"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

domingo, 29 de maio de 2011

CONHECENDO OS ANIMAIS COM NOME "PEIXE"

Geraldo Victorino de França (Voinho)

Peixe é a designação geral de uma classe de animais vertebrados aquáticos, que compreende cerca de 20.000 espécies. Acrescida de qualificativos, a palavra é usada para indicar espécies de peixes com características especiais e também duas espécies de mamíferos aquáticos. Vejamos alguns exemplos:
1. Peixe-agulha. Nome de um peixe escombrídeos, de forma cilíndrica e alongada.
2. Peixe-boi. Mamífero aquático da ordem dos sirênios.
3. Peixe-boto. Mamífero aquático da ordem dos cetáceos.
4. Peixe-cachorro. Nome de vários peixes de água doce, da família dos caracídeos.
5. Peixe-de-briga. Peixe asiático da família dos ananubatídeos, frequentemente criado em aquários.
6. Peixe-elétrico. O mesmo que poraquê.
7. Peixe-espada. Nome de vários peixes com prolongamento da nadadeira caudal.
8. Peixe-lua. Grande peixe discóide, quase sem cauda.
9. Peixe-martelo. Espécie de cação com a cabeça prolongada lateralmente, assemelhando-se a um martelo.
10. Peixe-mulher. A fêmea do peixe-boi.
11. Peixe-serra. Peixe que possui na parte frontal da cabeça um prolongamento ósseo chamado " rostro " , tendo nos bordos várias saliências ou dentes, assemelhando-se a uma serra.
12. Peixe-voador. Nome dado a várias espécies de peixes marinhos que, para escapar de seus predadores, saltam para fora d'água e planam no ar com auxílio de suas grandes nadadeiras peitorais.

sábado, 28 de maio de 2011

CONHECENDO OS TIPOS DE PRECIPITAÇÃO ATMOSFÉRICA

Geraldo Victorino de França  (Voinho)

Precipitação atmosférica é o nome que se dá ao fenômeno de queda ao solo, do vapor d'água contido na atmosfera e que resulta dos processos de : a) condensação; b) congelamento; c) saturação. O conceito abrange, portanto, não somente a chuva, que é a precipitação líquida, mas também a neve, o granizo, o nevoeiro, o orvalho e a geada.
Do ponto de vista prático é a chuva ou precipitação pluvial que apresenta maior interesse, pois dela depende o abastecimento de água para as plantas, os animais e o homem.
A chuva cai em forma de pequenas gotas que resultam da condensação do vapor d'água. Essa queda pode ocorrer de diversos modos, distinguindo-se: a) chuva leve; b) chuva forte; c) temporal. A intensidade ( mm/h ), o diâmetro das gotas ( mm ) e a velocidade de queda ( m/seg ) aumentam de (a) para (c).
O granizo ou chuva de pedra ocorre por congelamento das gotas d'água, quando a temperatura se aproxima de zero grau. A neve ocorre nas regiões frias, resultando da mudança da fase gasosa diretamente para a fase sólida, sem a passagem pela fase líquida.
Orvalho é a precipitação que ocorre por condensação da umidade do ar junto à superfície do solo ou de objetos expostos.
A geada se forma pelo congelamento do orvalho à temperatura de zero grau.
Um tipo especial de precipitação é o nevoeiro, que se forma próximo ao solo, afetando a visibilidade; resulta da saturação do ar pelo esfriamento ou evaporação. Ao nevoeiro tênue dá-se o nome de neblina; e ao nevoeiro espesso, de cerração.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Curiosidades do Reino Vegetal

Jequitibá
Geraldo Victorino de França (Voinho)

a) A árvore mais velha conhecida no Brasil é um jequitibá existente no Parque Estadual de Vassununga, em Santa Rita do Passa Quatro ( SP ), que tem 3.020 anos. O diâmetro do tronco tem 3,60 metros e o da copa, cerca de 40 metros.
b) Em relação à produção global, o milho é a planta mais cultivada, produzindo anualmente mais de 600 milhões de toneladas de grãos. O arroz e o trigo vêm em seguida, com pouco menos de 600 milhões de toneladas. Juntos, estes dois últimos constituem a base da alimentação humana.
c) A jaqueira, assim como a jabuticabeira, produz seus frutos no tronco e nos galhos. Aliás, a jaca é o maior fruto comestível, medindo até 80 cm de comprimento e chegando a pesar mais de 15 kg.
d) A barriguda, árvore típica do Nordeste Brasileiro, possui o tronco intumescido na parte mediana, onde chega a medir 1,5 m de diâmetro.
e) As lianas ou cipós são plantas trepadeiras que, por se apoiarem em outras plantas ( árvores e arbustos ), podem atingir grande altura, chegando a mais de 100 m. Ocorrem principalmente em florestas tropicais, sobretudo na floresta Amazônica.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

CONHECENDO OS BOVINOS

Geraldo Victorino de França (Voinho)

Os bovinos constituem a família Bovídeos, que são mamíferos quadrúpedes, herbívoros e ruminantes, ungulados ( que têm os dedos das patas protegidos por cascos). Possuem os cascos fendidos e, em geral, um par de chifres. O estômago, volumoso, ocupa quase ¾ partes da cavidade abdominal e divide-se em 4 compartimentos: a) rúmen ou pança; b) retículo; c) folhoso; d) coagulador, este último o verdadeiro estômago.
São animais de grande porte, incluindo espécies domésticas e selvagens.
Dentre as espécies domésticas destacam-se três, muito exploradas como animais de trabalho na agricultura e como transporte, ou como produtoras de carne e leite:a) boi europeu; b) zebu ou boi indiano; c) búfalo. Distribuem-se por todo o mundo, havendo numerosas raças, especializadas para várias finalidades.
Dentre as espécies selvagens destacam-se: a) bisão norte-americano; b) bisão europeu; c) iaque, das regiões do Himalaia e do Tibete; d) banteng, que vive em Java, Bornéo e Indochina; e) gaial, habitante das selvas da Índia e da Indochina; f) gaur, que vive nas florestas da Índia e da Birmânia; g) gnu, nas savanas da África.
No Brasil, criam-se principalmente raças de boi europeu ( Holandesa, Jersey ) para a produção de leite; e raças zebuínas ( Gir, Nelore, Guzerá, etc. ) para a produção de carne.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Curiosidades da Amazônia

Geraldo Victorino de França (Voinho)

a) A Amazônia é uma grande região natural situada no norte da América do Sul, que inclui toda a bacia do rio Amazonas, abrangendo terras do Brasil, Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia, totalizando uma área de
3.580.000 km2.
b) È chamada " hiléia " a floresta latifoliada ( folhas largas ) e perenifólia ( folhas perenes) que cobre a maior parte da Amazônia, constituindo a maior floresta tropical do mundo, só superada pela floresta temperada de coníferas, da Rússia.
c) Apresenta grande biodiversidade ou diversidade biológica, contando com cerca de ...100.000 espécies vegetais e aproximadamente 1 milhão de espécies animais, com predominância dos insetos.
d) No Brasil, compreende os estados do Amazonas, Pará, Acre, Rondônia, Roraima, Tocantins, oeste do Maranhão e Norte do Mato Grosso, perfazendo uma área de 3.026.500 km2, correspondente a 57% do território brasileiro.
e) O clima predominante é quente e úmido, praticamente sem estação seca. O total anual de chuvas varia de 1.000 a 3.000 mm.
f) A bacia hidrográfica do Amazonas é a maior do mundo, contendo grande número de rios que são mais longos que qualquer rio europeu.
g) O rio Amazonas é o maior do mundo em volume d'água, com uma vazão média de 200.000 m3/seg.
h) O rio Amazonas é o segundo maior rio do mundo em extensão, sendo superado apenas pelo rio Nilo, com um volume d'água bem menor. Mede 6.280 km, desde a sua nascente no Peru, no alto dos Andes, até a sua foz na costa norte do Brasil. i) No trecho final,a largura do rio Amazonas considerável, chegando a alcançar algumas dezenas de quilômetros, parecendo um verdadeiro mar de águas barrentas. Na época das inundações, o seu leito maior fica totalmente recoberto pelas águas, atingindo em certos trechos uma faixa de 50 km de largura.
j) Na foz do Amazonas , as marés se manifestam com grande amplitude e impetuosidade, produzindo o fenômeno chamado pororoca, que é o estrondo ocasionado pelo encontro das correntes de marés com as correntes fluviais.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Conhecendo a litosfera

Geraldo Victorino de França (Voinho)

Dá-se o nome de litosfera ao envoltório sólido da Terra. Antigamente, era considerada sinônimo de " crosta terrestre ", mas atualmente é conceituada como a " esfera rochosa ", incluindo a crosta terrestre e também a parte externa, sólida, do manto. Portanto, a litosfera compõe-se de uma parte externa ou crosta e da capa externa
do manto, estendendo-se a uma profundidade de 100 km da superfície.
A maior parte da superfície da litosfera - cerca de três quartas partes - fica submersa nos mares e oceanos. Daí a distinção entre: a) crosta oceânica, mais delgada; b) crosta continental, emersa e mais espessa.
A litosfera é composta por duas camadas, denominadas sial e sima. O sial é a camada externa, encontrada nos continentes e ilhas, e constituída predominantemente por rochas graníticas, nas quais os componentes principais são o silício e o alumínio, daí o seu nome. O sima é uma camada constituída predominantemente por rochas basálticas, formando o piso dos oceanos e estendendo-se sob o sial, nos continentes. Os componentes principais das rochas do sima são o silício e o magnésio, donde se originou o nome desta camada.
A litosfera não é tão estática quanto parece. Na realidade, passa por constantes modificações causadas por: a) forças internas, que causam intrusões de magma, erupções vulcânicas, terremotos e outros processos que provocam soerguimentos, afundamentos, falhamentos e dobramentos das camadas de rochas; b) forças externas ( água, vento, gelo, etc. ) que causam intemperismo - desagregação e decomposição das rochas; e erosão - remoção e transporte de material de um local para outro.
Esses processos são responsáveis pelas modificações que ocorrem no relevo terrestre.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

CONHECENDO OS SUÍNOS

Geraldo Victorino de França (Voinho)

Suínos é a denominação geral dos mamíferos da família Suídeos, possuidores de cascos nas extremidades dos dedos, sendo o casco sulcado ou dividido. São onívoros, digerindo bem todos os alimentos, exceto os celulósicos. Podem ser domésticos, como o porco; ou selvagens, como o porco-do-mato e o javali.
As duas espécies brasileiras selvagens são o cateto e a queixada, que se distinguem do porco doméstico por terem as pernas mais longas e a cauda curta ou inexistente. Outras espécies selvagens são o javali europeu, o javali indiano e a babirussa da Ásia. O javali possui presas ( dentes caninos ) longas e afiadas, chegando a medir 30 cm.
Precoce e prolífico, o porco doméstico é utilizado para a produção de carne e banha sendo grande transformador de produtos agrícolas e sub-produtos da indústria vegetal em produtos de alta qualidade alimentar, exigindo pouco espaço para a sua criação. Existem raças especializadas para a produção de mais carne e menos banha, ou vice-versa; sendo as raças exóticas as mais indicada. O Brasil é um dos maiores criadores de porcos do mundo.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Conhecendo os animais anfíbios


Geraldo Victorino de França (Voinho)

A palavra anfíbio ( do grego " amphi=duas; e " bios " = vida ) geralmente é usada com dois significados diferentes: a) animal que vive tanto na água como na terra ou que vive na zona limítrofe entre esses dois meios; b) classe de animais vertebrados que vivem parte da sua vida na água e parte na terra, e que põem ovos que são fertilizados na água.
De acordo com o primeiro conceito, são anfíbios : hipopótamo, foca, golfinho, pato, pinguim, jacaré, crocodilo, etc.
De acordo com o segundo conceito, os Anfíbios constituem uma classe do reino animal que compreende cerca de 4.000 espécies, distribuídas em três subclasses: a) Ápodes - sem patas, exemplificados pelas cecílias ou cobras-cegas; b) Urodelos - com cabeça, tronco e caudas distintos, compreendendo salamandras, tritões, etc.; c) Anuros ou Batráquios - com cabeça e tronco fundidos, sem cauda, como sapos, rãs e pererecas.
Embora os Anfíbios adultos vivam em ambiente terrestre, na época da reprodução voltam à água e nela realizam a postura e a fecundação dos ovos, seguidas pelo desenvolvimento das larvas ou girinos. Estes possuem um par de brânquias, que mais tarde são substituídas por pulmões. Assim, passam a primeira parte da vida na água e depois passam a viver em terra.
A pele tem especial importância para os Anfíbios, uma vez que funcionam como uma superfície respiratória e precisa ser mantida úmida. Os pulmões, presentes na maioria porém não em todos os Anfíbios, têm uma estrutura simples, em forma de um saco que se liga com a cavidade oral por meio de um tubo.

sábado, 14 de maio de 2011

Conhecendo a Oceania


Geraldo Victorino de França (Voinho)

Oceania é o nome dado a uma das sub-divisões das massas continentais, correspondente ao Novíssimo Continente, que abrange a Austrália e um grande número de ilhas e arquipélagos situados no oceano Pacífico. Costuma-se subdividir a Oceania em 4 áreas distintas: a) Australásia; b) Melanésia; c) Micronésia; d) Polinésia.
A. Australásia. Compreende a Austrália e as ilhas maiores: Tasmânia, Nova Zelândia e parte da Nova Guiné, que formam um grande retângulo.
B. Melanésia. Está localizada à nordeste da Austrália e compreende o grupo de ilhas situadas a NE da Austrália que, estendendo-se em arco, abrange o NE da Nova Guiné e vários arquipélagos, entre os quais se incluem os de Bismark, Salomão, Novas Hébridas e várias ilhas.
C. Micronésia. É assim chamada por abranger grande número de pequenas ilhas, estando localizada ao norte da Melanésia. Entre outras, inclui as ilhas Marianas, Carolinas, Marshall, etc.
D. Polinésia. Como indica o seu nome,a Polinésia é constituída por numerosas ilhas, que cobrem vasta área triangular do oceano Pacífico, dentre as quais as ilhas Hawaí e as ilhas Christmas.
A Austrália corresponde a 9/10 da área total de terras emersas da Oceania, sendo que a superfície oceânica ocupa uma enorme área -167.000.000 km2.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Conhecendo as cidades mais populosas do Brasil


Geraldo Victorino de França (Voinho)

As 10 cidades mais populosas do Brasil são as seguintes:

    Cidades                                    Habitantes
1. São Paulo............................. 10.886.500
2. Rio de Janeiro...................... 6.093.500
3. Salvador............................... 2.806.600
4. Brasília................................. 2.455.900
5. Fortaleza.............................. 2.432.400
6.Belo Horizonte....................... 2. 412.900
7. Curitiba................................. 1.797.400
8. Manaus................................. 1.646.600
9. Recife .................................. 1.533.600
10. Porto Alegre........................ 1.420.600
Fonte: Os 10 mais, 2.008.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Conhecendo as plantas para papel e celulose

Geraldo Victorino de França (Voinho)

Além do fornecimento de madeira, lenha e carvão, muitas espécies vegetais são utilizadas para obtenção de matéria-prima para a fabricação de papel e celulose.
Nos países europeus e norte-americanos, onde a indústria de papel é mais desenvolvida, a matéria-prima provém de espécies do gênero Pinus e de outros pinheiros.Na Austrália empregam-se várias espécies de eucalipto para a mesma finalidade.
No Brasil, utilizam-se as seguintes espécies para a fabricação de papel e celulose: a) Araucaria angustifólia, o nosso pinheiro-do-Paraná; b) Eucalyptus saligna e E. tereticornis, de origem australiana; c) Cunninghamia lanceolata, muito cultivado em Caieiras ( SP ); d) Pinus elliotti e P. taeda, espécies exóticas e precoces: enquanto o eucalipto é cortado aos 7-8 anos, estes Pinus podem ser cortados aos 5 anos; e) Agave sisalana - o sisal, cultivado principalmente no Nordeste brasileiro.
Além dessas plantas, deve ser citado o aproveitamento de alguns resíduos de indústrias agrícolas, como por exemplo: a) bagaço de cana - um resíduo da indústria açucareira; b) palha de cera - resíduo da indústria de cera de carnaúba.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

CONHECENDO OS ROEDORES


Porquinho-da-índia

Geraldo Victorino de França (Voinho)

Os Roedores constituem uma ordem da classe Mamíferos, aliás a ordem mais numerosa, com cerca de 6.400 espécies. Com poucas exceções, são animais de pequeno porte, sendo o maior deles a capivara sul-americana, que atinge o tamanho de uma ovelha.
São encontrados em todas as partes do mundo, exceto na Antártida. Ocupam principalmente ambientes terrestres,embora alguns, como o castor e o ratão-do-banhado, sejam semi-aquáticos.
Muitas espécies de roedores adaptaram-se a ambientes criados pelo homem, seja nas cidades, onde constituem uma ameaça à saúde pública, seja no campo, onde causam grandes prejuízos às lavouras, sobretudo às de grãos ( milho, arroz, etc. ).
Caracterizam-se por possuírem membros locomotores providos de cinco dedos, com unhas; braço e antebraço articulados, permitindo o movimento rotatório do antebraço; e dentição característica. Apresentam um par único de dentes frontais, em cada mandíbula. Os dentes têm forma de cinzel e a lâmina de corte é mantida pelo trabalho dos pares superiores e inferiores. Crescem continuamente durante toda a vida
do animal, para compensar o desgaste a que estão sujeitos.
Os Roedores distribuem-se por três subordens: a) Ciuromorfos, representados por esquilos, castores, marmotas, etc.; b) Miomorfos, compreendendo ratos, camundongos, hamsters, lemingues, etc.; c) Cavídeos, representados por cobaias, cotias, capivaras, etc.
Até pouco tempo, os coelhos e lebres eram classificados como Roedores, em vista do hábito peculiar de roer. Porém, atualmente, eles são incluídos em outra ordem - Lagomorfos.

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget