"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

domingo, 28 de junho de 2015

CONHECENDO AS PLANTAS CADUCIFÓLIAS E PERENIFÓLIAS


Geraldo Victorino de França (Voinho)

               Denominam-se plantas caducifólias aquelas que derrubam as folhas no inverno ou na estação seca; e plantas perenifólias ou sempre-verdes as que  mantêm, permanentemente, folhas verdes.
              Nas regiões onde há uma estação muito fria, com inverno rigoroso, alternada com estação quente,  a maioria das plantas perde as folhas no outono, antes da chegada do inverno. Passam esta estação em repouso, num estado de dormência. Chegada a primavera, brotam e retornam à atividade, com novas folhas  que perduram no verão e parte do outono, em cujo término caem. Porém, nessas regiões há plantas que persistem sempre-verdes, isto é, não perdem as folhas no  inverno. São , em geral, coníferas, de folhas duras e aciculares, como os pinheiros.
                Nas regiões tropicais não há essa nítida distinção de estações, pois as temperaturas não são, em geral, muito baixas. Assim, a maior parte das plantas
pode ter folhagem sempre verde, como a laranjeira. Contudo, na caatinga do Nordeste Brasileiro, a maioria das plantas são decíduas ou caducifólias, isto é, derrubam as folhas. Mas, neste caso, a queda das folhas  não é causada pelo frio, e sim pela falta de água no solo.
               Nos demais tipos de vegetação, as plantas  não derrubam todas as folhas de uma só vez. Persistem sempre enfolhadas, sendo chamadas sempre-verdes. É que renovam suas folhas paulatinamente, substituindo as folhas velhas que caem, por outras folhas novas.

               Dentre as espécies nativas, por exemplo, são perenifólias : pau-brasil, figueira-branca, pinheiro-do-paraná, etc.; são caducifólias: paineira, jequitibá, ipê,etc.

terça-feira, 16 de junho de 2015

CONHECENDO AS LEGUMINOSAS


Geraldo Victorino de França ( Voinho)

             Leguminosas é o nome de uma grande e importante família de plantas, com mais de 600 gêneros e mais de 13.000 espécies, espalhadas  por todo o mundo, principalmente nas  regiões tropicais e subtropicais. São plantas de hábitos muito variados, desde grandes árvores florestais arbustos e subarbustos até ervas anuais e perenes e muitas trepadeiras.
              As folhas são de disposição alternada, compostas, pinadas. As flores são sempre cíclicas, hermafroditas, de simetria radial ou zigomorfa. Os frutos são, em geral, do tipo legume ( ou vagem ), que deu origem ao nome da família.
              Nas raízes das leguminosas se encontram nódulos, produzidos por bactérias do gênero Rhizobium que fixam o nitrogênio do ar em  contacto com o solo, enriquecendo-o de nitrogênio. Por isso, existem espécies de leguminosas que são cultivadas com a finalidade específica de adubação verde, isto é, visando a incorporação ao solo de matéria orgânica e nitrogênio fixado do ar - mucuna-preta, mucuna-anã, feijão-de-porco, crotalária, etc.
               As leguminosas subdividem-se em três subfamílias: a) Mimoisídeas, que incluem, entre  outras espécies, acácia-mimosa, angico,  ingazeiro, etc.; b) Cesalpináceas, abrangendo pau-brasil, jatobá, flamboyant, etc.; c) Papilonáceas, incluindo muitas plantas cultivadas, tais como: alfafa, feijão, soja, ervilha, amendoim.etc.

               Por serem ricas em proteínas, as leguminosas constituem a base da alimentação  vegetariana.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

CONHECENDO O SACI-PERERÊ


Geraldo Victorino de França (Voinho)

                  Saci-Pererê, ou simplesmente Saci, é um personagem do folclore brasileiro, bastante conhecido de norte a sul. É um negrinho de uma perna só, com um gorro vermelho e com cachimbo na boca, que sai à noite, perturbando os viajantes e tropeiros, pedindo fumo  e fazendo-os errar o caminho. Vive fazendo diabruras, como por exemplo, fazer trança na crina dos cavalos.
                  É superstição bastante generalizada entre os roceiros, colocar fumo para o Saci  nos galhos das árvores, a fim de evitar as suas diabruras.
                  Há uma outra versão, de origem tupi-guarani, segundo a qual o Saci é uma ave encantada. Porém, a forma mais popular é a descrita anteriormente.

                  O Saci tornou-se figura popular devido ao  grande escritor Monteiro Lobato, autor da obra " O Saci ".

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget