"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

terça-feira, 27 de maio de 2014

Curiosidade linguística - Noite e número 8


Em todos os idiomas europeus, a palavra " noite " é formada pela letra N + o número oito.
A letra N é o símbolo matemático de  infinito" e o número oito deitado também simboliza "infinito". Ou seja, noite significa, em  todos essas línguas, a "união do infinito".
                 Português: noite= n + oito
                 Inglês: night = n + eight
                 Alemão: nacht = n + acht
                 Espanhol: noche = n + ocho
                 Francês: nuit = n + huit
                 Italiano: notte = n + otto

             

quinta-feira, 22 de maio de 2014

CONHECENDO O EFEITO " ESTUFA "


Geraldo Victorino de França (Voinho)
   
          O nome desse fenômeno vem das estufas ou casas-de-vegetação - construções ou estruturas infladas, cobertas com material transparente ou translúcido, nas quais as plantas são cultivadas sob condições controladas. As estufas permitem que a luz solar penetre e esquente o ar, mas impede que o calor se dissipe. O mesmo ocorre com o nosso planeta, graças às camadas de gases que o envolvem. Por um lado isso  é bom, já que sem a luz solar a temperatura da Terra seria muito baixa, inadequada para a vida vegetal e animal.
          Por outro lado, com o aumento da poluição atmosférica, causada principalmente
pelas indústrias e pelos motores à explosão dos veículos de transporte, a temperatura média da  Terra vem aumentando gradativamente. No último século, a temperatura média da Terra aumentou cerca de 0,5 graus centígrados. Como resultado, a longo prazo as geleiras tendem a derreter, elevando o nível do mar e aumentando o risco de inundação das áreas litorâneas.

   Em resumo, a poluição atmosférica provoca o " efeito estufa " que, por sua vez, causa o aquecimento global.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

CONHECENDO OS COMETAS



Geraldo Victorino de França ( Voinho)

              Cometas são pequenos corpos celestes que se movimentam ao redor do Sol em órbitas elípticas de grande excentricidade. Possuem aspecto nebuloso, geralmente com um núcleo brilhante, rodeado por uma cabeleira ou coma, também brilhante, e uma cauda com a forma de um traço luminoso. Entretanto, alguns podem apresentar-se sem cauda, ou com várias caudas, como o cometa Cheseaux, que tem seis.
                  Acredita-se que sejam formados por um núcleo de gelo, rodeado de gases e poeira.  Quando se aproximam do Sol, parte do núcleo se vaporiza, formando uma nuvem luminosa ( a cabeleira ) e a cauda, esta sempre voltada em direção oposta ao Sol; a cabeleira e a cauda se desfazem quando o cometa se afasta do Sol.
                 Conforme a cauda, os cometas podem ser de três  tipos: a) de cauda retilínea; b)
de cauda curva; c) de cauda muito curva.
                 O cometa mais famoso é o de Halley, que passa próximo do Sol a cada 76 anos. Outros cometas possuem órbitas abertas, passando pelo Sol apenas uma vez e depois saindo do sistema solar.


sexta-feira, 16 de maio de 2014

CONHECENDO OS SUBSTANTIVOS


Geraldo Victorino de França (Voinho)

           Substantivos são palavras que designam seres ou coisas. Podem ser:
           a) Substantivos concretos. São aqueles que designam seres ou coisas de existência real. Exemplos:
            Seres - menino, mulher, gato, cachorro, árvore, palmeira, etc.
            Coisas - pedra, areia, mesa, livro, carro, estrela, prato, colher, etc.
            b) Substantivos abstratos. Designam qualidades, sentimentos, ações e estados dos seres. Exemplos:
            Qualidades - beleza, coragem, mãe, pedreiro, vendedor, etc.
            Sentimentos, sensações - amor, ódio, saudade, alegria, dor, fome, frio,etc.
             Ações - caminhada, viagem, estudo,  esforço, compra, venda, trabalho, etc.
            Estados - vida, morte, cansaço, sono, saúde, doença, etc.
               c) Substantivos coletivos. Exprimem uma coleção de seres ou coisas. Exemplos:
               Seres - exército, povo, rebanho, flora, fauna, colônia, cardume, etc.

                Coisas - arquipélago, constelação,  biblioteca, bagagem, ramalhete, etc.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

CONHECENDO AS PLANTAS MARINHAS

Geraldo Victorino de França (Voinho)

            Os cientistas admitem que a vida começou no mar, com o surgimento de organismos simples, unicelulares, chamados algas diatomáceas. Depois, mediante um longo processo  de evolução, foram surgindo outros seres vivos, ocorrendo a diferenciação entre plantas – capazes de realizar a fotossíntese; e os animais, que se  alimentam de plantas ou de outros animais.
              O primeiro grande domínio da vida vegetal no mar é o plâncton - conjunto de minúsculos seres vivos flutuantes, distinguindo-se: a) fitoplâncton - dotado de clorofila, que utiliza a  energia solar para produzir o próprio alimento ( fotossíntese ); b) zooplâncton, não clorofílico, que se alimenta do fitoplâncton. Assim, o fitoplâncton constitui o elo inicial da cadeia alimentar marinha. Algas pluricelulares também são encontradas flutuando na superfície do mar.
                O segundo grande domínio da vida vegetal marinha é a plataforma continental.  Aí, onde a luz solar consegue penetrar, desenvolve-se espessa sopa planctônica. É também o lugar onde brotam plantas de fundo do mar, principalmente algas pluricelulares, aumentando assim, as reservas alimentares de outros seres vivos.
                 O terceiro grande domínio da vida vegetal marinha é representado por litorais e  estuários de rios sujeitos à ação das marés, onde se encontram algas, mangues, palmeiras  e  outras plantas halófitas, isto é, adaptadas  a  ambientes salinos.



quinta-feira, 8 de maio de 2014

DESPEDIDA


Ivana Maria França de Negri


Naquela fria manhã de julho 
sem se despedir,
minha mãe partiu...

E um vazio profundo e infinito
apoderou-se de mim,
órfã de seu colo,
de seus conselhos e de seu carinho.

Minh´alma enregelou-se
desprovida da quentura doce
de seu materno amor.

Mas sinto sua presença,
para sempre impregnada em mim

quarta-feira, 7 de maio de 2014

CONHECENDO OS NUMERAIS



Geraldo Victorino de França ( Voinho)

            Numerais são palavras que exprimem quantidade, número de ordem, múltiplo ou fração. Podem ser classificados da seguinte maneira:
            a) Cardinais ( quantidade ):
            - um, dois, vinte, cem, mil, milhão, etc.
            - par, trinca, dezena, dúzia, centena, grosa, milhão, etc.
            b) Ordinais ( número de ordem ):
            - primeiro,. segundo, quinto, décimo, centésimo, milésimo, etc.
             c) Multiplicativos:
           - dobro, triplo, décuplo, cêntuplo, múltiplo, etc.
              d) Divisionários :
             - inteiro, metade, três quartos, doze avos, vinte avos, etc.
               e) Temporais ( tempo ):
              - hora, dia, semana, mês, trimestre, semestre, ano, etc.
                f) Número de anos:

              - biênio, lustro = quinquênio, década = decênio, século = centenário, bicentenário, milênio, etc.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

CONHECENDO ALGUMAS EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS


Geraldo Victorino de França (Voinho)

          Expressões idiomáticas são frases utilizadas para expressar certas situações ou comportamentos. Vejamos alguns exemplos:

          1. Abotoar o paletó
          2. Acertar na mosca
          3. Bater as botas
          4. Cair nos braços de Morfeu
          5. Carta fora do baralho
          6. Chover no molhado
          7. Chupar o dedo
          8. Com a corda no pescoço
          9. Com o diabo no corpo
         10. Descascar abacaxi
         11. Dormir no ponto
         12. Engolir sapo
         13. Entrar pelo cano
         15. Lavar as mãos
         16. Lelé da cuca
         17. Minhoca na cabeça
         18. Pagar o pato
         19. Pisar na bola
         20. Quebrar o galho
         21. Soltar a franga
         22. Tiro no escuro
         23. Trocar as bolas
         24. Uma mão lava a outra
         25. Vendendo saúde
         26. Ver o sol nascer quadrado


Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget