"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

terça-feira, 31 de março de 2015

CONHECENDO OS DÍGRAFOS


Geraldo Victorino de França (Voinho)

              Dígrafo é um grupo de duas letras que formam um só fonema. Podem ser:

              a) Dígrafos com duas consoantes
                 ch - chapéu, chuva
                 lh - milho, galho
                 nh - banho, grunhido
                 rr - ferro, serra
                 ss - pássaro, asseio
                 gu - guerra, seguro
                 qu - leque, tanque
                 sc - descer, oscilar
                 xc - exceção, excitação

              b. Dígrafos em que figuram vogais nasais
                 am - tampa, campo
                 em - tempo, sempre
                 im - limpo, tímpano
                 om - ombro, tombo
                 um - jejum, umbigo
                 an - antes, sangue
                 en - vender, pensar
                 in - lindo, índio
                 on - onda, sonda

                 un - mundo, bunda

sexta-feira, 27 de março de 2015

CONHECENDO OS COMPOSTOS QUÍMICOS


Geraldo Victorino de França (Voinho)

              Denomina-se composto químico a substância formada por dois ou mais elementos que se combinam quimicamente em proporções fixas. Por exemplo: duas moléculas de hidrogênio  e uma molécula de oxigênio se combinam para formar uma molécula de água. Uma vez formado,um composto químico só pode ser decomposto por processos químicos, diferentemente de uma mistura, na qual os componentes podem ser separados por processos físicos.
              De acordo com o número de componentes, os compostos podem ser: a) binários, que  só contêm dois elementos, tais como: ácido clorídrico ( H Cl ), sal de cozinha ( Na Cl ), etc.; b)  terciários, quando contêm três elementos, Tais como: carbonato de cálcio ( Ca CO3 ),  soda cáustica ( Na OH ), etc.
              Outra classificação leva em conta a natureza dos compostos, que podem ser: a) minerais ou inorgânicos; b) orgânicos. Enquanto  os compostos minerais são encontrados na natureza, como óxidos, hidróxidos, cloretos, sulfatos, carbonatos, fosfatos, etc., os compostos orgânicos são fabricados pelos organismos vivos, como proteínas, aminoácidos, ácidos nucléicos, carboidratos, lipídeos, etc.
               Os compostos orgânicos são compostos de carbono, que existem em número muito maior que o dos compostos minerais; e desempenham papel importante no metabolismo dos organismos vivos. São em geral formados por moléculas grandes, originadas por polimerização.
              Os compostos minerais são objeto de estudo da Química Mineral ou Inorgânica; e os compostos orgânicos são objeto de estudo da Química Orgânica.


segunda-feira, 23 de março de 2015

CONHECENDO AS FLEXÕES DOS SUBSTANTIVOS


Geraldo Victorino de França (Voinho) 

            Substantivos são palavras que designam os seres, animados e inanimados. Exemplos: homem, livro, flor.
            Os substantivos flexionam-se para indicar o gênero, número e grau.
A.    Gênero. É a propriedade que as palavras têm de indicar o sexo real ou fictício dos seres.  São dois os gêneros: masculino e feminino. Exemplos:

             Masculino         Feminino
            homem................. mulher
            senhor.................. senhora
            pai........................ mãe
            avô....................... avó
            mestre.................. mestra
            ator....................... atriz

B.     Número. Há dois números gramaticais: singular e plural. Exemplos:

           Singular          Plural

            asa...................... asas
            colher.................. colheres
            cruz..................... cruzes
            papel................... papéis
            anel..................... anéis
            nuvem................. nuvens

           C. Grau. Exprime as variações de tamanho. A forma normal admite dois gêneros: aumentativo e diminutivo. Exemplos:
            Normal     Aumentativo  Diminutivo
            casa........... casarão........... casinha
            gato........... gatão............... gatinho
            mulher....... mulherona........ mulherzinha
            rapaz......... rapagão........... rapazelho
            papel......... papelão........... papelucho

            homem...... homenzarrão.... homenzinho

terça-feira, 17 de março de 2015

CURIOSIDADE LINGUÍSTICA


Geraldo Victorino de França (Voinho)

                 Em todos os idiomas europeus, a palavra " noite " é formada pela letra N + o número oito.
                 A letra N é o símbolo matemático de  infinito" e o número oito deitado também simboliza "infinito". Ou seja, noite significa, em  todos essas línguas, a "união do infinito".
                 Português: noite= n + oito
                 Inglês: night = n + eight
                 Alemão: nacht = n + acht
                 Espanhol: noche = n + ocho
                 Francês: nuit = n + huit

                 Italiano: notte = n + otto

terça-feira, 10 de março de 2015

CONHECENDO A FLORA DO BRASIL - 2

(Cerrado)
Geraldo Victorino de França (Voinho)

            B. Formações de transição. Incluem: a) cerrados; b) caatinga; c) complexo do Pantanal.
            4. Cerrados. Constituem a transição entre campo limpo ( ou simplesmente campo ) e
a floresta perenifólia. Predominam no chamado Planalto Central, sendo formados por: a) arbustos e pequenas árvores esparsas, com tronco e galhos retorcidos e de casca grossa, com folhas coriáceas; b) estrato herbáceo - gramíneas e ciperáceas que só vegetam durante a  estação chuvosa, como a barba-de-bode. Dependendo da densidade e do porte das árvores e arbustos, recebem as denominações de campo cerrado, cerrado propriamente dito e cerradão. Entre as  árvores e arbustos destacam-se: faveira, barba-timão, lixeira, pequi, pau-santo, etc.
             5. Caatinga. Constitui a transição entre campo e floresta caducifólia ( que perde as
folhas na estação seca ). Localizada na zona semi-árida do Nordeste Brasileiro, pode ser subdividida em: a) caatinga hipoxerófita, que ocorre  nas áreas de clima menos seco; b) caatinga hiperxerófita, nas áreas tipicamente semi-áridas.
              Suas árvores e arbustos apresentam, em geral, caráter xeromorfo, mais acentuado na caatinga hiperxerófita; sendo providas de folhas miúdas que caem na estiagem, e freqüentemente armados de espinhos. São espécies típicas da  caatinga: jurema, faveleira, juazeiro, pereiro,etc.bem como cactáceas como o xique-xique, o facheiro , o mandacaru, etc.
              6. Complexo do Pantanal Mato-Grossense. Formação vegetal que ocupa a
extensa planície aluvial do Rio Paraguai e seus afluentes, na qual se misturam espécies típicas dos cerrados, das terras alagadiças e da floresta amazônica, com predominância das espécies  do cerrado. Serve como pastagem natural.
            C. Campos. São áreas de vegetação rasteira, geralmente gramíneas, que ocorrem em

diferentes locais, como planícies litorâneas, várzeas de rios e, principalmente, no sul  do  Rio Grande do Sul, onde recebe o nome de pampa.

sexta-feira, 6 de março de 2015

CONHECENDO OS ANIMAIS AQUÁTICOS


Geraldo Victorino de França (Voinho)


          Os cientistas admitem que a vida animal começou no mar. Depois apareceram os anfíbios e, por último, os animais terrestres.
          Atualmente, é grande o número de animais aquáticos, isto é, que vivem na água doce ( rios e lagos ) ou na água salgada ( oceanos e  mares ).
           Os principais grupos de animais aquáticos são:
            1. Espongiários: marinhos, fixos. Exemplo: esponjas.
            2. Celenterados: marinhos, fixos ou livres
Exemplos: hidras, pólipos, medusas.
            3. Platielmintos: vermes marinhos ou de água doce, livres ou parasitas. Exemplos: planária, tênia.
            4. Esquelmintos: vermes marinhos ou de  água doce, livres ou parasitas.Exemplos: lombriga, cobra-de-cabelo.
             5. Anelídeos: marinhos ou de água doce, livres ou fixos. Exemplos: nereida, sanguessuga.
            6. Equinodermas: marinhos, fixos  ou  livres. Exemplos: estrela-do-mar, pepino-do-mar.
            7. Moluscos: a) lamelibrânquios - marinhos, providos de conchas. Exemplos: ostra, mexilhão; b) cefalópodes - marinhos, com pés divididos em tentáculos. Exemplos: lula, polvo.
            8. Crustáceos: geralmente marinhos,  com carapaça quitinosa. Exemplos: lagosta, camarão.
            9. Peixes: a) de água doce - bagre, carpa; b) marinhos - sardinha, tubarão.
           10. Cetáceos: mamíferos marinhos. Exemplos: baleia, golfinho. O boto é de água doce
           11. Anfíbios: animais que vivem parte de sua vida na água e parte em terra. Exemplos: sapo, rã, perereca.
           12. Animais semi-aquáticos: animais terrestres que também se adaptam na água. Exemplos: jacaré, crocodilo, tartaruga, hipopótamo.

           13. Aves semi-aquáticas: a) marinhas - albatroz, gaivota, pelicano; b) de rios e lagos - pato, ganso, garça.

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget