico dos compostos orgânicos, ocorre no reino mineral sob duas formas completamente diferentes: 1) amorfo - carvões minerais: hulha, antracito, turfa; 2) cristalino - diamante.
d) As rochas eruptivas básicas - basalto, diabásio - ocupam grandes áreas no esta-
do de São Paulo e norte do Paraná, constituindo o material de origem dos solos popularmente chamados " terras roxas ", conhecidas por suas excelentes propriedades físicas e boa fertilidade. Antigamente, as terras roxas eram cobertas por densas florestas, que foram derrubadas para a instalação de cafezais; porém, atualmente, grande parte dos cafezais vem sendo substituída por canaviais.


CURIOSIDADES DO REINO MINERAL - 2

1. A água é a única substância que se encontra na natureza, simultaneamente, nos três estados da matéria: a) sólido - geleiras; b) líquida - oceanos e mares ( água salgada ) e rios e lagos´( água doce ); c) gasoso - vapor d'água ( nuvens ).
2. Por outro lado, o carbono é um elemento químico que se encontra sob duas formas completamente distintas: a) cristalina - diamante; b) amorfa - carvões. Estes, de acordo com o grau decrescente de volatilidade e crescente de conteúdo de carbono, classificam-se em: lenhito, hulha e antracito.
3. O carbono, pela capacidade de suas moléculas se ligarem umas às outras, formando cadeias longas, dá origem a um número enorme de compostos, chamados orgânicos porque se encontram nos organismos vivos - proteínas, carboidratos, lipídeos, etc, os quais constituem objeto de estudo da Química Orgânica, mais ampla e mais complexa que a Química de todos os demais elementos que, com os seus derivados, são objeto de estudo da Química Inorgânica ou Mineral.
4. O número de compostos orgânicos é de cerca de 500.000, contra aproximadamente 30.000 compostos inorgânicos ou minerais.
5. O mercúrio é o único elemento químico metálico que, sob temperaturas normais, se apresenta no estado líquido.

CURIOSIDADES DO REINO MINERAL - 3

a) As camadas de rochas sedimentares freqüentemente apresentam dobras ou flexões, que são encurvamentos causados principalmente por movimentos tectônicos ou intrusões de magma. Distinguem-se: anticlinal, com a convexidade voltada para cima; e sinclinal, com a convexidade voltada para baixo.
b) Também é freqüente a formação de cavernas ou grutas, relativamente grandes, com ou sem abertura para a superfície. São escavadas pela ação da água, geralmente em áreas constituídas por rochas calcárias. Devido ao gotejar da água saturada com carbonato de cálcio, formam-se colunas chamadas: estalactites ( no teto ) e estalagmites ( no piso ). Constituem áreas de atração turística, sendo as mais conhecidas as de Bom Jesus da Lapa, na Baía; a de Maquiné, em Minas Gerais; e a de Iporanga, em
São Paulo.
c) Um fenômeno curioso é a chamada " fumarola ", que é a emissão de gases e vapores pelos vulcões, nas proximidades da cratera, através de aberturas ou fendas, bem como na superfície das corridas de lava,
d) " Loess" é o nome dado a um sedimento eólico ( depositado pelo vento ), constituido por partículas finas ( silte ), não consolidado e sem estratificação. Assume grande importância por dar origem a solos geralmente de grande fertilidade. O "loess " é encontrado principalmente na Rússia, na China e nos Estados Unidos.


CURIOSIDADES DO REINO MINERAL - 4

a) O mercúrio e a água são os únicos minerais considerados líquidos; o petróleo, constituido por uma mistura de vários compostos hidrocarbonados e não sendo, portanto, homogêneo, não é considerado uma espécie mineral.
b) Vários minerais não ocorrem como unidades independentes, encontrando-se intimamente ligados uns aos outros, constituindo as rochas, que são agregados de minerais. Dentre os minerais que assim se comportam, destacam-se o quartzo, os feldspatos ( ortoclásio, mcroclina, albita, anortita, etc. ), as micas, os piroxênios. Os anfibólios, as olivinas, etc.
c) Chama-se diafaneidade a propriedade que possuem alguns minerais de permitirem que a luz os atravesse. De acordo com essa propriedade, os minerais podem ser transparentes, translúcidos e opacos.
d) A atividade econômica conhecida como mineração consiste na extração e beneficiamento de minerais que se encontram no estado sólido, como o carvão, líquido como o petróleo e gasoso, como o gás natural.

CURIOSIDADES DO REINO MINERAL - 5

a) Poucos metais são usados no estado puro; geralmente são utilizados sob a forma de
ligas ( combinações de dois ou mais metais ). Exemplos: aço ( ferro-carbono ), bronze ( cobre-estanho ), latão ( cobre-zinco ), duralumínio ( alumínio-silício ), etc.
b) Apesar de não ser propriamente uma liga, também se usa o amálgama, que é uma solução de estanho, prata ou ouro em mercúrio - único metal líquido. Os amálgamas são empregados na fabricação de espelhos e para obturações dentárias.
c ) Os cristais geralmente são milimétricos ou microscópicos; mas há também cristais muito grandes. Segundo a Enciclopédia Barsa, em Minas Gerais foi encontrado um gigantesco cristal de berilo, com cerca de 13 m de comprimento e 2 m de diâmetro, pesando cerca de 130.000 Kg.
d) O talco é o mineral mais mole, enquanto o mais duro é o diamante.
e) Curiosamente, o diamante é constituído por átomos de carbono puro, cristalizado no sistema cúbico. Nenhum outro mineral é capaz de riscá-lo. Também não é atacado por ácidos nem por álcalis.

CONHECENDO OS PARÔNIMOS

Parônimos são palavras parecidas na escrita e na pronúncia, mas com significados
diferentes. Exemplos:

1. acento e assento
2. acender e ascender
3. caçar e cassar
4. censo e senso
5. cesta e sexta
6. coro e couro
7. comprimento e cumprimento
8. conjuntura e conjetura
9. deferir e diferir
10. emigrante e imigrante
11. eminente e iminente
12. empoçar e empossar
13. estofar e estufar
14. flagrante e fragrante
15. fabril e febril
16. osso e ouço
17. prescrever e proscrever
18. ratificar e retificar
19. tráfego e tráfico
20. vultoso e vultuoso

CONHECENDO OS ANFÍBIOS

Anfíbios é uma classe do ramo Vertebrados que inclui animais que passam parte da sua vida na água e parte em terra ( do grego" amphi " = duas; e "bios " = vida ). Os zoólogos, baseados na sua estrutura e função, colocam os anfíbios numa posição intermediária entre os peixes e os répteis.
Os anfíbios, os mais antigos dos vertebrados que conquistaram a terra, chegaram a atingir grandes dimensões, mas atualmente sobrevivem formas menores, distribuídas em 3 sub-classes: a) Ápodes, de corpo vermiforme, sem membros locomotores, como as cobras-cegas ou cecílias; b) Urodelos, com corpo apresentando cabeça, tronco e cauda distintos, com membros locomotores, representados pelas salamandras e tritões; c) Anuros ou Batráquios, com cabeça e tronco fundidos, sem cauda, com membros anteriores curtos e os posteriores muito desenvolvidos, exemplificados pelos sapos, rãs e pererecas.
Os anfíbios não são animais fortes nem rápidos, embora as rãs possam deslocar-se com certa facilidade. Alguns possuem glândulas cutâneas venenosas, como o sapo-bufo.
Embora os anfíbios vivam a maior parte da sua vida em ambiente terrestre, na época da reprodução voltam à água e nela realizam a postura, fecundam os ovos e desenvolvem-se as larvas ou girinos, que se alimentam principalmente de substâncias vegetais. Uma vez completado o desenvolvimento, abandonam a água e passam a viver em terra.
Os anfíbios adultos alimentam-se de insetos, minhocas, peixinhos e crustáceos. De modo geral, são úteis à agricultura por comerem insetos. No Japão come-se a salamandra-gigante e em muitos países, inclusive o Brasil, comem-se as rãs.

CONHECENDO OS VULCÕES

O termo vulcão deriva do nome da ilha Vulcano, no mar Mediterrâneo. Pode-se definir vulcão como uma fissura na crosta terrestre, através da qual ocorrem erupções de matéria sólida, líquida ou gasosa, sob temperaturas elevadas.
A saída do material é feita por um conduto chamado chaminé, cuja parte superior tem, em geral, a forma de um funil, chamado cratera; e que geralmente se apresenta guarnecido por um cone vulcânico.
O material expelido pelos vulcões consta principalmente de gases, mas também
por grande quantidade de magma sob a forma de lava, bem como de material sólido. Este último é formado de cinzas, bombas vulcânicas ( porções de lava solidificada ) e fragmentos de rocha, arrancados da chaminé ou de outras partes do vulcão.
Cerca de 450 vulcões entraram em erupção nos últimos tempos, sendo considerados ativos ou latentes; enquanto os vulcões considerados extintos atingem vários milhares.
Há vulcões em constante erupção, como o Stromboli, na Itália; porém, na maioria dos casos, um período curto de atividade é seguido por um período longo de repouso.
De acordo com a natureza da erupção, os vulcões podem ser classificados em 3
tipos: a) explosivos;b) intermediários; c) quietos.
No tipo explosivo, o material expelido consiste principalmente de gases misturados com cinzas, geralmente sem lava. Como exemplos podem ser citados o Krakatoa, situado numa pequena ilha entre Sumatra e Java; e o Monte Pelée, situado na ilha Martinica, nas Antilhas.
Os vulcões das ilhas Hawaí, na Oceania, são do tipo quieto. Como exemplo de
vulcão intermediário pode ser citado o Stromboli, na Itália.
A maior parte dos vulcões ativos e latentes localizam-se num círculo que rodeia o oceano Pacífico, chamado de "cinturão do fogo" ; e também nas regiões mediterrâneas e transasiáticas, no sentido este-oeste.
Na cordilheira dos Andes, os vulcões mais conhecidos são o chimborazo e o Cotopaxi.
O vulcão mais famoso é o Vesúvio, situado perto da costa da Baía de Nápolis, na Itália. No ano 79 da nossa era, entrou em violenta erupção, que sepultou as cidades de Pompéia e Herculano.

CONHECENDO PALAVRAS HOMÓGRAFAS HETEROFÔNICAS

Chamam-se homógrafas heterofônicas as palavras iguais na escrita e diferentes no timbre ou na intensidade das vogais e, obviamente, com significados diferentes. Exemplos:
1. acerto ( acordo ) e acerto ( verbo acertar )
2. acordo ( acerto ) e acordo ( verbo acordar )
3. apoio (suporte ) e apoio ( verbo apoiar
4. boto ( mamífero aquático ) e boto ( verbo botar )
5. colher ( obter ) e colher ( talher )
6. começo ( início ) e começo ( verbo começar )
7. corte ( servidores do rei ) e corte ( verbo cortar )
8. gosto ( sabor ) e gosto ( verbo gostar )
9. gozo ( satisfação ) e gozo ( verbo gozar )
10. jogo ( divertimento ) e jogo ( verbo jogar )
11. molho ( caldo ) e molho ( verbo molhar )
12. olho ( órgão da visão ) e olho ( verbo olhar )
13. pronúncia ( fala ) e pronuncia ( verbo pronunciar )
14. providência ( medida preventiva ) e providencia ( verbo providenciar )
15. rego ( sulco ) e rego ( verbo regar )
16. relevo ( topografia ) e relevo ( verbo relevar )
17. sobre ( em cima ) e sobre ( verbo sobrar )
18. somem ( verbo somar ) e somem (verbo sumir )
19. torre ( edifício alto ) e torre ( verbo torrar )
20. vede ( verbo ver ) e vede ( verbo vedar )

CONHECENDO A CAATINGA

A caatinga ( do tupi " kaa " = mata; e" tinga " = branca ) é um tipo de vegetação natural característico das regiões semi-áridas do Nordeste Brasileiro que envolvem diversas formações vegetais, desde a mata decídua ( caatinga alta ) até a estepe de arbustos espinhentos e espaçados ( caatinga baixa ). Suas árvores e arbustos são, em geral, providos de folhas miúdas, que caem na estiagem, e predominantemente armados de espinhos.
Grande é a sua correlação com o clima, ao qual se deve atribuir a maior parte das
características que apresentam. Em quase toda a área da caatinga, ocorre o clima quente e se-mi-árido Bsh, da classificação de Köppen. Assim, a estação seca prolongada é responsável pela perda total das folhas de muitas espécies vegetais, tais como: barriguda, jurema, faveleiro, aroeira, angico, oiticica, pinhão-bravo, etc. O juazeiro é o único que não perde as folhas.
Nas partes mais secas da caatinga ocorrem plantas de caráter xeromorfo (adaptadas à vida em ambiente seco ), como Cactáceas e Bromeliáceas. Dentre as Cactáceas destacam-se o mandacaru, o facheiro, o xique-xique e a coroa-de-frade. Entre as Bromeliáceas cabe destaque para o ananás, a macambira e o gravatá.
A fauna da caatinga é rica em aves, como papagaio, periquito, ema, etc.; e entre os répteis, destacam-se a cascavel, a iguana e o camaleão.

CONHECENDO OS ARTRÓPODES

Os Artrópodes são animais invertebrados com duas características fundamentais:
corpo dividido em segmentos e patas articuladas. É o maior ramo do reino animal, contando
mais de 1 milhão de espécies, ou seja, mais de 80% das espécies animais conhecidas.
Compreendem principalmente os seguintes grupos: a) aracnídeos; b) miriápodes; c) crustáceos; d) insetos. Os insetos constituem a classe mais numerosa, com cerca de 800.000 espécies.
1. Aracnídeos. Depois dos insetos, é o maior grupo de artrópodes, compreendendo: aranhas, escorpiões, carrapatos e opiliões. Possuem o corpo dividido em cefalotórax e abdome, com 4 pares de patas.
2. Miriápodes. O corpo é dividido em cabeça e tronco, este com vários segmentos, cada um provido de 1 ou 2 pares de patas.
Compreende as lacraias ou centopéias e os piolhos-de-cobra.
3. Crustáceos. Possuem o corpo dividido em cabeça e cauda ou cefalotórax, a
cabeça com 2 pares de antenas ( os insetos têm somente 1 par ). A maioria é de ambiente marinho, alguns são de água doce e poucos são terrestres. Exemplos: caranguejo, lagoste, camarão, craca, krill, etc.
4. Insetos. São artrópodes com o corpo dividido em 3 partes: cabeça, tórax e abdome, possuindo 1 par de antenas e 3 pares de patas ( hexápodes ). Podem ser úteis como a abelha e o bicho-da-seda, mas a maioria constitui pragas das plantas cultivadas, como a saúva, o gafanhoto e larvas; ou nocivos ao homem, como o pernilongo e a pulga.
Do ponto de vista médico, os artrópodes constituem importantes agentes causadores de doenças ou picadas doloridas. Dentre os causadores de doenças podem ser citados: sarna, pulga, bicho-do-pé, barbeiro ou chupança, percevejo, mosca e mosquito. Dentre os causadores de picadas perigosas destacam-se: aranha, escorpião, centopéia, vespa, abelha e marimbondo.

CONHECENDO PALAVRAS HOMÓFONAS E HETERÓGRAFAS

Homófonas heterógrafas são palavras iguais na pronúncia e diferentes na escrita; e, obviamente, com significados diferentes. Eis alguns exemplos:
1. acender ( atear fogo ) e ascender ( subir )
2. acento ( sinal gráfico ) e assento ( lugar para sentar )
3. apreçar ( marcar o preço ) e apressar ( acelerar )
4. cela ( pequeno quarto ) e sela ( arreio )
5. censo ( recenceamento ) e senso ( juízo )
6. cessão ( ato de ceder ) e sessão ( repartição )
7. cinto ( cinta ) e sinto ( verbo sentir )
8. concertar ( harmonizar ) e conserto ( reparar )
9. forro ( revestimento ) e forró ( arrasta-pé )
10. graça ( favor ) e grassa ( verbo grassar )
11. paço ( palácio ) e passo ( andar )
12. poço ( buraco com água ) e posso ( verbo poder )
13. segar ( cortar ) e cegar ( tornar cego )
14. serrar ( cortar ) e cerrar ( fechar )
15. ruço ( grisalho ) e russo ( natural da Rússia )
16. voz ( fala ) e vós ( pronome )
17. paz ( tranqüilidade ) e pás ( ferramentas )

CONHECENDO AS CACTÁCEAS

As Cactáceas constituem uma família de plantas dicotilidôneas, suculentas, com caules do tipo cladódio, isto é, verde, fracamente lenhoso, com as folhas transformadas em espinhos. São plantas adaptadas às regiões secas, como o Nordeste Brasileiro e os desertos da América do Norte. Os espinhos asseguram também proteção contra a voracidade dos herbívoros.
Nem todas as espécies vivem nos desertos; algumas crescem nas selvas tropicais. O seu porte é variável, desde espécies anãs, que formam um tapete rente ao solo, até o gigantesco " saguru " dos desertos dos Estados Unidos,com 10 a 15 metros de altura. Algumas espécies são encontradas na Cordilheira dos Andes, onde passam o inverno debaixo de neve. Grande parte delas vive sobre troncos e galhos de árvores.
As espécies sem espinhos, como a palma do Nordeste, servem de forragem para o gado. As espécies colunares, como a coroa-de-cristo, são utilizadas para a formação de cercas vivas. Algumas produzem frutos comestíveis, como o figo-da-Ìndia. Outras são ornamentais, como a cabeça-de-velho e a flor-de-maio, ou medicinais, como a rainha-da-noite e o peote.

CONHECENDO OS TIPOS DE ÁGUA

A água é a única substância encontrada na natureza, simultaneamente, nos três estados da matéria: a) sólido - geleiras; b) líquido - oceanos, mares, rios, lagos e aqüíferos; c) gasoso - vapor d'água – nuvens. É uma substância essencial à vida das plantas, dos animais e do homem. A seiva das plantas e o sangue do homem e dos animais são, em grande parte, formados de água.
A água recebe diferentes nomes, conforme o ponto de vista considerado. Vejamos alguns exemplos:
1. Água meteórica. É a água de chuva, proveniente da atmosfera.
2. Água edáfica - água armazenada no solo e que é absorvida pelas plantas.
3. Água subterrânea - água armazenada nos aqüíferos e que alimenta os poços.
4. Água salgada - água dos oceanos
e mares.
5. Água doce - água dos rios, lagos e aqüíferos.
6. Água capilar - água retida nos poros do solo.
7. Água disponível - parte da água capilar que pode ser absorvida pelas raízes das
plantas.
8. Água gravitativa - água contida no solo, acima da sua capacidade de retenção e, portanto, sujeita à ação da gravidade, indo alimentar os aqüíferos.
9. Água de infiltração - parte da água de chuva que penetra no solo.
10. Água de rolamento - parte da água de chuva que corre sobre a superfície do solo, indo alimentar os córregos e rios. Também chamada água de escoamento ou enxurrada.
11. Água de cristalização - água que faz parte da composição dos minerais.

CONHECENDO OS ANIMAIS MIGRADORES ARMAZENADORES E HIBERNANTES

Nos países de clima frio ou temperado existem muitos animais que, quando chega o inverno e escasseiam os alimentos, se deslocam para outras regiões de clima mais ameno, os quais são chamados animais migradores. Como exemplos podem ser citados: o caribu, o morcego a baleia azul.
Alguns animais, como o castor e o esquilo, são previdentes e armazenam provisões de alimentos para consumir na estação seca. Estes são chamados animais armazenadores.
Existem ainda outros animais que, quando chega a estação fria, entram num esta-
do de entorpecimento ou de imobilidade mais ou menos prolongado. Estes são chamados animais hibernantes, podendo citar-se como exemplos: o urso, o ouriço, a marmota, etc.
Por outro lado, nos países tropicais existem animais aquáticos que, quando chega a estação seca, que corresponde ao inverno, se enterram na lama e aí permanecem mais ou menos adormecidos. Este fenômeno, que é o oposto da hibernação, é chamado estivação.

CONHECENDO A FLORA DA AMÉRICA DO SUL

A vegetação natural da América do Sul é bem complexa, abrangendo diferentes tipos, a saber:
1. Floresta Amazônica. Devido ao clima quente e úmido, toda a Bacia Amazônica
e as Guianas estão cobertas por uma floresta tropical densa e sempre verde, onde predominam árvores latifoliadas ( de folhas largas ); ocorrem também palmeiras, lianas ou cipós e epífitas. Além de árvores que fornecem madeira, como o mogno, destacam-se a seringueira e o cacaueiro.
2. Mata Atlântica. Formação florestal que se estende por uma faixa costeira, desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul, com maior expressão nas Serras do Mar e da Mantiqueira. Trata-se de área com alta pluviosidade, de modo que as árvores são frondosas e perenifólias ( de folhas perenes ), geralmente acompanhadas por palmeiras e epífitas.
3. Cerrado. Tipo de vegetação que recobre o Planalto Central do Brasil, com clima quente e seca prolongada, constituída por uma cobertura descontínua de gramíneas, acompanhada por tufos de pequenas árvores e arbustos com tronco e galhos tortuosos, tais como: barba-timão, pau-terra, lixeira, etc. juntamente com barba-de-bode e a palmeirinha sem caule indaiá.
4. Caatinga. Formação vegetal qu ocorre no Nordeste Brasileiro, de clima semi-árido, constituída principalmente por espécies caducifólias ( que perdem as folhas na estação seca ) e que se acham mais ou menos dispersas sobre um solo raso e pedregoso. Cactáceas, Bromeliáceas e outras plantas xerófitas ( adaptadas a ambientes secos ) também ocorrem freqüentemente.
5. Floresta Andina. Uma vegetação florestal menos exuberante recobre a parte tropical das vertentes dos Andes e que, à medida que aumenta a altitude, dá lugar a coníferas, depois arbustos e, finalmente a campos, ricos em espécies xerófitas.
Na parte temperada, mais ao sul, ocorre uma formação florestal com araucárias ( pinheiros ), bétulas, epífitas, etc.
6. Campos. Tipo de vegetação caracterizado pela presença de gramíneas baixas que formam uma cobertura ora contínua, ora espaçada ( tufos ), podendo ocorrer pequenos arbustos e raras árvores. Correspondem aos pampas do sul do Brasil, do Uruguai e do norte da Argentina.
7. Pantanal/Chaco. Grande planície de inundação situada no sudoeste do Mato Grosso e oeste do Mato grosso do Sul, que se prolonga em direção da Bolívia e do Paraguai. Recebe o nome de Pantanal no Brasil e de Chaco naqueles países. A vegetação apresenta aspectos peculiares, resultantes da mistura de espécies dos cerrados, das florestas tropicais semi-decíduas e dos campos alagadiços, além das matas ciliares ( que crescem nas margens dos cursos d'água ).

CONHECENDO A FAUNA DA AMÉRICA DO SUL

Os principais ecossistemas da América do Sul, com as respectivas fauna, são indicados a seguir.
1. Floresta Amazônica. A sua fauna é muito rica, incluindo macacos ( bugio, sagüi,
mico-leão, etc. ), anta, onça, jaguatirica, preguiça, arara, papagaio, periquito, tucano, gavião, jibóia, sucuri, etc.
2. Mata Atlântica. A sua fauna é representada principalmente por macacos, répteis,
roedores e grande número de pássaros.
3. Caatinga. Situada no Nordeste Brasileiro, possui fauna rica em: a) répteis - iguana, camaleão, cascavel, etc.; b) roedores - raposa, capivara, etc.; c) aves - carcará, ema e muitos pássaros, inclusive beija-flor.
4. Cerrado. Ocupando grande área do Planalto Central do Brasil, apresente: veado,
raposa, tatu, tamanduá, ema, seriema, codorna, roedores e répteis.
5. Pampas. Nestes campos vivem, entre outros animais, o lobo-guará, o guanaco e
a ema.
6. Cordilheira dos Andes. Caracteriza-se pela presença do condor, da lhama, da alpaca e da vicunha.
7. Rios, pântanos e lagos. A sua fauna é constituída por: peixes (pirarucu, surubim, dourado, piranha, etc.), tartaruga, capivara, jacaré, sucuri, garça, saracura, rã, sapo, caramujo, etc.
8.Litoral e mares continentais. A sua fauna é representada por: baleia-azul, leão-
marinho, golfinho, pingüim. albatroz, flamingo, anchova, cação, sardinha, tartaruga-marinha, caranguejo, mariscos, etc.

CONHECENDO A FLORA DA ÁFRICA

A vegetação natural da África, embora retrate a influência do clima, tem sofrido a ação do homem, como em outros continentes. As principais formações vegetais são as seguintes:
1. Floresta tropical úmida. Na bacia do rio Congo e nas margens do mar da Guiné, a pluviosidade é alta e ocorre uma floresta densa e sempre verde, com árvores de grande porte e presença de cipós e epífitas. Está rodeada por uma floresta menos densa, com espécies de folhas caducas, com um sub-bosque arbustivo.
2. Savana. Rodeando as áreas de florestas, onde o clima apresenta uma estação seca prolongada, ocorrem a savana, que consta de uma cobertura de gramíneas altas com árvores esparsas ( baobá, acácias, etc. ).
3. Estepe. Numa faixa estreita no norte do deserto do Saara, bem como no sul do continente e na Somália e na Tanzânia, ocorre a estepe, formada por uma cobertura de gramíneas baixas e plantas espinhentas.
4. Desertos. No norte e no sudoeste da África, ocorrem grandes áreas desérticas,
que ocupam cerca de 40% do continente. O deserto do Saara, situado na parte norte, é o maior deserto do mundo, com pluviosidade muito baixa e ventos fortes, que causam tempestades de areia. A vegetação é restrita aos oásis, onde a água subterrânea permite a existência de associações de cactáceas e palmáceas, com destaque para a tamareira.

CONHECENDO A FAUNA DA ÁFRICA

A vida animal na África é de grande riqueza, cujos ecossistemas e respectivas faunas são apresentados a seguir.
1. Floresta tropical. Ocupando a bacia do rio Congo e as margens do mar da Guiné,
a floresta tropical reúne numerosas espécies de macacos, com destaque para os grandes antropóides - gorila, chimpanzé e orangotango. Os carnívoros também são numerosos - leão, hiena, chacal, leopardo, etc. Também os roedores são numerosos - rato, esquilo, porco-espinho, etc.
2. Savana. Apresenta fauna de grande riqueza, incluindo mamíferos - elefante africano, girafa, zebra, gnu, antílope, impala, búfalo, leão, hiena, guepardo, etc. e aves avestruz, grou, serpentário, etc. Também é grande o número de roedores - rato, esquilo, porco-espinho, etc. Ocorrem ainda répteis e anfíbios - crocodilo, lagarto, piton, tartaruga, etc. Grande também é o número de insetos - gafanhoto, besouros, borboletas, mosca tsé-tsé,etc.
3. Deserto do Saara. Ocupando grande área no norte da África, é o ecossistema
africano com menor número de espécies. Destacam-se: camelo, dromedário. chacal, camaleão, naja, roedores, etc.
4. Rios, pântanos e lagos. Nesses ecossistemas aquáticos destaca-se a presença de : peixes ( salmão, truta, etc. ), crocodilo, búfalo, hipopótamo, íbis, etc.
5. Litoral e mares continentais. Abrigam aves marinhas - albatroz, gaivota, etc. ,
peixes, mamíferos aquáticos - golfinho, leão-marinho, orca, etc., bem como camarão, caranguejo, etc.

CONHECENDO A FLORA DA ÁSIA

De modo geral, as paisagens vegetais da Ásia correspondem aos tipos climáticos, sendo apresentadas a seguir.
1. Tundra. Na parte norte do continente, de clima frio, onde ocorre o " permafrost "( subsolo permanentemente congelado ), aparece a tundra - cobertura vegetal formada por musgos, liquens, ervas e arbustos anões.
2. Taiga. Ao sul da tundra, onde o subsolo não mais se apresenta congelado, ocorre uma floresta aberta de coníferas e bétulas. A cobertura do solo entre as árvores é feita por um tapete de musgos e liquens.
3. Estepe. Ao sul da taiga, à medida que a aridez aumenta, aparece a estepe, que
também é encontrada desde o norte da China até o litoral siberiano do oceano Pacífico. A estepe se caracteriza por uma cobertura herbácea descontínua, às vezes reduzida a simples tufos.
Nela predominam as gramíneas, às quais se associam outras plantas possuidoras de bulbos, tubérculos ou rizomas. Graças a esses órgãos subterrâneos é que essas plantas conseguem sobreviver durante a longa estação seca, quando seus órgãos aéreos morrem.
4. Desertos. Uma faixa larga de estepes e desertos se estende da Arábia e do Irã
ao noroeste do planalto do Decan. São desertos quentes em todas as estações do ano. Os altiplanos da Ásia Central, com grandes amplitudes de temperatura, também exibem vegetação de estepe e deserto. Destaque para o deserto quente da Arábia e o deserto frio de Gobi.
5. Floresta temperada caducifólia ( de folhas caducas ). É encontrada na Ásia Oriental, incluindo a maior parte do norte da China e o Japão. Constituída por espécies arbóreas caducifólias, como: olmo, carvalho, nogueira, etc.
6. Floresta temperada perenifólia ( de folhas perenes ). Localizada em área de clima úmido, ao sul da floresta temperada caducifólia, na parte oriental da China, com predominância de camélia, chá, magnólia, etc. e mais bambus, palmeiras e cipós.
7. Floresta tropical úmida. Ocorre na Índia e nas ilhas Sumatra, Java e Bornéo, formada por árvores latifoliadas (de folhas largas) associadas com bambus, cipós e epífitas.

CONHECENDO A FAUNA DA ÁSIA

Os principais ecossistemas da Ásia e as respectivas faunas são indicados a seguir.
1. Tundra. Situada na parte norte da Ásia, apresentando subsolo permanentemente
congelado e vegetação raquítica, a sua fauna é representada por: rena, alce, marta, lemingue, raposa-prateada, coruja-das-neves, etc.
2. Taiga. É uma floresta de coníferas, habitada por: alce, lobo, tigre-da-Sibéria, castor, texugo, arminho, zibelina, etc.
3. Estepe. Ao sul da taiga ocorre uma vasta faixa de estepe, onde se encontram: antílope, saiga, cão-da-estepe, hamster, cavalo selvagem, etc.
4. Desertos. Os principais são o da Arábia, situada na planície, e o de Gobi, situado em planalto e, portanto, mais frio.
No deserto da Arábia ocorrem: dromedário, hiena, chacal, gazela, órix, etc; enquan-to no deserto de Gobi encontram-se: camelo, tar, gato-montês, etc.
5. Floresta tropical. Localizada no sudeste da Ásia, incluindo as ilhas de Sumatra,
Java e Bornéo, possui uma fauna variada, incluindo: macacos ( gibão, lóris, macaco-narigudo, orangotango, etc. ), elefante asiático, tigre-de-Bengala, leopardo, pantera negra, pangolim e diversos répteis.
6. Himalaia. Esta cadeia montanhosa é habitada por: iaque, panda, takin, faisão-
dourado, falcão, etc.
7. Rios, lagos e pântanos. Nesses ecossistemas aquáticos encontram-se: salmão,
esturjão, búfalo, lontra, aligator-da-China, garça, cegonha, íbis, etc.
8. Litoral e mares continentais. Abrigam aves marinhas - águia-do-mar, alca, albatroz, faisão, grou, etc, ; e animais aquáticos - bacalhau, lula, salamandra, doninha, camarão, etc.

CONHECENDO OS LAGOS

Lagos são grandes massas de água localizadas em depressões do terreno, cercadas
de terra por todos os lados. Quanto ao seu tamanho, é muito variável. Alguns são tão grandes que são chamados de mares ( mar Cáspio, mar Morto, mar de Aral, etc. ). Os de menor tamanho são chamados de lagoas ou lagunas. Não existe critério para diferenciá-los. Assim, 0 termo lagoa é aplicado tanto a pequenas massas de água
( lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro ),
como a grandes lagos ( lagoa dos Patos, no Rio
Grande do Sul ).
Geralmente os lagos são alimentados por cursos d'água ( afluentes ) e o excesso de água é escoado por um ou mais canais ( emissários ).
Distinguem-se: a) lagos de água doce, como os Grandes Lagos - 5 lagos situados
na fronteira entre Estados Unidos e Canadá; b) lagos salgados, situados em regiões áridas e semi-áridas, como o mar Morto, na Palestina.
De acordo com a origem, a classificação dos lagos é mais complexa, distinguindo-se: a) lagos tectônicos, originados por dobras ou falhas geológicas - lago Tanganica, na África Oriental; lago Baikal, na Sibéria; b) lagos vulcânicos, localizados m crateras de vulcões extintos - lago Yellowstone, nos Estados Unidos; lago Albano Laziale, na Itália; c) lagos glaciários, oriundos da atividade das geleiras - lago Ládoga, na Rússia; Grandes Lagos, na fronteira entre Canadá e Estados Unidos; d) lagos fluviais, formados em depressões situadas em planícies de inundação ( várzeas ) – lagoas Mandioré e Uberaba, no Pantanal Mato-Grossense; e) lagos litorâneos – lagoa dos Patos e lagoa Mirim, no litoral gaúcho.

CONHECENDO OS SATÉLITES NATURAIS

Satélite natural ou simplesmente satélite é todo corpo natural, de natureza planetária e dimensão menor, que gira em torno de um planeta. Esses corpos celestes secundários estão ligados a um planeta pela lei da gravitação universal.
Todos os planetas do sistema solar, com exceção de Mercúrio e Vênus, possuem satélites orbitando ao seu redor. No total, são 140 satélites naturais.
A Terra possui um único satélite, a Lua. Marte possui dois: Delmos e Fobos. Júpiter tem 63 satélites. Além de ser o maior planeta, Júpiter possui o maior número de satélites bem como o maior satélite: Ganimedes, com 5.260 quilômetros de largura.
Saturno tem 34 satélites. Urano tem 27 e Netuno possui 13 satélites.
Os veículos espaciais lançados pelo homem e que gravitam em torno da Terra, da Lua ou de outro planeta, são denominados satélites artificiais.


CONHECENDO OS ANIMAIS COM TENTÁCULOS

Dá-se o nome de tentáculos a apêndices móveis, não articulados e pares de certos animais, destinados principalmente à captura de presas, mas que servem também como órgãos de tato, fixação ou locomoção.
A tromba do elefante não é um tentáculo porque não é par; os " chifres " do caracol não são tentáculos porque, apesar de par, não capturam presas; as patas preênseis do louva-deus não são tentáculos porque são articulados e têm partes duras.
À rigor, os animais que possuem tentáculos preênseis são os moluscos cefalópodes
( pés na cabeça ) como polvos e lulas e os celenterados, quase todos marinhos.
Os polvos têm um pé ventral dividido em oito tentáculos, sendo por isso chamados
octópodes; as lulas e as sibas têm o pé dividido em dez tentáculos, sendo chamados decápodes.
Esses animais capturam suas presa por meio desses tentáculos.
Os celenterados possuem tentáculos providos de células urticantes que circundam a boca nos corais e anêmonas; e formam uma franja ao redor da umbela das águas-vivas. Os celenterados são animais predadores, que capturam suas presas por meio de seus tentáculos

CONHECENDO OS ACIDENTES GEOGRÁFICOS -- I

As formas das superfícies continentais e marinhas recebem diferentes denominações, como veremos a seguir.
1. Oceano - grande extensão de água salgada, que circunda os continentes. Exemplo: Oceano Atlântico.
2. Continente - grande extensão de terras emersas, limitadas pelas águas dos oceanos e mares. Exemplo: África.
3. Mar - parcela de um oceano, que deste se diferencia pela menor extensão e características de suas águas. Exemplo: Mar Mediterrâneo.
4. Ilha - porção de terra cercada de água por todos os lados. diferindo dos continentes por sua menor extensão. Exemplo: Ilha de Madagascar. Existem também ilhas fluviais, como a Ilha do Bananal, no Rio Tocantins.
5. Arquipélago - conjunto de ilhas situadas umas próximas das outras. Exemplo:
Arquipélago dos Açores.
6. Golfo - parte do mar que penetra numa ampla reentrância do continente; quando de pequena dimensão recebe o nome de baía. Exemplos: Golfo do México, Baía da Guanabara.
7. Península - grande porção de terra do continente que avança pelo mar; quando de pequena dimensão recebe o nome de cabo. Exemplos: Península Escandinava, Cabo da Boa Esperança.
8. Montanha - elevação da superfície terrestre, de tamanho e altitude muito variáveis. Quando isolada e de pequena dimensão é chamada de morro; quando agrupadas recebem a denominação de serra ou cordilheira, esta assumindo grande extensão. Exemplos: Morro do Corcovado, Serra da Mantiqueira, Cordilheira dos Andes.

CONHECENDO OS ACIDENTES GEOGRÁFICOS - II

9. Vertente. Superfície inclinada que une o divisor de águas ou espigão ao talvegue ou à orla da planície de inundação ou várzea.
10. Planalto. Terreno de superfície aproximadamente plana e extensa, que se distingue da planície pela sua maior altitude. Quando de dimensão menor, recebe o nome de chapada. Exemplos: Planalto Central do Brasil; Chapada dos Guimarães.
11. Planície. Terreno de superfície aproximadamente plana e extensa, que se distingue do planalto pela sua menor altitude. As planícies podem ser: a) costeiras ou litorâneas; b) continentais. Exemplos: as planícies costeiras do Rio Grande do Sul; o Pantanal Mato-Grossense.
12. Geleira. Grande massa de gelo que se forma nas regiões polares, sobretudo na Antártida e na Groenlândia. As geleiras podem deslocar-se, de modo semelhante a um rio; as que atingem o mar fragmentam-se em grandes blocos chamados " icebergs ".
13. Plataforma continental. Nome dado à região submarina de pouca profundidade, que margeia os continentes. Geralmente inclina-se suavemente a partir do litoral até a profundidade de 200 metros; a seguir, o declive aumenta abruptamente, constituindo o talude continental.
14. Vale. Depressão alongada, mais ou menos larga, escavada por um rio ao
longo do seu percurso. Compõe-se de um fundo ou talvegue, onde corre o rio, e de vertentes ou encostas laterais. Freqüentemente apresenta uma planície de inundação ou várzea e, às vezes, de terraços fluviais. Exemplo: Vale do Paraíba.
Quando exibe formas resultantes de forte erosão, é chamado de " canyon *. Exemplo: Grand Canyon do Rio Colorado, nos Estados Unidos.

CONHECENDO OS ACIDENTES GEOGRÁFICOS - III

15. Planície de inundação. Faixa de terras planas que margeia um rio, freqüentemente inundada e onde ocorre a deposição de sedimentos transportados pelos rios; também chamada planície aluvial ou várzea.
16. Meandros e delta. As sinuosidades de um rio na planície de inundação são
chamada meandros. Quando a sedimentação também ocorre na foz, forma-se um delta. Exemplo: delta do Rio Nilo. Em caso contrário, recebe o nome de estuário, no qual se faz sentir o efeito das marés, como na foz do Rio Amazonas.
17. Lago. Grande depressão do terreno ocupada por água doce ( regiões úmidas )
ou salgada ( regiões áridas e semi-áridas ). Quando de menor dimensão, é chamada lagoa.
Exemplos: Grandes Lagos, na fronteira entre Estados Unidos e Canadá; Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul.
18. Cuesta. Série de elevações assimétricas, com uma vertente escarpada de um
lado e outra vertente com declividade suave do outro lado; ou seja, " serra " de um lado só. Exemplo: Serra de Botucatu.

PALAVRAS COM VÁRIOS SIGNIFICADOS

1. Alvo: a) branco; b) mira.
2. Bacia: a) vasilha redonda; b) Geografia - depressão cercada de elevações; c) Zoologia - cavidade óssea na parte inferior do tronco.
3. Bala: a) guloseima; b) projétil de arma de fogo.
4. Coluna: a) pilar; b) espinha dorsal; c) grupo de soldados em linha.
5. Coral: a) grupo de cantores; b) espécie de cobra; c) Zoologia - celenterado fixo que vive em colônias
6. Cupim: a) nome vulgar da giba dos machos das raças zebuinas; b) inseto social que
constrói murundus.
7. Germe: a) embrião; b) micróbio.
8. Liga: a) mistura de dois ou mais metais feita por fusão; b) associação; c) fita elástica que prende a meia na perna.
9. Mastro: a) haste para içar bandeira; b) peça comprida de barco para sustentar a velas.
10. Órgão: a) meio de divulgação; b) instrumento musical; c) Biologia - parte de um organismo que desempenha uma determinada função.
11.Pata: a) fêmea do pato; b) pé de animal.
12. Pé: a) parte inferior da perna; b) unidade de medida de comprimento do sistema inglês; cada planta.
13. Presente: a) atual; b) dádiva; c) que não está ausente.
14. Tocar: a) por a mão em; b) fazer soar ( sino ); c) tirar sons de instrumento musical; d) mandar embora.
15. Toco: a) pedaço final de vela; b) parte do tronco que fica ligada à terra depois de
cortada a árvore.

CONHECENDO PALAVRAS DE GÍRIA -1

A seguir, são apresentadas algumas palavras de gíria, de uso corrente.
1. Amigo-do-alheio: ladrão
2. Balzaquiana: mulher na faixa dos 30
anos
3. Bicho: calouro de faculdade
4. Broto: adolescente
5. Canastrão: mau ator
6. Carango: carro
7. Chaveco: paquera
8. Detonar: livrar-se de uma tarefa ou
pessoa
9. Ficar: namorar sem compromisso
10. Flanelinha: guardador de automóveis
11. F resco: afeminado
12. Gaita: dinheiro
13. Lelé da cuca: louco
14. Margarida: funcionária pública que faz
a limpeza das ruas
15. Mauricinho: rapaz bem arrumadinho
16. Na crista da onda: em pleno sucesso
17. Pagar mico: fazer besteira
18. Patricinha: moça bem arrumadinha
19. Perna-de-pau: mau jogador de futebol
20. Prafrentex: avançado

CONHECENDO PALAVRAS DE GÍRIA - 2

1. Almofadinha - rapaz que se veste com apuro.
2. Barbeiro - mau condutor de veículo.
3. Barnabé - funcionário público de categoria inferior.
4. Berro - revólver.
5. Bicho: a) gratificação; b) calouro de faculdade.
6. Biscate: a) serviço pequeno e avulso;
b) mulher de vida fácil.
7. Bóia- fria - operário que leva marmita para o local de trabalho e come comida fria.
8. Cobra - pessoa habilidosa ou de muito conhecimento.
9. Cupincha - pessoa protegida de político influente.
10. Dedurar - delatar.
11. Flanelinha - guardador de automóveis.
12. Frangueiro - goleiro que deixa passar bolas defensáveis.
13. Grude - comida.
14. Manda-chuva - chefe político.
15. Marajá - funcionário que trabalha pouco e ganha muito.
16. Maria Candelária - funcionária pública.
17. Paquera - namoro.
18. Perna-de-pau - mau jogador de futebol.
19. Matar o bicho - beber cachaça.
20. Rato – freqüentador de biblioteca.
21. Sapo - pessoa que comparece a uma reunião sem ser convidada.
22. Tubarão - comerciante ou industrial ganancioso.
23. Tutu - dinheiro.
24. Xodó - namorado ou namorada.

CONHECENDO PALAVRAS DE GÍRIA - 3

1. Abacaxi: coisa indesejável.
2. Azular: fugir.
3. Babaca: a) órgão genital da mulher;
b) tolo.
4. Bamba: perito.
5. Bate-coxa: baile popular.
6. Cabra-macho: indivíduo valentão.
7. Calhambeque: automóvel antigo.
8. Destripar o mico: vomitar.
9. Fajuto: falsificado.
10. Fuxico: mexerico.
11. Gari: varredor de rua.
12. Lorota: conversa fiada.
13. Marmelada: conluio para que um jogo termine com determinado vencedor.
14. Muamba: objetos furtados.
15. Padaria: nádegas.
16. Pão-duro: avarento.
17. Papa-léguas: pessoa que anda com rapidez grandes distâncias.
18. Pivete: menino que acompanha ladrões.
19. Porre: bebedeira.
20. Racha: a) jogo-treino de futebol
b) corrida clandestina de automóveis ou motos.
21. Surrupiar: furtar.
22. Testa-de-ferro: indivíduo que assume responsabilidades alheias.
23. Tira: policial.
24. Xilindró: cadeia.
25. Zé-povinho: indivíduo da camada inferior da sociedade.


PALAVRAS ORIGINADAS DO INGLÊS

Muitas palavras utilizadas na língua portuguesa são originárias do Inglês, língua oficial da Inglaterra e dos Estados Unidos. Vejamos alguns exemplos:

1. alô 12. filme
2. bar 13. flerte
3. basquetebol 14. futebol
4. bife 15. golfe
5. bonde 16. jóquei
6. boxe 17. lorde
7. breque 18. pôquer
8. chiclete 19. pulôver
9. chute 20. sanduíche
10. clube 21. turtfe
11. estresse 22. uísque

PALAVRAS ORIGINADAS DO FRANCÊS

Muitas palavras usadas na língua portuguesa são originárias do Francês, como por exemplo:

1. abajur 12. Lanchonete
2. assembléia 13. madame
3. balé 14. maiô
4. batom 15. maquete
5. bidê 16. marionete
6. boné 17. menu
7. buquê 18. restaurante
8. chalé 19. paletó
9. corbelha 20. pivô
10. garagem 21. sutiã
11. garçom 22. toalete

CONHECENDO PALAVRAS ORIGINADAS DO ESPANHOL

Muitas palavras usadas na língua portuguesa são originárias do espanhol, língua falada na Espanha e em diversos países da América do Sul e da América Central. Vejamos alguns exemplos:

1. agachar 12. cavalheiro
2. agrião 13. farrapo
3. bandarilha 14. ganância
4. bandoleiro 15. lhama
5. calabouço 16. maciço
6. camarilha 17. muchacho
7. canhão 18. paladino
8. caramba 19. pampa
9. caranguejo 20. rumba
10. castanhola 21. savana
11. caudilho 22. tablado

CONHECENDO PALAVRAS ORIGINADAS DO ITALIANO

Muitas palavras usadas na língua portuguesa são originárias do italiano. Vejamos alguns exemplos:

1. arlequim 12. mussarela
2. bambino 13. pastel
3. bocha 14. piano
4. camarim 15. pizza
5. canalha 16. salame
6. capricho 17. serenata
7. cascata 18. soprano
8. lasanha 19. tarantela
9. macarrão 20. tchau
10. madona 21.tenor
11. maestro 22. trombone

CONHECENDO PALAVRAS ORIGINÁRIAS DO ALEMÃO E DO JAPONÊS

Além das línguas que contribuíram com grande número de palavras para o vocabulário da língua portuguesa, como latim, tupi-guarani, grego, francês, inglês, italiano e espanhol, outras línguas também contribuíram, embora em menor proporção. É o caso do alemão, japonês, árabe e línguas africanas.
Vejamos alguns exemplos de palavras originárias do alemão e do japonês.

a) Alemão b) Japonês
1. blitz 1. biombo
2. chope 2. bonsai
3. chucrute 3. caratê
4. guerra 4. haraquiri
5. hamburger 5. jiu-jitsu
6. hamster 6. judô
7. harpa 7. quimono
8. norte 8. ninja
9. realengo 9. nissei
10. sul 10. saquê
11. talvegue
12. valsa
CONHECENDO PALAVRAS ORIGINADAS DO GREGO

Muitas palavras utilizadas na língua portuguesa são originárias do grego, seja na forma popular, mas principalmente termos técnicos ou científicos. Vejamos alguns exemplos.

a) Forma popular b) Termos científicos
1. anfiteatro 1. anfíbios
2. apoteose 2. cartografia
3. cacófato 3. ecologia
4. década 4. epiderme
5. farol 5. fanerógamas
6. fenômeno 6. geografia
7. galáxia 7. geologia
8. ícone 8. hipopótamo
9. labirinto 9. latifoliadas
10. magma 10. odontologia
11. obelisco 11. quilômetro
12. pirâmide 12. zoologia

CONHECENDO PALAVRAS ORIGINADAS DO TUPI-GUARANI

A língua portuguesa falada no Brasil incorporou muitas palavras originadas do tupi-guarani, a língua mais utilizada pelos índios brasileiros.
Seguem-se alguns exemplos:
1. aguapé 12. iracema
2. aipim 13. jequitibá
3. amendoim 14. jibóia
4. araçatuba 15. muçurana
5. araponga 16. pajé
6. boçoroca 17. piracema
7. caatinga 18. piracicaba
8. caiçara 19. piranha
9. candomblé 20. pororoca
10. garapa 21. tamanduá
11. indaiá 22. tapir ( anta )

CONHECENDO PALAVRAS ORIGINADAS DO LATIM

A maioria das palavras da língua portuguesa provém do Latim, seja na forma popular, seja na forma erudita. Vejamos alguns exemplos:

1. acústica 12. lente
2. adega 13. ligar
3. animal 14. mesa
4. balança 15. milagre
5. calendário 16. paladar
6. chama 17. pátria
7. chave 18. raciocínio
8. cuidar 19. rebanho
9. fabricar 20. salário
10. igual 21. siso
11. leitura 22. tela

CONHECEDO OS NOMES DE PLANTAS E PLANTAÇÕES

a) Planta b) Plantação c) Produto

1. alfafa alfafal feno
2. algodoeiro algodoal tecido, óleo
3. arroz arrozal arroz
4. cacaueiro cacaual chocolate
5. bananeira bananal bananas
6. cafeeiro cafezal pó-de-café
7. cana-de- açúcar canavial açúcar e álcool
8. coqueiro coqueiral coco
9, eucalipto eucaliptal madeira, lenha
10. feijoeiro feijoal feijão
11. goiabeira goiabal goiaba
12. laranjeira laranjal laranja
13. mangueira mangueiral manga
14. milho milharal espigas de milho
15. oliveira olival azeitona, óleo
16. pinheiro pinheiral pinho
17. seringueira seringal borracha natural
18. tomateiro tomatal tomate
19. trigo trigal farinha de trigo
20. videira parreiral uva,vinho


CONHECENDO OS ANIMAIS COM ESCAMAS

Escama é uma placa dura que, associada a outras placas semelhantes, constitui um revestimento protetor de todo ou de parte do corpo de certos animais.
As escamas são mais comuns nos répteis e nos peixes. Os mamíferos que possuem escamas são raros, devendo ser citados alguns desdentados, como o tatu e o pangolim. Alguns roedores, como o castor, têm cauda escamosa.
As aves têm a pele das patas formada de dobras escamosas. Dobras escamosas revestem todo o corpo dos lagartos e cobras. Nos crocodilos ocorre o revestimento com placas ósseas. Nas tartarugas escamas córneas formam uma carapaça protetora. Essas escamas são justapostas nas tartarugas terrestres e imbricadas , umas nas outras, nas tartarugas marinhas.
Nos peixes, existem três tipos de escamas, que se apresentam imbricadas: a) esca-
mas placóides, nos elasmobrânquios, com raia e cação; b) escamas ganóides, nos teleósteos
mais primitivos, como carpa, sardinha, etc.; c)escamas ciclóides, nos peixes mais evoluídos, como atum, linguado, salmão, etc.
Alguns peixes são desprovidos de escamas, como o bagre e o cavalo-marinho.

CONHECENDO OS SATÉLITES ARTIFICIAIS

Satélites artificiais é a denominação dada aos veículos espaciais não-tripulados, lançados pelo homem, que circulam em torno da Terra, da Lua ou de outro planeta, providos de instrumentos que permitem a coleta de dados, por sensoriamento remoto, para fins militares, científicos ou tecnológicos.
Os sistemas de aquisição de dados, instalados a bordo dos satélites artificiais, desempenham duas funções: a) detecção da radiação proveniente da superfície orbitada; b) transformação e transmissão de dados. Estações de rastreamento, localizadas na superfície terrestre, permitem a recepção, gravação e processamento dos dados transmitidos pelos satélites.
Existem diversos tipos de satélites artificiais: espiões, meteorológicos, científicos,tecnológicos, etc. São de grande importância os satélites meteorológicos, que fornecem informações para a previsão do tempo; e os satélites tecnológicos, que contribuem para o melhor conhecimento e utilização dos recursos naturais.
Entre os satélites meteorológicos podem ser citados: Nimbus, Goes, Meteosat, etc.; entre os satélites meteorológicos destacam-se: Landsat e Spot, sendo o primeiro norte-americano e o segundo, francês.

CONHECENDO AS ADAPTAÇÕES FOLIARES

As plantas que vivem em condições anormais formam folhas que divergem do tipo normal. Também ocorrem, com freqüência, modificações das folhas para exercerem outras funções. Vejamos alguns exemplos:
a) Folhas xeromorfas. São folhas coriáceas ou cerosas, comuns nas plantas de
regiões áridas e semi-áridas, como no Nordeste Brasileiro.
b) Folhas higromorfas. São folhas delicada e com grande superfície foliar, comuns
nas plantas de regiões úmidas, como na Amazônia.
c) Folhas de sombra e de sol. Na mesma árvore, podem ser encontrados dois tipos de folhas: no lado da sombra, folhas mais higromorfas - mais finas e com cutícula delgada;
e na parte exposta ao sol, folhas mais xeromorfas, com cutícula espessa e muitos estômatos.
d) Folhas aquáticas. Nas plantas aquáticas, as folhas submersas divergem das folhas flutuantes. Estas são maiores, enquanto aquelas são menores e geralmente subdivididas.
e) Folhas coletoras. Nas plantas epífitas ( que vivem sobre outras plantas ), desenvolvem-se dois tipos de folhas: as coletoras, que acumulam as substâncias húmicas que caem da copa das ´plantas hospedeiras; e folhas assimiladoras.
f) Folhas insetívoras. Adaptadas para aprisionar insetos. São verdadeiras armadilhas, chamadas ascídios, que se encontram nas plantas insetívoras, como Drosera e Nepenthes.
g) Escamas e brácteas. São folhas modificadas que protegem os brotos e as flores,
respectivamente.
h) Espinhos e gavinhas. Os espinhos são pecíolos enrijecidos, como a laranjeira; e as gavinhas, folhas com nervuras sem lâmia foliar, destinadas à fixação em suportes - plantas trepadeiras, como a ervilha.

CONHECENDO OS MAMÍFEROS AQUÁTICOS

Os mamíferos geralmente são terrestres, porém existem algumas espécies, como as focas, que estão perfeitamente adaptadas à vida no mar: seus membros transformaram-se em barbatanas adequadas à locomoção na água. O gigante desse grupo, que é também um dos maiores mamíferos, é o elefante-marinho. Um macho adulto pode atingir 5,5 metros de comprimento e pesar mais de 3 toneladas.
A baleia, a orca, o cachalote e o golfinho, da ordem dos Cetáceos, estão ainda melhor adaptados à vida no mar do que as focas. Na realidade, embora sejam animais de temperatura regulável e que amamentam seus filhotes, são freqüentemente confundidos com peixes, por pessoas de pouca cultura. Isso, no entanto, não é de admirar, pois diferem da maioria dos mamíferos por terem pouco ou nenhum pêlo; e por terem a cabeça, o tronco e a cauda inteiramente soldados, o que lhes dá a aparência típica de peixes. Além disso, não possuem patas, e sim barbatanas.
Alguns cetáceos, como o boto-branco e o tucuxi, vivem em ambiente fluvial, como os rios Amazonas e Orenoco.
Existem ainda mamíferos anfíbios, isto é, que vivem tanto na terra como na água, como é o caso do hipopótamo, do castor e da capivara.

CONHECENDO OS ASTERÓIDES

Os asteróides são pequenos planetas cujos diâmetros são inferiores a 1.000 km, sendo conhecidos alguns milhares desses corpos celestes secundários. A maioria deles se localiza entre Marte e Júpiter, no chamado " cinturão de asteróides ".
O maior deles é Ceres, que possui um diâmetro de 940 km. A maioria dos asteróides tem diâmetro inferior a 50 km. Os mais conhecidos são: Ceres, Palas, Vesta e Juno.
Devido ao movimento de translação dos asteróides em torno do Sol, uma exposição fotográfica de 1 hora é suficiente para identificá-los como pequenos traços, ao passo que as estrelas aparecerão como pontos.
Dos asteróides conhecidos, o que mais se afasta do Sol é Hidalgo, que chega à
distância de 1.430 milhões de quilômetros; e o que mais se aproxima do Sol é Ícaro, que chega a menos de 30 milhões de quilômetros.
Os astrônomos acreditam que os asteróides constituem uma classe corpos celestes primitivos que " sobraram " durante a formação do sistema solar.
Cumpre esclarecer que recentemente, os astrônomos rebaixaram Plutão, que era considerado o menor planeta, para a categoria de asteróide, passando a ser o maior asteróide, com 2.302 km de diâmetro.


CONHECENDO A MATA ATLÂNTICA

Esse é o nome dado à formação florestal que se estende pela faixa costeira, desde
o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul, com maior expressão nas Serras do Mar e da Mantiqueira. É uma região montanhosa, que intercepta a umidade trazida do mar pelos ventos alíseos e, portanto, com alta pluviosidade. As árvores são frondosas e perenifólias ( de folhas perenes ), geralmente acompanhadas por palmeiras, lianas ou cipós e epífitas. Dentre as árvores destacam-se: peroba, cedro, jacarandá, figueira-branca, pau-brasil e palmito.
A área possui solos férteis, como massapé-salmourão e terras roxas. Por isso, em
grande parte a Mata Atlântica foi devastada para a implantação de culturas tais como: café, cana-de-açúcar, cacau, milho, etc,
Na parte sul, onde o clima assume caráter temperado, às árvores latifoliadas ( de folhas largas ) como a imbuia e a erva-mate, misturam-se árvores aciculifoliadas ( com folhas em forma de agulhas ), como podocarpus e o pinheiro-do-Paraná; este último produtor de excelente madeira branca.
A fauna é pouco numerosa, incluindo: anta, gambá, sagüi, roedores, répteis e grande número de pássaros.

CONHECENDO AS AVES AQUÁTICAS

Existem diversas ordens e famílias de aves adaptadas à vida aquática, as quais nas
antigas classificações abrangiam as aves " palmípedes ", isto é, com patas palmadas. Essas aves possuem dois dedos das patas unidos por uma membrana natatória, como as gaivotas e os albatrozes; ou os quatro dedos unidos, como os pelicanos e os cormorões.
Os pingüins são aves aquáticas que também possuem patas palmadas, mas cujas asas foram transformadas em nadadeiras. Portanto, não voam mas estão adaptadas à locomoção na água. Esses três grupos de aves aquáticas freqüentam ambientes marinhos.
Calcula-se que existam 260 espécies de aves marinhas e cerca de 600 espécies de
aves ribeirinhas -- de lagos, pântanos e alagadiços. Estas últimas incluem as chamadas aves
" pernaltas " -- com pernas compridas e, às vezes, pescoço longo, como garça, flamingo, cegonha, íbis, etc. Outro grupo é constituído por patos, gansos, cisnes, etc.
Cumpre destacar a influência da corrente oceânica de Humboldt, que vem do sul e corre junto à costa ocidental da América do Sul, a qual é rica em plâncton - base da cadeia alimentar nos mares. Em conseqüência, milhares de aves marinhas se concentram nessa área, dando origem aos depósitos de " guano "- constituído por excrementos dessas aves e que é empregado como adubo, representando uma das principais fontes de renda do Peru.


CONHECENDO A ARTE DO " BONSAI "

" Bonsai " é uma palavra japonesa que designa a arte de cultivar árvores mantendo-as anãs guardando, porém, todas as características da árvore de tamanho normal. As miniaturas de árvores como carvalho, pinheiro, cerejeira, cedro, etc. são plantadas em vasos e usadas como ornamento. Em seu estado natural, essas árvores alcançariam vários metros de altura.
O segredo para controlar o seu desenvolvimento é submetê-las a podas periódicas e adubá-las com fertilizantes apresentando deficiências de certos nutrientes, em ambientes com escassez de água e de luz.
O seu sistema radicular permanece reduzido e dotado de pequenos troncos retorcidos e folhas minúsculas. Quanto menores forem,mais tortuosas se tornarão, dando a impressão de serem plantas velhas; e mais apreciadas serão. Algumas dessas árvores mirradas chegam a durar mais de um século.
Os japoneses praticam a arte do bonsai há muitos séculos, a qual vem se expandindo para outros países do Ocidente, principalmente os Estados Unidos.

CONHECENDO AS AVES PARASITÁRIAS

Cerca de 80 espécies de aves, pertencentes a diversas famílias, são totalmente parasitárias na época da incubação, pondo os ovos em ninhos que não são seus e deixando os filhotes aos cuidados de outras aves. Existem outras espécies que são parcialmente parasitárias, fazendo habitualmente os próprios ninhos e cuidando dos filhotes, mas às vezes depositam os ovos em ninhos de outras aves.
É entre os patos que se encontra o maior número desses parasitas. Mais de 20 espécies depositam os ovos, pelo menos de vez em quando, nos ninhos dos vizinhos; um marreco norte-americano assim procede com mais freqüência do que da maneira habitual.
A mais famosa das aves parasitárias é o cuco -- da Europa, Ásia e África. Mais de 300 espécies de aves são parasitadas por esse mestre da intromissão em ninhos alheios. Para abrir espaço para si, em ninho pequeno, o filhote de cuco contorce-se e agita-se até que os companheiros ou os ovos não eclodidos caiam do ninho.
Enquanto metade dos cucos do Velho Mundo são parasitas, os do Novo Mundo não o são, com poucas exceções.
No Novo Mundo, os pássaros-pretos ou chupins constituem o principal grupo de aves parasitárias. Cada um dos filhotes de chupim é criado às custas de um ou dois filhotes da ave hospedeira, principalmente do tico-tico.

CONHECENDO OS PÁSSAROS

Denominam-se pássaros as aves da ordem Passeriformes, geralmente de tamanho
pequeno e apresentando certas características tais como: a) bico sem ceroma na base; b) pés com três dedos dirigidos para diante e um para trás, este com unha mais forte; c) tarso sem penas, etc. É a ordem mais numerosa das aves, compreendendo cerca de 5,000 espécies, distribuidas em cerca de 30 famílias.
Os machos são, em geral, maiores que as fêmeas; e podem ser tão pequenos como o beija-flor, ou de porte avantajado o pássaro-lira. O bico tem forma e tamanho variáveis, desde o curto e grosso do curió e do bicudo, até o do arapaçu, que é fino, longo e curvo. É grande a diversidade de plumagem, tanto na forma e disposição das penas, como no colorido. Destacam-se: a cauda longa e bifurcada da tesourinha, o topete em forma de ventarola do leque e o colorido variegado da saíra.
Os ninhos são construídos no solo ou nas árvores, geralmente feitos com palha de capim, gravetos, etc.; mas há pássaros que fazem ninhos pendentes, como o japu, ou com terra úmida, como o joão-de-barro.
De acordo com a anatomia da garganta, há pássaros que gritam, como a araponga e o bem-te-vi; e há os que cantam, como o sabiá e o rouxinol. Por isso, freqüentemente os pássaros canoros são aprisionados em gaiolas, para deleite de seus donos.

CONHECENDO AS TALÓFITAS

Chamam-se Talófitas as plantas inferiores que possuem talo - corpo vegetativo não diferenciado em órgãos como raiz, caule e folhas.
Os talos podem ser uni ou pluricelulares, mas seu tamanho não se relaciona com a simplicidade estrutural. Assim, o talo de certas algas marinhas pode atingir quase uma centena de metros. Por outro lado, as bactérias só podem ser vistas sob o microscópio. As algas e
algumas bactérias têm clorofila, de modo que podem realizar a fotossíntese; ao passo que os fungos não possuem clorofila, de modo que são obrigados a viver como parasitas.
As Talófitas compreendem as algas, os fungos ou cogumelos, a bactérias e os líquens. No entanto, entre as demais plantas podem ser encontradas formas talosas, como as
Hepáticas, grupo de plantas que possuem representantes talosos.
Alguns talos de certas algas se apresentam divididos de maneira tal, que desempenham funções semelhantes aos órgãos dos vegetais superiores, sendo por isso denominados rizóide, caulóide e filóide.
As Talófitas se encontram por toda parte. As algas vivem não só em água doce ou salgada, em colônias ou isoladamente, como também no solo, em outras plantas e animais e até na neve. A distribuição das bactérias é ainda maior que a das algas, pois algumas delas vivem dentro dos nossos corpos, nutrindo-se de células vivas ou mortas, dos alimentos que ingerimos, ou se devorando umas às outras.
Os fungos podem ser: a) parasitas, vivendo sobre plantas e animais, causando-lhes doenças; b) saprófitas, vivendo nos solos ricos em matéria orgânica, sobre a madeira, sobre frutos e folhas em decomposição ou mesmo sobre os alimentos. Alguns são úteis, utilizados como fermentos na fabricação de pão, queijo e bebidas alcoólicas ou na fabricação de antibióticos
Os liquens são constituídos por uma associação simbiótica de um fungo com uma alga, vivendo sobre a casca das árvores, sobre o solo ou mesmo sobre as rochas. Constituem o principal componente da Tundra - tipo de vegetação das regiões frias.

CONHECENDO A FLORESTA AMAZÔNICA

A floresta amazônica é a maior floresta tropical do mundo, ocupando cerca de 40% do território brasileiro, além de partes expressivas de outros países - Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela e Guianas.
Nela se encontra a maior rede fluvial do mundo, constituída pelo Rio Amazonas e seus numerosos afluentes.
Também chamada de Hiléia Amazônica, ela pode ser dividida em três partes: a) mata de igapó; b) mata de várzea; c) mata de terra firme.
A mata de igapó fica inundada cerca de 10 meses durante o ano e é rica em palmeiras, como a açaí.
A mata de várzea só é inundada por ocasião das enchentes dos rios; tem muitas espécies de valor comercial e de madeiras brancas, destacando-se a seringueira, o cacaueiro, a copaíba, a sumaúma e o gigantesco acaçu. Esses dois últimos tipos de florestas possuem árvores de folhas perenes.
Os rios e igapós são habitados por abundante fauna de peixes e animais aquáticos,
dos quais os mais conhecidos são o pirarucu, o tucunaré e o peixe-boi, este último um mamífero aquático em vias de extinção. Acrescentando-se as várzeas, devem ser incluídos os répteis anfíbios, como o jacaré, as tartarugas ( também ameaçadas de extinção ) e certas serpentes, como a sucuri.
A mata de terra firme nunca fica inundada, correspondendo a mais de 90% da área total da Hiléia. Essa mata é composta por 3 ou 4 andares de vegetação, além de cipós e epífitas ( como as orquídeas ) e vegetais inferiores - cogumelos, liquens, fungos e musgos. Entre as árvores, destacam-se a castanheira, a balata, o mogno e o pau-rosa. É habitada por: a) mamíferos - onça, jaguatirica, macacos, preguiça, quati, roedores, etc.; b) aves - arara, papagaio, tucano, periquito, gavião, etc.; c) répteis - cobras, como a jibóia, lagartos, etc.; d) outros pequenos animais, principalmente insetos

CONHECENDO SINÔNIMOS E ANTÔNIMOS

Sinônimos são palavras que têm o mesmo significado, ao passo que antônimos são palavras de significado oposto. Exemplos:

Palavra Sinônimo Antônimo
1. Belo Bonito Feio
2. Gordo Obeso Magro
3. Brado Grito Silêncio
4. Apagar Extinguir Acender
5. Certo Exato Errado
6. Verídico Verdadeiro Falso
7. Antagonista Adversário Companheiro
8. Diáfano Transparente Opaco
9. Anarquia Desordem Ordem
10. Louvor Elogio Crítica
11. Benevolência Bondade Maldade
12. Evoluir Progredir Regredir
13. Perto Próximo Longe
14. Ancião Velho Jovem
15. Simpatia Afeição Antipatia
16. Conciliar Concordar Discordar
17. Andar Caminhar Parar
18. Amar Adorar Odiar
19. Ratificar Confirmar Discordar
20. Liberar Autorizar Desautorizar

CONHECENDO A FLORA DO SOLO

Os organismos vegetais que vivem no interior do solo são mais numerosos e, sob certos aspectos, mais importantes do que os animais. Isto é verdade principalmente no que diz respeito aos estágios finais da decomposição da matéria orgânica, da síntese do húmus e da liberação dos nutrientes minerais, necessários à nutrição das plantas superiores: N, P, K, Ca, etc.
A macroflora do solo é representada pelas raízes das plantas superiores e, em menor proporção, pelos caules subterrâneos ( bulbos, tubérculos, rizomas ); e a microflora é constituida por: a) algas; b) fungos; c) bactérias; d) actinomicetos.
As raízes travam o solo, impedindo o seu arrastamento pela erosão; e quando morrem enriquecem o solo em matéria orgânica, importante sob o ponto de vista da fertilidade do solo.
Dentre as muitas funções dos microorganismos do solo, cabe destaque para: a) bactérias fixadoras do nitrogênio atmosférico, que vivem em simbiose nas raízes das Leguminosas; b) micorrizas, que são associações simbióticas entre as raízes das plantas superiores e determinados fungos do solo, que favorecem a absorção dos nutrientes minerais.
Os microorganismos fixadores do nitrogênio atmosférico podem ser: a) simbióticos,como os Rhizobium; b) não-simbióticos, subdivididos em: b1) aeróbicos, como os Azotobacter;b2) anaeróbicos, como os Clostridium.

CONHECENDO A FAUNA DO SOLO

È grande a quantidade de organismos que vivem no interior do solo. A maioria pertence ao reino vegetal, porém, muitos animais são encontrados no solo, representados tanto pela macrofauna como pela microfauna.
Os animais pertencentes à macrofauna são principalmente: a) animais fossadores - tatu, toupeira, etc.; b) roedores - rato, esquilo terrestre, marmota, musaranho, etc.; c) insetos - formigas, besouros, térmitas ( cupins ), larvas, etc.; d) miriápodes - centopéias, etc.; e) minhocas; f) ácaros; g) lesmas e caracóis.
A microfauna do solo é constituida por: a) nematóides; b) protozoários; c) rotíferos.
Esses organismos promovem a agregação das partículas do solo e são responsáveis
por várias ações: a) decomposição da matéria: b) formação do húmus - de grande importância para a fertilidade do solo; c) liberação de nutrientes minerais essenciais à vida das plantas, como: N, P, K, Ca, Mg, S, etc.
Os organismos do solo - vegetais e animais, desempenham papel importante na formação do solo e também nas suas propriedades físicas e químicas, como porosidade, retenção de água e fertilidade do solo.


CONHECENDO AS RELAÇÕES PLANTA/ATMOSFERA

A capacidade de realizar Fotossíntese - assimilação do dióxido de carbono atmosférico pela clorofila - distingue as plantas das outras formas de vida, com exceção e certas bactérias.
Esta função de sintetizar as complexas moléculas orgânicas, necessárias à vida, a partir de moléculas inorgânicas simples, utilizando a energia solar, significa que quase todos os outros organismos vivos dependem, direta ou indiretamente, das plantas como fontes de compostos orgânicos.
A energia solar é transformada em energia química, armazenada na sacarose e em outros compostos como amido, proteína e óleo.
Posteriormente, a energia química é usada na respiração para " queimar " ( oxidar ) vários compostos orgânicos, liberando água e gás carbônico, processo que ocorre em todas as células vivas das plantas.
Há, portanto, um fluxo de energia através da planta, envolvendo: luz solar (fonte de energia ); fotossíntese ( conversão de energia ); e respiração ( utilização de energia). Ao mesmo tempo, ocorrem absorções e perdas de CO2 e O2, pela fotossíntese e pela respiração.
Durante o dia, as plantas absorvem pela fotossíntese mais CO2 da atmosfera do que perdem na respiração. Ao mesmo tempo, pela fotossíntese, perdem mais O2 do que absorvem pela respiração.
De madrugada e ao anoitecer, com menos luz solar para realizar a fotossíntese, as plantas perdem e absorvem quantidades semelhantes de O2 e CO2.
Durante a noite, na ausência de luz solar, não ocorre a fotossíntese. Porém, a respiração continua, num processo em que o O2 é absorvido e o CO2, eliminado.

CONHECENDO A FLORA DA AMÉRICA DO NORTE

Os tipos de vegetação natural estão correlacionados com os tipos de clima. Em escala local, o relevo e o solo provocam alterações, bem como a ação do homem.
Na América do Norte, encontram-se as seguintes formações vegetais:
1. Tundra. Na zona Ártica, que abrange o Alaska, o norte do Canadá e a Groen-
lândia, devido ao frio intenso, o solo apresenta " permafrost " - subsolo permanentemente congelado; e a vegetação típica é a tundra, compos-ta por musgos, liquens, algumas plantas herbáceas e raros sub-arbustos, tais como: bétula, abeto e salgueiro.
2. Taiga.À medida que a temperatura se torna menos severa, aparece a taiga ou
floresta de Coníferas, com predominância de pinheiros e lariços.
3. F loresta mista. Composta por uma mistura de árvores latifoliadas ( de folhas
largas ) e coníferas, que ocorre nas vertentes do Oceano Atlântico.
4. Pradaria. Na parte central do continente predomina a pradaria, tipo de vegetação herbácea, que forma uma cobertura contínua, na qual predominam as gramíneas, podendo existir também ciperáceas e algumas plantas semi-lenhosas. A pradaria assemelha-se à savana africana, servindo como pastagem para os animais herbívoros.
5. Estepe. À medida que o clima se torna mais árido, caminhando para oéste, surge a estepe, caracterizada por uma cobertura herbácea descontínua, às vezes reduzida a simples tufos. O nome estepe é de origem russa, país onde recobre grandes áreas.
6. Deserto. Nos planaltos áridos do Arizona e do norte do México, devido à escassez de chuvas, a vegetação é herbácea e muito rarefeita. Aparecem também plantas xerófitas - adaptadas a ambientes secos, tais como cáctáceas e bromeliáceas.
7. Floresta tropical. Na América Central, onde o clima é quente e úmido, aparece a floresta tropical, com predominância de árvores latifoliadas, acompanhadas de palmeiras e cipós.

CONHECENDO A FAUNA DA AMÉRICA DO NORTE

A distribuição da fauna se correlaciona com os tipos de clima e de vegetação, ou deja, com os ecossistemas.
Na zona Àrtica da América do Norte, onde ocorre a tundra - tipo de vegetação constituida apenas por musgos, liquens e pequenas plantas herbáceas, encontram-se poucas espécies animais, com destaque para: urso polar, boi-almiscarado, caribu, rena e raposa ártica, além de outros pequenos animais como: lontra, castor, lemingue, etc.
Na taiga ou floresta de coníferas, que ocorre em parte do Alaska, norte do Canadá e sul da Groenlândia, vivem animais como: alce, urso negro, castor, esquilo, lobo, raposa, etc.
Na parte central do continente, onde predominam as pradarias, encontram-se: bisão, coióte, antílope, puma, cascavel, roedores, etc. Quando o homem utiliza as pradarias como pastagens naturais, geralmente ele substitui os herbívoros nativos por espécies domésticas, como bovinos carneiros e cabras,
Nos desertos do oeste norte-americano e do norte do México, encontram-se principalmente: roedores, cobras e lagartos.
Nas Montanhas Rochosas vivem: águia, urso cinzento, puma, lince, etc.
Nas florestas tropicais da América Central encontram-se: anta, tamanduá, macacos, répteis, etc.
Nos rios, lagos e pântanos encontram-se: aligator, tartaruga, salmão, truta, etc.
Finalmente, no litoral e mares continentais encontram-se: baleia, lontra-marinha,
morsa, leão-marinho, pelicano, flamingo, bacalhau, barracuda, arenque, peixe-espada, tartaruga-marinha, camarão, caranguejo, etc.

CONHECENDO A CORDILHEIRA DO HIMALAIA

O termo " himalaia " significa " morada das neves ", nome dado à mais alta cadeia de montanhas da Terra, situada na Ásia Central, que se estende no sentido este-oéste por 3.000 km formando um arco,tendo ao norte o elevado Planalto do Tibet e ao sul, a extensa Planície Indo-Gangética. O ponto culminante é o Monte Everest, com 8.840m de altitude, a montanha mais alta da Terra. Possui ainda 28 picos que ultrapassam 7.000m de altitude.
Os geógrafos costumam dividir o Himalaia em duas partes: a) Himalaia Oriental, cortado por vales transversais e profundos e ostentando os mais altos picos, com as neves eternas começando a partir de 4.500m; b) Himalaia Ocidental, menos alto e mais seco, com as neves eternas surgindo somente após 5.500m de altitude.
O clima e a vegetação variam conforme a altitude e a vertente, setentrional ou meridional. De modo geral, nos trechos de menor altitude predominam o clima quente e úmido e a vegetação de floresta tropical. Nas partes intermediárias ocorre clima mais ameno, com floresta de coníferas. Finalmente, nas grandes altitudes predomina clima mais frio, com campos de altitude e neves eternas.
O Himalaia ocupa terras da China ( Tibet ), Índia, Paquistão e dois pequenos reinados - Nepal e Butan.

CONHECENDO OS VENTOS

Vento é o deslocamento do ar atmosférico dentro da troposfera, isto é, da camada inferior da atmosfera, provocado pela diferença de pressão. Quando uma região se apresenta mais aquecida, irradia calor às camadas próximas da superfície, que tendem a expandir-se verticalmente, diminuindo a pressão atmosférica sobre essa área e formando uma zona de baixa pressão.
Por outro lado, em regiões mais frias, o ar tende a concentrar-se, aumentando a pressão sobre a área e originando uma zona de alta pressão.
Nas zonas de baixa pressão, o ar em ascenção é substituído pelo ar das áreas de alta pressão, dando origem ao vento. O movimento do ar junto à superfície do solo pode adquirir as características de: a) fluxo laminar; b) fluxo turblento. Este último pode adquirir grande velocidade, superior a 60 km/hora sendo, neste caso, denominado furacão ou tornado.
De modo geral, os ventos podem ser classificados em regionais e locais. Os ventos regionais ocorrem em regiões bem definidas, podendo citar-se como exemplos: o Mistral, na Provença ( França ) e o Minuano, no sul do Brasil.
Os ventos locais ocorrem em áreas restritas.
Existem ventos periódicos, que sopram ora numa direção, ora noutra, como as brisas, que são ventos fracos que ocorrem nos litorais, soprando ora da terra para o mar ( brisa terrestre ), ora do mar para a terra ( brisa marítima ). Esse fenômeno se explica pelo fato de as terras se aquecerem ou resfriarem mais rapidamente do que as águas do mar.
Sob o ponto de vista da agricultura,a ação do vento pode trazer efeitos benéficos ou nocivos. Por exemplo: o vento exerce ação benéfica no transporte de pólen, sementes e frutos, sendo responsável pela multiplicação de muitas espécies vegetais. Como exemplo de ação nociva. pode citar-se a erosão eólica, quando ventos fortes removem a partículas mais finas do solo, fenômeno que ocorre principalmente em regiões áridas e semi-áridas, onde a cobertura vegetal natural é escassa.

CONHECENDO A FLORA DA EUROPA E DA AUSTRÁLIA

A. Flora da Europa
As várias paisagens vegetais da Europa estão correlacionadas com os tipos de clima; porém, sofreram forte influência da ação do homem. As principais são as seguintes:
1. Tundra. Ao norte, numa faixa de 200 - 300 km na orla do oceano, encontra-se a
tundra - uma vegetação rasteira formada por musgos, liquens e bétulas anãs.
2. Taiga. À medida que a temperatura se eleva, surge a taiga ou floresta de coníferas ( pinheiros, abetos, etc. ), encontrada na Suécia, Noruega e norte da Rússia.
3. Floresta latifoliada. Ao sul da taiga, começa a floresta latifoliada ( de folhas largas ), que adquire maior expressão na costa do Atlântico, a qual é constituída principalmente por castanheira, faia e carvalho.
4. Floresta mista de latifoliadas e coníferas. Esta formação vegetal predomina
na Europa Central.
5. Floresta mediterrânea. Na parte sudeste do mar Mediterrâneo ocorre a chama-
da floresta mediterrânea perenifólia ( de folhas perenes ), com predominância de carvalho, sobreiro e túia.
6. Estepe. Na região sudeste da Europa, onde o clima se torna mais seco, apare-
ce a estepe, formada por gramíneas baixas e plantas espinhentas.
B. Flora da Austrália
Acompanhando a distribuição dos climas, a vegetação australiana se apresenta em
zonas concêntricas, em torno do deserto. Na zona árida, situada na região central, existe o deserto de areia e pedra. A vegetação varia de acordo com a pluviosidade: ao norte do deserto aparece a estepe rarefeita, seguida por uma savana de gramíneas baixas e acácias.
A zona árida, na parte ocidental, estende-se até quase a costa. No litoral norte, correspondendo à zona chuvosa, aparece a floresta tropical densa; e na costa sudeste, onde ocorrem chuvas moderadas durante todo o ano, encontra-se a floresta mista, com predominância de eucaliptos .

CONHECENDO A FAUNA DA EUROPA E DA AUSTRÁLIA

1. Fauna da Europa
A vegetação e a fauna do continente europeu sofreram grande influência da ação do
homem, de modo que as espécies de animais selvagens são raras.
Ao norte, na faixa que era ocupada pela tundra - Escandinávia e norte da Rússia, encontram-se ainda: rena, alce, lobo, etc. A seguir, na faixa correspondente à taiga ou floresta de coníferas, encontram-se: lobo, urso-pardo, texugo, castor, etc. Nas áreas de floresta latifoliada encontram-se: esquilo, doninha, raposa, javali, etc.
Nos campos são encontrados: cervo, saiga, ouriço, porco-espinho, toupeira, faisão, perdiz, rouxinol, etc. Nos Alpes, nos Cárpatos e nas áreas de relevo montanhoso, encontram-se: marmota, cabrito-montês, águia, falcão, etc.
Nos rios, pântanos e lagos são encontrados: salmão, truta, búfalo, lontra, cegonha, garça, etc. A fauna marinha da costa do Atlântico é representada por: foca, morsa, anchova, bacalhau, camarão, etc.
2. Fauna da Austrália
Devido ao seu isolamento, a fauna do continente australiano é rica em espécies peculiares. Dentre os mamíferos superiores, só são encontrados o javali e o dingo. Os marsupiais são numerosos: canguru, esquilo-voador, rato-canguru, coala, etc. Outros animais peculiares são: ornitorrinco, équidna, cacatua, casuar, ema, kiwi, vombate, ave-do-paraiso, diabo-da-Tasmânia, etc. Também são encontrados: cisne-negro, rato, morcego, etc.

CONHECENDO OS NOMES VERDADEIROS DE PERSONALIDADES BRASILEIRAS



Diversas personalidades brasileiras, principalmente do mundo artístico e esportivo, trocaram seus nomes verdadeiros por nomes populares. Vejamos alguns exemplos:

1. Abelardo Barbosa Chacrinha
2. Antoio Carlos B. Gomes Mussum
3. Arcylenes Venâncio Martins Lima Duarte
4. Augusto Liberato Gugu
5. Dolores Costa Bastos Dercy Gonçalves
6. Edson Arantes do Nascimento Pelé
7. Gustavo Küerten Guga
8. José Eugênio Soares Jô Soares
9. Luiz Inácio da Silva Lula
10. Manfredi Santana Dedé Santana
11. Maria da Graça Costa P. Borges Gal Costa
12. Maria da Graça Meneghel Xuxa
13. Maria de Fátima P. Figueiredo Fafá de Belém
14. Nilcedes Soares Guimarães Glória Menezes
15. Renato Aragão Didi
16. Sebastião Prata Grande Otelo
17. Senor Abravanel Silvio Santos

Duplas sertanejas :
1.Luiz José e Emival E. da Costa Leandro e Leonardo
2. José Lima Sobrinho e Durval de Lima Chitãozinho e Chororó

CONHECENDO OS ADJETIVOS PÁTRIOS

Adjetivos pátrios são palavras que expressam a nacionalidade ou o local de origem de pessoas ou coisas. Exemplos:
1. Argentina.........argentino
2. Bélgica.............belga
3. Brasil................brasileiro
4. Brasília.............brasiliense
5. Buenos Aires....portenho
6. Campinas...........campineiro
7. Egito.................egípcio
8.Espírito Santo (estado)...capixaba
9. Estados Unidos... norte-americano,
ianque
10. França.............. francês
11. Goiás................ goiano
13. Itália..................italiano
14. Japão............... japonês, nipônico
15. Judéia.............. judeu, judaico
16. Londres............ londrino
17. Minas Gerais.... mineiro
18. Moscou............ moscovita
19. Portugal........... português
20. Rio Grande do Sul...gaúcho
21. São Paulo ( estado )...paulista
22. São Paulo ( cidade )...paulistano


CURIOSIDADES DO SISTEMA SOLAR

a) O sistema solar faz parte da galáxia chamada Via-Láctea. O Sol é uma estrela de
tamanho médio, em torno da qual giram, em órbitas elípticas, os planetas e seus satélites, os cometas e os asteróides.
b) O Sol é constituído principalmente pelos gases hidrogênio e hélio. Seu núcleo é um enorme reator nuclear, cuja temperatura deve atingir cerca de 14 milhões de graus Celsius.
c) A massa do Sol é 745 vezes a de todos os planetas reunidos; e seu diâmetro é ...
109 vezes maior que o da Terra.
d) Os quatro planetas mais próximos do Sol - Mercúrio, Vênus, Terra e Marte - são
relativamente pequenos e rochosos. Por outro lado, os planetas mais distantes - Júpiter, Sa-
turno, Urano e Netuno - são enormes e gasosos, sem crosta sólida.
e) Os planetas gasosos possuem interessantes sistemas de anéis, sendo o de Satur-
no o mais espetacular. Esses anéis são compostos por milhões de partículas de gelo e de poeiras.
f) Júpiter é o maior planeta do sistema solar. Seu volume é 1.300 vezes maior que o
da Terra.

CONHECENDO OS TROPISMOS DAS PLANTAS

TRopismo é o nome dado à orientação de crescimento promovido em um eixo vegetal ( raiz, caule ) por um estímulo externo como: a) gravidade - geotropismo; b) luz - fototropismo. Diz-se que o tropismo é positivo quando o crescimento se dá em direção ao estímulo; e negativo, quando em direção contrária.
Assim, a raiz apresenta geotropismo positivo e fototropismo negativo, enquanto o caule possui fototropismo positivo e geotropismo negativo.
A reação de enrolamento em torno de suportes, chamada de haptotropismo, é própriados caules volúveis e das gavinhas.
Outro tropismo é o provocado por substâncias químicas, chamado quimiotropismo. Assim, os tubos polínicos são dirigidos, no seu crescimento, por substâncias secretadas pelo órgão feminino da flor.


CONHECENDO AS PENAS DAS AVES

A principal característica que distingue as aves de outros animais é o fato de possuírem penas. O conjunto das penas de uma ave recebe o nome de plumagem. Todas as aves possuem penas e nenhum outro animal as possui. Próximo à pele há uma camada de penas macias e finas, chamada penugem.
As penas são órgãos epidérmicos, nascidos no fundo de um folículo análogo ao do pelo dos mamíferos. São compostas de um canudo córneo, oco na base, em seguida cheio e orlado de duas séries de filamentos ou barbas ( ramos de primeira ordem ) que, por sua vez, são providos de bárbulas ( ramos de segunda ordem ).
As penas do corpo ( tetrizes ) são impermeáveis ao ar e à água; as grandes penas das asas ( rêmiges ) sustentam a ave durante o vôo; e as penas da cauda ( retrizes ) servem de leme. Certas aves têm penas de tipo especial, como o pavão macho e o avestruz.
As aves têm necessidade de renovar a plumagem, pelo menos uma vez por ano; em geral, no fim do verão,depois da época da reprodução. As penas não são mudadas simultaneamente, para não prejudicar o vôo. Os patos, gansos e outras aves aquáticas são as únicas que trocam todas as penas de uma vez e, por isso, não voam durante o período de muda.
A coloração da plumagem é muito variada: algumas têm cores vivas, como a arara e o papagaio. Geralmente os machos possuem penas de cores mais bonitas e vistosas que as fêmeas. Algumas espécies possuem plumagem cuja cor varia conforme a estação do ano.

CONHECENDO A LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA DOS SERES VIVOS

Adaptação ao ambiente, alimentação e reprodução são os requisitos para a sobrevivência das espécies vegetais e animais. A maioria das plantas é autótrofa, isto é, são capazes de sintetizar compostos orgânicos a partir da água e sais minerais absorvidos do solo pelas raízes, em combinação com o gás carbônico atmosférico assimilado via fotossíntese. Algumas plantasvivem em simbiose com outras, como é o caso dos liquens; enquanto outras são parasitas, isto é, retiram o alimento de outras plantas, como faz o cipó-chumbo.
As plantas parasitas e os animais são heterótrofos, isto é, são incapazes de realizar a fotossíntese, necessitando retirar os alimentos de outros seres, vivos ou mortos. Quando se alimentam de organismos mortos chamam-se necrófagos, como os fungos e os abutres.
Os animais que se nutrem de seres vivos se incluem em três grupos: a) herbívoros, que se alimentam de plantas, como os bovinos, os eqüinos, os caprinos, etc. ; b) carnívoros ou predadores, que se alimentam de outros animais, que matam para obter alimento, como os felinos, as aves de rapina, as cobras, os tubarões, etc. ; c) parasitas, que vivem às custas de outros animais, sem necessidade de matá-los, como a tênia. o carrapato, a sanguessuga, etc.
Freqüentemente, o mesmo animal pode funcionar ora como predador, ora como presa de animais maiores, como acontece com os peixes.

CONHECENDO AS GALÁXIAS

Galáxias são sistemas espaciais formados por bilhões de estrelas, unidas gravitacionalmente, geralmente associadas a grandes quantidades de gases e poeira cósmica. Observações feitas por meio de poderosos telescópios revelaram a existência de cerca de 1 bilhão de galáxiasembora apenas outras três, além da nossa galáxia - a Via-Láctea, poderem ser vistas a olho nu.
As galáxias podem ser classificadas em três grupos: elípticas, espirais e irregulares. As galáxias elípticas variam de esféricas a achatadas. A galáxia que inclui a constelação de Andrômeda é um exemplo de galáxia esférica.
As mais comuns são as galáxias espirais, que apresentam um núcleo mais denso,envolvido por braços com abertura variável, nos quais se encontram aglomerados de estrelas.
Associada a tais aglomerados existe grande quantidade de poeira cósmica e gases, principalmente hidrogênio. A Via-Láctea, que contém o sistema solar, é um exemplo de galáxia espiral.
As galáxias irregulares são aquelas cuja forma não é elíptica nem espiralada; e são mais ricas em nuvens de gases e poeira.
As galáxias se distribuem no universo de maneira mais ou menos uniforme, com
tendência `a formação de aglomerados. Assim, por exemplo, a nossa galáxia, a grande galáxia de Andrômeda e as galáxias irregulares conhecidas como " Nuvens de Magalhães", constituem um aglomerado contido numa enorme região
com cerca de 1 milhão de anos-luz de diâmetro.

CONHECENDO OS RECORDES DA NATUREZA

a) O maior continente é a Ásia, possuindo uma área de cerca de 44.500.ooo Km2.
b) O maior oceano é o Pacífico, ocupando uma área de 165.696.000 Km2.
c) A maior ilha é a Groenlândia, com superfície de 2. 175.600 Km2.
d) A maior cordilheira á a Cordilheira dos Andes, na América do Sul, com 7.600 Km de extensão.
e) O ponto mais alto é o Monte Everest, na Cordilheira do Himalaia, na fronteira entre Nepal e Tibete, com 8.844,43 metros acima do nível do mar.
f) O ponto mais baixo é o Mar Morto, situado na Ásia, entre Israel e Jordânia. A superfície da água está 396 metros abaixo do nível do mar.
g) A montanha mais alta é Mauna Kea, no Hawaí, com 10.205 metros acima do fundo do Oceano Pacífico. A parte situada acima do nível do mar tem 4.205 metros de altura.
h) O maior lago é o Mar Cáspio, situado entre Rússia e Irã, com superfície de 424.300 Km2.
i) O lago mais alto é o Titicaca, no Peru, situado a 3.850 metros acima do nível do mar.
j) O lago mais profundo é o Lago Baikal, na Rússia, que atinge 1.740 metros de profundidade.
k) O maior golfo é o Golfo do México, com 1.502.200 Km2 de superfície.
l) O maior rio em extensão é o Rio Nilo, na África, com 6.695 km de extensão.
m) O rio mais volumoso é o Rio Amazonas no Brasil, com vazão de 200.000 - 240.000 m3/seg.

CONHECENDO AS PLANTAS QUE NÃO PRODUZEM FLORES

As flores são os órgãos de reprodução das plantas superiores, chamadas Fanerógamas Poré, existem muitas plantas que não produzem flores, chamadas plantas inferiores ou Criptógamas. Podem ser unicelulares, de tamanho microscópico, como as bactérias e parte das algas e dos fungos; ou pluricelulares, podendo atingir algumas dezenas de metros de comprimento, como as algas pardas.
As Criptógamas incluem: a) Talófitas, plantas primitivas de organização simples, muitas vezes unicelulares, abrangendo: algas, bactérias, fungos e liquens; b) Briófitas,´plantas de pequeno porte e organização rudimentar, incluindo os musgos e as hepáticas. c) Pteridófitas, plantas pouco evoluídas, tais como: samambaia,
avenca, cavalinha, licopódio, etc.
A reprodução de parte das Talófitas se dá por divisão celular; os fungos, as Briófitas e as Pteridófitas se reproduzem por meio de esporos,elementos capazes de germinar e reproduzir o indivíduo que o formou.
Os esporos não contêm embriões, o que os distinguem das sementes das Fanerógamas. Geralmente, os esporos são formados de uma única célula e produzidos em grande número, sendo transportados pela água, pelo vento ou pelos animais.
As Ginospermas constituem um grupo de transição para as plantas floríferas, caracterizando-se por produzirem sementes, em vez de esporos. Elas se distinguem por produzirem seus óvulos e sementes na superfície de uma folha modificada e por não produzirem pétalas.

CONHECENDO AS CIÊNCIAS - 1

Dá-se nome de ciência ao conjunto organizado de conhecimentos relativos a certas categorias de seres de seres vivos, de fatos ou de fenômenos, tais como: plantas, animais, homem, matéria, energia, espaço, etc. Como são muitos os campos de estudo, obviamente existem muitas ciências. Conforme os conhecimentos vão se ampliando, as ciências vão se dividindo em novas especialidades ou disciplinas. A Química, por exemplo, tem mais de 100 especialidades.
Inicialmente, as ciências podem ser divididas em dois grandes grupos: a) ciências puras ou fundamentais; b) ciências aplicadas.
As ciências puras são aquelas que fazem pesquisas, sem a preocupação de possíveis aplicações práticas. Exemplos: Física, Química, Matemática, Biologia, Geologia, Astronomia, etc.
As ciências aplicadas são aquelas que visam a aplicação prática dos resultados das pesquisas. Exemplos: Agronomia, Engenharia, Arquitetura, Medicina, Veterinária, etc.
Essa diferença é apenas conceitual, porque na prática elas se confundem. A Medicina, por exemplo, é uma ciência fundamental quando estuda os sintomas e as causas das doenças humanas; e é uma ciência aplicada quando utiliza os conhecimentos adquiridos na prevenção e tratamento das doenças. O mesmo acontece com a Veterinária, que estuda as doenças dos animais ; e com a Fitopatologia, que estuda as doenças das plantas.

CONHECENDO AS CIÊNCIAS - 2

Outra tentativa de classificação das ciências procura dividi-las em grupos, de acordo com o campo de estudo, como segue: a) ciências básicas; b) ciências da Terra ou geociências; c) ciências biológicas ou biociências; d) ciências sociais ou humanas; e) ciências espaciais; f) ciências aplicadas.
Entre as ciências básicas, incluem-se aquelas que tratam da matéria e energia, como a Física e a Química, bem como a Matemática.
As ciências da Terra estudam os vários aspectos do globo terrestre, tais como: Geografia, Cartografia, Geologia, Petrologia, Mineralogia, etc.
As ciências biológicas abrangem aque-las que tratam dos seres vivos, tais como: Botânica, Zoologia, Antropologia, Ecologia, etc.
As ciências sociais abrangem aquelas que estudam as populações humanas e as relações entre elas, tais como: Economia, Sociologia, Psicologia, Filosofia, etc.
As ciências espaciais estudam o espaço e os corpos celestes, compreendendo: Astronomia, Cosmologia, Mecânica Celeste, Astronáutica, etc.
Por fim, as ciências aplicadas são aquelas que visam a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos, tais como: Agronomia, Engenharia, Arquitetura, Medicina, Veterinária, etc.
Cumpre esclarecer que os campos de estudo não são estanques.Freqüentemente, eles se superpõem e interagem entre si, dando origem a novas especialidades ou disciplinas. Por exemplo, da interação entre a Química e a Biologia, surge a Bioquímica, que estuda as reações químicas que se processam nos seres vivos.

CONHECENDO AS PLANTAS FORNECEDORAS DE AÇÚCAR

O açúcar, substância utilizada para adoçar bebidas e alimentos, é o nome vulgar da sacarose - um dissacarídeo encontrado como substância de reserva em todas as plantas, particularmente na cana-de-açúcar ( 15 - 20% ) e na beterraba ( 10 - 17% ), que são as mais empregadas para a sua extração.
A cana é uma gramínea de clima tropical e subtropical, que armazena açúcar nos colmos; enquanto a beterraba é uma planta das regiões de clima temperado.
Os maiores produtores de açúcar de cana são: Cuba, Brasil, Porto Rico, Paquistão,
Havaí, Índia, Austrália e México. Por outro lado, os maiores produtores de açúcar de beterraba são: Rússia, Estados Unidos, Alemanha, França, Inglaterra e Polônia.
A cana-de-açúcar, além do açúcar, também se presta para a obtenção do etanol
( álcool etílico ), utilizado para várias finalidades,inclusive como combustível, puro ou adicionado à gasolina; e também para a fabricação de cachaça. Existem ainda, variedades de cana forrageira, utilizadas na alimentação dos animais.
A beterraba, além de fornecer açúcar,é também utilizada como hortaliça e como planta forrageira.

CONHECENDO AS CALOTAS POLARES

São duas: a) calota polar Ártica, ao redor do pólo norte; b) calota polar Antártica, em torno do pólo sul. Ambas estão permanentemente cobertas de gelo; seus limites são irregulares coincidindo, aproximadamente, com os círculos polares Ártico e Antártico, respectivamente.
A. Calota Polar Ártica. Inclui grande parte do Oceano Glacial Ártico, cuja superfície permanece congelada numa espessura de 3 - 4 metros, formando uma crosta de gelo chamada banquisa; a camada de gelo cobre também as terras de várias ilhas, da Groenlândia e parte do norte do Canadá, da Noruega, da Suécia, da Rússia e da Sibéria.
No contato com as águas do mar, freqüentemente a banquisa se fragmenta formando grandes blocos de gelo, chamados "icebergs", que flutuam no oceano com a maior parte do seu volume submersa, constituindo um perigo para a navegação.
A banquisa é despida de vegetação, exceto no contato com a " tundra ", onde aparecem musgos e liquens.
Na faixa próxima às águas frias porém não congeladas do mar, vivem certos animais adaptados ao frio, tais como: ursos, renas, caribus, focas e morsas. Entre os organismos aquáticos encontram-se principalmente: plâncton, camarão, salmão e baleia.
Nessa região vivem também os esquimós, um povo primitivo que constrói abrigos com blocos de gelo, chamados "iglus".
B. Calota Polar Antártica. É um continente gelado, rodeado pelos oceanos
Atlântico e Pacífico, ainda pouco conhecido, admitindo-se que seja um pouco maior que a Austrália. É a região mais fria da Terra - a temperatura média anual é inferior a -60 graus centígrados.
Na orla da crosta de gelo ocorre fragmentação, com a formação de icebergs. Despida de vegetação, é habitada por poucos animais adaptados ao frio, tais como: foca, leão-marinho, pingüim e albatroz. Nas águas frias do mar, além do plâncton, encontram-se principalmente camarões e baleias.
A Antártida não é habitada por humanos, recebendo eventualmente expedições de cientistas.

CONHECENDO OS ANIMAIS COM CHIFRES

Chifres são protuberâncias rijas inseridas na cabeça de certos animais, principalmente mamíferos, que lhes servem de arma de ataque e defesa.
Os chifres dos mamíferos podem ser de 4 tipos:
a) Apêndices ósseos derivados do osso frontal, cobertos por uma bainha córnea de ceratina, como nos bovinos, caprinos e ovinos.
Tanto as protuberâncias ósseas como as bainhas são permanentes e de crescimento lento.
b) O segundo tipo é exclusivo do antílope americano, no qual a bainha córnea cai e se renova anualmente.
c) O terceiro tipo ocorre nos cervídeos ( veados em geral ), nos quais os apêndices ósseos são ramificados e revestidos de pele macia e vascularizada, sendo mais propriamente chamados de galhada. Ao completar o crescimento, a pele seca, fende-se e cai em tiras, deixando livre a parte óssea, que acaba por se desprender também. São chifres anuais.
d) A girafa e o ocapi apresentam o quarto tipo, formado também por osso, que é
curto e revestido por pele e pelos; tanto o cerne de osso como o revestimento são permanentes.
Nos rinocerontes existe , sobre o focinho, uma ou duas protuberâncias formadas exclusivamente por fibras aglutinadas longitudinalmente.
Em geral, apenas os machos possuem chifres e, quando ambos os possuem, nas fêmeas eles são mais fracos.

CONHECENDO AS PLANTAS CARNÍVORAS

Normalmente, as plantas servem de alimento para muitos animais, principalmente os
herbívoros. Entretanto, algumas plantas invertem essa regra do jogo ecológico e devoram pequenos animais, principalmente insetos ( larvas e adultos ), sendo por isso chamadas plantas carnívoras ou insetívoras. Elas possuem folhas modificadas, isto é, transformadas em armadilhas para capturar insetos e outros pequenos animais; também segregam enzimas que digerem os animais capturados.
A maioria dessas plantas crescem nos pântanos, e algumas em solos pobres em
nutrientes minerais. As principais plantas carnívoras são as seguintes:
1. Drósera. Planta herbácea comum nos terrenos pantanosos, com ampla distribuição mundial. Possuem folhas redondas providas de longos pêlos pegajosos, aos quais ficam presos os insetos que nela pousam; e em seguida, são digeridos.
2. Nepenthes. Gênero de plantas trepadeiras e epífitas, que ocorrem nas matas, cujas folhas se modificaram formando urnas pendentes e cheias de água, nas quais os insetos são aprisionados e digeridos.
3. Dionéia. É uma planta herbácea cujas folhas são dobradas em duas lâminas com bordos denteados. Quando um inseto pousa sobre uma das lâminas, a folha se fecha subitamente e os bordos denteados se entrelaçam, aprisionando o pequeno animal que é digerido. Dias após, a fôlha volta a se abrir.
4. Utriculária. É uma planta herbácea aquática, cujos caules submersos possuem folhas profundamente modificadas, formando urnas ou ascídeas que têm na parte superior uma abertura com alçapão coberto de pêlos. Ao contato com um inseto, o alçapão se abre e o animalzinho cai no interior da urna. A seguir o alçapão se fecha e a presa é digerida.

CONHECENDO AS PLANTAS COM ESPINHOS

Espinhos são formações pontiagudas resultantes de modificações de ramos ou folhas, que diferem dos acúleos por serem mais firmemente presos à planta, como os da laranjeira. Os acúleos são formações epidérmicas que podem ser removidos facilmente, como os da roseira.
Outra diferença é que os espinhos possuem elementos condutores de seiva, enquanto os acúleos não possuem.
Os espinhos são mas freqüentemente encontrados em plantas xerófitas, isto é, em plantas adaptadas à vida em ambiente seco, como Cactáceas e Bromeliáceas.
Dentre as Cactáceas destacam-se: a) ora-pro-nobis; b) cacto-rosa; c) mandacaru; d) rainha-da-noite; e) xique-xique; f) coroa-de-frade, etc. Dentre as Bromeliáceas cabe destacar: a) abacaxi;b) caroá; c) bromélias; d) gravatá; e) macambira, etc.
Essas plantas são típicas das regiões áridas e semi-áridas como o Nordeste Brasileiro e os desertos do México. Além de reduzir as perdas de água por transpiração, os espinhos impedem que a planta seja comida pelos animais herbívoros.
Também se encontram plantas com espinhos em regiões úmidas, cabendo destaque para: a) laranjeira; b) limoeiro; c) primavera ou três-marias.
Algumas plantas com espinhos são utilizadas para a formação de cercas vivas, como coroa-de-cristo, ora-pro-nobis e limão trifoliata.

CONHECENDO O TEMPO PARA DECOMPOSIÇÃO DO LIXO

A decomposição dos diferentes tipos de materiais contidos no lixo domiciliar é muito variável. Mediante o processo natural de biodegradação, bactérias, fungos, leveduras e outros microorganismos se alimentam da matéria orgânica do lixo. Desse modo, em maior ou menor período de tempo, o lixo é transformado em compostos mais simples, que são devolvidos ao ambiente.
Vejamos alguns dados sobre o tempo médio necessário para a decomposição de diferentes tipos de materiais:

1. papel-toalha 2 a 4 meses
2. caixa de papelão 2 meses
3. caixa de leite 3 meses
4. papel 3 meses
5. corda 3 a 4 meses
6. jornal 8 meses
7. meia de lã 1 ano
8. ponta de cigarro 1 a 2 anos
9. chiclete 5 anos
10. lata 10 anos
11. madeira 13 anos
12. copo de plástico 50 anos
13. tecido 300 a 500 anos
14. garrafa de plástico 450 anos
15. latinha de alumínio 300 a 500 anos
16. vidro 4.000 anos
17. pneu indeterminado.


CONHECENDO O MIMETISMO

Dá-se o nome de mimetismo ao fenômeno pelo qual um ser vivo apresenta características de outro ser vivo, pertencente a uma classe diferente; ou, ainda, exibe a mesma coloração ou outros aspectos gerais do ambiente.
Chama-se modelo o animal, vegetal ou detalhe do ambiente que é copiado; e mímico ou ser mimético o animal ou vegetal que toma a aparência do modelo.
O mimetismo é mais freqüente entre os animais, podendo distinguir-se dois tipos: a) homocromia ou semelhança com a cor do modelo; b) homotipia, que é a aquisição da forma do modelo.
O camaleão e a perereca-verde são exemplos do primeiro caso, enquanto a borboleta vice-rei, que imita a forma da borboleta-monarca, é um bom exemplo do segundo caso.
Um fato interessante é o de vários caranguejos, que disfarçam o corpo com material do ambiente - suas carapaças são recobertas por algas, esponjas, etc.
Os casos de mimetismo são numerosos e de grande diversidade. Em geral, presas
indefesas mimetizam espécies melhor defendidas ou de sabor repulsivo para seus predadores; predadores também mimetizam espécies inofensivas, para mais facilmente apanharem suas presas.

CONHECENDO OS DEUSES DA MITOLOGIA GRECO-ROMANA

Os gregos e romanos antigos procuravam explicar a origem do mundo e os fenômenos naturais por meio de lendas envolvendo diversas divindades. Curiosamente, há correspondência entre os deuses dessas duas civilizações, como se indica a seguir.

Romanos Deuses Gregos
Apolo deus da luz Apolo
Baco deus do vinho Dionísio
Ceres deusa da agricultura Demeter
Diana deusa da caça Ártemis
Hércules mito do herói Hércules
Juno deusa do casamento Hera
Júpiter pai de todos os deuses Zeus
Marte deus da guerra Ares
Mercúrio deus dos viajantes Hermes
Minerva deusa da sabedoria Atena
Netuno deus dos mares Posêidon
Plutão rei dos infernos Hades
Vênus deusa do amor Afrodite
Vulcano rei do fogo Hefesto

CURIOSIDADE LINGUÍSTICA

Em todos os idiomas europeus, a palavra " noite " é formada pela letra N + o número oito.
A letra N é o símbolo matemático de infinito" e o número oito deitado também simboliza "infinito". Ou seja, noite significa, em todos essas línguas, a "união do infinito".
Português: noite= n + oito
Inglês: night = n + eight
Alemão: nacht = n + acht
Espanhol: noche = n + ocho
Francês: nuit = n + huit
Italiano: notte = n + otto

CONHECENDO AS PLANTAS TREPADEIRAS

Chamam-se plantas trepadeiras aquelas que sobem apoiando-se em outras plantas ou em um suporte qualquer. Exemplos típicos são as lianas ou cipós, comuns nas florestas tropicais. Umas possuem caule volúvel, isto é, que vai se enrolando em torno do suporte, subindo mais a cada volta que executam. Desse modo é que também sobem o feijoeiro e a glicínia.
Outras lianas sobem com o auxílio de espinhos, que se prendem em tudo que lhes possa servir de suporte. A roseira e a unha-de-gato também sobem dessa maneira.
Como exemplos de lianas trepadeiras podem ser citadas: cipo´-chumbo, cipó-de-são-joão, guaranazeiro, etc.
Um caso interessante é o da hera, uma planta trepadeira muito comum em parques e jardins, que sobe até em paredes, com o auxílio de numerosas raízes adventícias.
Outro processo é utilizando-se de gavinhas, folhas e caules modificados que se prendem a suportes, enroscando-se como molas espirais. O pepino, o maracujá e a videira sobem dessa maneira.

CONHECENDO OS ANIMAIS COM BARBATANAS

Barbatana ou nadadeira é um órgão externo, adaptado para a locomoção na água,
geralmente constituído por um membro achatado, em forma de paleta. Os animais que possuem barbatanas têm vida aquática, sendo representados por: peixes, pingüins e cetáceos.
Os peixes são animais de corpo cilíndrico e alongado que respiram por guelras, sendo a barbatanas os únicos órgãos salientes, que funcionam como remos. Podem ser marinhos ou de água doce. As barbatanas podem ser ímpares ou pares, sendo estas últimas adaptações das patas. As nadadeiras ímpares são: dorsal, ventral e caudal. A nadadeira caudal desempenha papel primordial na locomoção dos peixes, ser-
vindo como leme.
Os pingüins são aves marinhas, incapazes de voar porque as asas se transformaram em nadadeiras, adaptadas à locomoção aquática.
Os cetáceos são mamíferos adaptados à vida aquática. Têm corpo pisciforme e, apesar de respirarem por pulmões, não podem viver fora d'água. As patas anteriores transformaram-se em nadadeiras e as patas posteriores estão ausentes. Diferenciam-se dos peixes pela ausência de escamas e de guelras, bem como pela nadadeira caudal que, em vez de ser vertical como nos peixes, é transversal. Incluem: baleias, orcas, golfinhos, cachalotes, etc. que são marinhos; e os botos, que vivem em rios.

CONHECENDO OS ADJETIVOS ERUDITOS

Adjetivos eruditos são aqueles que significam " relativo a ", " próprio de ", semelhante a".
Exemplos:
1. Anular ( anel )
2. Capilar ( cabelo )
3. Cardíaco ( coração )
4. Cefálico ( cabeça )
5. Didático ( ensino )
6. Digital ( dedo )
7. Fabril ( fábrica )
8. Fluvial ( rio )
9. Ígneo ( fogo )
10. Lacustre ( lago )
11. Monetário ( moeda )
12. Ofídico ( cobra )
13. Oral ( boca )
14. Palustre ( pântano )
15. Pecuniário ( dinheiro )
16. Pétreo ( pedra )
17. Pluvial ( chuva )
18. Rural ( campo )
19. Sideral ( astro )
20. Térmico ( calor )
21. Urbano ( cidade )
22. Vascular ( vaso )

CONHECENDO OS RADICAIS GREGOS

Os cientistas freqüentemente utilizam radicais gregos para cunhar termos científicos e técnicos> Os principais radicais e exemplos de palavras formadas com eles são apresentados a seguir.

Radical Significado Exemplos
1. Agros = campo..............Agronomia, agrotóxico
2. Anthropos = homem......Antropologia, antropóides
3. Aster = astro................Astronomia, Astronáutica
4. Bios = vida..................Biologia, micróbio
5. Chronos = tempo........ Cronologia, cronômetro
6. Demos = povo............ Democracia, demografia
7. Geo = terra ................ Geologia, geografia
8. Graphos = escrever... Ortografia, Cartografia
9. Hexa = seis ............. Hexágono, Hexápodes
10. Hydro = água .......... Hidrologia, Hidrosfera
11. Kosmos= universo... Cosmologia, Cosmonauta
12. Lithos = pedra ......... Litologia, Litosfera
13. Logos = estudo ...... Biologia, Zoologia
14. Micros = pequeno.... Micróbio, Microscópio
15. Morpho = forma....... Morfologia, amorfo
16. Neuron = nervo ...... Neurologia, Neurótico
17. Odonthos = dente ... Odontologia
18. Oftalmos = olho...... Oftalmologia
19. Philos = amigo ...... Filosofia, Filatelia
20. Photos = luz .......... Fotografia, Fotossíntese
21. Psyché = alma.... .. Psicologia, Psicanálise
22. Scopius = ver....... Telescópio, Microscópio
23. Tele = longe ......... Telefone, Televisão
24. Thermos = quente... Termômetro, Termodinâmica
25. Zoon = animal......... Zoologia,Zootecnia

PORTUGUÊS DO BRASIL E DE PORTUGAL

Embora o português seja a língua oficial do Brasil e de Portugal, muitas vezes palavras diferentes são usadas, nesses países, para expressar o mesmo significado. Exemplos:

BRASIL PORTUGAL

Abridor-de-garrafas Tira-cápsulas
Antiguidades Velharias
Aposentado Reformado
Banheiro Casa-de-banho
Camisinha Durex
Cardápio Ementa
Chiclete Pastilha elástica
Conversível Descapotavel
Esparadrapo Adesivo
Estacionar Aparcar
Fila Bicha
Frentista Gasolineiro
Jogar fora Deitar fora
Liquidação Rebaixa
Maiô Fato-de-banho
Ônibus Autocarro
Peruca Capuchinho
Sorvete Gelado
Trem Comboio

CONHECENDO PALAVRAS ORIGINÁRIAS DO ÁRABE E DAS LINGUAS AFRICANAS

Concluindo as informações sobre a origem das palavras que compõem o vocabulário da língua portuguesa, apresentamos alguns exemplos de palavras originárias do árabe e das línguas africanas.

a) Árabe b) Línguas africanas
1. alfaiate 1. angu
2. algarismo 2. candomblé
3. algema 3. gnu
4. algodão 4. iemanjá
5. arsenal 5. macumba
6. café 6. maxixe
7. faquir 7. marimbondo
8. guitarra 8. quilombo
9. harém 9. vatapá
10. odalisca 10. zumbi
11. quibe
12. tambor

CONHECENDO ALGUMAS EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS

Expressões idiomáticas são frases utilizadas para expressar certas situações ou comportamentos. Vejamos alguns exemplos:

1. Abotoar o paletó
2. Acertar na mosca
3. Bater as botas
4. Cair nos braços de Morfeu
5. Carta fora do baralho
6. Chover no molhado
7. Chupar o dedo
8. Com a corda no pescoço
9. Com o diabo no corpo
10. Descascar abacaxi
11. Dormir no ponto
12. Engolir sapo
13. Entrar pelo cano
15. Lavar as mãos
16. Lelé da cuca
17. Minhoca na cabeça
18. Pagar o pato
19. Pisar na bola
20. Quebrar o galho
21. Soltar a franga
22. Tiro no escuro
23. Trocar as bolas
24. Uma mão lava a outra
25. Vendendo saúde
26. Ver o sol nascer quadrado

COMPARAÇÃO ESPANHOL / PORTUGUÊS

O espanhol e o português são línguas consideradas semelhantes; porém, nem sempre. Vejamos alguns exemplos:

Espanhol Português
1. ahorro .............. poupança
2. ancho ............... largo
3. borracho ........... bêbado
4. calle .................. rua
5. chico ................. pequeno
6. cucaracha ......... barata
7. embaraçada ...... grávida
8. fecha ................. data
9. frijol ................... feijão
10. hablar ............... falar
11. hasta ................ até
12. helado ............... sorvete
13. hembra .............. fêmea
14. largo .................. comprido
15. muchacho .......... rapaz
16. niño ................... menino
17. padre ................. pai
18. pantalón ............. calça
19. perro .................. cachorro
20. saco ................... casaco
21. tabla ................... mesa
22. usted .................. você


CONHECENDO OS RECURSOS NATURAIS

A expressão " recursos naturais " refere-se aos bens que existem na natureza e podem ser utilizados em benefício do homem. Garantem o suprimento de alimentos, materiais de construção, vestuário, água, combustíveis, fertilizantes, etc.
Os recursos naturais podem ser subdivididos em dois grupos: a) renováveis, como a água, as pastagens naturais, as florestas, a fauna silvestre ( caça e pesca ) e, até certo ponto,
o solo; b) não-renováveis, como o petróleo, o gás natural, o carvão, algumas rochas e diversos minerais, cujas jazidas, uma vez exauridas, não se renovam.
A água se renova através do ciclo hidrológico; as plantas e os animais, por processos de reprodução. Um solo cuja fertilidade foi esgotada por sucessivos cultivos pode se recuperar após um período de repouso ou pela aplicação de técnicas agronômicas ( calagem e adubação) mas se for destruído pela erosão, a natureza levará milhares de anos para formá-lo novamente.
O solo é o recurso natural básico, que suporta toda a vida vegetal, sem a qual o homem e os animais não poderiam existir. A água é um recurso natural essencial à vida das plantas, dos animais e do homem. As pastagens naturais constituem um dos principais tipos de vegetação natural, constituindo cerca de 40% da cobertura vegetal do solo. A s florestas desempenham papel importante no equilíbrio ecológico de uma região, além de fornecerem madeira, lenha e outros produtos. A fauna silvestre inclui os animais não-domesticados, muitos dos quais são utilizados em benefício do homem ( caça e pesca ) .
A importância dos recursos naturais não-renováveis , como o petróleo, o gás natural
e o carvão, dispensa comentários. De modo geral, os países desenvolvidos, como Estados Unidos, Canadá e Rússia, são bem providos de recursos naturais.

CONHECENDO OS PERSONAGENS DO FOLCLORE BRASILEIRO -1

A palavra folclore resulta da junção das palavras inglesas " folk " ( povo ) e " lore " ( sabedoria popular ). Portanto refere-se ao estudo das lendas e personagens da cultura popular. O folclore brasileiro é rico em personagens, sendo os principais os seguintes:
a) Barba-ruiva. Criatura com pele clara e cabelos vermelhos que toma sol nas margens da lagoa de Paranaguá ( Piauí ). Tem o corpo coberto por limo e lodo e, quando encontra uma mulher, quer abraçá-la e beijá-la.
b) Bicho-papão. Animal de corpo peludo e olhos vermelho-fogo que assusta crianças.
c) Boitatá. Gigantesca cobra-de-fogo que protege os campos contra aqueles que os
incendeiam.
d) Boto. Animal aquático do rio Amazonas que se transforma num rapaz bonito e
dançarino. Conquista mulheres para levá-las consigo ao rio. A lenda serve para as moças justificarem uma gravidez sem casamento: " foi o boto ", dizem elas...
e) Caipora. Habitante da mata que tem o corpo coberto de pelos. Vive montado numa espécie de porco-do-mato e empunha uma vara, protegendo os animais da floresta.
f) Cuca. Velha de cabelos compridos e desgrenhados , que assusta as crianças desobedientes.
g) Curupira. Demônio da floresta amazônica, um anão de cabelos compridos e vermelhos que tem os pés virados para trás. Protege a floresta e os animais, espantando os caçadores. Surge e desaparece de repente. Os índios deixavam presentes para o Curupira não lhes fazer mal.

CONHECENDO OS PERSONAGENS DO FOLCLORE BRASILEIRO -2

h) Iara. Lenda da sereia grega adaptada ao folclore brasileiro. Tem o corpo metade mulher e metade peixe e vive no rio Amazonas. Possui o poder de cegar quem a admira, atraindo para o fundo das águas os jovens com quem deseja acasalar. Hipnotizados, os homens vão ao seu encontro e morrem afogados.
i) Lobisomem.Mito de origem européia, em que o filho gerado deps de sete partos consecutivos nos quais nasceram meninas, se transforma em enorme lobisomem às sextas-feiras de lua cheia, exatamente da meia-noite até às duas horas da madrugada.
j) Lúcifer. O popular diabo.
k) Mula-sem-cabeça. A mulher que fez um grande mal se transforma numa mula sem cabeça, como castigo, na noite de quinta para sexta-feira. No passado, diziam que a mulher que namorava padre é que tinha esse destino. Por isso, dizia-se que a mula-sem-cabeça era a " mulher do padre ".
l) Negrinho do pastoreio. Era um negrinho vaqueiro que perdeu um cavalo baio e foi crucificado, torturado e morto pelo patrão. Resgatado por Nossa Senhora, é tido como o protetor de pessoas que tenham perdido alguma coisa.
m) Saci-pererê O mais famoso dos personagens do nosso folclore, que tem apenas a perna esquerda, usa um capuz vermelho e vive pitando um cachimbo. Protege os seres humanos contra cobras e aranhas.
n) Tupã. Entre os índios tupi, é o senhor dos raios e das tempestades.

CONHECENDO OS SUBSTANTIVOS

Substantivos são palavras que designam seres ou coisas. Podem ser:
a) Substantivos concretos. São aqueles que designam seres ou coisas de existência real. Exemplos:
Seres - menino, mulher, gato, cachorro, árvore, palmeira, etc.
Coisas - pedra, areia, mesa, livro, carro, estrela, prato, colher, etc.
b) Substantivos abstratos. Designam qualidades, sentimentos, ações e estados dos seres. Exemplos:
Qualidades - beleza, coragem, mãe, pedreiro, vendedor, etc.
Sentimentos, sensações - amor, ódio, saudade, alegria, dor, fome, frio,etc.
Ações - caminhada, viagem, estudo, esforço, compra, venda, trabalho, etc.
Estados - vida, morte, cansaço, sono, saúde, doença, etc.
c) Substantivos coletivos. Exprimem uma coleção de seres ou coisas. Exemplos:
Seres - exército, povo, rebanho, flora, fauna, colônia, cardume, etc.
Coisas - arquipélago, constelação, biblioteca, bagagem, ramalhete, etc.

CONHECENDO OS PIGMENTOS NATURAIS

Pigmento é o nome dado às substâncias corantes, de natureza diversa, na maioria das vezes de natureza protéica, que dão coloração aos tecidos vegetais e animais. Numerosas substâncias têm a propriedade de absorver ou refletir a luz, em diferentes comprimentos de onda, provocando a sensação de cores.
O pigmento mais abundante no mundo vivo é a clorofila das plantas verdes, que absorve os raios luminosos ( principalmente os verdes ) e utiliza ela própria essa energia para realizar certas reações da fotossíntese. A seguir, devem ser mencionados os pigmentos complementares das algas ( ficoeritrina, ficofeina, ficocianina ) que absorvem os raios luminosos não-vermelhos - únicos presentes nas profundezas do mar.
Os carotenóides são pigmentos de cor
vermelha, alaranjada ou amarela, encontrados na cenoura, por exemplo. Outros pigmentos desse mesmo grupo são: o licopeno ( tomate ), a zeoxantina ( milho ), a violaxantina ( mamão ), a a xantofila ( frutos cítricos ), etc.
Os carotenos ingeridos pelos animais, através das plantas das quais se alimentam, são transformados em vitamina A.
Outro grupo de pigmentos vegetais é o das antocianinas, cujos tons vão do rosa suave ao púrpura, passando pelo vermelho vivo. Esses pigmentos são sensíveis à acidez, como se pode observar nas hortênsias: em solos neutros, têm fores vermelhas; em solos ácidos, as flores são azuis.
Dentre outros pigmentos encontrados nos animais, destacam-se a melanina ( na pele ) e a hemoglobina ( no sangue ). Esta última desempenha papel importante no transporte de oxigênio desde o órgão respiratório até às células.

CONHECENDO OS NUMERAIS

Numerais são palavras que exprimem quantidade, número de ordem, múltiplo ou fração. Podem ser classificados da seguinte maneira:
a) Cardinais ( quantidade ):
- um, dois, vinte, cem, mil, milhão, etc.
- par, trinca, dezena, dúzia, centena, grosa, milhão, etc.
b) Ordinais ( número de ordem ):
- primeiro,. segundo, quinto, décimo, centésimo, milésimo, etc.
c) Multiplicativos:
- dobro, triplo, décuplo, cêntuplo, múltiplo, etc.
d) Divisionários :
- inteiro, metade, três quartos, doze avos, vinte avos, etc.
e) Temporais ( tempo ):
- hora, dia, semana, mês, trimestre, semestre, ano, etc.
f) Número de anos:
- biênio, lustro = qüinqüênio, década = decênio, século = centenário, bicentenário, milênio, etc.

CONHECENDO AS PLANTAS MARINHAS

Os cientistas admitem que a vida começou no mar, com o surgimento de organismos simples, unicelulares, chamados algas diatomáceas. Depois, mediante um longo processo de evolução, foram surgindo outros seres vivos, ocorrendo a diferenciação entre plantas – capazes de realizar a fotossíntese; e os animais, que se alimentam de plantas ou de outros animais.
O primeiro grande domínio da vida vegetal no mar é o plâncton - conjunto de minúsculos seres vivos flutuantes, distinguindo-se: a) fitoplâncton - dotado de clorofila, que utiliza a energia solar para produzir o próprio alimento ( fotossíntese ); b) zooplâncton, não clorofílico, que se alimenta do fitoplâncton. Assim, o fitoplâncton constitui o elo inicial da cadeia alimentar marinha. Algas pluricelulares também são encontradas flutuando na superfície do mar.
O segundo grande domínio da vida vegetal marinha é a plataforma continental. Aí, onde a luz solar consegue penetrar, desenvolve-se espessa sopa planctônica. É também o lugar onde brotam plantas de fundo do mar, principalmente algas pluricelulares, aumentando assim, as reservas alimentares de outros seres vivos.
O terceiro grande domínio da vida vegetal marinha é representado por litorais e estuários de rios sujeitos à ação das marés, onde se encontram algas, mangues, palmeiras e outras plantas halófitas, isto é, adaptadas a ambientes salinos.


CONHECENDO A POLINIZAÇÃO DAS FLORES

Polinização é o transporte do pólen de uma flor para outra, ou melhor. dos grãos de pólen para os óvulos. permitindo a fecundação. Na maioria das plantas a transferência do pólen é feita de uma planta para outra - polinização cruzada; contudo, há muitas exceções. Algumas plantas fazem a auto-polinização, isto é, o pólen e os óvulos se encontram na mesma flor; outras fazem polinização direta, ou seja, o pólen cai de uma flor para outra, na mesma planta.
A regra geral é o pólen ser transportado de uma planta para outra. Os agentes de
transporte do pólen são vários, incluindo: a) gravidade, na polinização direta; b) vento, importante agente de polinização cruzada; c) água, que adquire importância na polinização das plantas aquáticas; d) animais, principalmente insetos, com destaque para abelhas e borboletas. Alguns pássaros também contribuem, principalmente o beija-flor; e) artificial, feita pelo homem, principalmente para a obtenção de novas variedades de plantas cultivadas.
A polinização é necessária para a frutificação, ou seja, para a formação dos frutos.l

CONHECENDO OS COMETAS

Cometas são pequenos corpos celestes que se movimentam ao redor do Sol em órbitas elípticas de grande excentricidade. Possuem aspecto nebuloso, geralmente com um núcleo brilhante, rodeado por uma cabeleira ou coma, também brilhante, e uma cauda com a forma de um traço luminoso. Entretanto, alguns podem apresentar-se sem cauda, ou com várias caudas, como o cometa Cheseaux, que tem seis.
Acredita-se que sejam formados por um núcleo de gelo, rodeado de gases e poeira. Quando se aproximam do Sol, parte do núcleo se vaporiza, formando uma nuvem luminosa ( a cabeleira ) e a cauda, esta sempre voltada em direção oposta ao Sol; a cabeleira e a cauda se desfazem quando o cometa se afasta do Sol.
Conforme a cauda, os cometas podem ser de três tipos: a) de cauda retilínea; b)
de cauda curva; c) de cauda muito curva.
O cometa mais famoso é o de Halley, que passa próximo do Sol a cada 76 anos. Outros cometas possuem órbitas abertas, passando pelo Sol apenas uma vez e depois saindo do sistema solar.

CONHECENDO O EFEITO " ESTUFA "

O nome desse fenômeno vem das estufas ou casas-de-vegetação - construções ou estruturas infladas, cobertas com material transparente ou translúcido, nas quais as plantas são cultivadas sob condições controladas. As estufas permitem que a luz solar penetre e esquente o ar, mas impede que o calor se dissipe. O mesmo ocorre com o nosso planeta, graças às camadas de gases que o envolvem. Por um lado isso é bom, já que sem a luz solar a temperatura da Terra seria muito baixa, inadequada para a vida vegetal e animal.
Por outro lado, com o aumento da poluição atmosférica, causada principalmente
pelas indústrias e pelos motores à explosão dos veículos de transporte, a temperatura média da Terra vem aumentando gradativamente. No último século, a temperatura média da Terra aumentou cerca de 0,5 graus centígrados. Como resultado, a longo prazo as geleiras tendem a derreter, elevando o nível do mar e aumentando o risco de inundação das áreas litorâneas.
Em resumo, a poluição atmosférica provoca o " efeito estufa " que, por sua vez, causa o aquecimento global.

CONHECENDO AS LINGUAS MAIS FALADAS

Não se sabe exatamente quantas línguas vivas existem no mundo, mas acredita-se
que o número seja superior a 2.700, sem contar os dialetos, que são variações regionais de
uma dada língua, como inglês e o espanhol.
As línguas mais faladas no mundo são as seguintes:

Línguas Milhões de pessoas

1. Mandarim ( China )........885
2. Hindu ( Índia ) ...............460
3. Inglês ........................... 450
4. Espanhol ...................... 352
5. Russo .......................... 285
6. Árabe ........................... 177
7. Português .................... 164
8. Japonês ...................... 125
9. Alemão ........................ 118
10. Francês ...................... 114

CONHECENDO A CAMADA DE OZÔNIO

Dá-se o nome camada de ozônio à porção da estratosfera situada situada a cerca de
20 km acima do nível do solo, na qual o gás ozônio ( O3 ) encontra-se em maior concentração.
O ozônio é produzido pela ação da luz ultra-violeta proveniente do Sol sobre o oxigênio ( O2 ) da atmosfera.
A camada de ozônio protege a Terra dos efeitos nocivos dos raios ultra-violetas sobre o desenvolvimento da vida vegetal e animal. Mas pode ser decomposta por reações químicas que envolvem clorofluorcarbonatos ( CFC ), que até recentemente eram amplamente utilizados nas indústrias como propelentes de " sprays ", como fluidos de sistemas de refrigeração e na produção de embalagens de espuma.
A conscientização internacional sobre o surgimento de um buraco na camada de ozônio sobre a Antártida, na década de 80, levou a um movimento pela proibição de produtos baseados nos CFCs. Em 1987 foi assinado o Protocolo de Montreal, um documento avalizado por mais de 40 países, visando limitar o uso dessas substâncias. Entre as principais deliberações do protocolo estava um plano de redução da produção de CFC até 1.999, de modo a atingir então, metade da produção de 1.986.
Em 1.989, durante o Encontro da Comunidade Européia, realizado em Bruxela, decidiu-se reduzir o consumo de CFC a 85% dos números atuais o mais breve possível , e a 100% até a virada do século.
Alguns relatórios recentes têm apontado a presença de novos buracos na camada de ozônio da Antártida, o que mobilizou esforços na Europa, visando um novo acordo que agilize o fim do consumo de CFC no mundo.

CONHECENDO OS PAÍSES MAIS POPULOSOS

A população dos países não é estável, tende a aumentar com o passar dos anos, com diferentes taxas de crescimento. As estimativas do final do século XX indicam os seguintes países mais populosos:

PAÍSES MILHÕES DE HABITANTES

1. China ........................ 1.150
2. Índia ......................... 900
3. Estados Unidos ........ 260
4. Indonésia ................. 190
5. Brasil ........................ 155
6. Rússia ...................... 150
7. Paquistão ................. 128
8. Japão ........................ 125
9. Bangladesh ............... 108
10. Nigéria ...................... 92
11. México ...................... 90
12. Alemanha .................. 80
13. Vietnã ........................ 71
14. Filipinas ..................... 63
15. Irã .............................. 61

Cabe ressaltar a enorme população da China e da Índia; e também do Japão, que possui população relativamente grande em área de proporções reduzidas.
A população mundial, no ano 2.000, é estimada em 7 bilhões de habitantes.

CURIOSIDADES SOBRE O BRASIL
a) Com uma área de 8.512.000 de km2 e população estimada em 155 milhões de habitantes, o Brasil é o quinto país do mundo, tanto em tamanho como em população.
b) Quase metade da área de florestas tropicais úmidas do mundo se encontra no Brasil. Elas cobrem 42% de todo o território do país, incluindo a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica.
c) O Brasil possui o maior rio do mundo em volume de água e o segundo em extensão, que é o rio Amazonas. Apenas o rio Nilo é mais longo, porém possui um volume de água muito menor.
d) A bacia Amazônica é também a maior bacia hidrográfica do mundo, abrangendo também parte dos países vizinhos - Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.
e) Apesar do seu tamanho, o Brasil não possui geleiras nem vulcões; e só ocorrem terremotos de pequena intensidade.
f) O Brasil possui a flora mais rica do mundo, reunindo cerca de 50.000 espécies de
plantas conhecidas.
g) A sua fauna também é relativamente rica, abrangendo cerca de 600 espécies só de mamíferos. Aves, répteis e insetos também existem em grande número.

CONHECENDO NOVOS CACÓFATOS

Seguem-se mais alguns exemplos de cacófatos. Evidentemente, devem ser evitados.

1. Por no gráfico ( pornográfico ).
2. Uma marca famosa ( mamar ).
3. Tem fé de mais ( fede ).
4. Pouco conhecido ( cocô ).
5. O peão toca gado ( cagado ).
6. Dia bonito ( diabo ).
7. Mas no momento ( asno ).
8. Feito pela dona Maria ( peladona ).
9. Topei dar uma ajuda ( peidar ).
10. Bife dormido na geladeira ( fedor ).
11. Beijou a boca dela ( cadela ).
12. Ambos tagarelavam ( bosta ).
13. O pinho é uma madeira mole ( mamadeira)
14. Uma lei tão boa ( leitão )
15. Ela tinha ( latinha ).
16. Juca Brito ( cabrito ).
17. Álbum da família (bunda ).
18. Dedico a ti (quati ).
19. Uma mão lava a outra ( mamão )

CONHECENDO AS PLANTAS FORNECEDORAS DE LÁTEX

Látex é um líquido leitoso exsudado por certas plantas como seringueira, caucho, maniçoba, etc. A borracha natural, a laca e a gutapercha são látex coagulados.
A seringueira é uma árvore que pode alcançar até 30 metros de altura, nativa da região Amazônica. Fazendo-se incisões na casca do seu tronco, delas escorre um látex que é recolhido e utilizado na fabricação de borracha natural.
O caucho é outra árvore da região Amazônica que fornece látex, o qual é usado na fabricação de uma borracha de qualidade inferior à da seringueira.
A mangabeira é uma árvore típica do nordeste, centro e litoral brasileiros, conhecida pelas frutas que produz, as quais se prestam para a preparação de refrescos, sorvetes e sobremesas. O seu tronco exsuda um látex branco que dá uma borracha de baixa qualidade.
Balata é nome comum a várias árvores das Guianas, Venezuela e região Amazônica, as quais produzem um látex comestível quando fresco; e que é utilizado, quando seco, como matéria-prima elástica na fabricação de isolantes, correias, tecidos impermeáveis, etc.
Chicle é o nome centro-americano do látex do sapotizeiro, matéria-prima para a fabricação do chiclete ou goma de mascar.

CONHECENDO OS ANIMAIS COM GARRAS OU CASCOS

Garras e cascos são unhas modificadas dos dedos das patas dos animais.
1. Animais com garras
Dá-se o nome de garra à unha recurvada e pontiaguda da maior parte dos animais
vertebrados terrestres. A unha é um prolongamento córneo inserido na extremidade dos dedos, que ele recobre e protege.
As garras servem para diversa finalidades, tais como: a) capturar e matar presas
para servir como alimento - felinos ( gato, leão, tigre, etc. ) e aves de rapina ( águia, falcão, coruja, etc.; b) subir em árvores - urso, macaco, preguiça, etc.; c) suspensão - morcego; d) empoleirar-se - arara, papagaio, pássaros, etc.; e) cavar a terra - animais fossadores - tatu, texugo, toupeira, etc.
As unhas das aves de rapina são agudas e recurvadas, com as quais apanham as presas. Nos felinos são retráteis, isto é, invaginadas quando em repouso, a fim de evitar o seu desgaste.
2. Animais com cascos
O nome casco aplica-se à unha extremamente desenvolvida que envolve os dedos dos Ungulados - cavalo, ruminantes, suínos, etc.
Na evolução destes animais, os dedos passaram a suportar o peso dos animais e a unhas transformaram-se em cascos para proteger os dedos.

CONHECENDO OS METEOROS

Antigamente, a palavra meteoro era usada para designar qualquer fenômeno atmosférico, como por exemplo: nuvens, chuva, vento, raio, etc. Daí o nome Meteorologia, dado à ciência que estuda os fenômenos atmosférico e faz a previsão do tempo.
Atualmente, o termo meteoro é usado apenas para designar o fenômeno atmosférico vulgarmente chamado " estrela cadente ", que
acontece quando um fragmento de corpo celeste penetra na atmosfera terrestre e, pelo atrito
com o ar atmosférico, se incendeia e adquire brilho momentâneo. Em geral, acabam se consumindo no ar, porém alguns de tamanho maior conseguem alcançar a superfície terrestre, sendo então chamados " meteoritos ".
Quase todos os meteoritos são pequenos, porém alguns são relativamente grandes,
como aquele que caiu em 1.929 na África do Sul com cerca de 60 toneladas.
No Brasil, em 1.784, caiu um meteorito na Bahia, com 8.300 kg, que foi chamado meteorito de Bendengó e se encontra exposto no Museu Nacional - Rio de Janeiro.
Às vezes, os meteoritos abrem crateras na superfície terrestre, sendo o mais famoso aquele localizado no Arizona ( Estados Unidos ), que abriu uma cratera com 1.255 metros de diâmetro e 180 metros de profundidade.


CONHECENDO OS ANIMAIS COM PRESAS

Em Zoologia, o termo " presa " é usado om várias acepções, tais como: a) ser vivo capturado por um animal carnívoro, para seu sustento; b) garra de ave de rapina; c) nome dado aos dentes inoculadores das cobras venenosas; d) dente canino pontiagudo de certos animais, especialmente carnívoros, que ultrapassa os outros dentes.
Vamos considerar os itens ( c) e ( d ), que são especializações dos dentes.
Os répteis possuem um conjunto de dentes pouco diferenciados entre si, exceto nas cobras venenosas. Dobrados em repouso, os dentes das cobras se endireitam no momento da picada, servindo para inocular o veneno.
No caso das solenóglifas, como a cascavel e a jararaca, as presas são ocas como agulhas de injeção, situadas na frente da boca, o que as torna muito perigosas. As opistóglifas, como a muçurana, ao contrário, têm as presas situadas no fundo da boca e não podem picar as vítimas, a não ser durante a deglutição.
Os mamíferos possuem dentes diferenciados, que podem ser de três tipos: incisivos, caninos e molares. Normalmente, existem dois caninos, afiados e mais compridos, que servem para dilacerar as vítimas, como os felinos
( gato, leão, tigre, etc. ).
Uma diferenciação interessante são os colmilhos da morsa, do elefante e do javali. As presas das morsas são caninos muito desenvolvidos, que se projetam para fora da boca e para baixo. As presas do elefante, ao contrário das da morsa, não se formam dos caninos, mas sim dos incisivos. Nos javalis machos, as presas se desenvolvem dos caninos inferiores, voltados para cima.

CONHECENDO AS CALOTAS POLARES

São duas: a) calota polar Ártica, ao redor do polo norte; b) calota polar Antártica, em torno do polo sul. Ambas estão permanentemente cobertas de gelo; seus limites são irregulares coincidindo, grosseiramente, com os círculos polares
Ártico e Antártico, respectivamente.
A. Calota Polar Ártica. Inclui grande parte do Oceano Glacial Ártico, cuja superfície permanece congelada numa espessura de 3 – 4 metros, formando uma crosta de gelo chamada banquisa. A camada de gelo cobre também as terras das ilhas, da Groenlândia e parte do norte do Canadá, da Noruega, da Rússia e da Sibéria.
No contato com as águas do mar, frequentemente a banquisa se fragmenta formando grandes blocos de gelo, chamados " icebergs ", que flutuam no oceano com a maior parte do seu volume submersa, constituindo um perigo para a navegação.
É despida de vegetação, exceto no contato com a " tundra ", onde aparecem musgos e liquens . Na faixa próxima às águas frias porém não congeladas do mar, vivem certos animais adaptados ao frio, tais como: ursos, renas, caribus, focas e morsas. Entre os organismos aquáticos encontram-se principalmente: plâncton, camarão, salmão e baleia.
Nessa região vivem também os esquimós, um povo primitivo que constrói abrigos com blocos de gelo, chamados " iglus ".
B. Calota Polar Antártica. É um continente gelado, cercado pelos oceanos Atlântico e Pacífico, pouco conhecido, admitindo-se que seja um pouco maior que a Austrália. É a região mais fria da Terra - a temperatura média anual é inferior a -60 graus centígrados.
Na orla da crosta de gelo ocorre fragmentação, formando icebergs. Despida de vegetação, é habitada por poucos animais adaptados ao frio, tais como: foca, leão-marinho, pinguim e albatroz.
Nas águas frias do mar, além do plâncton, encontram-se principalmente camarões e baleias.
A calota polar Antártica não é habitada por humanos, recebendo apenas eventualmente, alguns cientistas.

CONHECENDO PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO

Na terminologia ambiental voltada para a proteção dos recursos naturais, usamos os termos preservação e conservação envolvendo conceitos distintos, com reflexos sobre a legislação sobre o assunto.
A. Preservação. Refere-se à atividade que se preocupa em manter intactos determinados recursos naturais, não sendo permitida a sua utilização direta, obtendo-se portanto, apenas benefícios indiretos, tais como: pesquisas científicas, educação ambiental, recreação, manutenção da biodiversidade e dos mananciais hídricos. Exemplos: parques nacionais e estaduais, reservas florestais, etc.
Essas áreas devem pertencer ao poder público implicando, portanto, na sua desapropriação e fiscalização pelos órgãos competentes.
B. Conservação. É a atividade que permite o uso sustentado dos recursos naturais,
de modo a permitir a satisfação das necessidades das gerações futuras.
No caso das florestas, além dos benefícios indiretos já mencionados, podem ser obtidos benefícios diretos, decorrentes dos produtos que podem oferecer, tais como: madeira, lenha, látex, cortiça, caça, etc.
No chão dos solos agricultáveis, recomendam-se duas séries de medidas: a) utilização das terras de acordo com as suas possibilidades; b) tratamento de cada gleba de acordo com as suas necessidades ( controle da erosão, adubação, etc. ).
Do ponto de vista fundiário, não implica na desapropriação das terras, que continuam sob a responsabilidade de seus proprietários, porém sujeitas à fiscalização dos órgãos competentes.

CONHECENDO OS DITONGOS E TRITONGOS

A. Ditongo. É a combinação de uma vogal e uma semi-vogal, ou vice-versa, na mesma sílaba. Distinguem-se:
a) Ditongos orais
1. Água 4. Leite
2. Anéis 5. Louco
3. Gênio 6. Pai
b) Ditongos nasais
1. Anciã 4. Mãe
2. Balão 5. Mão
3. Doente 6. Quente
c) Ditongos decrescentes ( vogal + semi-vogal )
1. Área 4. Muito
2. Céu 5. Pouco
3. Garoa 6. Rei
d) Ditongos crescentes ( semi-vogal + vogal )
1. Anual 4. Rainha
2. Frequente 5. Sabiá
3. Quando 6. Saúde
B. Tritongo. É o conjunto semi-vogal + vogal + semi-vogal formando uma única sílaba.
Distinguem-se:
a) Tritongos orais
1. Apoio 4. Paranóia
2. Areia 5. Raio
3. Iguais 6. Sequóia
b) Tritongos nasais
1. Ancião 4. Leão
2. Aviões 5. Religiões
3. Embrião 6. Saguão

CONHECENDO AS PLANTAS ALIMENTÍCIAS

A agricultura trata principalmente do cultivo de plantas alimentícias, embora algumas plantas sejam cultivadas para outros fins. como o algodão ( tecido ) e a cana-de-açúcar ( açúcar e álcool ).
Existem cerca de 80.00 espécies de plantas alimentícias, sendo que apenas quatro
delas ( arroz, trigo, milho e batata ) contribuem para a produção mundial de alimentos mais do que todas as outras combinadas. Foram criadas variedades adaptadas a ambientes específicos, mais produtivas ou mais resistentes às doenças.
As técnicas agrícolas também foram melhoradas, a fim de aumentar o rendimento e diminuir o custo de produção.
As principais culturas alimentícias são:
a) Trigo. Cereal que fornece a farinha para a fabricação do pão e massas.
b) Arroz. Alimento básico de grande parte da população mundial.
c) Milho. Usado tanto na alimentação humana e animal É também fonte de óleo e de amido.
d) Cevada usada como alimento para animais e como matéria-prima para a fabricação de cerveja e uísque.
e) Leguminosas ( soja, feijão, etc. ). Seus grãos são usados como alimento humano
e fabricação de óleo. Excelente fonte de proteínas.
f) Batata. Usada como alimento humano, rico em carboidratos.
g) Batata-doce. Usada para consumo humano e animal.
h) Mandioca. Usada para consumo humano e animal.
i) Aveia e centeio. Usados principalmente na alimentação animal.
Como complementos, as plantas frutíferas e as hortaliças são usadas na alimentação humana como importantes fontes de vitaminas e sais minerais.

CONHECENDO OS ANIMAIS DOMÉSTICOS

A Zootecnia trata da criação de animais para a obtenção de vários produto úteis,
tais como: carne, leite. ovos, gordura, lã, couro, etc. Na maioria são animais herbívoros, de
baixa conversão de matéria vegetal em carne, leite, etc. Por isso, os zootecnistas procuram criar raças mais produtivas e empregar novas técnicas, como confinamento, uso de rações balanceadas, inseminação artificial, etc.
Os principais animais domésticos, criados em todo o mundo, são as seguintes:
a) Bovinos. Existem raças especializadas, para produção de carne ou leite e derivados ( queijo, manteiga, etc. ).
b) Suínos. Fornecem carne e gordura.
c) Ovinos. Usados principalmente para carne e lã.
d) Caprinos. Criados para a produção de carne e leite.
e) Eqüinos. Empregados para transporte, tração e esporte.
f) Asininos ou Muares. Usados para transporte e trabalho agrícola.
g) Búfalos. Criados principalmente na Ásia, como animal de tração; também fornece carne e leite.
h) Aves ( galinhas, patos, perus, etc. ). Criados para fornecimento de carne e ovos.
i) Animais de estimação ( cão, gato, papagaio, etc. ).

CONHECENDO A TECNOLOGIA

Tecnologia é o estudo das técnicas, isto é, da maneira correta de executar determinadas tarefas. Compreende as ferramentas, máquinas e instrumentos, bem como os processos e métodos usados nos diversos ramos da agricultura, indústria, mineração, meios de transporte e comunicação, etc. Assim, pode-se falar em:tecnologia do ferro e aço, tecnologia do açúcar e álcool, tecnologia dos plásticos, etc.
A tecnologia faz a ligação entre as ciências e a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos, estando ligada ao progresso das populações humanas.
O desenvolvimento da tecnologia depende das descobertas científicas e de novos inventos. Aplica-se a quase todos os campos científicos, devendo destacar-se as recentes conquistas espaciais, que permitiram o lançamento de satélites artificiais e sondas espaciais, inclusive o pouso na Lua.
Em resumo, tecnologia é o conjunto de máquinas e processos utilizados pelo homem para transformar materiais da natureza em produtos úteis para sua moradia, alimentação, transporte, comunicação, recreação, etc.
A tecnologia tem grande utilização nas Ciências Aplicada, tais como: Agronomia, Engenharia, Arquitetura, Medicina, etc.

CONHECENDO AS PLANTAS FRUTÍFERAS

Chamam-se plantas frutíferas aquelas que produzem frutas, isto é, frutos comestíveis. São geralmente árvores, embora algumas espécies de fruteiras não sejam propriamente árvores como abacaxizeiro, mamoeiro e videira.
De acordo com as exigências climáticas, podem ser divididas em três grupos:
A. Frutíferas de clima tropical: abacaxizeiro, bananeira, coqueiro-da-Bahia, goiabeira, mamoeiro, mangueira, tamareira, etc.
B. Frutíferas de clima subtropical: abacateiro, amoreira, cajueiro, caquizeiro, jabuticabeira, laranjeira, etc.
C. Frutíferas de clima temperado: ameixeira, figueira, macieira, pereira, pessegueiro, videira, etc.
Atualmente, existem variedades de frutíferas de um grupo, adaptadas às condições climáticas de outro grupo.
A propagação das plantas frutíferas pode ser feita por dois processos gerais: a) reprodução por sementes; b) multiplicação por via vegetativa, isto é, por meio de estaquia, mergulhia ou enxertia.
A obtenção das mudas é geralmente feita em viveiros, as quais são depois transplantadas para o local definitivo. Além de capinas e adubações, as plantas frutíferas necessitam também de podas, que podem ser de dois tipos:
a) podas de formação; b) podas de frutificação, as quais devem ser feitas com os cuidados necessários.
As frutas, juntamente com as hortaliças, desempenham papel importante na alimentação humana, como fontes de vitaminas e sais minerais.

CONHECENDO AS AURORAS POLARES

A s auroras são exibições de luz visível na atmosfera, à noite, constituindo um dos fenômenos mais belos que a natureza apresenta. Ocorre nas regiões próximas aos polos terrestres e, na maioria da vezes, nas latitudes em torno
de 60 graus.
São uma conseqüência das erupções solares, durante as quais o Sol emite grandes
quantidades de partículas eletrizadas, tais como prótons e elétrons. Essas partículas, altamente velozes, ao atingirem as proximidades da Terra, são desviadas pelo campo magnético terrestre para as regiões polares. Aí, ao penetrarem nas camadas superiores da atmosfera, são freadas, o que provoca a excitação e ionização das moléculas de ar, originando a claridade que caracteriza as auroras polares.
As auroras do hemisfério norte recebem o nome de " aurora boreal ", enquanto as do hemisfério sul, de " aurora austral ". Geralmente ocorrem a altitudes em torno de 100 km, assumindo diversas formas, desde arcos luminosos, bandas, cortinas, até formas difusas que lembram nuvens.
Nas regiões mais próximas aos polos, frequentemente se apresentam como vastas cortinas luminosas, cuja parte inferior balança.

CONHECENDO ALGUMAS EXCEÇÕES

Na natureza, muitas regras têm exceções. Vejamos alguns exemplos:
a) Diz-se que floresta é uma associação de plantas arbóreas ocupando uma grande extensão territorial; e mata é semelhante, porém ocupando pequena extensão. Exceção: a Mata Atlântica, cujos remanescentes ocupam toda a faixa costeira montanhosa do Brasil, desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul.
b) Lago é uma grande massa d'água ocupando uma depressão do terreno; e lagoa,
massa d'água relativamente pequena. Exceção: Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, que é maior que muitos lagos.
c) Caule é um órgão vegetal aéreo que liga as raízes aos ramos e folhas. Exceções: tubérculos, bulbos e rizomas, que são caules subterrâneos transformados em órgãos de reserva.
d) Metais são elementos sólidos, com estrutura eletrônica formada por um arranjo de íons carregados positivamente ( prótons ) envolvidos por íons carregados negativamente ( elétrons ). Exceção: mercúrio, que é um metal líquido.
e) Os mamíferos são terrestres ou aquáticos. A exceção é o morcego, único mamífero que voa.

CONHECENDO DITONGOS E HIATOS

Numa das mensagens anteriores, sobre ditongos, a exemplificação dos ditongos não ficou clara. Vamos explicar melhor, incluindo os hiatos.
Ocorre ditongo quando duas vogais se combinam, formando uma única sílaba. Exemplo: sábia ( sá-bia ). Hiato é quando duas vogais se encontram, porém formando duas sílabas distintas. Exemplo: sabiá ( sa-bi-á ). Vejamos mais alguns exemplos:

Ditongos Hiatos
1. anciã 1. aorta
2.área 2. beata
3. céu 3. caótico
4. degrau 4. garoa
5. herói 5. hiato
6. lírio 6. lagoa
7. mágoa 7. país
8. pais 8. rainha
9. rei 9. saúde
10. tênue 10. viúva

CONHECENDO OS PEIXES ELÉTRICOS

" Peixes elétricos " é a designação comum aplicada a várias espécies diferentes de peixes de diversas famílias que produzem, através de músculos especiais, uma corrente elétrica. A maioria deles produz apenas uma corrente fraca, mas alguns podem gerar uma corrente elétrica forte o suficiente para afetar o homem e outros animais.
No mar, são representados por cerca de 20 espécies de arraias elétricas e torpedos.
Efetivamente, todas as arraias podem gerar uma corrente elétrica fraca. Os torpedos usam a corrente elétrica para capturar presas; e as arraias a utilizam para detectar a aproximação de
presas.
Alguns dos peixes elétricos mais poderosos são encontrados em água doce ( rios e lagos ), entre os quais se destacam a enguia elétrica sul-americana ou poraquê e o bagre tropical africano. O poraquê é capaz de produzir uma descarga inicial de 300 volts, suficiente para matar um cavalo; porém, as descargas seguintes vão diminuindo de voltagem.

CONHECENDO AS METAMORFOSES

Dá-se o nome de metamorfose à mudança de forma e, freqüentemente, de fisiologia que ocorre durante o ciclo de vida de certos animais.Não se considera metamorfose quando a forma jovem só difere do adulto pelo tamanho e pela ausência de capacidade reprodutora.
Há metamorfose quando, por exemplo, uma larva de inseto adaptada a um dado modo de vida, se torna um adulto adaptado a um modo de vida diferente; o que implica não somente no aparecimento de novos órgãos ( asas dos insetos ), como no desaparecimento de órgãos larvais inúteis para o adulto ( cauda e brânquias dos girinos ). A metamorfose geralmente exige um período de imobilidade ( ninfa dos insetos ), durante o qual se processam as transformações.
A metamorfose pode ser completa ou incompleta, abrupta ou gradual. Exemplo de metamorfose completa é a das borboletas e mariposas, enquanto um exemplo de metamorfose incompleta é a dos grilos, cujos filhotes se assemelham aos adultos, exceto por terem botões de asas ao invés de asas, sendo os mesmos os hábitos alimentares.
Um exemplo de metamorfose abrupta é a da mosca doméstica: a larva se transforma em mosca adulta em poucos dias. Por outro lado, a transformação de um girino em rã é um exemplo de metamorfose gradual: o desenvolvimento das patas e o desaparecimento da cauda e brânquias se processam num período relativamente longo.
Convém lembrar que a metamorfose dos insetos engloba quatro etapas: a) ovo; b) larva ou lagarta; c) ninfa ou pupa; d) adulto.

CONHECENDO AS MATAS CILIARES

O termo mata é geralmente aplicado a uma associação de espécies arbóreas ocupando pequena extensão territorial; ao contrário de floresta, que é uma associação de árvores ocupando grande extensão. Diz-se mata virgem quando ainda não foi perturbada pela ação do homem; e mata ciliar ou mata-em-galeria quando localizada nas cabeceiras e margens de cursos d'água e lagos.
As matas ciliares adquirem grande importância ecológica porque protegem os recursos hídricos ( rios, córregos, lagos e represas ) contra a erosão; e servem ainda de abrigo para a fauna silvestre ( caça e pesca ). Por isso, devem ser preservadas podendo, eventualmente, fornecer produtos como: madeira, lenha, mourões para cerca, etc. Indiretamente, contribuem para regularizar a vazão dos mananciais de água e proporcionar um microclima agradável.
Na sua falta, recomenda-se recompô-las mediante o plantio de espécies arbóreas apropriadas, tais como: sangue-de-dragão, sapucaia, ingazeiro, caixeta, etc.

DESFAZENDO A CONFUSÃO

Alguns nomes de animais causam confusão entre os leigos. Vamos esclarecer as dúvidas de alguns casos.
a) Jumento, asno, jegue e burro
Jumento, asno e burro são sinônimos usados para designar o mesmo animal, da espécie " Equus asinus ". Aliás, jegue é um termo regional, usado no Nordeste. São animais geralmente utilizados para o transporte de carga.
Já o burro e sua fêmea - a mula, são animais híbridos, isto é, resultantes do cruzamento entre jumento e égua ( fêmea do cavalo ). É por isso que o burro e a mula são estéreis, ou seja, não se reproduzem.
Há ainda outra variação, o bardoto, resultante do cruzamento entre cavalo e jumento, que é pouco produzido por ser inferior ao burro em tamanho e força.
b) Tartaruga, cágado e jabuti
Os três são espécies diferentes de répteis com o corpo protegido por carapaça,que pertencem à ordem dos Quelônios. Os cágados vivem na água doce ( rios e lagos ) e têm membranas entre os dedos, para facilitar a locomoção na água. Os jabutis não têm tais membranas, possuem dedos curtos e são terrestres. As tartarugas são marinhas e têm patas em forma de nadadeiras.
c) Lesma, caracol e caramujo
Os três são Moluscos ( animais de corpo mole ). A lesma é desprovida de concha, enquanto o caracol e o caramujo possuem uma concha que protege o seu corpo. As lesmas são terrestres, muito comuns em hortas e jardins. Há várias espécies de caracol, a maioria terrestre; providos de concha fina, caminham arrastando-se sobre um pé largo e chato, deixando uma trilha de muco. Os caramujos são moluscos aquáticos, de água doce ou salgada, providos de concha espessa. São encontrados comumente nas praias.

CONHECENDO A MATÉRIA

Matéria é toda substância que constitui os corpos e, por isso, ocupa um lugar no espaço. A propriedade de ocupar um lugar no espaço é denominada extensão. A quantidade de matéria existente em um corpo é a sua massa. A força de atração gravitacional terrestre, para determinada massa, determina o seu peso.
Toda matéria tem inércia, que é a resistência às mudanças de estado de repouso ou
de movimento.
Os corpos são formados por grande número de átomos, que nada mais são do que
um conjunto de pequenas partículas ligadas de determinada maneira e constituindo partículas maiores, chamadas moléculas. Um átomo, por sua vez, é formado de prótons ( com carga positiva ), elétrons ( com carga negativa ) e neutrons, que são partículas ainda menores.
Além de ocupar um lugar no espaço, a matéria exige um lugar exclusivo, ou seja, é impenetrável. Dois corpos não podem, simultaneamente, o mesmo lugar no espaço. Outra propriedade da matéria é não ser um todo contínuo e maciço e sim, ao contrário, formado de moléculas que deixam entre si espaços vazios, chamados poros. Esta característica é denominada porosidade. Assim, os poros de um corpo sólido podem ser ocupados pelo ar.
Quando se comprime um corpo, as moléculas podem aproximar-se e o corpo diminuir de volume. Esta propriedade chama-se compressibilidade. Assim, os corpos gasosos são altamente compressíveis, assim como alguns sólidos; os líquidos, porém, comprimem-se muito pouco. Cessada a força de compressão, as moléculas tendem a voltar à posição anterior. Esta propriedade recebe o nome de elasticidade.
A matéria pode ainda apresentar outras propriedades específicas, isto é, que existem para alguns corpos, tais como: dureza, solubilidade, condutividade elétrica, etc.

CONHECENDO AS MUDANÇAS DE ESTADO DA MATÉRIA

A matéria está sujeita a fenômenos físicos, que não alteram a sua composição; e a
fenômenos químicos, que alteram a sua composição, formando novos compostos.
Entre os fenômenos físicos incluem-se as mudanças de estado. De acordo com a temperatura e a pressão, os corpos podem mudar de estado. A água, por exemplo, existe na natureza nos três estados: a) sólido - gelo, encontrado nas regiões polares e nas altitudes elevadas;
b) líquido - água dos oceanos, rios e lagos; c) gasoso - vapor d'água, encontrado no ar atmosférico e nas nuvens.
A terminologia usada para indicar as mudanças de estado da matéria é a seguinte:
1. Fusão.É a passagem de um corpo no estado sólido para o estado líquido, por aquecimento.
2. Congelamento.É o processo pelo qual um corpo no estado líquido passa para o
estado sólido, por esfriamento.
3. Evaporação.É a passagem de um corpo no estado líquido para o estado gasoso,
processo responsável pela ascenção de massas d'água sob a forma de vapor, que depois caem sob a forma de chuva ( precipitação ).
4. Condensação. É a passagem de um corpo no estado gasoso para o estado líquido, geralmente sob a forma de gotículas. É o que acontece com o vapor d'água das nuvens, que se precipitam sob a forma de chuva.
5. Sublimação. Processo pelo qual um corpo sólido, ao ser aquecido, passa para o
estado gasoso; o que acontece com poucos corpos sólidos, como o dióxido de carbono e o iodo.

CONHECENDO AS ABREVIATURAS

Abreviatura é a representação abreviada de uma palavra ou expressão. Por serem práticas, as abreviaturas são muito usadas, principalmente na troca de correspondência. A seguir, apresentamos alguns exemplos de abreviaturas.

A/c - aos cuidados de
Al. - alameda
Av. - avenida
R. - rua
Apto. - apartamento
cap. - capítulo
cel. - coronel
Cia. - companhia
cm - centímetro
Dr. - doutor
Exmo. - excelentíssimo
Ilmo. - ilustríssimo
g - grama
ha - hectare
i.é - isto é
Jr. - júnior
Kg- quilograma
Km - quilômetro
Ltda. - limitada
p.f. - próximo futuro
p.p. - próximo passado
m - metro
mm - milímetro
prof. - professor
Rmte. - remetente
tel. - telefone
TV – televisão

CONHECENDO O PAPEL DO SANGUE

Em sua forma mais evoluída, ou seja, nos animais vertebrados, o sangue é um verdadeiro tecido fluido que, impulsionado pelas contrações e expansões do coração, percorre todo o organismo em um sistema de vasos, chamado aparelho circulatório.
O aparelho circulatório do homem e dos vertebrados superiores é constituído de artérias, veias, capilares e uma poderosa " bomba " que é o coração. As células sanguíneas – hemácias ( glóbulos vermelhos ), leucócitos ( glóbulos brancos ) e plaquetas - estão contidas em uma fase líquida, chamada plasma, que apresenta grande
número de compostos, com predominância de água, proteínas, glicose e sais minerais, cujas concentrações variam dentro de faixas relativamente estreitas.
Distinguem-se dois tipos: a) sangue arterial, que circula nas artérias e transporta oxigênio e nutrientes aos tecidos; b) sangue venoso, que circula nas veias e transporta os resíduos metabólicos aos órgãos de excreção ( pulmões, rins, pele, etc. ). Além disso, o sangue, transporta os produtos de secreção das glândulas endócrinas ( hormônios ), de um órgão para outro.
A cor vermelha do sangue é devida à presença da hemoglobina - um pigmento vermelho. O sangue arterial tem cor vermelho vivo e o sangue venoso, mais escuro.
O sangue também transporta gases, como nitrogênio, oxigênio e gás carbônico. Assim, o sangue venoso, que transporta gás carbônico, se desembaraça dele nos pulmões, onde se enriquece de oxigênio, passando a sangue arterial.
O homem possui 5 - 6 litros de sangue, com reação neutra e densidade pouco superior a 1,0.

CONHECENDO O PAPEL DA SEIVA

Seiva é o nome dado à solução nutritiva que circula no interior das plantas vasculares, isto é, providas de vasos condutores como as Fanerógamas ( plantas que produzem flores );
Distinguem-se dois tipos: a) seiva bruta ou ascendente, que é uma solução aquosa contendo os sais minerais absorvidos do solo pelas raízes, a qual se movimenta através do xilema (vasos lenhosos ); b) seiva elaborada ou descendente , contendo substâncias orgânicas ( como carboidratos e proteínas ), formadas nas folhas por fotossíntese; a qual se movimenta através do floema ( vasos crivados ), dirigindo-se para os locais de consumo, que são principalmente as raízes, os brotos novos, botões, flores, frutos, sementes e órgãos de reserva ( bulbos, tubérculos, rizomas ).
Assim, o conjunto de vasos do xilema e do floema constitui o aparelho circulatório das plantas.
O mecanismo de ascenção da seiva bruta é a sucção exercida pelas folhas, que perdem grandes quantidades de água por transpiração através dos estômatos, que são pequenas aberturas existentes nas folhas.
A groso modo, pode-se comparar o papel da seiva nas plantas ao papel exercido pelo sangue no homem e nos animais; a diferença é que as plantas não têm coração.


CONHECENDO GEADA E GRANIZO

Geada e granizo são fenômenos meteorológicos, típicos de inverno, que acontecem
quando a temperatura do ar atinge valores muito baixas. Ambos causam efeitos prejudiciais, principalmente à agricultura, porque provocam danos severos às culturas.
A. Geada. Ao contrário do granizo, a geada não " cai ": resulta do congelamento das gotículas de orvalho depositadas sobre as superfícies expostas, quando a temperatura do ar em contato com o solo é igual ou inferior a zero graus. Forma-se uma película branca, constituida por pequenas partículas de gelo.
A geada pode ser classificada , quanto à sua gênese, em: a) geada de radiação, que se dá por queda de temperatura: b) geada de adveção, provocada por invasão de vento frio. Quanto ao aspecto visual, distinguem-se: a) geada branca, quando há formação de uma película de gelo; b) geada negra, quando a temperatura é muito baixa, porém não formação de gelo.
B. Granizo. Também chamado chuva de pedra, ocorre quando há precipitação na forma de pedras de gelo, normalmente com diâmetros variando de alguns milímetros até 5 centímetros.
O granizo pode apresentar forma esférica, cônica ou irregular. Ocorre geralmente durante temporais violentos quando a temperatura do ar está próxima de zero graus.
O impacto das pedras de gelo causa maiores danos que a geada, podendo avariar,
além das plantas, até residências e aviões.

CONHECENDO AS DATAS DE ALGUMAS INVENÇÕES


1. Microscópio..................... 1.590
2. Telescópio....................... 1.608
3. Máquina de escrever........ 1.642
4. Panela de pressão............ 1.679
5. Bicicleta ........................... 1.790
6. Locomotiva a vapor .......... 1.804
7. Máquina de calcular........... 1.822
8. Fotografia.......................... 1. 826
9. Máquina de costura........... 1.845
10. Geladeira ......................... 1. 850
11. Elevador........................... 1.857
12. Máquina de escrever ........ 1.867
13. Telefone............................ 1.876
14. Fonógrafo ......................... 1. 877
15. Automóvel ......................... 1.885
16. Projetor cinematográfico..... 1.895
17. Avião ................................. 1.906
18. Barbeador elétrico ............. 1.928
19. Computador eletrônico ....... 1.946
20. Fax ..................................... 1.947
21. Máquina de xerox ............... 1.949
22. Forno de microondas ......... 1.952
Observação: o inventor do avião foi o brasileiro Santos Dumont.

CONHECENDO ALGUMAS SIGLAS NACIONAIS

Dá-se o nome de sigla à abreviatura formada pelas letras iniciais das palavras do nome de um órgão público. Por serem práticas e cômodas, vão se multiplicando cada vez mais, em todos os países, e até passam a funcionar como substantivos. Eis alguns exemplos de siglas nacionais:
1. ABL - Academia Brasileira de Letras.
2. CEP - Código de Endereçamento Postal.
3. CPF - Cadastro das Pessoas Físicas.
4. CRM - Conselho Regional de Medicina.
5. DNER - Departamento Nacional de Estradas de Rodagem
6. EMBRAER - Empresa Brasileira de Aeronáutica
7. ESALQ - Escola Superior de Agricultura “Luis de Queiroz”
8. FAB - Força Aérea Brasileira.
9. Fundação Nacional do Índio.
10. IAC - Instituto Agronômico de Campinas
11. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
12. INPS - Instituto Nacional de Previdência Social
13. MEC - Ministério da Educação e Cultura.
14. MOBRAL - Movimento Brasileiro de Alfabetização
15. OAB - Ordem dos Advogados do Brasil
16. SBT - Sistema Brasileiro de Televisão.
17. SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
18. SUDENE - Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste
19. UNICAMP - Universidade de Campinas
20. USP - Universidade de São Paulo.

PLANTAS PARA AQUÁRIOS E TANQUES

Aquário é um recipiente com água doce ou salgada, geralmente com paredes de vidro, destinado à criação e observação de animais e vegetais aquáticos, principalmente peixes ornamentais. Geralmente é um local publico, mas também existem aquários domésticos.
Tanque é geralmente um pequeno açude ou reservatório de água, a qual é utilizada como bebedouro para os animais e/ou para a irrigação de culturas.
O cultivo de plantas aquáticas em aquários e tanques é recomendável, não só do ponto de vista estético ou ornamental, mas também por sua função biológica, mantendo o ambiente saudável. Atualmente, encontram-se no comércio imitações feitas de plástico que, por não se estragarem, são bastante duráveis e desempenham perfeitamente a função decorativa, porém são inócuas no tocante à função biológica.
De acordo com a sua posição em relação ao nível da água. as plantas aquáticas podem ser divididas em três grupos: a) submersas; b) flutuantes; c) emergentes.
As plantas submersas são as mais importantes, por desprenderem oxigênio e manterem a taxa de OD ( oxigênio dissolvido ) em teores saudáveis ( acima de 4 mg/l ). Entre as plantas submersas mais utilizadas podem ser citadas: cabomba, sagitária, rabo-de-raposa, samambaia-d'água, etc.
Entre as plantas flutuantes, encontram-se: alface d'água, aguapé, salvínia, etc.
Entre as plantas emergentes as mais comuns são: flexa d'água, ninféia, vitória-régia, etc.

CONHECENDO AS VELOCIDADES DOS ANIMAIS

As velocidades máximas de alguns animais são apresentadas a seguir:

Em terra No ar
Guepardo.....100 km/h Falcão.....150 km/h
Antílope........ 98 km/h Águia.......150 km/h
Gazela.......... 80 km/h Andorinha.120 km/h
Leão............. 80 km/h Marreca....100 km/h
Gnu............... 75 km/h Pombo...... 90 km/h
Cavalo.......... 75 km/h Pato......... 80 km/h
Raposa......... 65 km/h Corvo....... 80 km/h
Zebra............ 65 km/h Ganso....... 80 km/h
Hiena............ 65 km/h Libélula...... 75 km/h
Avestruz........ 55 km/h Gaivota..... 70 km/h
Lebre............ 55 km/h Gavião....... 60 km/h
Girafa........... 50 km/h Na água
Bisão............ 50 km/h Peixe-vela.... 60 km/h
Javali........... 45 km/h Atum............. 55km/h
Rinoceronte...45 km/h Peixe-voador.50 km/h
Elefante.........40 km/h Truta..............40 km/h
Dromedário... 40 km/h Golfinho.........40 km/h
Baleia azul.....35 km/h
Pinguim..........35 km/h

CONHECENDO OS TERREMOTOS

Terremotos ou abalos sísmicos são movimentos bruscos da crosta terrestre, causados
por forças naturais, geralmente de origem tectônica, ligadas a falhamentos. Ao longo das falhas geológicas, os blocos rochosos, de um e de outro lado, procuram acomodar-se para restabelecer o equilíbrio. Quando a acomodação é repentina, a grande energia gerada traduz-se por uma vibração das camadas rochosas, que é transmitida a milhares de quilômetros, causando um terremoto.
Os terremotos ocorrem com intensidade muito variável, desde pequenos tremores que apenas são registrados pelos sismógrafos, até os grandes cataclismos, que ocasionam deslocamentos visíveis do solo e catástrofes.
Os terremotos fazem surgir fissuras e desníveis no solo, dando origem a deslizamentos de terra e avalanches. Chegam a desviar cursos d'água e provocar o deslocamento de edifícios.
Felizmente, os terremotos estão restritos às regiões de atividade vulcânica recente, havendo duas zonas principais: a) uma que rodeia o Oceano Pacífico, chamada " cinturão de fogo "; b) outra que se estende através da Ásia Meridional e do Mar Mediterrâneo. São regiões instáveis, com cordilheiras de idade geológica recente.
Entre os grandes terremotos incluem-se o ocorrido na China, em 1.556, que matou 830.000 pessoas; e o ocorrido no Japão em 1.923, que provocou um incêndio em Tóquio causando a morte de 150.000 pessoas.

CONHECENDO OS PAÍSES QUE MUDARAM DE NOME

Nome antigo Nome atual
Zaire....................... Congo
Honduras Britânica... Belize
Daomé..................... Benin
Alto Volta................. Burkina Fasso
Somália Francesa... Djibuti
Abissínia................. Etiópia
Pérsia..................... Irã
Basutolândia........... Lesoto
Niasalândia............. Malawi
Birmânia................. Miannia
Ceilão.................... Sri Lanka
Sião....................... Tailândia
Tanganica e Zanzibar......... Tanzânia
Indochina.............. Vietnã
Rodésia do Sul..... Zimbabue
Rodésia do Norte.. Zâmbia

Há também o caso de países que sofreram desmembramentos por decisões políticas, como por exemplo: a) Tchecoslováquia, que foi desmembrada em dois países: República Tcheca e Eslováquia; b) a U.R.S.S. ( União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), composta por 15 países, entre os quais a Rússia, a Ucrânia , o Casaquistão, etc.

CONHECENDO AS FLEXÕES DOS SUBSTANTIVOS

Substantivos são palavras que designam os seres, animados e inanimados. Exemplos: homem, livro, flor.
Os substantivos flexionam-se para indicar o gênero, número e grau.
A. Gênero. É a propriedade que as palavras têm de indicar o sexo real ou fictício dos seres. São dois os gêneros: masculino e feminino. Exemplos:

Masculino Feminino
homem................. mulher
senhor.................. senhora
pai........................ mãe
avô....................... avó
mestre.................. mestra
ator....................... atriz

B. Número. Há dois números gramaticais: singular e plural. Exemplos:

Singular Plural
asa...................... asas
colher.................. colheres
cruz..................... cruzes
papel................... papéis
anel..................... anéis
nuvem................. nuvens
C. Grau. Exprime as variações de tamanho. A forma normal admite dois gêneros: aumentativo e diminutivo. Exemplos:
Normal Aumentativo Diminutivo
casa........... casarão........... casinha
gato........... gatão............... gatinho
mulher....... mulherona........ mulherzinha
rapaz......... rapagâo........... rapazelho
papel......... papelão........... papelucho
homem...... homenzarrão.... homenzinho

CONHECENDO AS FORMIGAS

As formigas são insetos pertencentes à ordem Himenópteros, que compreende também as abelhas e as vespas. Caracterizam-se por aoresentarem cabeça livre, com pescoço fino, antenas dobradas no meio, com tronco bem separa do do abdome, possuindo seis patas. Formam colônias que vivem em ninhos ( formigueiros ), onde se encontram fêmeas fecundas, machos e operárias ( fêmeas estéreis ). Estas últimas nunca apresentam asas. As fêmeas fecundas e os machos são alados, mas as asas se desprendem logo após o vôo nupcial.
As formigas têm uma grande variedade de hábitos alimentares e as suas peças bucais são adaptadas para diversas finalidades, como morder ou ingerir alimentos líquidos. Muitas são carnívoras, outras apreciam substâncias açucaradas e algumas se alimentam de fungos que cultivam. Vejamos os principais grupos:
a) Formigas cortadeiras. São as saúvas e quenquens, que cortam e carregam pedaços de folha, que depositam em câmaras do formigueiro, onde cultivam um fungo que lhes serve de alimento.
b) Formigas caseiras. Também chamadas formigas domésticas ou açucareiras, São
atraídas principalmente por doces, mas também comem carne, porque precisam de proteínas.
c) Formigas-correição. São tipicamente carnívoras, comendo outros insetos e pequenos animais. Costumam sair em bandos numerosos, que caminham desalojando de seus abrigos e devorando: lagartas, grilos, lesmas, baratas, aranhas, escorpiões, etc.
d) Formigas lava-pés. O nome é devido às ferroadas dolorosas que dão nos pés do
homem e dos animais. Alimentam-se das excreções de cochonilhas, pulgões e outros insetos, chegando mesmo a protegê-los das intempéries e de inimigos naturais, mediante a construção de coberturas e abrigos.

CONHECENDO OS ELEMENTOS QUÍMICOS

Denomina-se elemento químico a substância que não pode ser decomposta em outras mais simples por meio de processos químicos.
Todos os compostos químicos, minerais ou orgânicos, são formados por diferentes combinações de elementos.
A menor partícula de um elemento é a molécula, formada por átomos que consistem de um núcleo denso cercado por nuvens de elétrons. O núcleo, por sua vez, é formado por prótons e nêutrons. É o número de prótons – número atômico - que determina a identidade dos elementos.
É possível que dois elementos tenham o mesmo número de prótons, mas número diferente de nêutrons; são átomos do mesmo elemento, mas têm massa diferente, sendo chamados isótopos, comuns c omuns entre os elementos radioativos, como o rádio.
Há pouco mais de 100 elementos conhecidos, dos quais 92 são encontrados na natureza. O hidrogênio é o elemento mais abundante no universo; em seguida vem o hélio. Todos os outros elementos são encontrados em quantidades relativamente pequenas.
Cada elemento é representado por um símbolo formado pela primeira letra do seu nome atual ou antigo. Quando há mais de um elemento cujos nomes começam com a mesma letra, junta-se uma segunda letra à inicial. Exemplos: H- hidrogênio; He - hélio: C - carbono: Ca - cálcio; S - enxofre ( sulfur ), etc.
Distinguem -se: a) metais - ouro, cobre, ferro, etc.; b) metalóides - boro, silício, etc.; c) não- metais - hidrogênio, oxigênio, carbono, etc.
Os metais compreendem 3/4 do total de elementos, sendo que o mercúrio é o único
metal líquido. Geralmente os elementos se apresentam no estado sólido ( ouro, ferro, zinco,etc.) ou gasoso (hidrogênio, oxigênio, hélio, etc. ).

CONHECENDO OS COMPOSTOS QUÍMICOS

Denomina-se composto químico a substância formada por dois ou mais elementos que se combinam quimicamente em proporções fixas. Por exemplo: duas moléculas de hidrogênio e uma molécula de oxigênio se combinam para formar uma molécula de água. Uma vez formado,um composto químico só pode ser decomposto por processos químicos, diferentemente de uma mistura, na qual os componentes podem ser separados por processos físicos.
De acordo com o número de componentes, os compostos podem ser: a) binários, que só contêm dois elementos, tais como: ácido clorídrico ( H Cl ), sal de cozinha ( Na Cl ), etc.; b) terciários, quando contêm três elementos, Tais como: carbonato de cálcio ( Ca CO3 ), soda cáustica ( Na OH ), etc.
Outra classificação leva em conta a natureza dos compostos, que podem ser: a) minerais ou inorgânicos; b) orgânicos. Enquanto os compostos minerais são encontrados na natureza, como óxidos, hidróxidos, cloretos, sulfatos, carbonatos, fosfatos, etc., os compostos orgânicos são fabricados pelos organismos vivos, como proteínas, aminoácidos, ácidos nucléicos, carboidratos, lipídeos, etc.
Os compostos orgânicos são compostos de carbono, que existem em número muito maior que o dos compostos minerais; e desempenham papel importante no metabolismo dos organismos vivos. São em geral formados por moléculas grandes, originadas por polimerização.
Os compostos minerais são objeto de estudo da Química Mineral ou Inorgânica; e os compostos orgânicos são objeto de estudo da Química Orgânica.

CONHECENDO OS DÍGRAFOS

Dígrafo é um grupo de duas letras que formam um só fonema. Podem ser:

a) Dígrafos com duas consoantes
ch - chapéu, chuva
lh - milho, galho
nh - banho, grunhido
rr - ferro, serra
ss - pássaro, asseio
gu - guerra, seguro
qu - leque, tanque
sc - descer, oscilar
xc - exceção, excitação

b. Dígrafos em que figuram vogais nasais
am - tampa, campo
em - tempo, sempre
im - limpo, tímpano
om - ombro, tombo
um - jejum, umbigo
an - antes, sangue
en - vender, pensar
in - lindo, índio
on - onda, sonda
un - mundo, bunda

CONHECENDO OS TIPOS DE PLANTAS

Planta é a designação genérica de qualquer vegetal. As plantas são organismos vivos
e organizados, que se caracterizam por: a) são capazes de nutrir-se, crescer e reproduzir-se;
b) possuem vários órgãos ( raíz, caule, folhas, flores, frutos e sementes ) que desempenham
diferentes funções.
A distinção entre vegetais e animais é fácil no tocante às espécies evoluídas mas torna-se difícil entre os seres inferiores. De modo geral , as células vegetais se distinguem das células animais por: a) possuírem membrana celular constituída principalmente por celulose; b) apresentarem cloroplastos, principalmente o pigmento verde clorofila, responsável pela fotossíntese - utilização da luz solar para assimilação do dióxido de carbono do ar atmosférico e elaboração de compostos orgânicos.
De acordo com o critério adotado, distinguem-se vários tipos de plantas, a saber:
1. Segundo a posição sistemática, tem-se: a) fanerógamas ( que produzem flores ) e criptógamas ( que não produzem flores ); b) monocotiledôneas e dicotiledôneas, respectivamente com um e dois cotilédones nas sementes.
2. Quanto à sua duração: anuais, bianuais, semi-perenes e perenes.
3. Quanto ao seu porte: ervas, arbustos, palmeiras, árvores.
4. Quanto à sua consistência: suculentas, fibrosas, lenhosas, etc.
5. Quanto ao comportamento ecológico: terrestres, aquáticas, rastejantes, trepadeiras, epífitas, parasitas, xerófitas, etc.
6. Segundo a sua origem: espontâneas e cultivadas.
7. Segundo a sua finalidade: alimentícias, forrageiras, têxteis, oleaginosas, adubos verdes, medicinais, ornamentais, etc.

CONHECENDO OS ANIMAIS AQUÁTICOS

Os cientistas admitem que a vida animal começou no mar. Depois apareceram os anfíbios e, por último, os animais terrestres.
Atualmente, é grande o número de animais aquáticos, isto é, que vivem na água doce ( rios e lagos ) ou na água salgada ( oceanos e mares ).
Os principais grupos de animais aquáticos são:
1. Espongiários: marinhos, fixos. Exemplo: esponjas.
2. Celenterados: marinhos, fixos ou livres
Exemplos: hidras, pólipos, medusas.
3. Platielmintos: vermes marinhos ou de água doce, livres ou parasitas. Exemplos: planária, tênia.
4. Esquelmintos: vermes marinhos ou de água doce, livres ou parasitas.Exemplos: lombriga, cobra-de-cabelo.
5. Anelídeos: marinhos ou de água doce, livres ou fixos. Exemplos: nereida, sanguessuga.
6. Equinodermas: marinhos, fixos ou livres. Exemplos: estrela-do-mar, pepino-do-mar.
7. Moluscos: a) lamelibrânquios - marinhos, providos de conchas. Exemplos: ostra, mexilhão; b) cefalópodes - marinhos, com pés divididos em tentáculos. Exemplos: lula, polvo.
8. Crustáceos: geralmente marinhos, com carapaça quitinosa. Exemplos: lagosta, camarão.
9. Peixes: a) de água doce - bagre, carpa; b) marinhos - sardinha, tubarão.
10. Cetáceos: mamíferos marinhos. Exemplos: baleia, golfinho. O boto é de água doce
11. Anfíbios: animais que vivem parte de sua vida na água e parte em terra. Exemplos: sapo, rã, perereca.
12. Animais semi-aquáticos: animais terrestres que também se adaptam na água. Exemplos: jacaré, crocodilo, tartaruga, hipopótamo.
13. Aves semi-aquáticas: a) marinhas - albatroz, gaivota, pelicano; b) de rios e lagos - pato, ganso, garça.

CONHECENDO OS METAIS

Metais são elementos químicos com propriedades características devidas à sua estrutura eletrônica. São em geral corpos sólidos, com brilho característico, bons condutores de calor e eletricidade, maleáveis e dúcteis ( que podem ser reduzidos a fios.
A estrutura dos metais consiste de um arranjo de íons carregados positivamente ( prótons ), envolvidos por íons carregados negativamente ( elétrons ).
Os metais ocorrem na natureza predominantemente na forma elementar ou ligados a outros metais. O mercúrio é o único metal líquido. Os metais constituem cerca de 75% dos elementos químicos.
Outra característica dos metais é o efeito causado sobre suas propriedades pela presença neles, de quantidades relativamente pequenas de outros elementos. As diferenças entre o ferro e o aço, causadas por pequenas quantidades de carbono ou níquel, são um bom exemplo.
Existem vários grupos de metais, a saber: a) metais nobres - cobre, ouro, prata, platina; b) metais alcalinos - lítio, potássio, sódio; c)metais alcalino-terrosos - cálcio, magnésio, bário; d) metais de transição - cromo, molibdênio.manganês, etc.
Poucos metais são usados puros; freqüentemente, são utilizados sob a forma de ligas metálicas, como por exemplo: aço, bronze, latão, duralumínio, etc.

MASCULINO/FEMININO COM PALAVRAS DIFERENTES

Fugindo à regra geral de substituir a desinência o do masculino pela desinência a para
formar o feminino, em certos casos usam-se palavras completamente diferentes. Exemplos:

Masculino Feminino
1. bode.................... cabra
2. burro.................... mula
3. cão...................... cadela
4. carneiro............... ovelha
5. cavalheiro........... dama
6. cavalo................. égua
7. genro.................. nora
8. homem................ mulher
9. macho................. fêmea
10.marido................. mulher
11. masculino........... feminino
12. padre.................. madre
13. padrinho............. madrinha
14. pai...................... mãe
15. pênis.................. vagina
16. rei...................... rainha
17. tenor.................. soprano
18. touro.................. vaca
19. zangão............... abelha

CONHECENDO A FLORA DO BRASIL - 1

A flora ou vegetação natural do Brasil é bastante diversificada, podendo ser dividida em três grupos principais: a) florestas; b) formações de transição; c) campos. A sua distribuição geográfica é governada principalmente pelo regime de chuvas e, secundariamente, pelas temperaturas e tipos de solo.
A. Florestas. Cerca de metade do território brasileiro é (ou era) coberto por florestas, em geral dos tipos latifoliada ( de folhas largas ) e perenifólia (de folhas perenes). Podem ser subdivididas, segundo a sua fisionomia e localização, em três tipos: a) Floresta Amazônica;
b) Mata Atlântica: c) Mata de Araucária.
1. Floresta Amazônica. Também chamada Hiléia Amazônica, é a maior floresta tropical do mundo, ocupando cerca de 40% do território brasileiro. Abrange toda a Região Norte do Brasil, o norte de Mato Grosso, o oeste do Maranhão e o norte do Tocantins, além de parte dos países vizinhos - Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Paraguai e Bolívia.
Do ponto de vista ecológico, a floresta amazônica se subdivide em: a) mata de igapó; b)mata de várzea; c) mata de terra firme. A primeira fica inundada cerca de dez meses no ano e é rica em palmeiras, como o açaí. A mata de várzea só é inundada por ocasião das enchentes dos rios da região. Nela se encontram: seringueira, cacaueiro, copaíba, sumaúma, etc.
A mata de terra firme nunca fica inundada, correspondendo a mais de 90% da floresta amazônica. É composta por três ou quatro andares de vegetação, destacando-se: castanheira, pau-rosa, mogno, trepadeiras ( cipós ) e plantas epífitas, como orquídeas.
2. Mata Atlântica. Estende-se como uma faixa costeira, desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul, com maior expressão na região das Serras do Mar e da Mantiqueira.Atualmente bastante devastada, nela se encontram: peroba, cedro, jacarandá. jequitibá, palmito, etc.
3. Mata de Araucária. Localizada no Planalto Meridional, é uma floresta mista de coníferas e latifoliadas perenifólias. Nela se encontram principalmente: pinheiro-do-Paraná ( gêneroAraucária ), imbaúba, erva-mate, etc.

CONHECENDO A FLORA DO BRASIL - 2

B. Formações de transição. Incluem: a) cerrados; b) caatinga; c) complexo do Pantanal.
4. Cerrados. Constituem a transição entre campo limpo ( ou simplesmente campo ) e
a floresta perenifólia. Predominam no chamado Planalto Central, sendo formados por: a) arbustos e pequenas árvores esparsas, com tronco e galhos retorcidos e de casca grossa, com folhas coriáceas; b) estrato herbáceo - gramíneas e ciperáceas que só vegetam durante a estação chuvosa, como a barba-de-bode. Dependendo da densidade e do porte das árvores e arbustos, recebem as denominações de campo cerrado, cerrado propriamente dito e cerradão. Entre as árvores e arbustos destacam-se: faveira, barba-timão, lixeira, pequi, pau-santo, etc.
5. Caatinga. Constitui a transição entre campo e floresta caducifólia ( que perde as
folhas na estação seca ). Localizada na zona semi-árida do Nordeste Brasileiro, pode ser subdividida em: a) caatinga hipoxerófita, que ocorre nas áreas de clima menos seco; b) caatinga hiperxerófita, nas áreas tipicamente semi-áridas.
Suas árvores e arbustos apresentam, em geral, caráter xeromorfo, mais acentuado na caatiga hiperxerófita; sendo providas de folhas miúdas que caem na estiagem, e freqüentemente armados de espinhos. São espécies típicas da caatinga: jurema, faveleira, juazeiro, pereiro,etc.bem como cactáceas como o xique-xique, o facheiro , o mandacaru, etc.
6. Complexo do Pantanal Mato-Grossense. Formação vegetal que ocupa a
extensa planície aluvial do Rio Paraguai e seus afluentes, na qual se misturam espécies típicas dos cerrados, das terras alagadiças e da floresta amazônica, com predominância das espécies do cerrado. Serve como pastagem natural.
C. Campos. São áreas de vegetação rasteira, geralmente gramíneas, que ocorrem em
diferentes locais, como planícies litorâneas, várzeas de rios e, principalmente, no sul do Rio Grande do Sul, onde recebe o nome de pampa.

CONHECENDO A FAUNA DO BRASIL

A fauna ( animais silvestres ) do Brasil é rica em espécies, contando com cerca de 700 espécies de mamíferos e 1.500 de aves, que se distribuem de acordo com os ambientes.
Os rios e igapós da Amazônia são habitados por abundante fauna de peixes e mamíferos aquáticos, dos quais os mais conhecidos são o pirarucu, o tucunaré e o peixe-boi, este em vias de extinção. Acrescentando-se as várzeas, devem ser incluídos os répteis anfíbios, como o jacaré, a tartaruga ( também ameaçada de desaparecimento ) e certas serpentes como a sucuri.
Na mata de terra firme encontram-se mamíferos carnívoros, como a onça e a jaguatirica, bem como: anta, macacos ( macaco-aranha,guariba, sagüi, mico-leão, etc. ), capivara e diversas aves, com destaque para: papagaio, arara, tucano, gavião, etc., além de grande número de insetos ( borboletas, besouros, formigas, etc. ).
A Mata Atlântica, antes de ser quase totalmente devastada, possuía rica fauna, com destaque para: anta, capivara, onça, cachorro-do-mato, irara, macacos e pássaros diversos (tico- tico, sabiá, beija-flor, etc. ).
Nos campos e cerrados encontram-se: veado-campeiro, jaguatirica, lobo-guará, queixada, raposa, tatu, tamanduá, cascavel, jararaca, ema, seriema e pássaros diversos.
A fauna da caatinga é rica em aves, como papagaio, periquito, ema, gavião carcará, etc.; dentre os répteis destacam-se a cascavel e a iguana.
Os rios e áreas alagadiças ( como o Pantanal ) são ricos em peixes, tais como dourado, surubim, pirarucu, piranha, etc. Também se encontram répteis e anfíbios, como jacaré, rã e sapo, bem como aves aquáticas: garça, cisne, flamingo, saracura, etc.

CONHECENDO O PROBLEMA DOS COMBUSTÍVEIS

O petróleo vem sendo utilizado há muito tempo para várias finalidades: aquecimento, geração de eletricidade, produção de combustíveis, etc. Acontece que o petróleo é um recurso natural não-renovável, além do seu uso causar poluição ambiental. A gasolina, principal combustível usado nos motores à explosão, é obtida por destilação fracionada do petróleo.
Devido ao aumento crescente do número de veículos e, portanto, do consumo de gasolina, a perspectiva é que as reservas de petróleo tendem a se esgotar num futuro não muito distante. Daí a necessidade de se buscar outras alternativas para o suprimento de combustíveis.
O Brasil é pioneiro na produção dos chamados biocombustíveis, isto é, combustíveis obtidos a partir de produtos vegetais. Uma primeira tentativa foi o uso do gasogênio, um gás pobre obtido a partir da queima do carvão de lenha. Uma alternativa mais promissora é o uso do etanol, um álcool hidratado extraído da cana-de-açúcar. Além de ser mais barato que a gasolina, o etanol é menos poluente e a cana é um recurso renovável.
O etanol pode ser usado puro ou adicionado `a gasolina. Também pode ser obtido a partir de outras plantas, como o milho, porém o seu rendimento é menor que o da cana-de-açúcar.

CONHECENDO ÁCIDOS, BASES E SAIS

A. Ácidos. São compostos químicos hidrogenados que, em solução, liberam íons H+; têm gosto amargo e são corrosivos ou venenosos. Os que se originam de fontes minerais ( ácidos minerais ) são quase sempre mais fortes que os originários de fontes orgânicas ( ácidos orgânicos ).
Os ácidos corrosivos, tais como o nítrico e o sulfúrico, são ácidos minerais; ácidos mais fracos, tais como o cítrico, encontrado nas frutas cítricas ( laranja, limão ), e o fórmico, encontrado em alguns insetos como as formigas, são ácidos orgânicos.
Os ácidos são solúveis em água. Soluções ácidas têm pH menor que 7,0 e tornam o
papel de tornassol vermelho; reagem com metais para formar sais e hidrogênio; e reagem com bases para formar sais e água.
B. Bases. Nome que se dá a qualquer composto químico que pode neutralizar um ácido para formar um sal e água. Geralmente as bases são hidróxidos que, em solução, liberam íons OH-. Como os ácidos, as bases podem ser corrosivas ou venenosas. São exemplos o hidróxido de sódio ( soda cáustica ) e o hidróxido de cálcio (cal ). Uma base solúvel em água é chamada álcali. Uma solução básica tem pH maior que 7,0 e torna azul o papel de tornassol.
C. Sais. São compostos químicos formados pela reação entre ácidos e bases. O sal de cozinha (cloreto de sódio) é utilizado para temperar alimentos, sendo constituinte essencial da dieta humana. Além da reação entre um ácido e uma base, um sal também pode ser obtido por dupla troca entre outros dois sais. O cloreto de sódio pode ser extraído da água do mar, mediante a evaporação da água, em depósitos chama-
dos salinas.
Os sais podem ser simples, como o cloreto de potássio, ou duplo, como o sulfato duplo de potássio e sódio.

CONHECENDO OS PLEONASMOS

Pleonasmo é o uso de palavras redundantes, com a finalidade de reforçar a expressão. A maioria deles deve ser evitada. Vejamos alguns exemplos:
1. entrar para dentro
2. sair para fora
3. subir para cima
4. descer para baixo
6. rapaz jovem
7. miado de gato
8. latido de cão
9. meio ambiente
10. futuro vindouro
11. fato real
12. verdade verdadeira
13. apalpar com a mão
14. pisar com o pé
15. beijar com os lábios
16. ver com os olhos
17. ouvir com os ouvidos
18. alegre e risonho
19. mastigar com os dentes
20. avançar para a frente
21. recuar para trás

RECORDES DO REINO VEGETAL

a) A árvore mais alta é uma sequóia, localizada no Parque Nacional das Sequóias, na Califórnia ( Estados Unidos ), a qual mede 115 metros de altura.
b) A maior floresta de coníferas é a taiga, situada no norte da Rússia e da Sibéria, a
qual cobre uma área de cerca de 4 milhões de quilômetros quadrados.
c) A maior floresta tropical, de latifoliadas perenifólias, é a floresta amazônica, que ocupa toda a região norte do Brasil e parte dos países vizinhos: Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai e Bolívia, cobrindo uma área de cerca de 6, 5 milhões de quilômetros quadrados.
d) A maior abóbora, pesando 681, 3 Kg, foi produzida nos Estados Unidos.
e) A maior maçã, pesando 1,84 Kg, foi colhida no Japão.
f) A maior beterraba, pesando 71,0 Kg, foi produzida na Holanda.
g) O maior abacate, pesando 1,99 Kg foi colhido na Austrália.

Fonte: Guinness World Records, 2.008

RECORDES DO MUNDO ANIMAL

a) A aranha mais venenosa é a armadeira, encontrada no Brasil. O seu veneno é tão forte que bastam 0,006 mg para matar um camundongo.
b) O animal terrestre mais barulhento é o bugio, uma espécie de macaco que habita as Américas Central e do Sul. Quando grita a plenos pulmões, o seu grito pode ser ouvido a 5 km de distância.
c) O peixe mais feroz é a piranha, encontrada nos grandes rios da América do Sul. Atraído pelo sangue ou movimentos bruscos na superfície da água, um cardume de piranhas é capaz de comer toda a carne de um cavalo em 20 minutos, deixando apenas os ossos.
d) O maior caramujo é o caramujo-gigante africano. O maior exemplar encontrado media 39,3 cm do focinho à cauda. O comprimento da sua concha era 27,3 cm e o animal pesava exatamente 900 gramas.
e) A maior cobra venenosa é conhecida como cobra-real ou naja-real, que habita a Índia e o sudeste da Ásia. O maior espécime capturado chegou a medir 5,07 metros, no Zoológico de Londres. O veneno de uma única picada dessa cobra é suficiente para matar um elefante ou 20 pessoas.

DESTAQUES DA OLIMPÍADA DE BEIJING

As Olimpíadas de Beijing - 2008 ainda estão em andamento, mas já se pode destacar três feitos notáveis:
a) O nadador Cesar Cielo Filho, do Brasil, tornou-se o homem mais rápido na água ( natação ). Ele nadou 50 metros em 21,30 segundos, assegurando a primeira medalha de ouro para o Brasil.
b) O velocista da Jamaica, Asafa Powell, é o homem mais rápido em terra. Ele correu 100 metros em 9,60 segundos.
c) O nadador Michael Phelps, dos Estados Unidos, é o recordista mundial em número de medalhas obtidas. Ele conseguiu, em diferentes provas, nada menos que 7 medalhas de ouro!
d) O destaque negativo ficou com o sueco Ara Abrahamian que, revoltado com a arbitragem largou a medalha de bronze no chão, que havia recebido pelo terceiro lugar na luta greco-romana categoria até 84 Kg.


CONHECENDO O FERRO E O AÇO

A indústria que trata do ferro e do aço chama-se siderurgia. Esses produtos são responsáveis por mais de 90% da produção de metais, sendo largamente empregados na indústria moderna.
O ferro é extraído, em escala industrial, de minérios naturais, dos quais os mais importantes são os óxidos de ferro - hematita e magnetita. Misturados com coque ( carvão mineral ) e aquecido a 1.500 graus centígrados em alto-forno, os óxidos de ferro são reduzidos a ferro metálico e o carbono se combina com o oxigênio para formar dióxido de carbono.
O ferro produzido em alto-forno chamado ferro-gusa, ainda possui impurezas, não sendo um produto final. Para ser utilizado, precisa ser convertido em ferro fundido ou aço.
O ferro fundido é produzido pela refusão do ferro-gusa, com o controle cuidadoso das proporções de carbono, silício e outros elementos de liga. Resistente à compressão e ao desgaste, o ferro fundido ou aço pode ser usinado e é facilmente vazado em formatos diversos.
A maior parte do ferro produzido em alto-forno é convertida em aço através de uma
significativa redução do teor de carbono, injetando ar no ferro derretido, de modo que o oxigênio se combina com parte do carbono, retirando-o na forma de monóxido e dióxido de carbono.
Na produção de aços de qualidade superior, como aço-inoxidável e os aço-ligas, são utilizados fornos a arco elétrico.
O aço comum é forte e resistente, mas é corroído por oxidação, formando a ferrugem. O aço inoxidável, contendo 13% de cromo e 1% de níquel, é resistente à corrosão.
Dentre os aço-ligas, destacam-se: a) aço-níquel, com alta proporção de níquel; b) aço-cromo-níquel, contendo 36% de níquel e 12% de cromo; c) aço-manganês,muito duro, contendo 11-14% de manganês; d) aço-silício,contendo 2 a 5% de silício.


NOVOS DESTAQUES DAS OLIMPÍADAS DE BEIJING

Os jogos olímpicos ainda estão em andamento, mas cabem alguns destaques:
a) O nadador norte-americano Michael Phelps, recordista em número de medalhas, conseguiu sua medalha de ouro número 8, o que constitui uma façanha inédita.
b) A Jamaica, pequeno país que já conseguira a medalha de ouro na corrida de 100 m para homens, repetiu a façanha nos 100 m para mulheres, fazendo " barba, cabelo e bigode ", isto é, obtendo as medalhas de ouro, prata e bronze.
c) Façanha semelhante fez a Etiópia na corrida dos 10.000 m para homens, conseguindo as três medalhas.
d) Fato lamentável aconteceu com o ginasta brasileiro Diego Hypólito, favorito para obter uma das medalhas, mas que caiu no chão ao final de sua apresentação.

VEJA A DIFERENÇA QUE FAZ UM ACENTO

1. anus ( aves)...............ânus ( orifício fecal )
2. ate ( do verbo atar )... até ( preposição )
3. bebe ( verbo beber )... Bebê ( criança de colo )
4. cagado ( sujo de fezes).. cágado ( animal )
5.cá ( aqui )..................... cã ( cabelo branco)
6. cara ( rosto )............... cará ( planta hortícola)
7. círculo ( do verbo circular )...................... círculo ( redondo )
8. coco ( fruto do coqueiro )........................ cocô ( fezes )
9. ela ( pronome ) ........... elã ( ímpeto )
10. fa ( nota musical )....... fã ( admirador )
11. gala ( pompa )............. galã ( namorador )
12. iça ( do verbo içar )..... içá ( tanajura )
13. ira ( raiva ).................. Irã ( país )
14. lá naquele lugar )........ lã ( pelo de carneiro
15. mana ( irmã ).............. maná ( alimento )
16. manha ( astúcia )....... manhã ( alvorecer )
17. nos ( contração )....... nós ( pronome )
18. pais ( progenitores )... país ( nação )
19. ira ( raiva )................. Irã ( país )
20. para ( preposição ).... Pará ( estado brasileiro )
21. saque ( retirada )....... saquê ( vinho de arroz)
22. vila ( povoado ).......... vilã ( desprezível )

CONHECENDO OS HORMÔNIOS

Hormônios são substâncias orgânicas que, produzidas em certas glândulas, entram na corrente circulatória e vão funcionar como mensageiros químicos, coordenando o crescimento e o funcionamento dos diferentes órgãos dos organismos vivos. Assim, existem hormônios animais e hormônios vegetais.
A. Hormônios animais. São assim chamadas as substâncias secretadas por determinadas glândulas que, lançadas na corrente sanguínea, vão atuar sobre outros órgãos, situados à distância. Produzidos em pequenas quantidades, os hormônios são altamente específicos, isto é, entram em contato com praticamente todos os tecidos do corpo, mas só atuam sobre determinados tipos de células.
Podem ser: a) de natureza protéica, como a insulina, a adrenalina, a tiroxina, etc.; b) esteróides, derivados do colesterol.
Os hormônios animais exercem várias funções, tais como: a) controle do crescimento; b) controle da produção de gametas masculinos e femininos; c) manter o equilíbrio das diversas funções do organismo; d) regular o fluxo de nutrientes e calorias, etc.
A insulina, por exemplo, é produzida no pâncreas e possibilita ao fígado e às células musculares retirarem o excesso de glicose do sangue.
C. Hormônios vegetais. São substâncias orgânicas de ocorrência natural nas
plantas, produzidas em um tecido e transportadas para outro, onde provocam reações fisiológicas. Os hormônios vegetais também são específicos e ativos em pequenas quantidades. A auxina, por exemplo, exerce papel importante no crescimento da raiz e do caule.

CONHECENDO OS VERMES

Vermes é o nome dado a animais de corpo mole e alongado, desprovidos de patas ou incapazes de levantar-se sobre suas patas.
Três ramos de Invertebrados são constituídos unicamente por vermes: a) Anelídeos ou vermes anelados; b) Platielmintos ou vermes achatados; c) Nematelmintos ou vermes redondos
A. Anelídeos. Animais invertebrados de corpo alongado, dividido em anéis ou segmentos semelhantes. Cada segmento é portador de cerdas, mais desenvolvidas nas espécies marinhas do que nas espécies terrestres. As sanguessugas, desprovidas de cerdas, possuem um par de ventosas localizadas em cada extremidade do corpo.
O ramo Anelídeos possui 4 classes: a) Arquianelídeos, de pequeno porte, cerdas geralmente ausentes, de vida marinha; b) Poliquetas, com cabeça provida de tentáculos, corpo com numerosos segmentos providos de numerosas cerdas, predominantemente marinhos; c) Oligoquetas, sem cabeça, poucas cerdas por segmento, hermafroditas, encontrados principalmente em água doce ( rios e lagos ) ou no solo; d) Hirudíneos, com corpo deprimido, ventosas terminais, sem tentáculos, de vida aquática e terrestre.
As minhocas, do grupo Oligoquetas, desempenham papel importante na reciclagem de nutrientes de planta, no solo.
B. Platielmintos. Animais de corpo alongado e chato, frequentemente parasitasde outros organismos, inclusive do homem. Comprendem 4 classes: a) Tubelárias ( planária ); b) Trematódeos ( fascíola, esquietossomo ); c) Cestódeos ( tênias ); d) Nemertinos ( líneo ).
Na maioria os Platielmintos são hermafroditas, como as tênias; porém, alguns grupos têm os sexos separados, como os esquistossomos.
C. Nematelmintos. Animais invertebrados de corpo alongado, redondo e não segmentado, geralmente parasitas. Compreendem numerosas famílias parasitárias, como por exemplo: áscaride ( lombriga ), oxiúro, ancilóstomo, necator, nematóide, filária, etc. São de grande importância para a Parasitologia ( estudo dos
parasitas ).

CONHECENDO OS PLÁSTICOS

Plásticos são compostos sintéticos que se caracterizam por conterem como ingrediente principal um polímero, isto é, uma substância orgânica de elevado peso molecular. O processo para a obtenção dos plásticos chama-se polimerização, que é feita a partir de resinas e gomas naturais.
Os primeiros plásticos produzidos foram: o celulóide, o raion e a borracha sintética. Atualmente, é grande o número de produtos plásticos, que são muito úteis pela sua versatilidade, podendo adquirir a rigidez dos metais, a elasticidade da borracha natural, a transparência do vidro, a leveza da cortiça e muitas outras propriedades. Por isso, encontram grande aplicação como sucedâneos de vários tipos de materiais, inclusive tecidos ( nylon, tergal, etc. ), sendo considerados a substância do século XX.
De acordo com sua reação ao calor, podem ser divididos em dois grupos: a) termo-
plásticos; b) termofixos.
Os termoplásticos são fundíveis, amolecendo quando aquecidos e endurecendo ao
esfriarem. Exemplos: nylon, polietileno, etc. Os termofixos são infundíveis a pressões ordinárias. Exemplos: fórmica, baquelita, etc.
Outra classificação baseia-se na sua composição química. Assim, os que derivam de fenóis e aldeídos classificam-se como plásticos fenólicos, como por exemplo a fórmica.
Exemplos de materiais plásticos: fórmica, poliestireno, polietileno, PVC ( cloreto de polivinila ), baquelita, celulóide, poliéster, borracha sintética, silicone, etc.
Como desvantagem dos plásticos, os produtos descartáveis, como certas embalagens são de difícil decomposição.

CONHECENDO PALAVRAS PARÔNIMAS

Palavras parônimas ou simplesmente parônimos são palavras parecidas na escrita e na pronúncia, mas com significados diferentes. Vejamos alguns exemplos:
1. absorver ( aspirar ) e absolver ( inocentar )
2. aprender ( conhecer ) e apreender ( tomar )
3. arrear ( por arreio ) e arriar ( baixar )
4. calção ( calça curta ) e caução ( fiança )
5. cavaleiro ( montado a cavalo ) e cavalheiro ( homem educado )
6. comprimento ( extensão ) e cumprimento ( saudação )
7. conjetura ( suposição ) e conjuntura ( circunstância )
8. deferir ( conceder ) e diferir ( ser diferente )
9. degredado ( exilado ) e degradado ( estragado )
10. delatar ( denunciar ) e dilatar ( alargar )
11. descrição ( ato de descrever ) e discreção ( modéstia )
12. emergir ( vir à tona ) e imergir ( mergulhar )
13. eminente ( célebre ) e iminente ( prestes a acontecer )
14. fluir ( escoar ) e fruir ( desfrutar )
15. incidente ( episódio ) e acidente ( aconteci-
mento casual e grave )
16. inflação ( alta dos preços ) e infração ( transgressão da lei )
17. óptico ( relativo à visão ) e ótico ( relativo ao ouvido )
18. pleito ( eleição ) e preito ( homenagem )
19. ratificar ( confirmar ) e retificar ( corrigir )
20. trafego ( trânsito ) e tráfico ( comércio ilícito )

CONHECENDO OS PRODUTOS DA CANA-DE-AÇÚCAR

A cana-de-açúcar é uma cultura de grande importância econômica, que se destina a fornecer matéria-prima para várias indústrias: a) de produtos alimentícios - açúcar, rapadura, aguardente, etc.; b) produtos farmacêuticos e industriais - álcool anidro, álcool hidratado,etc.; c) consumo " in natura " como garapa ( caldo de cana), forragem para animais, etc.
Nas usinas, após a extração do caldo por moagem dos colmos, obtém-se o açúcar pela concentração da sacarose contida na garapa. São produzidos dois tipos de açúcar: cristal e refinado. Como subprodutos da fabricação de açúcar tem-se: a) bagaço - utilizado na geração de energia, obtenção de celulose para fabricação de papel, papelão e aglomerados, além de ser utilizado também na alimentação animal; b) cinzas - contendo potássio, cálcio,magnésio e fósforo, empregadas na adubação da lavoura canavieira; c) torta de filtro - rica em matéria orgânica e mineral, aproveitada para adubação da lavoura e
melhoramento do solo; d) melaço - usado para compor ração animal, substrato para fabricação de bebidas destiladas, fermentos para panificação, etc.
Nas destilarias, da fermentação do caldo resultam dois tipos de álcool: a) álcool anidro, que pode ser misturado `a gasolina; b) álcool retificado que, além de servir como combustível, é utilizado nas indústrias química, farmacêutica, de bebidas e de perfumarias. Como principais sub-produtos das destilarias, além do bagaço tem-se: a) vinhaça - rica em matéria orgânica e potássio e com grande volume de água, destinada à fertirrigação da lavoura canavieira; b) óleo fusel - grupo de álcoois com elevado ponto de ebulição, utilizado como solvente industrial; c) levedura seca - usada na alimentação humana e nutrição animal.
Em pequenos engenhos, os colmos são processados para obtenção de melado ( xarope comestível ), rapadura para consumo direto ou como adoçante, aguardente ou caninha e açúcar mascavo, muito procurado pelos naturalistas.

CONHECENDO OS NOMES DE ANIMAIS E SEUS FILHOTES

Macho Fêmea Filhote
1, boi, touro vaca bezerro
2. cavalo égua potro
3. bode cabra cabrito
4. carneiro ovelha borrego
5. porco porca leitão
6. galo galinha pinto
7. leão leoa leãozinho
8. gato gata gatinho
9. cão cadela cãozinho
10. tigre tigresa tigrinho
11. rã macho rã fêmea girino
12. peixe macho peixe fêmea alevino
13. urso ursa ursinho
14. onça macho onça fêmea oncinha
15. inseto macho inseto fêmea larva, lagarta
16. pato pata patinho
17. peru perua peruzinho

Terminadas as Olimpíadas de Beijinj, a colocação final dos países competidores ( 204 )
foi a seguinte:

País Ouro Prata Bronze Total
1. China 51 21 28 100
2. E.U.A. 36 38 36 110
3. Rússia 23 21 28 72
4. Grã-Bretanha 19 13 15 47
5. Alemanha 16 10 15 41

23. Brasil 3 4 8 15

CONHECENDO A BORRACHA

Quimicamente, a borracha é um polímero, semelhante aos plásticos, constituído por moléculas grandes. Pode ser natural ou sintética.
A. Borracha natural. É obtida por coagulação do látex de certas plantas. Cerca de 90% da produção mundial de borracha provém da seringueira, uma árvore nativa da Amazônia, atualmente cultivada em muitos países, principalmente do sudeste da Ásia ( Malásia, Indonésia, Tailândia, etc. ).
A coleta do látex é feita através de incisões em diagonal, na casca do tronco , coletando-se o látex em tigelas colocadas no final das incisões.
A borracha natural é obtida pelo aquecimento do látex até a coagulação. Para evitar que ela se torne pegajosa quando aquecida e dura quando fria, a borracha é submetida ao processo de vulcanização, que consiste em misturar com enxofre e aquecer, obtendo-se um produto mais firme e consistente, mantendo a elasticidade.
A borracha vulcanizada é utilizada principalmente para a fabricação de pneus e câmaras-de-ar, mangueiras, isolamento de fios elétricos, etc.
B. Borracha sintética. É obtida pela transformação química do carvão, do petróleo e de certos óleos vegetais. A borracha sintética não é exatamente igual à borracha natural; contudo, dependendo da matéria-prima e do processo empregado, podem ser obtidos vários tipos de borracha sintética, que servem para fins específicos. O maior produtor de borracha sintética são os Estados Unidos.
Há ainda a chamada borracha regenerada, resultante do aproveitamento, também por meios químicos, de pneus, câmaras-se-ar e outros produtos de borracha desgastados pelo uso.

CONHECENDO PALAVRAS SEMELHANTES

A semelhança entre palavras pode ser na grafia ou na pronúncia. Assim, quanto à grafia as palavras podem ser: homógrafas ( mesma grafia ) e heterógrafas (grafia diferente); e quanto `pronúncia podem ser: homólogas (mesma pronúncia ) e heterófonas ( pronúncia diferente ). Assim, podemos ter:
A. Palavras homógrafas e heterófonas. Possuem a mesma grafia, mas pronúncia algo diferente. Exemplos:
1. apelo ( convite ) e apelo ( do verbo apelar
2. boto ( animal ) e boto ( do verbo botar )
3. choro ( pranto ) e choro ( do verbo chorar
4. este ( pronome ) e este ( ponto cardeal )
5. fecho ( ferrolho ) e fecho (do verbo fechar
6. rola ( ave ) e rola ( do verbo rolar )
7. soco ( murro ) e soco ( do verbo socar )
B. Palavras homófonas e heterógrafas. Possuem a mesma pronúncia, mas grafias
diferentes. Exemplos:
1. caçar ( pegar animais silvestres ) e cassar ( anular )
2. cerrar ( fechar ) e serrar ( cortar com serrote ).
3. coser ( costurar ) e cozer ( cozinhar )
4. esperto ( inteligente ) e experto ( perito )
5. espiar ( observar ) e expiar ( sofrer castigo ).
6. estrato ( camada ) e extrato ( resumo )
7. sexto ( numeral ) e cesto ( recipiente )
C. Palavras homógrafas e homófonas.Possuem a mesma grafia e a mesma pronúncia, porém significados diferentes. Exemplos:
1. capital ( bens ) e capital ( cidade principal )
2. coral ( cobra ) e coral ( grupo de cantores )
3. grama ( unidade de peso ) e grama ( relva )
4. lente ( professor ) e lente ( vidro de aumento )
5. macaco ( símio ) e macaco ( ferramenta
6. moral ( ânimo ) e moral ( ética )
7. planta ( vegetal ) e planta ( mapa )

CONHECENDO OS TIPOS DE FOLHAS

As folhas são órgãos laterais que nascem sobre o caule das plantas ou sobre seus ramos e que têm como principal função a fotossíntese, isto é, a produção de compostos orgânicos a partir de água e gás carbônico, usando a luz solar como fonte de energia. Sua superfície apresenta pequenas aberturas, chamadas estômatos, através das quais se efetuam as trocas gasosas entre a planta e o ambiente.
As folhas podem ser simples ou compostas. As folhas simples têm um só limbo ( lâmina ), como as da laranjeira. As folhas compostas têm o limbo dividido em vários folíolos, como as da roseira.
Quanto à duração, as folhas podem ser:a) perenes ou sempre-verdes, como as da mangueira; b) decíduas ou caducas, como as do caquizeiro, que caem na estação seca.
As folhas exibem grande diversidade de formas e tamanhos. Quanto à forma, podem ser:oval ( laranjeira ), elíptica ( cacaueiro ), assimétrica ( begônia ), acicular ( pinheiro ), lanceolada ( espada-de-são-jorge ), linear ( cana-de-açúcar)
etc.
Além das folhas normais, existem folhas aquáticas, como as da vitória-régia; folhas xeromorfas, adaptadas a ambientes secos, como as da catingueira do Nordeste; folhas fibrosas, como as do sisal, etc.
As folhas também podem sofrer modificações, adaptando-se para exercer outras funções. São exemplos: a) folhas coletoras, das plantas epífitas como a orquídea; b) folhas insetívoras, das plantas carnívoras, como a Drosera; c) gavinhas, das plantas trepadeiras, como a ervilha; d) espinhos, como os do cactos, etc.

CONHECENDO AS FERAS DO MAR

Dentre os peixes, em primeiro lugar vêm os tubarões; porém, nem todas as cerca de 250 espécies conhecidas de tubarão são perigosas para o homem. Algumas medem apenas 30 cm de comprimento; outras atingem até 15 metros e são, com exceção das baleias, os maiores entre os animais marinhos.
O mais perigoso, segundo os entendidos no assunto, é o anequim - tubarão veloz, dotado de mandíbulas fortíssimas que, às vezes, chega a pesar quase 4 toneladas. Ele tem atacado muitos banhistas, principalmente ao longo da costa do Atlântico, na América do Norte.
Parente próximo do tubarão-branco, e nadador ainda mais rápido, é o tubarão-macaco, espécie que vive a grandes profundidades. Outra espécie feroz é o tubarão-martelo, cuja cabeça com formato de T se assemelha a um martelo.
Outro grupo de tubarões ferozes é o dos chamados tubarões- réquien, dos quais se destacam a " tintureira ", espécie listrada e muito temida nas Índias Ocidentais e na Austrália; e o cação-limão, de tamanho menor mas igualmente feroz.
Além dos tubarões, outro peixe perigoso de água salgada é a barracuda, comum nas costas brasileiras.
Dentre os mamíferos aquáticos, destacam-se: a) leopardo-do-mar, uma foca do Oceano Antártico de 3,5 metros de comprimento, que ataca outras focas menores; b) orca, com cerca de 9 metros de comprimento, é um animal voraz, que sai à caça em bandos, devorando pinguins, peixes, morsas e focas.
A " baleia-matadora " e a moréia são outros animais marinhos perigosos. A moréia é um peixe agressivo, de corpo serpentiforme.

VEJA A DIFERENÇA QUE FAZ UM ARTIGO

Na língua portuguesa, muitas palavras mudam de significado quando precedidas do artigo o ou a.Exemplos:
1. o cabeça ( chefe )
a cabeça ( parte do corpo )
2. o capital ( bens )
a capital ( cidade principal )
3. o cara ( indivíduo )
a cara ( rosto )
4. o cobra ( pessoa habilidosa )
a cobra ( serpente )
5. o coral ( canto em coro )
a coral ( cobra )
6. o cura ( pároco )
a cura ( recuperação da saúde )
7. o guia ( pessoa que é seguida por
outras ).
a guia ( documento )
8. o final ( término )
a final ( última prova de uma competição esportiva ).
9. o grama ( unidade de peso )
a grama ( relva )
10. o lente ( professor )
a lente ( vidro de aumento )
11. o moral ( ânimo )
a moral ( ética )
12. o nascente ( lado onde nasce o sol )
a nascente ( fonte )
13. o rádio ( aparelho receptor )
a rádio ( estação emissora )
14. o tira ( policial )
a tira ( fita )

CONHECENDO A IDADE DAS ÁRVORES

É possível saber a idade de uma árvore examinando-se o número de anéis anuais de
crescimento do seu tronco. O crescimento transversal do tronco de uma árvore se dá numa delgada camada de células que há entre o lenho e a casca, chamada câmbio.
O cerne do tronco, constituído de lenho maciço, não pode expandir-se. É evidente que o crescimento também não poderá realizar-se na casca da árvore. A camada intermediária de câmbio produz células dos dois tipos, isto é, células de lenho, voltadas para dentro; e células de casca, voltadas para fora. Assim,o lenho vai se tornando cada vez mais largo, enquanto a casca vai se afastando progressivamente do centro.
Em regiões de clima com inverno frio ou com uma estação seca, as árvores têm uma fase de repouso, na qual o crescimento em espessura do tronco cessa durante a estação desfavorável. Assim, durante um ano, formam-se dois anéis, um delgado e outro mais espesso. Examinando a sequência de anéis anuais do tronco, os especialistas conseguem avaliar a idade da árvore. Na Califórnia ( Estados Unidos ), por exemplo, existem sequóias com mais de 3.000 anos de idade.
Por outro lado, nas regiões de cima tropical úmido sem estação seca definida, como na floresta amazônica, o crescimento do tronco em espessura é relativamente uniforme e os anéis pouco nítidos, o que dificulta a avaliação da idade das árvores.


CONHECENDO AS ONOMATOPÉIAS - 1

Numerosas palavras da língua portuguesa devem sua origem a uma tendência natural da fala humana para imitar as vozes dos animais e os ruídos da natureza. Tais palavras, que reproduzem aproximadamente os mencionados sons, são chamadas onomatopéias. Seguem-se as principais palavras imitativas de vozes dos animais ( exceto das aves ):
1. balir - ovelha, cordeiro
2. blaterar - camelo
3. berrar - cabrito
4. bufar - sapo
5. coaxar - rã
6. chocalhar - cascavel
7. cri-cri - grilo
8. grunhir - porco
9. guinchar - macaco
10. latir - cão
11. miar - gato
12. mugir - boi, vaca
13. relinchar - cavalo
14. rosnar - cão, gato
15; rugir - leão, onça
16. sivar - cobra
17. uivar - cão, lobo
18. urrar - feras
19. zumbir - abelha
20. zurrar – burro

CONHECENDO AS ONOMATOPÉIAS - 2

A literatura luso-brasileira registra numero-
sas palavras imitativas das vozes das aves, as
quais são chamadas onomatopéias. Exemplos:
1. arrulhar - pombo, rolinha
2. bem-te-vi - pássaro do mesmo nome
3. berrar - arara
4. cacarejar - galinha
5. charlar - periquito
6. chilrear - andorinha
7. cocoricar - galo
8. crucitar - corvo
9. gorjear - passarinhos
10. gloterar - cegonha
11. grasnar - pato, ganso
12. guinchar - águia, gavião
13. grugulejar - peru
14. parlar - papagaio
15. piar - pinto, codorna
16. pinhé - gavião
17. retinir - araponga
18. trinar – sabiá

CONHECENDO AS ONOMATOPÉIAS - 3

Existem também onomatopéias que procuram imitar alguns ruídos familiares. Exemplos:
1. atchim - espirro
2. badalar, bimbalhar - sino
3. chiar - carro de boi
4. chocalhar - chocalho
5. ciciar - brisa
6. espoucar - fogos de artifício
7. estampido - arma de fogo
8. estralejar - chicote
9. farfalhar - folhas das árvores
10. fonfonar - buzina de automóvel
11. frufru - rumor de vestidos
12. guinchar - carro em velocidade
13. rataplã - tambor
14. ribombar - trovão
15. ruflar - rumor de saias
16. sibilar - balas de arma
17. tique-taque - relógio
18. tilintar - moedas, campainha
19. tinir - copos, cristais
20. trilar – apito

CONHECENDO OS FELINOS

Os felinos ou Felídeos constituem uma família de mamíferos carnívoros, da qual fazem parte: gato, leão, tigre, onça, leopardo, lince, etc. Ocorrem em todos os continentes, com exceção da Austrália. Alguns, porém, não ocorrem em todos os continentes, como o leão e o tigre, encontrados na África e Ásia.
São animais de tamanho variado ( desde 30 cm até 3,50 m de comprimento ), musculosos, ágeis, ariscos e de grande flexibilidade de movimentos. Predadores por excelência, possuem unhas ou garras retráteis; seus dentes incisivos são pequenos e pouco especializados, enquanto os molares são longos e cortantes, próprios para dilacerar a carne de suas presas.
Geralmente caçam agachando-se cautelosamente, para em seguida lançarem-se sobre a presa.Têm em geral bom olfato ( faro ), ótima audição e ótima visão.Geralmente descansam durante o dia e caçam à noite.
Os gatos selvagens alimentam-se de animais que caçam, principalmente aves e peixes; não comem carniça. Os gatos domésticos, devido ao convívio com humanos. partilham de seus alimentos e se tornam onívoros.
Não se deve dar aos gatos domésticos peixes com espinhos nem aves com ossos. Embora também se alimentem de ratos que caçam, o melhor é fornecer-lhes ração apropriada.
Já os grandes felinos, como leão, tigre, onça, etc. são tipicamente carnívoros, alimentando-se principalmente de animais herbívoros ou de outros carnívoros.
A maioria dos felinos sobe em árvores, como a onça, o leopardo e o guepardo; outros não sobem, como o leão. Nem todos nadam bem mas dificilmente morrem afogados.
No Brasil, além de várias raças de gato doméstico, encontram-se: gato-do-mato, jaguatirica, onça-pintada , suçuarana ou onça parda.

CONHECENDO OS CANÍDEOS

Os Canídeos constituem uma família de mamíferos carnívoros, que abrange as diversas raças de cão doméstico e várias espécies selvagens. Dentre estas últimas, as mais importantes são: a) lobo europeu; b) lobo americano; c) chacal asiático; d) raposa européia;e) dingo da Austrália.
No Brasil, as espécies selvagens mais conhecidas são o cachorro-do-mato, o guará ou lobo brasileiro e a raposa-do-campo.
O cão foi o primeiro animal a ser domesticado pelo homem, tornando-se seu companheiro e animal de estimação.
São animais de focinho alongado, ágeis e dotados de faro e audição excelentes.
Dada a diversidade de condições em que os cães são criados e utilizados, atualmente existe grande número de raças ( cerca de 200 ) que, de acordo com suas aptidões, podem ser divididos em vários grupos: a) cães de caça e tiro; b) cães de caça e presa; c) cães de guarda; d) cães de trabalho; e) cães terriers; f) cães de luxo; g) cães de companhia, etc.
As espécies selvagens geralmente vivem em pares em lugares descampados e caçam durante o dia.
Não se deve dar aos cães peixes com espinhos ou aves com ossos, que podem ferir
a garganta. É aconselhável fornecer-lhes ração apropriada.

CONHECENDO O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Desenvolvimento econômico é uma expressão usada em Economia para designar o crescimento econômico de longa duração e mudanças estruturais de um país, resultantes da transição de uma sociedade de base tradicionalmente agrária para uma organização industrial moderna. De forma mais abrangente, desenvolvimento inclui os meios de erradicação da pobreza, da elevação da renda e da melhoria das condições e vida da população.
As diferentes estruturas econômicas levam a uma classificação geral dos países em dois grupos: a) países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, cuja economia tem como base uma indústria primária, ou seja, a agricultura e a extração mineral; b) países desenvolvidos, com uma industrialização avançada.
O principal critério para essa classificação é a renda " per capita ", que se obtém dividindo a renda nacional pelo número de habitantes. Assim, países super-povoados, como a China e a Índia, têm maior dificuldade para se desenvolverem.
As principais características do desenvolvimento são: a) aumento da industrialização; b) diminuição da pobreza; c) elevação das opor-
tunidades de emprego.
Além da renda " per capita ", outros critérios, de natureza social, foram propostos: a) esperança de vida; b) mortalidade infantil; c) número de leitos de hospital por habitante; d) porcentagem de alfabetização; e) escolaridade; f) taxa de desemprego, etc.
Usando somente o critério econômico da renda " per capita ", países como a Venezuela e o Kwaite seriam classificados como desenvolvidos; porém, aplicando os critérios sociais, constata-se que, realmente, esses países não são desenvolvidos.
Dentre os países desenvolvidos, alguns são antigos, como a Alemanha, a Inglaterra e a França; outros são relativamente novos, como Estados Unidos, Canadá e Austrália.
Dentre os países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, alguns são antigos, como Egito, Índia e China; outros são relativamente novos, como Brasil, México e Nigéria.
Caso interessante é o do Japão, país que apesar de ocupar uma área reduzida, praticamente sem recursos naturais, tem uma economia altamente desenvolvida, baseada na importação de matérias-primas e exportação de produtos industrializados.

CONHECENDO AS FOBIAS

Fobia é a designação genérica das várias espécies de medo mórbido. Muitas pessoas têm algum tipo de medo, os quais recebem nomes específicos. Vejamos alguns exemplos:
1. acrofobia - medo de lugares altos
2. agorafobia - medo de andar na rua
3. anemofobia - medo de vento
4. aracnofobia - medo de aranha
5. astrofobia - medo de raios e trovões
6. cinofobia - medo de cachorro
7. claustrofobia - medo de recintos fechados
8. fobofobia - medo de ter medo
9. hematofobia - medo de sangue
10. hidrofobia - medo de água
11. necrofobia - medo de cadáver
12. nictofobia - medo da escuridão
13. ofiofobia - medo de cobra
14. panfobia - medo de tudo
15. pirofobia - medo de fogo
16. tanatofobia - medo da morte
17. xenofobia - medo de estrangeiros

CONHECENDO SINÔNIMOS E ANTÔNIMOS

Sinônimos são palavras que têm o mesmo significado; antônimos são palavras de significado oposto. Exemplos:

Palavra Sinônimo Antônimo
1. ágil rápido lento
2. alto elevado baixo
3. avançar progredir regredir
4. caminhar andar parar
5. caro oneroso barato
6.comprido longo curto
7. contemporâneo atual antigo
8. desordem anarquia ordem
9. extinguir apagar acender
10. forte robusto fraco
11. gordo obeso magro
12. início começo fim
13. inimigo adversário amigo
14. louvar enaltecer criticar
15. mau ruim bom
16. morte falecimento nascimento
17. ódio raiva amor
18. próximo perto longe
19. rir sorrir chorar
20. tirar retirar colocar

CONHECENDO AS GRAMÍNEAS

Gramíneas é o nome popular atribuído às plantas da família Gramináceas, sem dúvida a mais importante porque inclui várias plantas de grande importância econômica. Geralmente são espécies de pequeno porte ( com exceção do bambu ), herbáceas, com raízes fasciculadas ou em cabeleira e caule do tipo colmo, geralmente ôco ( o da cana-de-açúcar é cheio ), dividido em gomos por nós; e folhas longas e estreitas.Abrange cerca de 8.000 espécies. destacando-se:
1. plantas alimentícias ( cereais ) - arroz, milho, trigo, aveia, etc.
2. plantas produtoras de matérias-primas para a fabricação de produtos industrializados: cana-de-açúcar ( cachaça, açúcar e álcool ), cevada ( cerveja, uísque ), milho ( óleo, farinha de milho ).
3. plantas forrageiras, usada na alimentação dos animais domésticos ( grãos, pastagens, silagem, feno ): milho, cana-de-açúcar, alfafa, capim-colonião, etc.
4. plantas ornamentais, usadas na formação de gramados de jardins, campos esportivos e taludes: grama-tapete, grama-batatais, grama-bermuda, etc.
5. plantas de cobertura, usadas na proteção do solo contra a erosão pela chuva: capins e gramas. Essa proteção é proporcionada de duas maneiras: a) a parte aérea amortece o impacto das gotas de chuva, evitando a desagregação do solo; b) a parte subterrânea ( raízes fasciculadas ) trava o sol, impedindo o seu arrastamento.
Cumpre mencionar ainda o bambu – uma gramínea de caule lenhoso, com colmos fibrosos, de diferentes tamanhos, alguns chegando a 30 metros de altura e que são utilizados para várias finalidades.

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget