"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Volume I

1 – CONHECENDO OS ANIMAIS COM CAUDA

Dá-se o nome de cauda ou rabo ou apêndice posterior, mais ou menos comprido, do
corpo de vários animais.
Nos vertebrados, geralmente existe uma cauda vertebral, atrás da bacia. Quando
longa, essa cauda é musculosa, às vezes preênsil (camaleão, macacos da América), ou que
pode soltar-se (lagarto, lagartixa).
Alguns macacos sul-americanos, como o macaco-peludo, macaco-aranha e guariba, têm cauda preênsil tão forte que pode suportar o peso do corpo, pendurado numa árvore.
É bem conhecida a reação de auto-amputação da cauda nos lagartos, quando em
situação de perigo; a qual pode regenerar-se, posteriormente.
Nos morcegos, a cauda serve às vezes de extensora da membrana da asa. Nos carnívoros e animais ungulados (com cascos), não chega a ser mais que um espanta-moscas, aliás muito eficiente.
Por outro lado, a cauda desempenha um papel importante na locomoção dos cangurus. Quando se movem lentamente, a cauda funciona como um quinto membro, apoiando-se no chão. Porém, quando aceleram a marcha, saltam sobre as duas patas traseiras, com o corpo equilibrado pela cauda, esticada para trás.
As aves têm apenas uma curta cauda vertebral, sobre a qual se inserem as penas
retrizes, que usam para voar (andorinha), ou para ostentação (pavão).
Os peixes cartilaginosos (esqualo, arraia) têm uma potente cauda vertebral nata-
tória, enquanto os peixes ósseos (arenque, salmão) possuem uma nadadeira caudal freqüentemente bifurcada, em forma de " rabo de peixe", que lhes serve de leme. Os mamíferos aquáticos (cetáceos ) também possuem cauda de forma semelhante.


2- CONHECENDO OS ANIMAIS HERBÍVOROS

Dá-se o nome de herbívoros aos animais que se alimentam basicamente de vegetais, principalmente de ervas, folhas, raízes e frutos, em contraposição aos carnívoros, que se alimentam predominantemente de carne.
Além de material herbáceo, vários animais comem cascas de árvores, como o alce e o castor; ou então, frutos e sementes, como o sanhaço.
São herbívoros típicos os mamíferos Ungulados ( com cascos ) que se enquadram em duas grandes ordens:
a) Perissodáctilos, que incluem: cavalo, anta, elefante, rinoceronte, etc.
b) Artiodáctilos, com duas sub-ordens: b1) Suínos: porco, javali, hipopótamo, etc.; b2) Ruminantes: boi, carneiro, girafa, veado, etc.
Esses herbívoros cortam as ervas com os dentes incisivos, ou as arrancam e trituram com os molares, que se desgastam rapidamente. Seus intestinos, muito longos, segregam uma enzima capaz de atacar a celulose; e abrigam uma micro-fauna e microflora que favorecem a digestão. No caso dos ruminantes, o alimento ingerido volta à boca para uma segunda mastigação.
Os herbívoros assumem grande importância devido ao fato de incluírem muitos animais domésticos , que fornecem vários produtos úteis ao homem, tais como: carne, leite, banha, lã, couro, etc.
Além dos já citados, outros animais também se alimentam basicamente de vegetais. Assim, certos roedores (rato, coelho, paca, capivara, etc.) alimentam-se de raízes, tubérculos, folhas e grãos de cereais, podendo causar sérios danos. Muitas aves também se alimentam de frutos e sementes, podendo citar-se: pardal, tico-tico, sabiá, sanhaço, pombo, etc.
Entre os insetos, tanto na forma adulta como larval, é grande o número dos que se alimentam das partes verdes das plantas, espontâneas ou cultivadas, tais como: formigas, grilo, gafanhoto,diversas lagartas, etc, ou ainda, que destróem os grãos armazenados , como: caruncho, gorgulho, diversa brocas, etc. Por isso, esses insetos são considerados pragas da agricultura e combatidos com inseticidas.

3- CONHECENDO AS PLANTAS TREPADEIRAS

Trepadeiras é a denominação dada às plantas com caule ascendente que crescem apoiando-se num suporte qualquer, inclusive em outras plantas. A maioria possui gavinhas, que geralmente são folhas modificadas que permitem a fixação ao suporte. Exemplos: ervilha, chuchu, videira. Outras possuem caule volúvel, isto é, que se enrola no suporte. Exemplos: feijoeiro, glicínia, cipós ou lianas. Algumas sobem com o auxílio de espinhos como a roseira e a primavera.
Muitas plantas de jardim são trepadeiras, tais como: alamanda, flor-da-paixão ( maracujá ), roseira, primavera, etc. O maracujá, além de lindas flores, produz frutos muito apreciados. Algumas trepadeiras são frutíferas, como a videira, além do maracujá. Outras crescem em estado selvagem, como as lianas ou cipós, muito comuns nas florestas tropicais. Algumas se tornam parasitas de outras plantas, como o cipó-
chumbo.
Certas espécies nem precisam de um suporte especial, sendo capazes de subir em paredes ou em rochas, como a hera, que se fixa por meio de pequenas raízes adventícias que nascem, de espaço em espaço, ao longo de seus caules.

4- VEJA A DIFERENÇA QUE FAZ UM ACENTO - 1

1. Bebe : ingere líquido.
Bebê: criança de peito.
2. Cá : aqui, neste lugar.
Cã : cabelo branco.
3. Cara : rosto.
Cará : hortaliça tuberosa.
4. Carne : tecido muscular dos organismos animais.
Carnê : fôlha para pagamentos mensais de compra a crédito.
5. Coco : fruto do coqueiro.
Coco : excremento.
6. Jaca : fruto da jaqueira.
Jacá : espécie de cesto sem alça.
7. Lá : naquele lugar.
Lã : pêlo de carneiro.
8. Pele : epiderme.
Pelé : rei do futebol.
9. Sábia : mulher que sabe muito.
Sabiá : pássaro canoro.
10. Soco : murro.
Socó : espécie de ave.

5- VEJA A DIFERENÇA QUE FAZ UM ACENTO - 2

1. Cocar: penacho de capacete.
Coçar: esfregar com as unhas.
2. Fá: nota musical.
Fã: admirador.
3. Filo: divisão taxonômica, situada abaixo de reino e subdividida em classes.
Filó: tecido fino, de algodão ou seda, formando uma rede.
4. Forma: configuração;
Fôrma: molde.
5. Gala: pompa.
Galã: ator principal.
6. Ira: raiva.
Irã: país da Ásia ( antiga Pérsia ).
7. Rola: do verbo rolar.
Rola: pequena ave semelhante ao pombo.
8. Roma: capital da Itália.
Romã: fruto da romanzeira.
9. Sede: centro de atividades.
Sede: necessidade de beber água.
10. Troco: dinheiro miúdo que o vendedor devolve ao comprador.
Troço: coisa de pouco valor.


6- VEJA A DIFERENÇA QUE FAZ UM ACENTO – 3

1. Anus: aves pretas de rabo comprido.
Ânus: orifício na extremidade do intestino.
2. Baba: saliva que escorre da boca.
Babá: tratamento dado às amas de crianças.
3. Baia: compartimento individual de uma cavalariça.
Baía: pequeno golfo.
4. Cagado: sujo de fezes.
Cágado: quelônio semelhante à tartaruga.
5. Decoro: tempo do verbo decorar.
Decoro: decência.
6. Forro: revestimento interior do teto das casas.
Forró: dança nordestina, arrasta-pé.
7. Pais: progenitores.
País: nação.
8. Para: preposição designativa de direção.
Pará: estado Brasileiro.
9. Rale: tempo do verbo ralar.
Ralé: camada inferior da sociedade.
10. Saque: ato de sacar.
Saquê: vinho de arroz.

7- PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES -1

1. Anfíbios: a) organismos que vivem tanto na água como na terra ( foca, pinguim, etc.); b) Zoologia - classe de vertebrados semiaquáticos que passam a fase larval na água e respiram por brânquias; e na fase adulta vivem fora da água e respiram por pulmões ( sapo,rã, perereca, salamandra
2. Bala: a) projétil de arma de fogo; b) gulodice feita com açúcar queimado, rebuçado
3. Cabo: a) graduação militar; b) Geografia - porção de terra que penetra no mar; c) extremidade por onde se segura um objeto ou instrumento.
4. Carnívoro: a) quese alimenta de carne; b) Zoologia - ordem da classe mamíferos,
que inclui animais que caçam e comem outros animais ( leão, tigre, onça, etc. ).
5. Legume: a) hortaliça não folhosa, em contraposição à verdura, tais como cenoura, batatinha, tomate, etc.; b) Botânica - fruto seco e deiscente, tipo vagem, característico das plantas da família Leguminosas ( soja, feijão, amendoim. etc. ).
6. Meteoro: a) Astronomia – estrela cadente; b) Meteorologia - qualquer fenômeno atmosférico ( chuva, vento, arco-íris, etc. ).
7. Pata: a) fêmea do pato; b) membro par, anterior e posterior, que serve para apoio locomoção terrestre dos animais.
8. Terra: a) planeta que habitamos; ) porção sólida da superfície terrestr, em contraposição à parte líquida ( oceanos e mares ); ) solo.


8-PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES - 2

Mais algumas palavras com significados diferentes:
1. Barbeiro: a) profissional que corta barba e cabelo; b) Medicina - inseto transmissor
da doença de Chagas, também chamado " chupança ".
2. Canela: a) parte da perna entre o joelho e o pé; b) nome de várias plantas da família das Lauráceas; c) casca aromática de uma planta originária do Ceilão, usada como condimento.
3. Coral: a) grupo vocal que canta em coro ; b) formação calcária produzida por colônias de pólipos: c) nome dado a várias cobras coloridas, incluindo espécies venenosas e não venenosas.
4. Gomo: a) cada uma das divisões da polpa das frutas cítricas ( laranja, mexirica, etc.; b) pedaço entre dois nós, do caule das gramíneas ( bambu, cana-de-açúcar, etc.).
5. Grade: a) armação de ferro destinada à vedação; b) instrumento agrícola usado para destorroar a terra, depis de lavrada.
6. Insetívoros: a) diz-se dos organismos que se alimentam de insetos, quer de natureza animal ( aranha, camaleão, pássaros, etc. ), quer de natureza vegetal - plantas insetívoras ); b) ordem da classe mamíferos que inclui ouriços, musaranhos e toupeiras, os quais se alimentam principalmente de insetos.
7. Mercúrio: a) planeta do sistema solar; b) único metal líquido.
8. Pé: a) parte inferior da perna, que se apoia no chão; b) pata dos animais; c) pedestal; d) unidade de medida linear inglesa, equivalente a 30,48 cm.
9. Preguiça: a) pouca disposição, morosidade; b) Zoologia - mamífero desdentado arborícola, que se locomove com lentidão.
10. Tesoura: a) instrumento cortante; b) armação de madeira que sustenta o telhado.


9- PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES - 3

1. Bateria: a) conjunto de utensílios de cozinha; b) instrumento musical de percussão;
c) associação de pilhas elétricas.
2. Bola: a) qualquer objeto esférico usa-
do em jogos esportivos; b) subôrno; c) pessoa baixa e gorda.
3. Cavalo: a) animal doméstico usado para montaria; b) indivíduo grosseiro; c) peça do
jogo de xadrez.
4. Fazenda: a) nome genérico de qualquer tecido usado para confeccionar roupas; b)
estabelecimento rural.
5. Grama: a) gramínea rasteira; b) unidade de peso do sistema métrico decimal.
6. Macaco: a) símio; b) aparelho para levantar pesos.
7. Peão: a) trabalhador rural; b) peça do jogo de xadrez.
8. Raio: a) descarga elétrica entre nuvem e solo; b) segmento de reta que une o cen-
tro do círculo a um ponto qualquer da circunferência.
9. Tanque: a) reservatório de água; b) veículo de guerra blindado.
10. Tronco: a) parte do corpo humano; b) caule lenhoso das árvores.
11. Vara: a) haste fina e flexível; b) coletivo de porcos; c) instância jurídica.


10- PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES - 4

1. Cisne: a) ave pernalta de pescoço comprido; b) constelação austral.
2. Colar: a) unir com cola; b) enfeite para pescoço; c) receber grau científico.
3. Dama: a) mulher nobre; b) mulher que participa de um baile; c) uma das cartas do baralho; d) peça do jogo de xadrez; e) nome de um jogo de tabuleiro.
4. Desdentados: a) sem dentes; b) Zoologia - ordem de animais da classe mamíferos que não possuem dentes incisivos ( tatu, tamanduá, toupeira ).
5. Escorpião: a) animal peçonhento da classe Aracnídeos; b) signo do Zodíaco.
6. Gema; a) pedra preciosa; b) parte central e amarelada do ovo das aves; c) Botânica - rebento que dá origem a um ramo, folha ou flor.
7. Lavrar: a) lapidar; b) explorar mina de ouro ou diamante; c) redigir ata; d) sulcar a terra com arado.
8. Pendão: a) bandeira; b) inflorescência masculina das gramíneas.
9. Raiz: a) origem; b) operação matemática; c) órgão de fixação da planta ao solo, do qual absorve água e nutrientes minerais.
10. Salto: a) pulo; b) transposição; c) erro tipográfico; d) queda d'água
11. Serra: a) instrumento cortante; b) cadeia de montanhas.


11- PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES – 5

1. Carta: a) missiva; b) mapa; c) unidade do baralho
2. Costa: a) litoral; b) parte posterior do tronco
3. Gravidade: a) seriedade; b) Física: força de atração da Terra
4. Mangueira: a) árvore frutífera; b) tubo de borracha para condução de água; c) curral
5. Morena: a) moça de pele clara e cabelo preto; b) Geologia - sedimento transportado e depositado por geleira
6. Muda: a) mulher que não fala; b) planta jovem formada em viveiro; c) troca de pele, pêlo ou penas em animais
7. Pena: a) pluma que reveste o corpo das aves; b) punição; c) pequena peça de metal usada para escrever
8. Polo: a) cada uma das extremidades do eixo da Terra; b) espécie de jogo à cavalo
9. Real: a) verdadeiro; b) unidade monetária do Brasil
10. Segundo: a) depois do primeiro; b) unidade de tempo do sistema métrico decimal


12- PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES – 6

1. Acre: a) medida desuperfície usada na Inglaterra e Estados Unidos, equivalente a 0,4 hectares; b) Estado brasileiro
2. Cerrado: a) fechado; b) tipo de vegetação natural
3. Labirinto: a) construção complicada na qual é difícil achar a saída b) Anatomia - ouvido interno
4. Meio: a) metade; b) Ecologia - ambiente
5. Mina: a) jazida de minério; b) nascente d água; c) artefato de guerra
6. Nora: a) esposa do filho; b) aparelho para retirar água de poço
7. Ordenado: a) posto em ordem; b) salário mensal
8. Praga:a) maldição; b) designação genérica dos insetos que atacam plantas e animais
9. Raiva; a) ira; b) Medicina – doença infecciosa que ataca os nervos do homem e de vários animais
10. Torta: a) retorcida; b) espécie de pastelão assado no forno; c) resíduo da extração de óleos vegetais


13-PALAVRAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES – 7

1. Base: a) apoio; b) fundamento; c) Química - substância que reage com ácido para formar um sal.
2. Coifa: a) rede om a qual as mulheres envolvem o cabelo; b) chaminé em forma de campanula, usada so bre o fogão à gás; c) Botânica - espécie de capuz que protege a ponta da raiz.
3. Crista: a) excrescência carnosa na cabeça do galo; b) Geografia - espigão, divisor de águas.
4. Disco: a) qualquer objeto chato e redondo; b) peça de ferro a ser lançada por atletas; c) chapa redonda de acrílico onde se gravam sons musicais para reproduzi-los no fonógraf
5. Liga: a) união; b) associação; c) fita elástica com a qual se prende a meia à perna; d) Química - mistura íntima de dois ou mais metais obtida por fusão.
6. Praga: a) maldição; b) capital da República Tcheca; c) Agricultura - designação genérica dos insetos que atacam as plantas e os animais.
7. Rainha: a) soberana de um reino; b) abelha-mestra; c) peça do jogo de xadrez.
8. Touro: a) reprodutor bovino; b) signo do Zodíaco.
9. Vela: a) pano forte ou lona que se usa para impelir barcos com auxílio do vento; b) luminária de cera com pavio; c) peça que produz a ignição nos motores de explosão.
10. Xadrez: a) cadeia; b) tecido quadriculado de côres diferentes; c) espécie de jôgo de tabuleiro.

14- CURIOSIDADESDA LÍNGUA PORTUGUESA -1

A) A palavra planta se aplica a qualquer vegetal. A companhada de qualificativos, assume diferentes significados. Exemplos:
a) planta do pé: sola do pé;
b) planta de construção: representação gráfica dos detalhes da construção, vistos
em projeção ortogonal sobre um plano horizontal;
c) planta topográfica: mapa ou representação gráfica do levantamento de uma cidade ou propriedade rural;
d) plantas superiores: Fanerógamas ou plantas que produzem flôres, órgãos de reprodução vegetal;
e) plantas inferiores: Criptógamas ou plantas que não produzem flôres, utilizando outros meios de reprodução;
f) plantas espontâneas: as que nascem naturalmente;
g) plantas cultivadas: as plantadas pelo homem;
h) plantas herbáceas: plantas não lenhosas, de pequeno porte;
i) plantas epífitas: que vivem sobre outras plantas, sem parasitá-las;
j) plantas xerófitas: de ambientes secos; etc.
B) A aguardente de cana é uma bebida alcoólica que, popularmente, recebe um grande número de nomes, alguns pitorescos.
Exemplos:
a) pinga;
b) cachaça;
c) caninha;
d) abrideira;
e) água que passarinho não bebe;
f) bagaceira;
g) branquinha;
h) esquenta por dentro;
i) cobertor de pobre;
j) mata-bicho; etc.


15- CURIOSIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA - 2

A) A inclinação da superfície do terreno é chamada declividade, que é o termo geral.
Também se usam os têrmos: a) aclive ou rampa, para indicar o sentido ascendente; b) declive ou ladeira para indicar o sentido descendente. Assim, pode-se dizer: acelerou o carro para subir a rampa; a enxurrada escôa declive abaixo.
B) O futebol usa uma linguagem própria, muito pitoresca. Exemplos:
a) Robinho passou pelos adversários " dando pedaladas ";
b) Na Copa do Mundo de 1.938, Leônidas marcou gol " de bicicleta ";
c) O juiz apitou falta: foi " cama de gato ";
d) Kaká marcou gol de " sem pulo ".
C) A palavra pé, isolada ou acompanhada de qualificativos, assume vários significados diferentes. Exemplos:
a) Parte terminal do membro inferior dos humanos ( coxa, perna e pé );
b) Pata dos animais;
c) Pedestal;
d) Unidade de medida linear inglesa, equivalente a 30,48cm;
e) Planta isolada: pé de manga, pé de alface;
f) Pé-de-boi: homem trabalhador;
g) Pé-frio: homem azarado;
h) Pé-de-meia: pecúlio;
i) Pé-d'água: aguaceiro;
j) Pé-de-vento: vento forte;
k) Pé-de-galinha: rugas no canto do olho ;
l) Pé-de-cabra: espécie de alavanca de ferro; etc.

16- CURIOSIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA - 3

A) A palavra dinheiro tem numerosos sinônimos, a maioria populares ou de gíria. Seguem-se alguns exemplos:
a) grana
b) gaita
c) arame
d) moeda
e) nota
f) cobre
g) prata
h) ouro
i) bronze
j) numerário
k) tutu, etc.
B) Também a palavra prostituta tem muitos sinônimos, muitos deles populares ou de gíria. Exemplos:
a) puta
b) meretriz
c) rameira
d) mariposa
e) biscate
f) mulher-à-toa
g) mulher da vida
h) mulher da zona
i) mundana
j) piranha
k) quenga, etc.

17- CURIOSIDADESDA LÍNGUA PORTUGUESA - 4

A) Além de ser o nome do nosso planeta, o termo " terra ", isolado ou acompanhado de qualificativos, assume vários outros significados. Exemplos:
a) parte sólida do planeta, em contraposição à parte líquida ( mares e lagos ).
b) fator da produção agrícola ( terra, capital e trabalho ).
c) solo ou meio de crescimento das plantas.
d) terra-firme: denominação dada na Amazônia às partes elevadas do terreno, não atingidas pelas inundações.
e) terra virgem: terra ainda não cultivada.
f) terra-de-siena: espécie de ocre utilizada em pintura.
g) terra franca: nome popular dado a um solo nem muito argiloso nem muito arenoso.
h) terras roxas: nome dado aos solos de cor vermelho escuro que adquire tonalidade violácea quando umedecidos; os quais são originários de rochas eruptivas básicas (basaltos)
e de grande importância agrícola.
i) terra vegetal: terriço, isto é, mistura de terra com restos vegetais em decomposição.
j) terra-mãe: a pátria.

B) Nomes de: macho, fêmea e filhote de alguns animais:
Macho Fêmea Filhote
a) bode cabra cabrito
b) cachaço porca leitão
c) cavalo égua potro
d) galo galinha pinto
e) touro vaca bezerro
f) zangão rainha operárias


18- CURIOSIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA -5

A) Continuando com as palavras que têm muitos sinônimos, a maioria de cunho popular ou gíria, vejamos os sinônimos de embriagado:
a) bêbado ( ou bêbedo )
b) ébrio
c) alcoolizado
d) tonto
e) zonzo
f) biritado
g) chumbado
h) pilecado
i) alto
j) pinguço
k) borracho
B) A palavra bola tem vários significados, alguns populares ou de gíria. Exemplos:
a) esfera
b) redonda
c) pelota
d) carne envenenada para matar cães ou gatos
e) suborno
f) juízo
g) pessoa baixa e gorda
h) dar bola: dar atenção
i) comer bola: aceitar suborno
j) sofrer da bola: não ter juizo
k) trocar as bolas: enganar-se
l) bom de bola: bom jogador


19- CONHECENDO OS MAMÍFEROS AQUÁTICOS

Embora a maioria viva em terra firme, muitos mamíferos se adaptaram à vida na água, seja no mar, seja em rios e lagos.
Entre os mamíferos marinhos, destacam-se os pertencentes à ordem dos Cetáceos,
cujas patas dianteiras se transformaram em nadadeiras, as patas traseiras estão ausentes, apresentando também uma nadadeira caudal. Os representantes típicos são as baleias, os maiores de todos os animais. Existem várias espécies, tais como: baleia azul ( a maior ), baleia comum, jubarte, cachalote, rorqual, etc. Em seguida vêm as focas, mamíferos muito numerosos. Depois, seguem-se: lontra marinha, peixe-boi ou vaca-marinha, leão-marinho, elefante-marinho, morsa, golfinho, dugongo, orca e toninha.
Entre os mamíferos de água doce, destacam-se: boto, tucuxi, hipopótamo, lontra e ariranha. Existem ainda, mamíferos que podem ser considerados semi-aquáticos, como o castor e a capivara.

20- CONHECENDO AS PLANTAS TÊXTEIS

O termo têxtil é usado para designar todos os tipos de fibras, fios e tecidos , naturais ou sintéticos, que servem para a fabricação de uma grande variedade de produtos. Podem ser de origem animal ( lã, seda ), vegetal ( algodão, linho ) ou artificial ( náilon, poliéster ). As fibras de origem vegetal são, sem dúvida, as mais importantes.
Chamam-se plantas têxteis aquelas que fornecem fibras para a produção de artefatos tais como: tecidos, vassouras, redes, tapetes, etc.
De acordo com a parte da planta de onde provêm as fibras vegetais, podem ser sub-divididas em: a) fibras de sementes; b) fibras de entrecasca; c) fibras de palmeiras.
1. Fibras de sementes. Muitas sementes possuem um revestimento piloso que facilita o seu transporte pelo vento. Algumas, porém, são providas de quantidade tão grande que podem ser empregadas na indústria têxtil. Como exemplos, podem ser citadas: algodão, paina, taboa, etc.
2. Fibras de folhas. Outras plantas possuem folhas ricas em fibras, que também são empregadas na indústria têxtil. Exemplos: sisal ou agave, caroá, guaxima, etc.
3. Fibras de entrecasca. Neste caso, as fibras se localizam no líber ou floema. Exemplos: linho, cânhamo, juta, rami, etc.
4. Fibras de palmeiras. Grupo heterogêneo, no qual se incluem fibras procedentes de várias partes da planta: a) frutos - coqueiro-da-bahia; b) folhas - piaçava, carnaúba, buriti, etc.


21- CONHECENDO OS CONCEITOS DE TERRA

Embora os dicionários registrem os termos terra e solo como sinônimos, na verdade terra é um termo mais amplo, usado em várias ciências com significados diferentes.
Em Astronomia, Terra é o nome do planeta do sistema solar no qual vivemos.
Em Geografia, é o nome dado à parte sólida da superfície da Terra, em oposição à parte líquida ( oceanos, mares e lagos ).
Em Economia Rural, terra é um fator de produção, juntamente com capital e trabalho.
O fator terra inclui: terra nua ou solo, benfeitorias e cobertura vegetal (culturas, pastagens,
florestas ).
Em Pedologia ( estudo do solo ), terra é o material solto, formado por partículas minerais, misturado com restos vegetais e animais em decomposição (matéria orgânica ) que, juntamente com o ar e a água, constituem o solo. Portanto, ficam excluídos os afloramentos de rochas e as pedras ou fragmentos de rochas.
Em Agricultura, terra é o meio de crescimento para as plantas. Nesta acepção, o termo terra é mais amplo do que solo, abrangendo este mais o ambiente onde ele ocorre. Portanto, inclui também o clima, o relevo, a hidrografia, a vegetação e ainda os resultados da atividade humana como, por exemplo, melhoramentos introduzidos (benfeitorias, drenagem artificial) e eliminação ou controle de resultados adversos (erosão, salinização).
Sob o ponto de vista agrícola, as terras abrangem diferentes tipos de solos, com diferentes propriedades físicas e químicas ( cor, textura, estrutura, profundidade, fertilidade, declividade, susceptibilidade à erosão, etc. ), de modo que possuem diferentes capacidades de uso. Assim, costuma-se classificá-las em três grupos: a) terras próprias para culturas e outros usos; b) terras impróprias para culturas, mas adequadas para pastagens e reflorestamentos; c) terras impróprias para uso agrícola, podendo servir apenas para recreação e abrigo da vida silvestre


22- CONHECENDO AS PLANTAS EPÍFITAS

Epífitas (do grego epi - sobre; fito - planta) é a designação dada às plantas que se desenvolvem sobre outras sem parasitá-las, isto é, sem delas retirarem alimentos. São muito comuns em florestas tropicais, onde árvores de casca rugosa permitem o acúmulo de água de chuva e restos vegetais, favorecendo a formação de um estrato, constituído principalmente de musgos, sobre o qual se desenvolvem as epífitas. São comumente chamadas de " parasitas "pelas pessoas menos entendidas, mas na verdade não o são, pois geralmente se tratam de plantas autótrofas, isto é, capazes de sintetizar compostos orgânicos a partir de inorgânicos ( fotos-síntese ).
Entre as principais plantas epífitas encontram-se as orquídeas, certas bromélias (algumas são terrestres, como o abacaxi) e filodendros. Estes últimos vivem, indiferentemente, em árvores ou no solo.
As plantas epífitas possuem raízes aéreas que se aconchegam sobre a planta-suporte, como as orquídeas; ou então crescem para baixo, em busca do solo, como no caso dos filodendros.

23- CONHECENDO A NATUREZA

Em sentido amplo, natureza é o nome dado ao conjunto de todas as coisas e seres vivos existentes na Terra, que se distribuem em três reinos: a) reino mineral, que compreende o ar, a água, o solo, os minerais e as rochas; b) reino vegetal, que abrange todos os vegetais, desde as bactérias até as plantas superiores; c) reino animal, que inclui todos os animais, desde os protozoários até os grandes mamíferos.
O ar constitui a atmosfera; a água forma a hidrosfera; o solo, os minerais e as rochas constituem a litosfera ou crosta terrestre; os seres vivos e seus ambientes formam a biosfera.
O conjunto das plantas constitui a flora, que pode ser subdividida em microflora e macroflora. O conjunto dos animais constitui a fauna, que pode ser subdividida em microfauna e macrofauna. Ambientes tão diversos quanto uma floresta e um lago, desenvolvem e abrigam comunidades de seres vivos muito diferentes, constituindo os ecossistemas. Estes podem ser considerados sinônimos de natureza num sentido restrito.

24- CONHECENDO OS RUMINANTES

Os Ruminantes constituem uma interessante e importante sub-ordem da ordem Artiodáctilos ( cascos fendidos ) da classe Mamíferos. São assim chamados os animais quadrúpedes que apresentam processo digestivo especial, chamado ruminação, que consiste em fazer o retorno dos alimentos ingeridos à boca para uma segunda mastigação. Possuem estômago composto, dividido em quatro compartimentos: pança ou rúmen, retículo ou barrete, folhoso e coagulador, nos quais os alimentos são digeridos, depois de mastigados pela segunda vez.
Todas as espécies de ruminantes são herbívoras, podendo ser divididos em dois
grupos: a) os que têm o estômago perfeitamente estruturado, como boi, cabra, carneiro, etc.; b)os que têm divisão incompleta da cavidade estomacal. como lhama, camelo, veado, etc.
Quase todos os povos têm ruminantes como animais domésticos e os utilizam para diferentes finalidades: produção de carne, leite, couro, lã, etc. e como meio de transporte; de tal modo que é possível fazer uma associação entre povos e ruminantes. Por exemplo: lapões e renas, tibetanos e iaques, tuaregues e dromedários, mongóis e camelos, peruanos e lhamas, europeus e americanos e bois, nordestinos e cabras, etc.

25- CONHECENDO O REGOLITO

Dá-se o nome de regolito ou manto de intemperismo à camada superficial da crosta terrestre, não consolidada, resultante do intemperismo, isto é, da ação dos agentes atmosféricos ( temperatura, chuva, vento, etc. ) sobre as rochas, provocando a sua desagregação e decomposição química. A sua espessura varia de alguns centímetros até dezenas de metros.
O regolito recobre a maior parte da crosta continental, embora sejam freqüentes os afloramentos de rochas, principalmente nas áreas escarpadas. Pode ser residual ou transportado. Diz-se que o regolito é residual quando se constitui de material originário da rocha subjacente; de outro modo, denomina-se regolito transportado. O transporte de material intemperizado de um local para outro pode ser feito pela água, pelo vento ou pelo gelo.
Normalmente, a parte superior do regolito se apresenta diferenciada em camadas ou horizontes, constituindo o solo, que é explorado pelas raízes das plantas terrestres, para a sua fixação e absorção de nutrientes minerais - nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, etc.
O intemperismo pode ser: físico, químico e biológico. O calor solar é o principal agente de intemperismo físico, causando dilatações e contrações diárias, que acabam provocando a desagregação das rochas. A água é o fatorpreponderante do intemperismo químico, provocando alterações na composição dos minerais constituintes das rochas, através de: hidrólise, oxidação, redução, hidratação, etc. Ocorre também intemperismo biológico, pela ação das raízes e de diversos organismos.
Assim, os minerais primários, constituintes das rochas, são em parte transformados em minerais secundários, formados no regolito ou no solo. São exemplos de minerais primários: micas, feldspatos, quartzo, anfibólios, piroxênios, etc; e de minerais secundários: caulinita, óxidos de ferro ( hematita ), óxidos de alumínio ( gibsita ) , etc.


26- CONHECENDO A BIOSFERA

Dá-se o nome de biosfera ao espaço do globo terrestre que abriga os seres vivos. Inclui os oceanos, rios e lagos, bem como a porção superficial da crosta continental até uma profundidade de poucos metros, e ainda a parte mais baixa da atmosfera. A característica básica da biosfera é a sua heterogeneidade, abrangendo ambientes terrestres e aquáticos, onde vivem diferentes organismos vegetais e animais.
Os seres vivos podem ser divididos em dois grandes grupos: a) autotróficos, representados pelas plantas verdes, capazes de utilizar a energia solar para sintetizar compostos orgânicos a partir de inorgânicos ( fotossíntese ); b) heterotróficos, incapazes de produzir compostos orgânicos a partir de água e dióxido de carbono e que vivem, direta ou indiretamente, à custa dos autotróficos, como é o caso dos animais.
A biosfera contém todos os ecossistemas, terrestres e aquáticos, bem como a água, o ar e os demais nutrientes que os seres vivos necessitam para sobreviver. Tudo na biosfera se relaciona - a atmosfera ajuda a purificar a água, reciclando-a, e também fornece dióxido de carbono para a fotossíntese das plantas e oxigênio para a respiração das plantas e animais; as plantas fornecem alimentos para os animais e liberam oxigênio necessário à respiração; o solo fornece água e nutrientes minerais ( nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, etc. ) para as plantas.
Cada espécie de organismo está adaptada a um habitat particular e ocupa uma determinada posição na cadeia alimentar, constituindo um nicho ecológico. Freqüentemente, os nichos se sobrepõem, provocando a competição por recursos. Assim, diferentes organismos podem ter nichos ecológicos semelhantes, constituindo uma comunidade biótica. Existem milhares de comunidades diferentes, mas elas podem ser divididas basicamente em dois grupos: a) terrestres ( florestas, campos, desertos, etc. ); b)aquáticos ( marinhos e de água doce ). As comunidades bióticas e o ambiente funcionam em conjunto, como um sistema ecológico ou ecossistema.

27- CONHECENDO AS PLANTAS TÓXICAS

Toxicidade é a capacidade de um produto (geralmente um composto químico), de manifestar efeitos danosos em organismos. A toxicidade depende da dosagem: geralmente, uma substância tóxica só produz efeitos em altas concentrações. Assim, por exemplo, a cocaína que, em pequenas doses é usada como anestésico, em doses elevadas torna-se tóxica.
Segundo a crendice popular, grande é o número de plantas tóxicas; porém, muitas delas se mostraram inócuas quando submetidas à experimentação. Portanto, vamos relacionar apenas as espécies cuja toxicidade foi comprovada.
Dentre as plantas tóxicas para o gado, podem ser citadas: a) tingui, um arbusto
trepador comum nas regiões secas do País; b) maniçoba, uma árvore também encontrada nas regiões secas do Nordeste Brasileiro; c) erva-de-rato, uma planta sub-arbustiva que ocorre principalmente no leste do País; d) alecrim-de-campinas, árvore muito utilizada na arborização urbana; seus brotos contêm ácido cianídrico.
Dentre as plantas ornamentais que podem causar efeitos tóxicos, principalmente em crianças, podem ser citadas: a) dama-da-noite, um arbusto conhecido por suas flores que exalam perfume à noite; b) comigo-ninguém-pode, cultivada como folhagem; c) espirradeira, arbusto de belas flores, comum em jardins e praças públicas; d) chapéu-de-napoleão, pequena árvore ornamental; etc.
A mamoneira é uma planta cultivada para a produção de óleo, cuja torta residual só serve como adubo, não sendo recomendada para alimentação dos animais devido à sua toxicidade.
Dentre as plantas que possuem espinhos causticantes, destacam-se: a) urtiga,
planta comum na Mata Atlântica; b) cansanção, arbusto comum no sul da Bahia; c) pó-de-mico, uma leguminosa trepadeira; etc.
A coca é um arbusto de cujas folhas se extrai a cocaína, um alcalóide usado em medicina como anestésico. O uso habitual da cocaína torna-se um vício prejudicial à saúde. Também a maconha, uma variedade de cânhamo cujas folhas e flores são empregadas em farmácia como narcótico, pode tornar-se um vício.

28- CONHECENDO OS ANIMAIS INSETÍVOROS

O termo insetívoro é usado com dois significados diferentes: a) organismos que se alimentam de insetos, tanto animais - aranha, camaleão, pássaros, etc. como vegetais – plantas carnívoras - drosera, nepenthes, dionéia, etc.; b) ordem de mamíferos - Insetívoros, que compreende animais terrestres, geralmente pequenos, com focinho longo e dentes pontiagudos, que se alimentam basicamente de insetos.
Os mamíferos insetívoros incluem animais familiares como: ouriço, musaranho, toupeira, etc.
Outros animais também se alimentam de insetos, como o tamanduá, que possui língua comprida e pegajosa para apanhar formigas e cupins. O camaleão também possui língua comprida e pegajosa, que usa para capturar insetos.
Entre as aves encontram-se várias espécies que são basicamente insetívoras,
tais como: pica-pau, pardal, tico-tico, andorinha, codorna, tucano, etc.
Algumas espécies de morcegos são frugívoras, isto é, alimentam-se de frutas; porém, a maioria é insetívora, comendo pequenos insetos como mosquitos e pernilongos.
As aranhas constroem teias para capturar insetos, dos quais se alimentam.


29- CONHECENDO AS AVES DE RAPINA

As aves são animais vertebrados ovíparos, isto é, que põem ovos. Possuem respiração pulmonar e sangue quente, maxilares revestidos por bicos córneos; seus membros posteriores são os únicos que servem para apoio no chão e locomoção terrestre, pois os anteriores foram transformados em asas, adaptadas para o vôo.
As aves de rapina, que contam cerca de 400 espécies, são carnívoras, dispondo de garras fortes e aduncas, e bico superior curvado e agudo. Possuem excelente aptidão para o vôo, desenvolvendo a atividade predadora em dois turnos: diurno e noturno. Aproximadamente 2/3 dessas aves são diurnas, incluindo: gavião, falcão, águia, condor e abutre; são ativas do amanhecer ao crepúsculo. O outro terço é constituído pelas corujas, que são caçadoras noturnas.
As corujas possuem face achatada e excelente visão noturna, sendo capazes de capturar um rato vivo na escuridão da noite.
A tática de ataque usada tanto por um gavião como por uma coruja é a mesma: descer em vôo vertical sobre a presa e golpeá-la com as garras aduncas. Os abutres geralmente não atacam as presas vivas, alimentando-se de carniça, por isso seus pés têm garras mais fracas.
Os gaviões, caçadores de aves menores, usam a tática de ataque de surpresa, podendo executar manobras rápidas. O serpentário, como o próprio nome indica, especializou-se em caçar serpentes e, por isso, suas longas pernas são protegidas por verdadeiras couraças. O minhoto, que come vespas, tem uma armadura protetora facial, feita de pequenas penas escamosas e duras. O gavião-caranguejeiro, que se alimenta de caramujos, tem um enorme gancho no maxilar superior.
Algumas aves têm tendência para a pirataria. As fragatas, por exemplo, costumam perseguir os atobás quando eles voltam da pesca no mar, obrigando-os a vomitar os peixes que engoliram.

30-MASCULINO/FEMININO COM SIGNIFICADOS DIFERENTES - 1

1. Cano: tubo de metal.
Cana: planta da família Gramíneas cultivada para a produção de açúcar e álcool.
2. Copo: pequeno vaso cilíndrico;
Copa: parte aérea das árvores; compartimento anexo à cozinha.
3. Esporo: elemento de reprodução das plantas inferiores.
Espora: acessório que o cavaleiro usa para estimular o cavalo.
4. Favo: conjunto de alvéolos nos quais as abelhas depositam o mel.
Fava: vagem da faveira.
5. Foco: centro, ponto de convergência.
Foca: mamífero aquático.
6. Pinto: filho da galinha.
Pinta: pequena mancha na pele.
7. Rolo: cilindro metálico.
Rola: pequena ave semelhante ao pombo.
8. Sino: instrumento sonoro comum nas torres de igrejas.
Sina: sorte, destino.
9. Soldo: vencimento dos militares.
Solda: substância metálica usada para unir peças de metal.
10. Tesouro: grande quantidade de dinheiro ou objetos de valor.
Tesoura: instrumento cortante.

31- MASCULINO/FEMININO COM SIGNIFICADOS DIFERENTES - 2

1. Bolo: iguaria feita com massa de farinha e açúcar
Bola: qualquer objeto esférico
2. Boto: mamífero aquático
Bota: tipo de calçado
3. Cachaço: reprodutor suíno
Cachaça: aguardente
4. Cigarro: pequena porção de fumo preparada para fumar
Cigarra: inseto cantador
5. Pato: ave palmípede doméstica
Pata: membro que serve para apoio e locomoção dos animais
6. Porco: suíno
Porca: pequena peça de ferro para rosquear no parafuso
7. Porto: ancoradouro de navios
Porta: abertura para entrada e saída
8. Prato: recipiente para comida
Prata: metal precioso
9. Raio: descarga elétrica entre nuvem e solo
Raia: o mesmo que arraia ( peixe )
10. Roto: rasgado
Rota: direção de percurso
11. Tiro: disparo de arma de fogo
Tira: policial


32-MASCULINO/FEMININO COM SIGNIFICADOS DIFERENTES - 3

1. Ato:ação, acontecimento.
Ata: registro de sessão de corporação
2. Bando: grupo de pessoas ou animais.
Banda: corporação de músicos.
3. Braço: membro superior do corpo humano.
Braça: medida antiga de comprimento equivalente a 2,20m.
4. Calçado: artefato para cobrir o pé.
Calçada: caminho revestido com pedras
5. Caso: acontecimento.
Casa: moradia.
6. Lato: amplo.
Lata: folha de ferro estanhado.
7. Luto: sentimento de pesar pela morte de alguém.
8. Meio: ambiente.
Meia: peça de malha para calçar no pé.
9. Papo: espécie de bolsa que existe nas aves.
Papa: chefe da Igreja Católica.
10. Solo: terra, chão.
Sola: parte inferior do calçado, que assenta no chão.

33-CONHECENDO OS ANIMAIS MIGRADORES

Chama-se migração o deslocamento permanente ou temporário de certos animais, em grupos. Esses deslocamentos se devem a várias causas: a) para reprodução ( salmão ); b)por escassez de alimentos (gnu ); c) por excesso de população ( lemingues ), etc.
Dentre os mamíferos, os caribus da América do Norte são conhecidos por suas migrações periódicas, chegando a percorrer de 600 a 800 quilômetros. Os morcegos também realizam, freqüentemente, longas migrações.
No ambiente marinho são freqüentes as migrações das baleias e dos cachalotes.
Dentre os peixes, destacam-se os salmões, que vivem nos rios; porém, os indivíduos novos emigram para o mar, regressando já adultos, para a reprodução.
Na planície do Serengeti, na África Oriental, os gnus costumam se deslocar em grandes manadas para fugir da seca, em junho//julho. Em dezembro, quando vêm as chuvas e as pastagens se tornam viçosas, o rebanho regressa.
As tartarugas marinhas das costas brasileiras, na época da reprodução, nadam em direção ao mar, até os rochedos de São Pedro e São Paulo, onde efetuam a postura dos ovos; depois retornam ao continente.
As andorinhas-do-mar, em bandos, procuram a terra firme para a postura dos ovos e alimentação dos filhotes; depois de 4-5 semanas voltam às regiões frias.
Um caso interessante é o dos lemingues - mamíferos roedores do norte da Europa que, quando a população aumenta excessivamente, emigram em bandos numerosos, em direção ao mar, onde morrem afogados!


34- CONHECENDO AS PLANTAS MEDICINAIS

É grande o número de espécies vegetais que o povo emprega para debelar as mais diversas doenças, embora grande parte delas seja inerte, isto é, sem efeito comprovado. Sob o ponto de vista científico, devem ser consideradas plantas medicinais aquelas que têm efeito comprovado sobre doenças e/ou sintomas. Muitas destas plantas devem sua ação farmacológica a princípios ativos conhecidos, vindo mesmo a constituir, em vários casos, matéria-prima para a indústria farmacêutica.
Assim, vários alcalóides podem ser derivados de plantas, como por exemplo: a) pilocarpina, extraída de folhas do jaborandi, capaz de atenuar os sintomas do glaucoma; b) emetina, extraída das raízes da ipecacuanha, usada como expectorante; c) atropina, proveniente da beladona, empregada como dilatadora da pupila; d) quinina, extraída da quineira, usada contra a malária; e) cocaína, um alcalóide extraído das folhas da coca, usada como anestésico; porém, o uso habitual da cocaína pode tornar-se um vício prejudicial à saúde.
Algumas plantas têm ação cicatrizante, como o confrei. Outras têm ação anti- cancerígena, como o pau-d'arco ou ipê-roxo. Há ainda plantas portadoras de enzimas, como o mamoeiro, de cujos frutos verdes é extraída a papaína, que facilita a digestão das proteínas.
De modo análogo, existem várias plantas, como as Liliáceas, portadoras de glicosídeos cardiotônicos, usados no tratamento de cardiopatias.

35- CONHECENDO A MATÉRIA - 1

1. Conceituação. A matéria se manifesta fundamentalmente por dois meios: a) matéria; b) energia. Matéria é definida como sendo tudo o que constitui os corpos e, por isso, ocupa um lugar no espaço.
2. Estados físicos. A matéria pode ser encontrada nos três estados: a) sólido ( rochas, metais, madeira ); b) líquido ( água, leite, vinho ); c) gasoso ( ar atmosférico, gás de rua ).
A elevação ou abaixamento da temperatura pode provocar mudança de estado. A água, por exemplo, existe na natureza nos três estados; sólido ( gelo ), líquido ( água ) e gasoso ( vapor d'água ).
3.Estrutura. Admite-se atualmente que todos os corpos são formados por átomos, isto é, um conjunto de partículas microscópicas ligadas de maneira determinada e constituindo outras partículas maiores, chamadas moléculas.
Por sua vez, cada átomo é formado por prótons, elétrons e nêutrons, ou seja, por partículas ainda menores e que se acredita, sejam as menores partículas existentes na natureza.
4. Propriedades.


36- CONHECENDO A MATÉRIA - 2

1. Conceituação
2. Estados físicos
3. Estrutura
4. Propriedades.
A matéria se caracteriza por várias propriedades, dentre as quais se destacam as seguintes:
a) Extensão ou volume. A propriedade de ocupar um lugar no espaço é denominada extensão ou volume.
b) Impenetrabilidade. Além de ocupar um lugar no espaço, a matéria exige um lugar exclusivo, ou seja, é impenetrável. Isso significa que dois corpos não podem ocupar, simultaneamente, o mesmo lugar no espaço.
c) Peso. Os corpos materiais têm peso, a sua massa é atraída pela ação da gravidade.
d) Porosidade. A matéria não é um todo contínuo e maciço, e sim, formado por moléculas que deixam espaços vazios entre si, chamados poros. Evidentemente, alguns corpos têm porosidade maior do que outros.
e) Compressibilidade. Quando se comprime um corpo qualquer, as moléculas tendem a aproximar-se e o corpo diminuir de volume. Os corpos gasosos, por exemplo, são altamente compressíveis, o mesmo acontecendo com alguns corpos sólidos; já os líquidos são muito pouco compressíveis.
f) Elasticidade. Uma vez cessada a ação da força compressora, as moléculas tendem a voltar à posição inicial, propriedade esta denominada elasticidade.
g ) Inércia e mobilidade. Um corpo material, quando sujeito à ação de uma força, pode entrar em movimento, propriedade esta denominada mobilidade. Assim, para movimentar um corpo em repouso ( inércia ), ou para parar um corpo em movimento, é necessária a aplicação de uma força.

37- CONHECENDO OS MINERAIS

Mineral é toda substância natural, de origem inorgânica, que apresenta estrutura cristalina, na qual os íons constituintes estão arranjados de maneira regular e sistemática. Os minerais estão amplamente distribuídos na crosta terrestre, fazendo parte das rochas (minerais primários), bem como do regolito e do solo (minerais secundários ). O estudo dos minerais cabe à Mineralogia.
As substâncias naturais resultantes de atividade biológica não se incluem entre os minerais, podendo ser citados como exemplos a pérola, o carvão e o marfim.
Os minerais que se encontram nas rochas são chamados minerais primários, sendo os mais comuns: quartzo, feldspatos, micas, anfibólios, piroxênios, magnetita e ilmenita.
Os minerais que se encontram no regolito e no solo podem ser: a) minerais primários, herdados das rochas; b) minerais secundários, formados pela ação do intemperismo sobre os minerais das rochas, dentre os quais se des-tacam: argilas ( caulinita, ilita, montmorilonita, etc. ), óxidos e hidróxidos de ferro e de alumínio ( hematita, gibsita, etc. ).
Consideram-se minerais úteis aqueles que são utilizados pelo homem, para várias finalidades. Assim, tem-se:
a) Minerais de interesse gemológico, conhecidos como pedras preciosas ou gemas: diamante, rubi, safira, esmeralda, etc.
b) Minerais ornamentais: mármore, ágata, alabastro, etc.
c) Abrasivos: diamante, corindon, esmeril, etc.
d) Cerâmica, vidro, esmalte: argilas, quartzo, nefelina, fluorita, etc.
e) Fertilizantes: apatita (fósforo), silvita ( potássio), salitre do Chile (nitrogênio ), etc.
f) Minérios de metais: bauxita (alumínio), galena (chumbo), magnetita e ilmenita (ferro), cassiterita (estanho ), etc.

38-CURIOSIDADES SOBRE O REINO MINERAL - 1

a) Os geólogos usam a terminação ita para designar minerais, como: albita, calcita,
hematita, caulinita, etc.; e a terminação ito para rochas, como: granito, diorito, quartzito, arenito,etc.
b) O calcário é uma rocha sedimentar solúvel em água contendo gás carbônico, dando origem à formação de: 1) dolina, ou depressões em forma de funil, nas quais se acumula água;
2) cavernas ou grutas, com as conhecidas estalactites ( no teto ) e estalagmites ( no chão );
3)trechos de rios subterrâneos.
c) O carbono, elemento químico básico dos compostos orgânicos, ocorre no reino mineral sob duas formas completamente diferentes:
1) amorfo - carvões minerais: hulha, antracito, turfa; 2) cristalino - diamante.
d) As rochas eruptivas básicas - basalto, diabásio - ocupam grandes áreas no estado de São Paulo e norte do Paraná, constituindo o material de origem dos solos popularmente chamados " terras roxas ", conhecidas por suas excelentes propriedades físicas e boa fertilidade,
Antigamente, as terras roxas eram cobertas por densas florestas, que foram derrubadas para a instalação de cafezais; porém, atualmente, grande parte dos cafezais vem sendo substituída por canaviais.


39-CURIOSIDADES DO REINO MINERAL – 2

a) O carbono. elemento químico básico dos compostos orgânicos, ocorre no reino mineral sob duas formas completamente diferentes:
1) amorfa, constituindo os carvões - ulha, antracito, turfa; 2) cristalina - diamante.
b) Os geisers são fontes intermitentes que, a intervalos mais ou menos regulares lançam fortes jatos de água quente e vapor. Ocorrem em regiões de atividade vulcânica recente, sendo famosos os gêisers da Irlanda, do Parque Nacional de Yellowstone ( Estados Unidos ) e da Nova Zelândia.
c) Situado ao redor do Pólo Norte, o oceano Ártico encontra-se permanentemente congelado; durante o inverno, o gelo oceânico do Ártico cobre cêrca de 12 milhões de quilometros quadrados, área que diminui de tamanho no verão.
d) Nas regiões áridas e semi-áridas, inclusive no Nordeste Brasileiro, ocorrem os chamados solos salinos e alcalinos conhecidos, respectivamente, pelos nomes russos de Solonchak e Solonetz. A diferença entre ambos é que o Solonchak apresenta crôstas de sais na superfície, enquanto o Solonetz possui o subsolo ( horizonte B ) endurecido pela presença de carbonato de sódio.


40- CONHECENDO AS AVES AQUÁTICAS

A maioria das aves tem habitat terrestre, seja no solo, como o avestruz e a ema, seja nas árvores, como o tucano, o papagaio e os pássaros. Porém, existem muitas aves adaptadas à vida aquática.
Em primeiro lugar, devem ser citados os pingüins, cujos membros anteriores se transformaram em aletas que lhes permitem nadar. Habitam a Antártida e regiões vizinhas, alimentando-se de peixes e um pequeno camarão chamado krill.
Um grupo de aves aquáticas é constituído pelas aves marinhas, que possuem
os dedos das patas unidos por uma membrana natatória, como a gaivota, o albatroz, a fragata e o pelicano, que se alimentam de peixes apanhados no mar.
Outro grupo de aves aquáticas são as chamadas palmípedes, isto é, que possuem as patas palmadas, como: pato, ganso, marreco, cisne, etc., que se alimentam de peixes, rãs, moluscos, crustáceos, etc.
Outro grupo de aves aquáticas é representado pelas pernaltas, isto é, aves que têm pernas e pescoço compridos, como: flamingo, garça, cegonha, jaburu, etc. Sem serem exclusivamente aquáticas, freqüentam os pântanos e beiras de rios e lagos, sendo chamadas "aves ribeirinhas". Alimentam-se de animais que vivem nos alagadiços: peixinhos, rãs, caranguejos, lesmas, tatuzinhos, etc.

41- CONHECENDO AS PLANTAS ORNAMENTAIS

É grande o número de plantas ornamentais, isto é, plantas empregadas na composição de parques e jardins, bem como na arborização urbana. Os principais grupos de plantas utilizadas para essas finalidades são: árvores, arbustos, palmeiras, floríferas, folhagens, gramas, trepadeiras e aquáticas.
1.Árvores - importantes para parques, jardins públicos e arborização de ruas. Podem ser: a) de porte baixo - canafístula, cambuí, resedá, pau-brasil, etc.; b) de porte médio - flamboiã, chapéu-de-praia, alecrim-de-campinas, tipuana, etc.; c) de porte alto - cinamomo, casuarina, grevília, paineira, etc.; d) de porte muito alto - jequitibá, mogno, eucalipto, sumaúma, etc.;
e) coníferas - pinheiro-do-paraná, cedro, cipreste, etc.
2.Arbustos - mesmos usos das árvores: barbatimão, falsa-murta, resedá, cedrinho,etc.
3.Palmeiras - admiradas por sua silhueta elegante: açaí, buriti, palmeirinha-de-petrópolis, palmeira-imperial, etc.
4. Floríferas - muito ornamentais, por suas belas flores, de formas e coloração variadas. Podem ser: a) anuais - amor-perfeito, margarida, gladílo, sempre-viva, etc. ; b) perenes: camélia, orquídeas, roseira, palma-de-santa- rita, etc.
5. Folhagens - apreciadas pelas formas e coloração de suas folhas: antúrio, filodendro, samambaia, tinhorão, etc.
6. Gramas - usadas para cobrir o solo: grama-batatais, grama-sêda, grama- mis-
sioneira, etc.
7. Trepadeiras - usadas para enfeitar pérgulas, colunas, muros, etc.: flor-da-paixão (maracujá ), alamanda, primavera, melão-de-são -caetan, etc.
8. Aquáticas - plantas para aquários e tanques: aguapé, cabomba, nenúfar, vitória-régia, etc.

42- CONHECENDO AS PLANTAS RASTEIRAS

A maioria das plantas possui caule ascendente, ou seja, de crescimento vertical, como é o caso das árvores, palmeiras e cereais. Todavia, existem muitas plantas que têm caule prostrado, isto é, com crescimento lateral, apoiando-se sobre a superfície do solo. Estas são chamadas plantas prostradas ou rasteiras.
O melhor exemplo é representado por várias espécies da família Cucurbitáceas - plantas herbáceas que geralmente possuem caules prostrados, providos de gavinhas que, eventualmente, lhes permitem fixar-se a suportes, tornando-se plantas trepadeiras.Exemplos: abóbora, melancia, pepino, chuchu, etc.
Outro bom exemplo são as gramas, das quais existem várias espécies: grama- batatais, grama-seda, grama-missioneira, etc., que se propagam por estolões, isto é, pedaços
de colmo dotados de gemas que emitem folhas para cima e raízes para baixo.
Outra planta rasteira que se propaga por estolões é o morangueiro, muito cultivado por seus apreciados frutos,


43- CONHECENDO OS TIPOS DE CHUVA

Dá-se o nome de chuva à condensação e precipitação do vapor d'água da atmosfera (nuvens), sob a forma de gotas com 1 a 3 mm de diâmetro. As gotas maiores caem mais rapidamente e absorvem, em sua queda, as gotas menores; quando o ar está seco, a chuva fraca não chega a cair, evaporando-se antes de atingir o solo.
O calor do sol provoca a evaporação das massas d'água e da água armazenada no solo, bem como a transpiração dos organismos vivos ( principalmente plantas ), formando as nuvens. Quando o ar das nuvens fica mais frio, devido à altitude ou ação dos ventos, o vapor d'água se condensa, formando gotas que caem sob a forma de chuva.
A quantidade de chuva caída é medida em aparelhos chamados pluviômetros, sendo expressa pela altura em milímetros da respectiva lâmina d'água. Além da quantidade, outras características importantes da chuva são a intensidade, expressa em mm/h, e a sua duração.
As chuvas podem ser de diferentes tipos, desde chuvas fracas, com pequenas gotículas, como a "garoa ", até violentas tormentas, como as " trombas d'água ".
De acordo com a sua intensidade, as chuvas são classificadas em 3 tipos: a) fracas, com intensidade inferior a 2,5 mm/h; b) moderadas, com intensidade entre 2,5 e 7,5 mm/h; c) fortes, com intensidade maior que 7,5 mm/h.
A chuva é importante porque alimenta as nascentes e os reservatórios de água e reabastece a água do solo, necessária á vida das plantas.
As chuvas fracas são vulgarmente chamadas de "chuva criadeira ", porque se infiltram totalmente no solo, sem provocar escoamento superficial (enxurrada) e nem erosão do solo, sendo altamente benéficas às plantações.
O granizo ou "chuva de pedra " resulta do congelamento das gotas de chuva, quando a temperatura da atmosfera cai abaixo de zero graus centígrados.


44- CONHECENDO OS ECOSSISTEMAS TERRESTRES - 1

Denomina-se ecossistema uma comunidade de organismos ( componente biótico ) que interagem tanto entre si como com o meio não-vivo ( componente abiótico ou físico ) em que vivem. Existe grande diversidade de ecossistemas que, basicamente, podem ser divididos em dois grupos: a) terrestres; b) aquáticos, sub-divididos em: b1) marinhos; b) de água doce.
Os ecossistemas terrestres caracterizam-se por combinações peculiares de clima, solo, flora e fauna. Os principais ecossistemas terrestres são: a) floresta tropical; b) floresta temperada; c) savana; d) estepe; e) deserto; f) taiga; g) tundra.
1. Floresta tropical. Ocorre em regiões de clima quente e úmido, como na Amazônia, na bacia do rio Congo ( na África ) e no sudeste da Ásia. Ocupa cerca de 20% da superfície terrestre e contém mais de 1,5 milhões de espécies vegetais e animais. A flora é muito rica em árvores de folhas perenes, formando dois ou três andares. Também são abundantes as lianas ou cipós e as plantas epífitas ( orquídeas, filodendros, etc.). São mais freqüentes os animais arborícolas, como macacos, preguiça, papagaio, etc. e mais raros os que se locomovem no solo, como anta, tatu, jibóia, etc.
2. Floresta temperada.Ocorre em regiões de clima com estação fria pronunciada, ocupando grande parte da América do Norte, da Europa e da Ásia. Atualmente, encontra-se já bastante devastada, principalmente na Europa.
Nela predominam as árvores de folhas caducas, como o carvalho e a faia. Eram freqüentes os pequenos animais, como esquilo, castor, doninha, etc., bem como urso, lobo, veado, etc.
3. Savana .Ocorre em regiões úmidas com estação seca prolongada, como na África Central e no Brasil Central, onde é chamada de " cerrado ". Trata-se de campo com predominância de gramíneas, à quais se juntam algumas espécies arbóreas e arbustivas, como baobá e acácias na África e os chamados " paus tortos " no Brasil - barbatimão, pequi, pau-santo, etc.


45- CONHECENDO OS ECOSSISTEMAS TERRESTRES - 2

3. Savana ( continuação )
A fauna da savana é rica em animais herbívoros, principalmente na África, onde se encontram: girafa, zebra, gnu, impala, etc., seguidos por seus predadores - leão, tigre, hiena, etc, Também são freqüentes as aves corredoras, como avestruz e ema.
4. Estepe. Nome dado a uma formação herbácea descontínua que ocorre em regiões cujo clima tem um período de seca prolongada, como no sul da Rússia. Inclui as pradarias da América do Norte e a caatinga do Nordeste do Brasil. Além das gramíneas, a sua flora inclui várias plantas xerófitas; e a fauna, animais como cão-da-estepe, hamster, bisão, antílope, cobras, lagartos, etc.
5.Deserto.Ecossistem que recobre cerca de um terço da superfície terrestre, destacando-se o deserto do Saara, no norte da África, o deserto de Gobi, na Ásia Central e o deserto do Colorado, na América do Norte. Devido à baixa precipitação, a vegetação é escassa, compreendendo essencialmente: a) plantas xerófitas, adaptadas à seca, como os cactos; b) plantas anuais chamadas efemerófitas, isto é, de ciclo muito curto, capazes de se desenvolver em poucas semanas, por ocasião das raras chuvas. Os animais do deserto são principalmente répteis (cobras e lagartos ), roedores de atividade noturna, feneco, chacal, camelo, dromedário, etc.
6. Taiga.é uma floresta de coníferas, localizada nas regiões mais frias da zona
temperada, como no norte da América, da Europa e da Ásia. As plantas são geralmente de folhas aciculadas ( estreitas ), como pinheiro, lariço, abeto, etc. É habitada por veado, alce, urso, lobo e diversas aves.
7. Tundra.Ecossistema típico da região polar norte, constituído por um tapete de musgos e liquens e alguns arbustos anões, como a bétula. No subsolo existe uma camada permanentemente congelada, chamada " perma-frost ". A fauna é pobre e adaptada ao frio: boi almiscarado, rena, urso polar, perdiz das neves, coruja das neves, etc.


46- CONHECENDO A SIMBIOSE DAS PLANTAS

Dá-se o nome de simbiose ou mutualismo à vida em comum de duas plantas, ou de uma planta e um animal. Nesse tipo de associação, os seres que dela participam, chamados simbiontes, se beneficiam mutuamente. O exemplo clássico são os líqüens - vegetais formados pela associação de uma alga com um fungo.
Outro exemplo é o das bactérias do gênero Rhizobium, que vivem simbioticamente nas raízes das leguminosas, formando nódulos responsáveis pela fixação biológica do nitrogênio atmosférico. Devido a este fato, várias leguminosas são usadas como adubos verdes, isto é, são cultivadas para depois serem incorporadas ao solo como fonte de matéria orgânica e nutrientes minerais, principalmente de nitrogênio.Exemplos de plantas usadas como adubos verdes: mucuna, mucuna-anã, lab-lab, feijão -de-porco, etc.
Outro exemplo de simbiose entre plantas são as micorrizas - associações mutualistas de raízes de plantas com as hifas (filamentos) de certos fungos. As hifas exploram um maior volume de solo, permitindo às plantas maior absorção de nutrientes minerais do solo.
Por sua vez, os fungos retiram nutrientes orgânicos da seiva das plantas.
Como exemplo de simbiose entre planta e animal pode ser citado o caso das algas do gênero Chlorella, que vivem associadas a certos animais marinhos.

47-CONHECENDO OS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS - 1

A água cobre cerca de 70% da superfície da Terra. Este fato, combinado com a grande profundidade dos oceanos (profundidade média estimada em 3.600m), oferece um espaço para a vida que se calcula ser 200 vezes maior que todos os ecossistemas terrestres reunidos.
Os ecossistemas aquáticos são mais favoráveis à vida que os terrestres. Entretanto, sua menor variabilidade resulta numa diversidade relativamente pequena.
Um fator importante de controle é a salinidade ou teor de sais, principalmente cloreto de sódio. Assim, a salinidade divide os ecossistemas aquáticos em dois grandes grupos: a) marinhos ou de água salgada; b) de água doce.
A - Ecossistemas marinhos. Podem ser subdivididos em duas zonas: a) costeira ou nerítica; b) oceânica ou palágica.
a) Zona costeira. Compreende as águas que repousam sobre a plataforma continental, até a profundidade de 200 metros. Suas águas, ricas em elementos nutritivos, apresentam povoamento abundante e diversificado: algas, mangues, foca, golfinho, caranguejo, conchas, moluscos ( lesma, caracol), aves marinhas (albatroz, gaivota, pelicano) e peixes (atum, bacalhau, tubarão, etc.).
A maior parte da pesca marítima provém da zona costeira.
b) Zona oceânica. Está situada além da plataforma continental e o seu povoamento não é tão rico como o da zona costeira. Considerando a zona oceânica no sentido vertical, distinguem-se: b1) meio pelágico, ou águas de alto mar; b2) meio bêntico, que compreende os seres vivos localizados no fundo do mar ou nas suas proximidades.
b1) Meio pelágico. Nele distinguem-se dois grupos de organismos: o plâncton e o nécton. O plâncton é constituído por organismos cujo tamanho varia de um milésimo de milímetro até pouco mais de um metro, incapazes de locomover-se e, portanto, deixam-se transportar, passivamente, pelas correntes. Inclui algas, bactérias, protozoários, etc. O nécton é constituído por organismos capazes de nadar, como peixes (arenque, bacalhau, sardinha, tubarão, etc.), crustáceos ( camarão, lagosta, etc. ), moluscos ( polvo, lula ), cetáceos ( baleia, orca, etc. ).
b2) Meio bêntico. Nele vivem peixes achatados (arraia, linguado, peixe-lua, etc.), cachalote, polvo, etc.

48- CONHECENDO OS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS – 2

B. Ecossistemas de água doce.
Os ecossistemas de água doce têm características muito variáveis, na dependência da geologia da região, do relevo, do uso da terra e dos níveis de poluição.
Quanto ao teor de nutrientes contidos na água, os ecossistemas aquáticos podem ser classificados em: a) eutróficos; b) mesotróficos; c) oligotróficos.
A maioria dos ecossistemas de água doce são eutróficos, isto é, possuem altos teores de nutrientes, o que permite a manutenção de comunidades ricas em espécies. Muitos são oligotróficos, isto é, possuem baixos teores de nutrientes e só podem manter uma flora e uma fauna pobres. Outros, chamados mesotróficos, ocupam uma posição intermediária.
1. Rios e afluentes. São ecossistemas de água doce corrente. Além da variação de largura, profundidade e velocidade, a natureza do fundo ( não consistente ou pedregoso )
também influi na diversidade das comunidades fluviais.
De modo geral, as comunidades fluviais incluem: peixes de água doce (lambari, bagre, dourado, pintado, piranha, etc.), anfíbios ( rã, sapo,etc. ), capivara, castor, jacaré, etc.
Freqüentemente, os rios apresentam, ao longo de suas margens, planícies de inundação (ou várzeas), nas quais as comunidades são semelhantes às dos brejos ou pântanos.
2. Lagos e lagoas. São ecossistemas de água doce parada. Geralmente têm uma zona litorânea, rasa; e uma zona pelágica, mais ou menos profunda. Na zona litorânea encontram-se plantas hidrófitas, como aguapé, nenúfar, sagitária, junco, etc., bem como plâncton, crustáceos, anfibios, peixes, aves palmípedes, etc. Na zona pelágica encontram-se principalmente plâncton, crustáceos e peixes.
3. Brejos e pântanos. São ecossistemas desenvolvidos em solo encharcado, onde a drenagem natural é deficiente. Ocorrem nas proximidades de rios ou em depressões do terreno, constituindo ambiente propício aos organismos semi-aquáticos. A flora é representada por plantas hidrófitas - junco, taboa, drosera, etc.
A fauna inclui rã. sapo, caracol, lesma, aves aquáticas ( garça, flamingo, saracura, etc. ).


49- AMEAÇAS AO MEIO AMBIENTE

No final do século XX os cientistas chegaram à constatação da fragilidade dos ambientes, tanto terrestres como aquáticos, ameaçados pela poluição e pelo aquecimento global.
As florestas tropicais, que fornecem a maior parte do oxigênio necessário à respiração dos seres vivos, estão sendo devastadas, principalmente na África, na América do Sul e no Sudeste da Ásia. A camada de ozônio que nos protegia contra as radiações nocivas, como os raios ultra-violeta, está ficando cada vez menor.
Os problemas ambientais têm origem no mau uso do solo e no aumento da industrialização. A erosão do solo e a mineração a céu aberto deixaram cicatrizes na área rural. Na zona urbana, as cidades foram crescendo e as fábricas e veículos foram se multiplicando, liberando substâncias tóxicas no ar. Com a tendência de outros países também se desenvolverem, aumentando a industrialização, a poluição poderá levar a Terra a uma catástrofe ecológica.
A poluição do ar é causada por várias fontes: a) motores de combustão interna, que produzem dióxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio; b) usinas elétricas movidas a carvão e outros processos industriais que liberam óxidos de enxofre e nitrogênio que, combinados à umidade atmosférica, produzem os ácidos sulfúrico e nítrico, ocasionando as chamadas "chuvas ácidas", que causam sérios danos às plantas e aos animais; c) queimadas anuais de restos de culturas e sobras de capim das pastagens, que produzem fuligem e gases tóxicos.
A poluição da água é provocada por resíduos industriais e domésticos, bem como vazamentos de navios e tubulações, causando sérios danos às várias formas de vida aquática.
A poluição do solo é causada principalmente pelo uso de agrotóxicos ou defensivos agrícolas - inseticidas, fungicidas, herbicidas, etc.
Em conseqüência da emissão de gases na atmosfera, ocorre o chamado "efeito estufa", que provoca o aquecimento global - processo lento e gradual. As temperaturas médias da Terra aumentaram cerca de 0,5 graus centígrados no último século. Os cientistas prevêem que se o clima continuar a se tornar mais quente, as geleiras das calotas polares tendem a derreter-se e a liberar mais água para os oceanos, elevando o nível dos mares. A projeção para o futuro é preocupante. podendo ocorrer o desaparecimento das ilhas baixas e a inundação de cidades litorâneas, como Veneza, Rio de Janeiro, Santos, Nova York, etc.

50- CONHECENDO O COMPORTAMENTO ANIMAL

Para sobreviver e crescer, os animais executam uma série de atividades que caracterizam o seu comportamento: defender o seu território, acasalar-se, busca de alimentos, ataque e defesa, formação de grupos, etc.
Chama-se território a área que o animal utiliza para obter os recursos vitais que necessita. Geralmente, o macho procura se acasalar com uma ou mais fêmeas. Algumas espécies são polígamas, outras são monógamas. De qualquer modo, há necessidade de construir ninho ou toca para abrigar os filhotes.
Muitas espécies se organizam em grupos, seja do tipo familiar ou social. A vida em grupo facilita tanto a caçada ( leões ) como a defesa ( búfalos ). As organizações mais complexas são as dos chamados insetos sociais, que formam grandes colônias, como as abelhas, vespas, formigas e cupins.
Encontrar comida adequada e em quantidade suficiente é uma tarefa essencial a todos os animais. Alguns possuem dieta especializada - os coalas se alimentam exclusivamente de folhas de eucalipto e os pandas comem principalmente brotos de bambu. Muitos animais são herbívoros, como os ruminantes; outros são carnívoros, como os felinos e as aves de rapina. Existem ainda animais de dieta generalizada (onívoros), como os macacos, os ratos e os porcos.
Numerosas são as adaptações para ataque:dentes e garras (felinos), bicos e garras ( aves de rapina), órgão inoculador de veneno (aranhas, escorpiões, cobras ), etc.; e também para defesa: carapaças (caracóis, conchas, tartarugas, etc.), espinhos (ouriço, porco-espinho, etc.).
Várias são as táticas de ataque (emboscada, caça em grupo, etc.) e de defesa (camuflagem, mimetismo, entrar na toca ou subir em árvore.
Há ainda animais migradores, como os gnus; e os que hibernam, como o urso polar.


51- CONHECENDO OS TIPOS DE CLIMA

O clima de uma região é o conjunto de fenômenos meteorológicos ( nebulosidade,
temperatura, umidade do ar, chuva, vento, etc. ) que se sucedem durante um longo período; e tempo é a sucessão desses fenômenos durante um curto período. Portanto, o clima é a sucessão de vários tempos, enquanto tempo é o estado momentâneo da atmosfera.
O clima é importante porque influi na vida de todos os seres vivos, sejam vegetais, animais ou o próprio homem, tanto na sua distribuição como nas suas atividades.
Existem várias classificações climáticas. A mais antiga deve-se aos gregos, que consideravam três tipos: a) climas quentes; b) climas temperados; c) climas frios.
Atualmente, a classificação mais aceita é a de Köppen, baseada nas médias anuais e mensais de temperatura e precipitação (chuva). Reconhece 5 tipos principais de climas identificados pelas primeiras letras do alfabeto, em maiúsculo: a) clima A - tropical chuvoso, com todos os meses com temperaturas médias superiores a 18 graus centígrados; b) clima B – clima árido ou seco, com precipitação média anual inferior a 250 milímetros; c) clima C - temperado chuvoso, com temperatura média do mes mais frio inferior a 18 graus e superior a -3 graus; d) clima D - boreal chuvoso, com temperatura média do mês mais frio inferior a -3 graus e a do mês mais quente superior a 10 graus; e) clima E- polar, com temperatura média de todos os meses inferior a 10 graus.
Os climas úmidos ( A, C e D ) são sub-divididos de acordo com a repartição estacional das chuvas: s - seca de verão e chuvas de inverno; w - chuvas de verão e seca de inverno; f - chuvas em todas as estações.
Os climas secos ou B se desdobram em : Bs ( semi-árido ) e Bw ( árido ).
Como exemplos, podem ser citados:
a) clima Af - quente e úmido, com chuvas abundantes e bem distribuidas: região Amazônica.
b) clima Cw - quente com chuvas de verão e inverno seco: Brasil Central.
c) clima Bs - semi-árido e quente: Nordeste Brasileiro.


53-CONHECENDO OS PARASITAS DO REINO ANIMAL

Já vimos que parasita é um organismo que vive sôbre outro, dele retirando seu alimento. No caso dos animais, distinguem-se: a) ectoparasitas, que vivem na periferia do corpo do hospedeiro, como o carrapato e o piolho; b) endoparasitas, que vivem no interior do hospedeiro, como a tênia e a lombriga.
Os parasitas do reino animal são geralmente pequenos animais que podem ser: a)
sugadores de seiva das plantas, como pulgão, ácaros e cigarra; b) sugadores de sangue do homem e dos animais, como sanguessuga, carrapato, barbeiro ou chupança, pernilongo, etc.; c)mastigadores de folhas, como gafanhoto, grilo e lagartas ou larvas de insetos.
Alguns parasitas são obrigatórios, isto é, não sobrevivem sem a presença do hospedeiro, como é o caso dos protozoários e vermes, Outros são facultativos, vivendo como parasitas durante um certo período e, depois, passam o resto do tempo em vida livre, como a maioria das larvas de insetos. Outros ainda, são parasitas temporários, entrando em contato com o hospedeiro para se alimentarem, abandonando-o quando satisfeitos; mas são obrigados a procurá-lo periodicamente, como as pulgas, piolhos e pernilongos.
Os parasitas animais são em grande número e causam grandes prejuízos às plantações, aos animais domésticos e ao próprio homem. Seu estudo é objeto da Parasitologia.

54-CONHECENDO OS SAPRÓFITOS

Denominam-se saprófitos os vegetais heterótrofos, isto é, incapazes de produzir compostos orgânicos a partir de inorgânicos ( fotossíntese ) e que se alimentam de restos de organismos mortos. Não confundir com parasitas, que obtêm alimento de organismos vivos.
Como exemplos de saprófitos podem ser citados a maioria dos fungos e bactérias e
algimas plantas superiores desprovidas de clorofila, como a Neótia - uma orquidácea saprófita.
São os saprófitos que, por fermentação em cadeia , decompõem os excrementos e os restos vegetais e animais, devolvendo ao solo os nutrientes minerais necessários à nutrição das plantas verdes ( providas de clorofila ); e devolvem à atmosfera o gás carbônico que essas plantas assimilam por fotossíntese. Portanto, os saprófitos desempenham papel ecológico muito importante, permitindo a reciclagem dos nutrientes minerais.

55- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL -1

a) Ninho do joão-de-barro.
b) Teia da aranha.
c) Chocalho da cascavel.
d) Tromba do elefante.
e) Bico do ornitorrinco.
f) Bolsa do canguru.
g) Beija-flor, que paira no ar.
h) Morcego: único mamífero que voa e que dorme pendurado de cabeça para baixo.

56-CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 2

a) Abelhas, vespas e marimbondos são insetos que possuem um ferrão na extremidade do abdome, cuja picada provoca dor local. As abelhas africanas são as mais agressivas, atacando animais e pessoas, em bando, podendo causar até a morte.
b) A lacraia ou centopéia possui dois ferrões destinados a injetar peçonha (veneno). A picada da centopéia é muito dolorosa, mas ela só pica quando tocada pelas mãos ou pés das pessoas.
c) O avestruz é a maior ave, chegando a alcançar a altura de 2,5m e pesar mais de 100kg. A fêmea bota de 12 a 15 ovos, cada um pesando cerca de 1,5kg.
d) A maioria dos mamíferos é terrestre, porém existem também mamíferos aquáticos que vivem, quer no mar, quer nos rios. São mamíferos marinhos: baleia, orca,narval, foca, golfinho, leão-marinho, etc. São mamíferos fluviais: lontra, ariranha, peixe-boi, manati, etc.


57- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 3

a) O ornitorrinco, um estranho mamífero da Austrália, não é vivíparo, isto é, não pare os filhos, como os demais mamíferos, mas sim ovíparo. A fêmea põe 1 ou 2 ovos, que choca durante alguns dias. Além disso, em vez de focinho apresenta um bico semelhante ao do pato.
b) A taturana ou bicho-de-fogo é a larva de uma mariposa, possuindo o corpo coberto por cerdas ou pêlos urticantes, isto é, que segregam uma substância que provoca queimaduras e dores intensas e, às vezes, intoxicações.
c) O narval é um mamífero aquático que chama a atenção pelo dente único do macho, com quase 2 metros de comprimento, projetado em forma de dardo retorcido em forma de espiral, na frente da cabeça.
d) O morcego é o único mamífero que tem asas e pode voar. É um animal noturno, que dorme de dia, pendurado com a cabeça para baixo. Suga o sangue de outros animais e, enquanto voa, usa uma espécie de radar ultrassônico: emite guinchos agudos cujo eco lhe permite localizar suas vítimas.

58- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 4

a) O louva-Deus, apesar da atitude que aparenta estar rezando, é um inseto predador de outros insetos e, às vezes, chegam a praticar o canibalismo: freqüentemente, a fêmea devora o macho após a cópula.
b) O cavalo-marinho é um peixe de aspecto pitoresco, que tem a aparência de um cavalo de fantasia, com o corpo coberto por escamas ósseas. Alimentam-se de pequenos crustáceos ou minúsculos peixes, que sugam com a boca.
c) A preguiça é um mamífero arborícola, de porte pequeno, que tem o corpo coberto por pêlos grossos e longos. Vive nas matas, alimentando-se das folhas novas de imbuia. O nome " preguiça " provém dos movimentos extremamente lentos desse curioso animal, cujos antepassados, de porte gigantesco, viveram no Pleistoceno.
d) O poraquê, também chamado peixe-elétrico, ocorre nos rios da Amazônia, podendo atingir até 2m de comprimento. Possui órgãos elétricos dispostos na parte inferior do corpo; este apresenta dois pólos elétricos: o positivo localizado na cabeça e o negativo, na cauda. É temido pelos efeitos produzidos por sua descarga elétrica, que pode atingir a potência de 300 volts, suficiente para matar um cavalo.

59-CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 5

a) As corujas são aves de rapina noturnas, com cabeça grande, redonda e chata; bico curto, curvo e forte. Há mais de uma centena de espécies no mundo, das quais cerca de 30 são encontradas no Brasil. Alimentam-se exclusivamente de pequenos animais vivos (ratos, insetos, lagartixas, etc. ). Popularmente, são tidas como aves de mau agouro.
b) Os sapos são animais anuros ( sem cauda ), anfíbios ( vivem na água e na terra ) e insetívoros ( comem insetos ). Possuem pele rugosa, com várias glândulas contendo veneno, porém, não têm órgão inoculador. Se algum animal ( como o cão ) morder um sapo, sua boca espuma abundantemente, podendo até morrer. Por isso, o veneno de sapo era usado pelos índios na ponta de suas flechas.
c) Lagartixa é a denominação geral dos pequenos répteis da família dos Geconídeos de cabeça grande em relação ao corpo, dedos dilatados com função de ventosas, permitindo que subam em paredes. Costumam aparecer à noite, freqüentemente junto aos focos de luz, a fim de caçar insetos. Quando perseguidas, soltam a cauda para iludir o perseguidor, sendo
que, posteriormente, a cauda se regenera.
d) O camelo é um mamífero ruminante, adaptado à vida no deserto. Tem no dorso duas corcovas ( camelo propriamente dito ) ou uma corcova ( dromedário ), as quais são verdadeiros depósitos de gordura, da qual o animal se nutre quando não encontra alimento. Em seu estômago existem pequenas cavidades onde a água é armazenada, o que lhe permite
passar vários dias sem beber água.

60- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 6

a) Além do formato diferente dos outros peixes, o cavalo-marinho chama a atenção pelo fato de que é o macho que fica grávido: ele possui uma bolsa ou saco abdominal onde, por ocasião da reprodução, a fêmea deposita de 200 a 400 ovos que aí são fecundados. Após a
eclosão, os filhotes saem da bolsa paterna.
b) O chamado " peixe-boi ", encontrado nos rios da Região Amazônica, não é peixe; é um mamífero aquático, desprovido de membros posteriores e cujos membros anteriores foram transformados em nadadeiras. A cauda é achatada, servindo também como nadadeira. A cabeça termina em focinho, muito semelhante ao do boi, daí o nome pelo qual é conhecido.
c) O pangolim é um mamífero desdentado, encontrado na África e na Ásia, que tem o corpo revestido por escamas grandes e imbricadas, exceto na parte ventral. Alimenta-se principalmente de formigas e cupins, assemelhando-se ao tamanduá, tanto pelos hábitos como pela estatura. Em caso de perigo, enrola-se todo, protegendo a cabeça e o ventre; e a couraça geralmente salva o bicho de ser comido.
d) O vaga-lume, também chamado pirilampo, é um besouro de hábitos noturnos, surgindo principalmente às primeiras horas da noite; e que se caracteriza por emitir luz fosforescente e intermitente.

61-CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 7

a) O avestruz é a maior ave, chegando a atingir 2,5m de altura e 100kg de peso. Não voa, porém é exímio corredor, vivendo nas savanas africanas. A fêmea bota 12 a 15 ovos, cada um pesando cerca de 1,5kg.
b) As piranhas são peixes de água doce, carnívoros, que vivem em cardumes numerosos. São temidas por sua voracidade, chegando a devorar um animal de grande porte em poucos minutos. Existem várias espécies, tais como: piranha-vermelha, piranha-preta, piranha-cachorro, etc.
c) O nome hipopótamo significa "cavalo do rio ". É um mamífero de grande porte, chegando a medir cerca se 4m de comprimento por 1,20m de altura, cujo peso varia de 3 a 4 toneladas. É um paquiderme ( pele grossa ): a sua pele tem quase 5cm de espessura. É anfíbio, vivendo a maior parte do tempo mergulhado na água dos grandes rios e lagos da África; é herbívoro, alimentando-se de capins hastes verdes e plantas aquáticas.
d) A preguiça é um mamífero desdentado, que vive na mata, movendo-se muito lentamente entre os ramos das árvores, de cabeça para baixo, suspensa por suas garras fortes e recurvadas.

62-CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 8

a) Geralmente, os peixes possuem corpo aproximadamente cilíndrico, afunilado em direção à cauda. Porém, algumas espécies apresentam formas curiosas, tais como: cavalo-marinho ( lembra a cabeça de um cavalo ), enguia ( forma de serpente ), arraia ( forma de losango achatado ), peixe-espada ( cabeça com prolongamento em forma de espada ), peixe-serra ( cabeça com prolongamento tendo nos bordos várias saliências ou dentes ), etc.
b) O escorpião é um animal de vida noturna que caça insetos, segurando-o entre as quelíceras e, avançando o pós-abdome sobre a cabeça, lhes crava o ferrão, injetando veneno e matando-os.
c) O tamanduá é um mamífero desdentado que se alimenta de insetos, principalmente formigas e cupins. Possui boca pequena, mas uma língua muito longa ( até 40cm ), coberta por uma saliva pegajosa, com a qual apanha os insetos e os engole quando a língua é recolhida.
d) O esquilo é um mamífero roedor, arborícola e comedor de sementes, principalmente nozes. Constrói ninho no oco de árvores, onde guarda sementes durante a estação favorável (verão), para serem consumidas no inverno. Alguns enterram as sementes no chão, desenterrando-as mais tarde para comê-las; algumas sementes são esquecidas e podem germinar, dando origem a novas árvores.

63- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 9

a) O chupim ou vira-bosta é considerado uma ave parasita, porque a fêmea põe os ovos no ninho do tico-tico, que os choca juntamente com os seus e cria os filhotes de ambos.
b) A baleia, o maior animal do mundo e possuidora de uma enorme boca, alimenta-se de pequenos e crustáceos ( krill ) e de peixinhos, que abocanha em grandes quantidades.
c) A enguia é um peixe serpentiforme, isto é, com aparência de cobra, por possuir corpo cilíndrico e longo, semelhança essa reforçada ainda mais pela redução das barbatanas.
d) A coruja é uma ave de rapina, dotada de forte bico curto e adunco e poderosas garras. Sua atividade é noturna, alimentando-se exclusivamente de pequenos vivos, como insetos, rãs, ratos, morcegos, etc. Após devorar a vítima, a coruja vomita as partes não digeridas, como ossos, penas, etc.


64- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL – 10

a) O esquilo é um mamífero roedor arborícola, comedor de sementes. Durante a estação favorável, os esquilos costumam armazenar nozes, enterrando-as em buracos feitos no chão. No inverno, desenterram as sementes para comê-las, porém muitas delas são esquecidas no solo e podem germinar, formando novas árvores.
b) A muçurana é uma cobra ofiófaga, isto é, que come outras cobras. Possui cor negra no dorso e azulada no ventre, podendo atingir mais de 2 metros de comprimento. Vivem perto de rios e lagoas e alimentam-se de outras cobras, inclusive as mais venenosas, como cascavéis, jararacas e urutus, a cujo veneno parecem imunes.
c) O tatuzinho é um pequeno crustáceo terrestre, que vive em lugares úmidos e sombrios. Quando se sente ameaçado, é capaz de enrolar-se, dobrando-se sobre o abdome, até encostar a cauda na cabeça. Dessa forma, só a carapaça e as pontas das patas ficam expostas. É uma tática de defesa semelhante à empregada pelo tatu, daí o nome tatuzinho.
d) A equidna é um curioso mamífero que vive na Austrália e que reúne características de vários outros animais, como: 1) das aves - ovíparo, com longo bico córneo; 2) dos marsupiais - mamas situadas numa bolsa ventral; 3) dos ouriços - pêlos transformados em espinhos; 4) dos tamanduás - língua pegajosa e regime alimentar (formigas e cupins ); 5) das toupeiras - hábito fossador. Sem dúvida, este pode ser considerado o animal mais estranho.


65-CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL – 11

a) As formigas cortadeiras ( saúva, quenquem ) não se alimentam diretamente das folhas que cortam e levam para o formigueiro; e sim, de um fungo que elas cultivam, isto é, que é alimentado pelos fragmentos de folhas carregados para dentro do formigueiro.
b) A toupeira é um mamífero insetívoro ( que come insetos ) e fossador, que constroem tocas complexas, cheias de galerias. Uma espécie da América do Norte - " toupeira de nariz estrelado" - possui tentáculos sensíveis no focinho, os quais servem para localizar os insetos dos quais se alimenta.
c) A joaninha é um pequeno besouro que, tanto na fase larval como na fase adulta, se alimenta de cochonilhas, que são insetos pequenos e moles, sugadores da seiva das plantas.
Assim, a joaninha torna-se um inseto útil.
d) O espadarte ou peixe-espada é um peixe marinho, grande e muito feroz, que pode atingir 4 metros de comprimento. Possui o maxilar superior prolongado em forma de lâmina de bordos cortantes, com a qual ataca outros peixes, cortando-os em pedaços.
e) O polvo é um molusco cefalópode (pés na cabeça ), marinho, que possui oito
tentáculos providos de ventosas rodeando a boca; esta tem um par de fortes mandíbulas córneas em forma de bico, que é um aparelho mastigador. É carnívoro, atacando crustáceos e outros moluscos.

66- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 12

a) As formigas-de-correição são carnívoras; não constroem ninhos fixos, mudando de local freqüentemente. Caminham em coluna, em grande número, atacando outros insetos e pequenos animais.
b) O tamanduá é um mamífero da ordem dos Desdentados, que possui uma boca pequena e uma língua extraordinariamente comprida, delgada e coberta por uma saliva pegajosa, com a qual captura formigas e cupins dos quais se alimenta. As suas patas dianteiras são providas de unhas muito longas e fortes, com as quais destrói os ninhos daqueles insetos, para capturá-los mais facilmente.
c) O maior peixe é o tubarão-baleia, que chega a atingir até 20 metros de comprimento. Não é perigoso para homem, pois só se alimenta de pequenos peixes.
d) A Austrália é um continente isolado, nunca esteve ligado a outros continentes, em épocas passadas. Por isso, nela se desenvolveram uma flora e uma fauna peculiares. Na flora predominam várias espécie de eucaliptos, que foram levadas para outros continentes pelo homem. A fauna se caracteriza por apresentar animais exóticos, como o canguru, o ornitorrinco, a equidna e o kiwi.


67- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL – 13

a) O elefante, maior animal terrestre do mundo, chegando a pesar 5 toneladas, é herbívoro, comendo em média 170 Kg de vegetais por dia.
b) O pirarucu, peixe encontrado no rio Amazonas e seus afluentes, é o maior peixe de água doce, podendo atingir mais de 2 metros de comprimento e pesar cerca de 100 Kg.
c) A girafa é o animal que possui as patas e o pescoço mais longos, de modo que a sua altura ultrapassa 5 metros. É herbívora, comendo as folhas das árvores. Raramente come capins e, quando o faz, tem de abrir muito as pernas dianteiras para que a boca alcance o solo; posição que também é adotada para beber água.
d) A lagartixa é um pequeno réptil que apresenta duas curiosidades: 1) possui quatro patas com cinco dedos dilatados em forma de lâminas transversais, que lhes permitem subir em paredes; 2) quando ameaçadas, soltam o rabo, que fica pulando para distrair o predador, enquanto ela foge; depois de algum tempo, o rabo se regenera.
e) A água-viva é uma espécie de medusa marinha, de corpo mole, gelatinoso e transparente, provido de aparelho defensivo constituído por células urticantes, que causam queimaduras na pele humana, com dor intensa.

68- CURIOSIDADES DO REINO ANIMAL - 14

a) O pirarucu é o maior peixe de água doce do mundo, sendo encontrado somente nos
rios da Bacia Amazônica. Pode atingir mais de 2m de comprimento e cerca de 100kg de peso. O nome pirarucu significa, na língua tupi, "peixe vermelho" devido à cor vermelha das escamas da parte posterior do seu corpo. Popularmente, é chamado "bacalhau da Amazônia", porque a sua carne é vendida sob a forma de postas secas e salgadas.
b) A baleia, um mamífero marinho, é o maior animal da Terra, chegando a atingir mais
de 30m de comprimento e cerca de 150 toneladas de peso. Alimenta-se de pequenos moluscos, crustáceos e peixinhos, que abocanha em grandes quantidades.
c) O camaleão chama a atenção por duas particularidades: (1) possui língua tão comprida quanto o corpo ( 15 a 20cm ), provida de uma substância pegajosa; a língua é projetada sobre suas presas, principalmente insetos, para apreendê-los; (2) possui cromatóforos – células portadoras de pigmentos, que lhe permitem mudar de cor, confundindo-se com o ambiente e, assim, surpreender suas presas.
d) O castor é um hábil construtor: faz represas e abrigos semi-submersos, escava complicado sistema de canais e túneis, visando a segurança contra os predadores. A chave do sistema de proteção é a represa, que acumula água, formando um charco pouco profundo, que utiliza para construir um refúgio afastado das margens, acessível para ele, que é bom nadador, mas inacessível para os predadores.

69-CONHECENDO OS TIPOS E EFEITOS DE QUEIMADAS – 1

O uso do fogo como prática agrícola é tão antigo como a própria agricultura. Existem vários tipos de queimadas, a saber:
a) Queimada após a derrubada da mata. É feita uma única vez, para desimpedir o terreno. Além disso, a ação do fogo libera os nutrientes minerais contidos na biomassa, tornando-os disponíveis à absorção pelas raízes.
b) Queimada anual dos restos de culturas. Neste caso, a prática não se justifica, pois tais resíduos podem ser enterrados pelas operações de preparo do solo, deixados em cobertura sobre a superfície o solo ou enleirados acompanhando as curvas de nível (para evitar a erosão ).
c) Na cultura do algodoeiro, os restos devem ser arrancados e queimados, medida obrigatória por lei para o controle de pragas.
d) Queima da cana em pé, antes do corte. É prática generalizada nas lavouras canavieiras, mais como uma exigência da mão-de-obra, porque aumenta o rendimento de corte manual (praticamente o dobro daquele do corte da cana se queimar). Todavia, lei recentemente aprovada proíbe esse tipo de queimada, estabelecendo prazos para a sua completa eliminação.
e) Queimada anual das sobras de capim (macega). É prática usual, principalmente nas pastagens naturais ( cerrados e campos ), a fim de eliminar a macega não-palatável e estimular o crescimento de novos brotos. Esse tipo de queimada é um processo rápido e, por isso, admite-se que seja menos prejudicial que a queima anual dos restos de culturas. No entanto, deve-se procurar evitá-la mediante um manejo adequado, que inclui a divisão das pastagens e a rotação do pastejo.
Quando a queima ocorre fora de controle, é denominada incêndio, sendo mais freqüentes os incêndios florestais.


70-CONHECENDO OS TIPOS E EFEITOS DE QUEIMADAS – 2

O fogo tem sido usado pelo homem desde os primórdios, na abertura e limpeza de áreas com vegetação natural ou restos de culturas, preparando o terreno para a construção de moradias ou instalação de culturas e pastagens. O processo de queima da vegetação segue o sentido inverso da fotossíntese: enquanto esta se caracteriza pela construção de cadeias de compostos orgânicos, o fogo provoca a sua destruição, transformando-as em cinzas.
Há muita controvérsia sobre os efeitos das queimadas. Os partidários dessa prática, principalmente os agricultores, apontam as seguintes vantagens:
a) meio mais fácil e econômico de conseguir, após a derrubada da mata, a limpeza do terreno para a instalação de culturas.
b) processo rápido e econômico de eliminar as sobras de capim e estimular a brotação nas pastagens.
c) modo de facilitar as operações de preparo anual do solo.
d) medida profilática de controle de pragas (caso do algodoeiro ).
e) meio de simplificar a colheita manual da cana-de-açúcar.
f) liberação de nutrientes minerais ( fósforo, potássio, cálcio, magnésio, etc. ) que estavam imobilizados na biomassa e passam às cinzas que, assim, têm ação fertilizante.
Os que são contrários à tal prática, principalmente os técnicos, apontam as seguintes desvantagens:
a) destruição da matéria orgânica, de grande importância para a fertilidade do solo.
b) perda de nitrogênio e enxofre, por volatilização.
c) redução do número de pequenos animais, inclusive microorganismos.
d) degradação da estrutura do solo, provocando a diminuição da aeração, permeabilidade e resistência à erosão.
e) aumento do deflúvio ( enxurrada ) e das perdas por erosão.
f) redução da produtividade das culturas e das pastagens.
g) poluição do ambiente pela emissão de fuligem e gases tóxicos.
h) risco de fugir do controle e se transformar em incêndio.


71-CONHECENDO OS VENTOS

Dá-se o nome de vento ao deslocamento horizontal de massas de ar dentro da troposfera, isto é, da camada inferior da atmosfera, provocado por diferenças de pressão atmosférica. Nas áreas de baixa pressão, o ar em ascensão é substituído pelo ar das áreas de alta pressão, dando origem ao vento.
Os ventos podem ser: a) uniformes - com fluxo laminar, exemplificados pelos alíseos;
b) turbulentos - com fluxo turbulento, como os ciclones. Também podem ser regionais ou locais.
Os ventos regionais ocorrem em regiões bem definidas, podendo citar-se como exemplos o iroco, no norte da África, e o minuano no sul do Brasil. Os ventos locais ocorrem em áreas restritas. Existem ainda ventos periódicos, como as brisas, que são ventos fracos que ora sopram da terra para o mar (brisas terrestres), ora do mar para aterra ( brisas marinhas). Isto se deve ao fato de a terra se aquecer ou esfriar mais rapidamente do que as águas do mar. Sob o ponto de vista da Agricultura, a ação dos ventos pode trazer efeitos benéficos ou nocivos. Assim, os ventos fracos ou moderados produzem efeitos benéficos no transporte de pólen, sementes e frutos, sendo responsáveis pela multiplicação de muitas espécies vegetais.
Desempenham também papel importante na evaporação d a água do solo e da transpiração vegetal. Como exemplo de ação nociva pode ser citada a erosão eólica (transporte de partículas do sol ), que ocorre quando ventos fortes atuam em áreas planas sem ou com pouca vegetação, principalmente nos desertos, onde formam as dunas. Outra ação nociva é provocada por ventos muito fortes, denominados furacão, tufão ou tornado, que podem adquirir grandes velocidades, superiores a 100km por hora, causando estragos, principalmente em áreas povoadas.
Nas regiões onde os ventos são freqüentes, costuma-se usar barreiras densas, chamadas quebra-ventos, formadas por renques de árvores e arbustos, dispostos perpendicularmente à direção dos ventos predominantes.


72- CONHECENDO OS ANIMAIS PRÉ-HISTÓRICOS

É grande o número de animais que existiram sobre a superfície terrestre ou no mar depois desapareceram. Porém, a sua existência é comprovada pelos fósseis que deixaram.
Os geólogos dividem a história da erra em dois grandes períodos, de duração desigual e denominados "eons " : a) Eon Criptozóico ( do grego " vida oculta " ); b) Eon Fanerozóico (do grego " vida visível " ).
O Eon Criptozóico abrange o longo período que vai desde os primórdios até cerca de 600 milhões de anos atrás, ou seja, durou aproximadamente 3 bilhões de anos. Já o Eon Fanerozóico tem duração bem menor, pois iniciou-se há 600 milhões de anos, estendendo-se até hoje.
As rochas criptozóicas - granitos, gnaisses e xistos - revelam poucos fósseis desse longo período. Os animais eram predominantemente aquáticos e poucos deles possuíam partes duras, como carcaças, conchas e ossos que pudessem ser fossilizadas. Porém, os poucos vestígios encontrados permitem admitir que a vida surgiu no mar.
O Eon Fenerozóico é subdividido em três eras: a) Paleozóico ( do grego " vida antiga " ); b) Mesozóico ( do grego " vida intermediária " ); c) Cenozóico ( do grego " vida recente " ).
Assim como o eon antigo foi muito mais longo do que o mais recente, as três eras apresentam durações diferentes. A era Paleozóica teve a duração de 370 milhões de anos; a era Mesozóica durou apenas 167 milhões de anos ; e a era Cenozóica iniciou-se apenas há 63 milhões de anos.
Dentre os animais do início da era Paleozóica, destacam-se os trilobitas - artrópodes primitivos; em seguida apareceram moluscos cefalópodes (amonites), corais e os primeiros peixes, anfíbios e répteis.
Na era Mesozóica surgiram os dinossauros - grandes répteis que passaram a dominar, tanto na terra como no mar; surgiram também as primeiras aves ( arqueópterix ).
A maioria dos dinossauros eram herbívoros, como o diplodoco, o brontossauro e o estegossauro. Porém, alguns eram carnívoros vorazes, como o ictiossauro, o alossauro e o tiranossauro. Passados 100 milhões de anos, extinguiram-se os dinossauros e multiplicaram-se os pequenos mamíferos primitivos. A seguir, surgiram os mamíferos de porte maior, entre eles os macacos antropóides. Finalmente, surgiu o homem primitivo (pitecântropo ).
A era Cenozóica caracteriza-se pelo grande desenvolvimento dos mamíferos e do homem. Dentre os mamíferos extintos, destacam-se o mamute e o tigre-de-dentes-de-sabre.


73-- CONHECENDO OS VULCÕES

Pode-se definir vulcão como uma abertura na crosta terrestre através da qual ocorrem erupções de gases, cinzas e lava, sob temperaturas elevadas. A saída do material é feita por um conduto, chamado chaminé, cuja parte superior tem, em geral, a forma de um funil, chamado cratera; e que geralmente se apresenta guarnecida por um cone, chamado cone vulcânico.
O material expelido pelos vulcões consiste principalmente de gases, mas também de grande quantidade de magma sob a forma de lava e, às vezes, também de material sólido formado de cinzas e, eventualmente, de fragmentos de rochas.
Cerca de 450 vulcões entraram em erupção nos últimos tempos, sendo considerados ativos ou intermitentes; enquanto os vulcões extintos atingem vários milhares. Há vulcões em constante atividade, como o Strômboli, na Itália; porém, na maioria dos casos, um período curto de atividade é seguido por outro longo de repouso.
Os vulcões podem ser classificados em: explosivos, intermediários e quietos. No tipo explosivo, o material expelido consiste de gases misturados com cinzas, geralmente sem lava. O tipo quieto lança exclusivamente lava. O tipo intermediário, que inclui a maioria dos vulcões, apresenta características dos outros dois tipos.
Exemplo de vulcão explosivo é o Krakatoa, localizado numa pequena ilha entre Sumatra e Java. Os vulcões das ilhas Hawaí, na Oceania, são do tipo quieto; e o Strômboli é um exemplo de vulcão intermediário.
O Vesúvio, situado perto da costa da Baía de Nápoles ( Itália ), é o vulcão mais conhecido. No ano 79 da nossa era, entrou em violenta explosão que sepultou a cidade de Pompéia.
No Brasil não ocorrem vulcões ativos, mas existem muitos indícios de atividade vulcânica no passado.

74- CONHECENDO OS TERREMOTOS

Terremotos são tremores de terra causados por movimentos bruscos da crosta terrestre. Ocorrem com intensidade variável, desde os que são imperceptíveis, registrados apenas por sismógrafos, até os cataclismas, que causam deslocamentos de terra e desmoronamentos.
A maioria dos terremotos é de origem tectônica, ligados a falhamentos geológicos. Ao longo das falhas geológicas, os blocos de rochas, de um e de outro lado, procuram acomodar-se, para restabelecer o equilíbrio. Muitas vezes a acomodação é brusca, e a enorme energia gerada se manifesta numa vibração da camada rochosa, que é transmitida a milhares de quilômetros. Outra causa, menos importante, é o deslizamento subterrâneo do magma em regiões de vulcanismo ativo, como nas Ilhas Hawaí.
Os terremotos na crosta oceânica, chamados maremotos, provocam os " tsunamis "
- ondas enormes que chegam a 12 metros e altura, que se propagam por milhares de quilômetros no oceano, podendo causar grandes danos às embarcações e áreas litorâneas.
Os terremotos são mais freqüentes nas regiões de atividade vulcânica recente, havendo duas zonas principais: a) uma que rodeia o Oceano Pacífico, onde se concentram numerosos vulcões, chamada " cinturão de fogo " ;
b) outra que se estende através da Ásia Meridional e do Mar Mediterrâneo. São regiões instáveis, com cordilheiras de idade geológica recente ( Andes, Alpes, Himalaia ).
O tremor raramente dura mais de um ou dois minutos, mas pode abrir fendas no terreno, derrubar edifícios e causar perdas de vidas humanas, como tem acontecido no Japão, Itália, Chile e costa ocidental dos Estados Unidos.


75- CONHECENDO AS PLANTAS AMILÁCEAS

Sob esse nome são conhecidas as plantas que armazenam amido ( ou amilo ) nos órgãos de reserva, substância de grande importância para a alimentação humana e animal.Também chamado fécula, o amido é um carboidrato largamente encontrado nas plantas superiores.
Costuma-se chamar de amido o produto amiláceo extraído das partes aéreas das plantas, geralmente grãos ( trigo, arroz, milho); e de fécula o produto amiláceo proveniente das partes subterrâneas - raízes, tubérculos e rizomas ( mandioca, batatinha, batata-doce ). A fécula de mandioca é também chamada de polvilho.
Dentre as plantas fornecedoras de amido, destacam-se:
1. Trigo. Cereal cultivado no mundo inteiro e cujos grãos são amplamente usados
no preparo da farinha destinada à fabricação do pão e outras massas alimentícias.
2. Outros cereais - Arroz, milho, aveia, centeio, cevada. O arroz é outro cereal cultivado no mundo inteiro, constituindo a base da alimentação de 2/3 da população humana. O milho é outro cereal consumido como alimento no mundo inteiro, tanto pelo homem como pelos animais domésticos. Além disso, fornece o óleo comestível extraído do germe e o valioso produto chamado maizena. Os grãos de aveia são usados principalmente na alimentação de animais, especialmente cavalos de corrida. A cevada é usada principalmente como matéria-prima para a fabricação de cerveja.
3. Mandioca. Raiz tuberosa usada diretamente como alimento do homem ou dos animais, ou para o preparo da tapioca e farinha de mesa.
4. Batatinha e batata-doce. São tubérculos usados diretamente como alimentos.
5. Araruta. Rizoma tuberoso, usado sob a forma de fécula conhecida como "araruta ".

76- CONHECENDO OS ARTRÓPODES

Os Artrópodes são animais invertebrados que apresentam duas características básicas: a) corpo formado por anéis ou segmentos; b) patas articuladas. Aliás, o nome artrópode significa patas articuladas. É o maior ramo do reino animal, com mais de 1 milhão de espécies, incluindo os crustáceos, aracnídeos, miriápodes e insetos.
Os Artrópodes podem ser subdivididos em dois sub-ramos: a) Chelicerata - dotados
de quelíceras, compreendendo os Aracnídeos; b) Mandibulata - providos de mandíbulas e dois apêndices especiais, as antenas (com função sensitiva ), abrangendo os Crustáceos, Miriápodes e Insetos.
Os Aracnídeos compreendem as aranhas e os escorpiões. Os Crustáceos são exemplificados pelos caranguejos, lagostas e camarões. Os Miriápodes incluem as lacraias ou centopéias e os piolhos-de-cobra. Os Insetos constituem a classe mais numerosa do reino animal, podendo ser exemplificados por moscas, formigas e besouros.
Muitas espécies de Artrópodes são venenosas, como aranhas, escorpiões, centopéia, vespas, abelhas e marimbondos. Outras são parasitas de plantas, como gafanhoto, grilo, larvas de insetos ( lagartas ). Outras ainda, são parasitas de animais ou do próprio homem, como carrapato, pulga, percevejo, barbeiro ou chupança, moscas, mosquitos e pernilongos.
Algumas espécies são úteis, com a abelha, que produz mel e cera; o bicho-da -seda, que produz a seda; e os crustáceos comestíveis, como camarão, lagosta, etc.

77- CONHECENDO OS DESERTOS

No conceito popular deserto é uma região quente e de baixa precipitação, coberta de areias ou pedras, onde a vegetação é escassa. Todavia, bem mais amplo é o conceito científico, que considera deserto qualquer região, quente ou fria, onde há acentuada deficiência de água para o desenvolvimento normal das plantas. Assim, existem três diferentes tipos de deserto: a) quente e seco durante o ano todo, como o deserto do Saara, no norte da África; b) seco o ano inteiro, mas quente no verão e frio no inverno, como o deserto de Gobi, na Ásia Central; c) frio durante o ano todo, como a Tundra, no norte do Canadá e da Rússia, onde a vegetação se restringe a musgos e líqüens.
Também podem ser consideradas como desertos as regiões polares, constituídas pelo Ártico
e pela Antártida, onde a cobertura de gelo impede o crescimento de vegetação.
No seu conceito mais amplo, os desertos ocupam aproximadamente 40% da superfície terrestre, sendo cerca de 20% de desertos secos, com precipitação anual inferior a 250mm
(regiões áridas ). O deserto mais seco do mundo é o de Atacama, na costa norte do Chile, onde a precipitação anual média é inferior a 1mm!
Um fato preocupante é que a área de desertos tende a aumentar, devido ao processo de desertificação - um processo lento e gradual, causado pelo mau uso do solo nas regiões semi-áridas ( erosão, salinização do solo ) e/ou mudança climática.
A vegetação dos desertos das regiões áridas é adaptada à escassez de água, sendo representada por: a) plantas xerófitas ( ou suculentas ) - que armazenam água, como Cáctáceas e Bromeliáceas; b) plantas efemerófitas, isto é, com ciclo vegetativo muito curto, correspondente ao curto período de chuvas raras. A fauna é representada por espécies adaptadas, como camelo, pequenos roedores, cobras e lagartos.
Nos desertos arenosos há a formação de dunas. À exceção dos grandes rios, como o Nilo, os cursos d'água são temporários, com a presença ocasional de oásis.

78- CONHECENDO OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

Comunicação é a transmissão de mensagens ou informações entre duas ou mais pessoas, ou entre dois sistemas: um que transmite ( jornal, rádio, televisão, etc. ) e outro que recebe a informação (destinatário ou público ).
Meios de comunicação, também chamados canais ou veículos de comunicação, são
os condutos através dos quais determinadas mensagens atingem seus destinatários.
A transmissão e recepção de informações por meio de fios, rádio, eletricidade, luz ou microondas recebe o nome de telecomunicação.
O desenvolvimento dos meios de comunicação é um dos fatores básicos para o progresso da civilização. Como tantas outras conquistas do homem, as comunicações são causa e efeito do progresso humano.
O processo de comunicação consta, basicamente, de quatro componentes: a) fonte ou emissor; b) veículo ou canal; c) mensagem ou informação; d) destinatário ou receptor.
Os veículos de comunicação variam muito, podendo ser a voz humana, um filme, um jornal, um programa de rádio ou televisão, um cartaz de rua, um livro ou revista, etc. Cada tipo de veículo ou meio de comunicação utiliza, para atingir os destinatários, um tipo de linguagem ou código. Uma pessoa falando utiliza sua imagem e voz; o filme estiliza e recria a imagem e a voz humana, dentro de novas convenções; a televisão também utiliza a figura e a voz humana; o jornal e o livro utilizam palavras escritas; um cartaz de rua comunica-se através de imagens e palavras escritas.
Cada sistema de transmissão de informações usa um código que a fonte transmite e o destinatário, devidamente condicionado, descodifica para entender a mensagem. Os códigos e veículos mais facilmente perceptíveis são aqueles que mais se aproximam da natureza: as figuras e os sons que estão à nossa volta.
À medida que o homem progredia, foram sendo inventados novos meios de comunicação e códigos mais requintados. Assim, depois de inventar a linguagem e a imprensa, o homem passou a utilizar jornais e revistas. Depois vieram o sistema postal (correio), telégrafo e telefone; a seguir, vieram o cinema, a radiodifusão e a televisão. Finalmente, entre os sistemas modernos de comunicação, destacam-se os computadores e os satélites artificiais.

79-CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL -1

a) Líquen: associação de alga com fungo
b) Drosera: planta carnívora, com armadilhas para pegar insetos.
c) Indaiá: palmeirinha sem caule, comum no cerrado.
d) Bananeira: planta com pseudocaule formado por pecíolos foliares.
e) Caju: fruta cuja parte comestível é o pedúnculo.

80-CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL 2

a) O girassol é uma planta anual que se caracteriza por apresentar uma grande inflorescência ( reunião de flores ) com 10 a 15cm de diâmetro, a qual possui heliotropismo positivo, isto é, gira lentamente, acompanhando o movimento do sol.
b) A era é uma planta trepadeira que possui raízes adventícias fixadoras, que permitem o seu crescimento até em muros e paredes.
c) O estranho baobá, árvore típica das savanas africanas, é a árvore mais volumosa: apesar de não ultrapassar 30m de altura, possui tronco bastante engrossado, chegando a medir 20m de diâmetro, na base.
d) A jaca é uma fruta exótica, de grande tamanho, chegando a pesar até 20kg. Na realidade, é uma infrutescência, isto é, um agregado de frutas, que nasce no tronco e nos galhos mais grossos da jaqueira.

81- CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 3

a) Os cactos são plantas adaptadas às regiões áridas, podendo passar longos períodos sem água. São plantas suculentas, geralmente desprovidas de folhas. Em vez de folhas normais, que transpiram muito, possuem espinhos ou simples escamas, que não só evitam a
perda de água, mas também protegem essas plantas do assédio dos animais.
b) Cipós e lianas. O termo cipó se aplica às plantas trepadeiras, isto é, capazes de se distribuírem no espaço usando como suportes os caules e os ramos de outras plantas. Por lianas são conhecidos os cipós de consistência lenhosa. As lianas ou cipós também podem escorar-se sobre rochas ou suportes metálicos como pérgulas, caramanchões, colunas, etc. São muito comuns nas florestas das regiões tropicais e subtropicais.
c) O guaranazeiro é um arbusto trepador, que ocorre naturalmente na Bacia Amazônica. Também é cultivado para a produção de guaraná, uma bebida estimulante extraída de suas sementes. A ação estimulante do guaraná é devido ao seu alto conteúdo de cafeína.
d) As micorrizas são associações simbióticas entre as raízes de muitas plantas superiores e determinados fungos do solo. As micorrizas proporcionam às plantas maior absorção dos nutrientes minerais, através das hifas ou micélios dos fungos; e estes, por sua vez, retiram nutrientes orgânicos da seiva elaborada das plantas.

82- CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 4

a) O aguapé é uma planta herbácea, aquática, flutuante, originária da região amazônica, também conhecida por baronesa. É freqüentemente cultivada por suas belas flores violáceo-azuladas, com manchas amarelas. Introduzida em outras regiões, tornou-se uma praga por sua grande capacidade de proliferação, chegando a obstruir cursos d´água e prejudicar a navegação, por formar verdadeiras ilhas flutuantes.
b) A jaca é uma fruta enorme, produzida por uma árvore exótica, a jaqueira, originária da Malásia. na realidade, é uma infrutescência, um aglomerado de frutos, que nascem no tronco e nos galhos inferiores e mais grossos. é o maior fruto comestível, podendo medir até 80cm de comprimento e chegando a pesar até 20kg.
c) As plantas mais altas do mundo são as sequóias da Califórnia, que chegam a atingir
110m de altura; seguidas pelos eucaliptos da Austrália, que a alcançar 100m de altura.
d) As orquídeas podem ser divididas em dois grupos: 1) as terrestres, que vivem sobre o solo, como a maioria das orquídeas das regiões temperadas; 2) as epífitas, que crescem sobre o tronco e galhos das árvores, nas regiões tropicais. Estas últimas não são parasitas, como muita gente pensa. Devido à beleza de suas flores, destacam-se as orquídeas tropicais:Laelia, Cattleya, etc.

83- CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 5

a) Urtiga é o nome vulgar de várias plantas da família Urticáceas que, por vezes, também se aplica, embora erroneamente, a outras plantas que produzem o mesmo efeito urticante. Esse efeito é produzido por toxinas de natureza protéica, inoculadas por pêlos ocos com ponta frágil, que funcionam como espinhos; os quais se localizam nos pecíolos.
b) A seringueira é uma árvore bastante alta originária da Amazônia, atualmente introduzida em outras regiões tropicais. Fazendo-se incisões oblíquas na casca do seu tronco ( sangria ), delas escorre um látex que é recolhido para ser utilizado na fabricação de borracha.
c) O repolho é uma hortaliça cujas folhas se enrolam, formando uma espécie de "cabeça". As folhas do repolho são de cor verde ou roxa, sendo consumidas como salada ou cozidas.
d) A figueira-branca é uma árvore nativa da Mata Atlântica. No estágio inicial, muitas delas desenvolvem-se sobre outras árvores, como epífitas, emitindo raízes adventícias que descem para o solo. Crescendo, tornam-se árvores lenhosas, envolvendo a planta-suporte e acabando por estrangulá-las, justificando assim, o nome que lhe é atribuído, de "mata-pau".


84- CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL - 6

a) A árvore mais alta do mundo é a seqüóia, uma conífera encontrada na Califórnia, cuja altura pode chegar até 110m, notável também por sua longevidade, podendo durar mais de 1.000 anos.
b) A maior árvore do Brasil é a sumaúma, encontrada na floresta amazônica, que alcança 70m de altura.
c) O baobá é uma árvore originária da África tropical, famosa por três motivos: 1) sua longevidade, sendo também chamada " árvore-dos-mil-anos "; 2) atinge 20m de altura e seu tronco alcança 20m de circunferência; 3) possui vigoroso sistema radicular profundo, do qual saem raízes laterais grossas e superficiais atingindo até 30m de comprimento.
d) A barriguda é uma árvore espinhenta, encontrada na caatinga do Nordeste Brasileiro, alcançando cerca de 20m de altura, com caule intumescido na parte inferior e ramificado apenas na parte superior. A porção intumescida chega a atingir 4m de diâmetro.


85- NOVAS CURIOSIDADES DO REINO VEGETAL – 7

a) Certas algas marinhas pluricelulares chegam a medir 100metros de comprimento, ou seja, igual à altura alcançada pelas sequóias, as plantas mais altas do mundo.
b) Algumas sementes de plantas possuem estruturas especiais para facilitar a sua dispersão, como os minúsculos pára-quedas do dente-de-leão e os ganchos e espinhos do picão e do carrapicho.
c) A borracha natural ( também existe a borracha sintética ) é obtida a partir do látex extraído da seringueira, uma árvore nativa da Amazônia, hoje cultivada em vários países.
d) Certas plantas de deserto, chamadas Freatófitas, são usadas como indicadoras da presença de água subterrânea. Suas raízes são capazes de alcançar os reservatórios de água situados abaixo da superfície do solo. Exemplo clássico é a algarobeira, que somente cresce onde existe água a pelo menos 10 metros de profundidade. Assim, muitos poços situados no deserto da Califórnia ( Estados Unidos ) foram perfurados entre moitas de algarobeiras.
e) A família das Gramíneas é a mais numerosa e, sem dúvida, a mais importante do reino vegetal. Abrange cerca de 700 gêneros e 8.000 espécies, entre as quais se destacam os cereais ( trigo, arroz, milho, etc. ) , a cana-de-açúcar e os capins das pastagens.

86- CONHECENDO A FAUNA MARINHA

Os mares e oceanos são meios privilegiados para várias formas de vida. Aliás, admite-se que a vida iniciou-se no mar.
Como meio favorável para a vida, as águas salgadas do mar abrigam maior número de organismos do que os meios terrestres, por diversas razões: a) temperaturas menos instáveis; b)suprimento de água muito mais fácil; c) suprimento de oxigênio e dióxido de carbono necessários à sua existência; d) suprimento de sais minerais indispensáveis ao seu crescimento; e) voracidade com que os animais maiores devoram os menores.
De modo geral, existem vários grupos de animais marinhos, dentre os quais se destacam os seguintes:
a) Peixes, com milhares de espécies, incluindo: atum, bacalhau, sardinha, cavalo-marinho, tubarão, etc.
b) Mamíferos aquáticos, tais como baleia, orca, foca, golfinho, etc.
c) Moluscos: ostra, polvo, lula, etc.
d) Crustáceos: caranguejo, camarão, lagosta, etc.
e) Equinodermas: estrela-do-mar, ouriço-do-mar, etc.
f) Celenterados: anêmona-do-mar,coral, medusa, etc.
g) Espongiários: esponjas
h) Anelídeos: vermes segmentados
i) Platielmintos: vermes achatados
j) Nematelmintos: nematóides
k) Animais microscópicos que constituem o zooplâncton.
A comunidade dos animais marinhos distribui-se por três ambientes distintos:
a) camada superficial das águas marinhas, habitada por numerosos animais microscópicos e plantinhas flutuantes que constituem o plâncton; b) zona costeira ou litorânea, onde se encontram vermes, moluscos ( caracol, lesma ), corais e esponjas, crustáceos (caranguejo, camarão) e a maior parte dos cardumes de peixes comerciais; c) zona do mar alto, onde vivem peixes, lulas e polvos, tartarugas marinhas e cetáceos (baleia, golfinho) .


87- CONHECENDO AS PLANTAS SACARINAS

São chamadas plantas sacarinas as que armazenam sacarose ( açúcar comum ) nos
órgãos de reserva. O açúcar é uma substância doce de grande importância pelo volume de produção e de consumo em todo o mundo, tanto de açúcar " in natura " como sob a forma de produtos industrializados.
A sacarose é encontrada principalmente nos colmos da cana-de-açúcar e na raiz
tuberosa da beterraba, enquanto a glicose é encontrada nos frutos em geral. Para a obtenção
industrial do açúcar ( sacarose ). as matérias-primas mais utilizadas são: a beterraba, na Europa e nos Estados Unidos; e a cana-de-açúcar, concentrada na Índia, Brasil e América Central (Cuba e México ).
A cana-de-açúcar assume grande importância econômica no Brasil, não só pela produção de açúcar, ma s também pelo uso da própria cana e de seus subprodutos na alimentação do gado, pela produção de álcool, de aguardente e de vinagre, além de outros usos, como em industrias químicas e fabricação de papel e celulose.
Os países europeus produzem açúcar de beterraba, porém os custos são mais elevados do que os do açúcar de cana e, por isso, medidas alfandegárias para proteger a sua indústria e comercialização. Assim a maior parte do açúcar produzido no mundo é consumida nos próprios países produtores.
Cultivam-se três tipos de beterraba: a) hortícola; b) forrageira; c) industrial ( produção de açúcar). A Rússia é o maior produtor de açúcar de beterraba, seguida pelos Estados Unidos.
As variedades de cana-de-açúcar dividem-se em dois grupos: a) forrageiras, usadas
na alimentação animal; b) industriais, usadas na fabricação de açúcar. O Brasil é um dos maiores produtores de açúcar de cana, juntamente com Índia e Cuba.

88- CONHECENDO AS MONTANHAS

Montanhas são elevações ou saliências do relevo terrestre, de tamanho e amplitude variáveis, que ocorrem isoladas ou agrupadas e que se sobressaem na paisagem. Quando isoladas e de altitudes modestas, recebem diversos nomes: monte, colina, outeiro, morro. Quando estão agrupadas e com altitudes elevadas, constituem uma serra, cadeia de montanhas ou cordilheira. Seus pontos mais altos recebem o nome de picos ou cumes que, ligados formam o espigão, linha de cumeada ou crista. Seus lados formam as vertentes ou encostas que vão terminar, na sua porção inferior, na base ou sopé.
As montanhas resultam da ação de dois tipos de forças: a) internas ou endógenas, que incluem os dobramentos, falhamentos e abalos sísmicos ou terremotos; b) externas ou exógenas, como o vulcanismo e a erosão.
As maiores cadeias de montanhas geralmente se localizam nas regiões onde terremotos e vulcões são freqüentes. Os Alpes, o Himalaia, as montanhas Rochosas e os Andes são relativamente recentes e resultaram da colisão de placas tectônicas, ocorridas nos últimos 25 milhões de anos. Já os montes Urais, os Apalaches e a Serra do Mar resultaram de movimentos tectônicos muito antigos.
Algumas montanhas são de origem vulcânica, como o Mauna Loa, no Hawaí; outras, de menor expressão, resultaram de processos erosivos.
Os picos mais altos do mundo estão localizados na cordilheira do Himalaia, na Ásia Central, destacando-se o pico do Everest, com 8.840 metros de altitude.

89- CONHECENDO A FLORA MARINHA

No mar, como na terra, a vida animal depende da vida vegetal para alimentar-se. Somente as plantas providas de clorofila são capazes de captar a energia da luz solar e usá-la para a produção de compostos orgânicos ( carboidratos, lipídeos, proteínas ) a partir de inorgânicos ( dióxido de carbono, água e sais minerais). Esse processo chama-se fotossíntese e é fundamental para os seres vivos.
Os sargaços ( algas flutuantes com apêndices foliáceos ) dos litorais desempenham essa função na cadeia alimentar da vida marinha, mas tal papel é secundário. Mais de 90% da vida vegetal marinha é constituída por minúsculas plantinhas que flutuam nos 30 metros superiores do oceano, juntamente com minúsculos animais também flutuantes. O conjunto desses seres microscópicos chama-se " plâncton ", que se subdivide em fitoplâncton ( plantas ) e zooplancton ( animais ). A maioria desses microorganismos não ultrapassa dois décimos de milímetro.
Os mais importantes dos microorganismos do plâncton são as algas unicelulares chamadas Diatomáceas, que constituem seis décimos de toda a vida plantônica. Muitos animais marinhos comem essas algas e são, por sua vez, comidos por outros animais maiores.
Além das algas plantônicas unicelulares, encontram-se também algas pluricelulares, que formam grandes colônias. Distinguem-se algas verdes, algas azuis, algas pardas e algas vermelhas, algumas das quais podem atingir vários metros de comprimento. A maioria das algas têm clorofila, embora apresentem também outros pigmentos. Assim, as algas constituem a base da cadeia alimentar dos ecossistemas marinhos.
Outro ambiente da vida vegetal no mar é o leito raso ao longo da plataforma continental. Ai brotam plantas superiores ( fanerógamas ), enraizadas no fundo, incluindo os mangues. Essas plantas contribuem para aumentar as reservas alimentares dos animais marinhos.


90- CONHECENDO OS RECURSOS NATURAIS – 1

A expressão "recursos naturais " aplica-se aos bens que existem na natureza e podem ser utilizados em benefício das populações humana e animal. Eles garantem o suprimento de alimentos, vestuário, materiais de construção, água, combustíveis, etc. Podem ser divididos em dois grupos: a) recursos renováveis, abrangendo água, pastagens naturais, florestas, fauna silvestre e, até certo ponto, o solo; b) recursos não-renováveis, incluindo petróleo, gás natural, carvão, algumas rochas e diversos minerais, cujas jazidas, uma vez exauridas, não se renovam.
A água se renova através do ciclo hidrológico; as plantas e os animais, por processos de reprodução. Um solo cuja fertilidade foi esgotada por sucessivos cultivos sem adubação pode recuperar-se após alguns anos de repouso; ou então, pela aplicação de técnicas agronômicas. Mas se for destruído por mineração a céu aberto ou erosão severa, a natureza levará milênios para formar um novo solo.
SOLO -É o recurso natural básico, que suporta e alimenta toda a vida vegetal, sem a qual o homem e os animais não poderiam existir. Por outro lado, a cobertura vegetal constitui a proteção mais eficaz contra a erosão e outras causas de depauperamento do solo. Quando o homem retira a vegetação natural para cultivá-lo, a fim de produzir alimentos e matérias-primas que necessita para a sua subsistência, o solo fica exposto à ação dos agentes de desgaste: remoção de nutrientes pelas colheitas, perdas por erosão e lixiviação, salinização, etc.
Existem muitos tipos de solo, os quais apresentam condições muito variáveis, tais como: rasos ou profundos, arenosos ou argilosos, com ou sm seixos e/ou pedras, com declives suaves ou acentuados, fertilidade alta ou baixa, etc. Portanto, possuem diferentes capacidades de uso, isto é, aptidão para culturas, pastagens ou florestas, ou ainda, impróprias para uso agrícola, podendo servir apenas para recreação e abrigo da fauna silvestre.
Muitas técnicas foram desenvolvidas para a conservação do solo, as quais se baseiam em dois princípios básicos; a) usá-lo de acordo com a sua capacididade; b) tratá-lo segundo as suas necessidades.

91- CONHECENDO OS RECURSOS NATURAIS – 2

ÁGUA - É um recurso natural essencial à vida das plantas, dos animais e do homem.
As várias formas de sua utilização geram, às vezes, conflitos de interesses. Dentre as várias maneiras de sua utilização destacam-se: geração de energia, água para consumo humano e animal água do solo para as plantas, água para irrigação de culturas, águas superficiais como ambiente para os animais aquáticos, meio de transporte, meio de limpeza, etc.
Como medidas de conservação da água, recomendam-se: a) manter florestas nas cabeceiras de nascentes; b) preservar as matas ciliares, que acompanham as margens dos rios; c) evitar a poluição das águas.
PASTAGENS NATURAIS - Constituem um dos principais tipos de vegetação que formam a cobertura do solo, servindo para protegê-lo e para alimentação dos animais, selvagens e domésticos. São geralmente formadas por uma mistura de gramíneas e outras plantas herbáceas, às quais se juntam arbustos e árvores esparsas. Como exemplos podem ser citados: as savanas da África, as estepes da Rússia, as pradarias dos Estados Unidos e os cerrados do Brasil.
Como medidas de conservação das pastagens em geral, recomendam-se: a) divisão e lotação adequada; b) evitar o superpastoreio; c) evitar o uso do fogo.
FLORESTAS - São formações arbóreas que desempenham papel importante no equilíbrio ecológico de uma região, com destaque para os seguintes aspectos: a) conservação da água, aumentando a infiltração no solo e diminuindo o escoamento superficial; b) eficiente proteção do solo contra a erosão; c) regularização da vazão das nascentes; d) ambiente adequado para a fauna silvestre; e) fonte de diversas matérias-primas para muitas indústrias - madeira, celulose, látex, cortiça, resinas, óleos essenciais,etc.
As florestas temperadas da Europa e América do Norte já foram grande parte devastadas; e o mesmo está acontecendo com as florestas tropicais da Amazônia, bacia do Congo ( África ) e Sudeste da Ásia.
Como medidas de conservação das florestas recomendam-s: a) controle do desmatamento; b) preservação das matas ciliares; c) reflorestamento das terras impróprias para uso agrícola.
FAUNA SILVESTRE - Refere-se aos animais não domesticados, muitos dos quais são utilizados em benefício das populações humanas ( caça e pesca ).
Como medidas de conservação da fauna silvestre, recomendam-se: a) evitar a poluição das reservatórios de água ( rios, lagos e represas ); b) restauração das matas ciliares; c) proibição da caça e peca em áreas de reserva florestal.

92- CUIDADO COM AS ARMADILHAS DO ESPANHOL !

Muita atenção ao traduzir palavras do espanhol para o português; elas podem fazer você cair numa armadilha. Veja alguns exemplos:
1. Abono: adubo, e não gratificação
2. Aderezo: adorno, e não endereço
3. Arena: areia, e não arena
4. Beca: bolsa de estudo, e não toga
5. Borracha: bêbada, e não borracha
6. Cambio: troca, e não câmbio
7. Finca: propriedade rural, e não es-
cora.
8. Hormigón: concreto armado, e não formigão
9. Largo: comprido, e não largo
10. Mano: mão, e não irmão
11. Neto: líquido, e não neto
12. Orilla: margem, e não orelha
13. Papa: batata, e não Papa
14. Pollo: frango, e não pólo
15. Rasgo: traço, e não ruptura
16. Risco: penhasco, e não perigo
17. Rojo: vermelho, e não roxo
18. Sino: destino, e não sino
19. Solo: sozinho, e não solo
20. Traza: jeito, cara; e não traça.

Os exemplos citados foram extraídos do livro " Como não ficar embarazado em espanhol ", de Fabio Marzano

93- CUIDADO COM AS ARMADILHAS DO ITALIANO !

Muita atenção ao traduzir palavras do italiano para o português; elas podem fazer você cair numa armadilha. Veja alguns exemplos:

1. Addobbare: adornar, e não adubar
2. Alvo: ventre, e não branco
3. Branco: rebanho, e não alvo
4. Burro: manteiga, e não burro
5. Casal: casebre, e não casal
6. Casamento: casarão, e não matrimônio
7. Dimorare: morar, e não demorar
8. Face: facho. e não face
9. Gota: face, e não gota
10. Incarare: encarecer, e não encarar
11. Liso: gasto, e não liso
12. Mandarino: tangerina, e não mandarim
13. Manteca: pomada, e não manteiga
14. Netto: líquido, e não neto
15. Pasto: refeição, e não pastagem
16. Primo: primeiro, e não primo
17. Rena: areia, e não rena
18. Serrare: fechar, e não serrar
19. Solo: sozinho, e não solo
20. Tappa: etapa, e não tapa.
Os exemplos citados forma tirados do livro " Amici ma non troppo ", de Paula Budini.

94- PALAVRAS DIFERENTES USADAS PARA O MESMO SIGNIFICADO NA ESPANHA E NA AMÉRICA ESPANHOLA

Português Espanhol América Espanhola
(Argentina Uruguai)
1. Aborrecido Enfadado Enojado
2. Arquivo Fichero Archivo
3. Batata Patata Papa
4. Bilhete Billete Boleto
5. Cabelo Pelo Cabello
6. Calça comprida Calzón Pantalón
7. Carro Coche Carro
8. Chicote Látigo Chicote
9. Começar Empezar Comenzar
11. Quadra desportiva Pista Cancha
12. Cor-de-rosa Rosa Rosado
13. Hoje Hoy Ahora
14. Luminária Lumbre Candela
15. Ônibus Autobus Omnibus
16. Paletó Chaqueta Saco
17. Posto de gasolina Gasolinera Bomba
18. Terno Traje Terno
19. Vocês Vosoros Ustedes


95- CONHECENDO AS PLANTAS OLEAGINOSAS

São conhecidas por esse nome várias plantas de diferentes famílias botânicas que produzem frutos e/ou sementes ricos em óleos, largamente utilizados na alimentação humana e animal e na indústria para fabricação de diversos produtos, inclusive lubrificantes.
Os produtos gordurosos (ou lipídeos) do reino vegetal são, quimicamente, ésteres de glicerina e ácidos graxos que, à temperatura ambiente, podem apresentar consistência sólida ou líquida. No primeiro caso, costuma-se falar de "gordura"; e no segundo, de “óleo” . A consistência dos produtos gordurosos depende da natureza dos ácidos graxos predominantes na sua composição. Os ácidos graxos mais comuns são: palmítico, esteárico e oléico. Os dois primeiros conferem consistência sólida aos lipídeos; o ácido oléico, por outro lado, é o principal componente dos óleos vegetais.
Os óleos podem ser divididos em dois grupos: a) secativos, que em contato com o ar, endurecem rapidamente; b) não-secativos.
1. Óleos não-secativos. São produtoras de óleos não-secativos as palmeiras e outras plantas. No caso das palmeiras, os óleos são extraídos dos frutos, destacando-se: coqueiro-da-bahia, dendezeiro, babaçu, buriti, macaíba, etc. No caso de outras plantas, os óleos são extraídos das sementes, podendo citar-se como os mais importantes, os seguintes: algodão, soja, amendoim, mamona, girassol e gergelim, bem como a oliveira (azeite ou óleo de oliva) muito cultivada na Europa.
2.Óleos secativos. As principais plantas produtoras de óleos secativos são: linho ( óleo de linhaça ), tungue e oiticica.
3.Plantas produtoras de gorduras vegetais. As principais são as seguintes: ucuuba (sebo de ucuuba), pequiá (manteiga de pequiá), cacaueiro (manteiga de cacau) e pau-de-sebo.
As tortas residuais da extração de óleos vegetais são empregadas na alimentação dos animais, exceto a torta de mamona que, por possuir uma proteína tóxica, é usada exclusivamente como adubo.

96- CONHECENDO OS ANIMAIS QUE HIBERNAM

Dá-se o nome de hibernação ao fenômeno fisiológico que consiste na entrada de um
estado de entorpecimento ou imobilidade mais ou menos prolongada que, nas regiões onde as estações meteorológicas são muito diferenciadas, ocorre em algumas espécies da fauna e da flora. Quando o inverno se aproxima, a hibernação permite a êsses animais e plantas, resistirem ao frio e/ou à escassez de alimentos.
No caso dos animais, os aspectos da hibernação podem ser: a) procura de abrigo para se proteger; b) espessamento dos revestimentos do corpo; c) interrupção da atividade locomotora;d) redução do metabolismo. Durante o sono hibernal, nutrem-se da gordura acumulada durante a estação favorável.
Entre os animais hibernantes, podem ser citados: morcego, certas mariposas que hibernam quando adultas, tartaruga terrestre, ouriço, sapo, marmota, etc.
Existem animais, como os ursos, que hibernam de modo incompleto, isto é, que também se retiram para seus abrigos e dormem mais do que no verão, mas sem chegarem ao estado de letargia. A hibernação não ocorre entre os animais domésticos.

97- CONHECENDO AS RELAÇÕES SOLO/ÁGUA/PLANTA

A água de precipitação ( chuva) que atinge o solo pode tomar três caminhos: a) infiltração ou penetração no solo; b) deflúvio ou escoamento superficial; c) evaporação.
A água que escoa na superfície do solo forma as enxurradas, que vão desaguar nos rios, lagos e mares. Da água que se infiltra, parte fica retida no solo e parte percola, isto é, sofre drenagem em profundidade, indo abastecer o lençol freático.
Duas são as fôrças responsáveis pela retenção de água pelas partículas de solo: a)força de adesão - atração que as partículas de solo exercem sobre as moléculas de água; b) força de coesão - atração que as moléculas de água exercem entre si.
No solo, distinguem-se três formas de água: a) água higroscópica - uma delgada camada localizada na superfície das partículas coloidais ( argila ), retida sob alta tensão; b) água capilar - localizada nos microporos, em grande parte utilizável pelas plantas; c) água gravitacional -localizada nos macroporos e facilmente removida pela ação da gravidade.
A água capilar é a mais importante, porque inclui a água considerada disponível pa-
ra as plantas, que fica compreendida entre dois limites: a) inferior ou ponto de murchamento -teor de umidade no qual ocorre o murchamento das plantas; b) superior ou capacidade de campo- teor de umidade máxima que o solo pode reter contra a ação da gravidade.
As plantas absorvem grandes quantidades de água do solo para atender às suas necessidades de crescimento e produção. Uma vez que apenas uma pequena proporção de água do solo fica nas proximidades dos pêlos absorventes das raízes, o suprimento de água é garantido por dois mecanismos: a) movimento capilar da água do solo em direção às raízes; b) crescimento das raízes no interior do solo úmido. Além disso, as plantas usam um terceiro mecanismo: c) o fechamento dos estômatos ( pequenas aberturas existentes na superfície das folhas ) a fim de reduzir as perdas de água por transpiração.

98- CONHECENDO OS PIGMENTOS DOS ORGANISMOS

Os pigmentos são substâncias corantes de natureza diversa, na maioria dos casos proteínas, que exercem determinadas funções e dão coloração aos tecidos vegetais e animais.
São eles responsáveis pela profusão de cores no mundo vivo.
Numerosas substâncias têm a propriedade de absorver ou refletir a luz solar em
diferentes comprimentos de ondas, provocando a sensação de cor. O pigmento mais abundante no reino vegetal é a clorofila - pigmento verde, que absorve os raios luminosos, principalmente os vermelhos, utilizando essa energia para realizar certas reações da fotossíntese. A seguir devem ser citados os pigmentos complementares das algas marinhas ( algas azuis, algas pardas, algas vermelhas, etc. ) - ficoeritrina, ficofeina, ficocianina, etc. , que absorvem os raios luminosos não-vermelhos, únicos presentes nas profundezas dos oceanos e mares.
Os carotenóides constituem, em ordem de importância, o segundo grupo de pigmentos vegetais. São pigmentos de côr vermelha, alaranjada ou amarela, cujo nome deriva da cenoura ( Dacus carota ), muito rica em caroteno.
Outros pigmentos deste mesmo grupo são o licopeno ( tomate ), a criptoxantina ( frutas ), a zeaxantina ( milho ), a violaxantina ( mamão ) e a xantofila ( frutas cítricas ). Os carotenóides ingeridos pelos animais são transformados em vitamina A.
O terceiro grupo de pigmentos vegetais é o das antocianinas, corantes cujos tons vão do rosa suave ao púrpura, passando pelo vermelho-vivo. Portanto, são basicamente corantes ornamentais ( gerânio, papoula, etc. ).
Dentre os pigmentos encontrados nos animais, destacam-se: a) melanina ( na pele ) - pigmento escuro; b) hemoglobina ( no sangue ) - pigmento vermelho. Este último desempenha papel importante no transporte de oxigênio desde o pulmão até as células do corpo.

99- CONHECENDO OS ANIMAIS QUE VOAM

Os animais que voam são aqueles providos de asas, a saber: a) aves; b) insetos adultos; c) morcego.
As asas são apêndices torácicos que funcionam como órgão motor e como superfície de sustentação, que permitem a certos animais locomover-se no ar ( voar ) ou manter-se no ar flutuando ( planar ).
No caso das aves, são duas as asas, constituídas pelos membros anteriores modificados: os dedos têm tamanho reduzido e os ossos do pulso são alongados e soldados, formando uma estrutura de apoio para as penas de vôo. As asas são ligadas ao esqueleto por articulações móveis. A força necessária para voar é dada por dois músculos peitorais, que agitam as asas.
No caso dos morcegos, as asas são os membros anteriores modificados, formados por uma membrana coberta de pêlos, que une os quatro dedos muito alongados de cada mão; só os polegares ficam fora da asa, sendo usados pelo morcego para se dependurar.
Dentre as aves, possuem excelente aptidão para o vôo: a) as aves marinhas ( albatroz, gaivota, pelicano ); b) as aves de rapina (águia, falcão, gavião); c) a maioria dos pássaros (andorinha, beija-flor, pombo ). O beija-flor é a única ave que paira no ar, agitando as asas, para sugar o néctar das flores.
Dentre as aves que não voam, destacam-se os pingüins, cujas asas foram transformadas em nadadeiras; e as ratitas ou aves corredoras ( avestruz, ema, casuar ). Possuem baixa aptidão para o vôo: galinha, peru, pavão, codorna.
No caso dos insetos, só as formas adultas aladas (com asas) voam, podendo ter um único par de asas ( mosca, mosquito ) ou dois pares de asas ( cigarra, gafanhoto, besouro ). Não voam os insetos adultos desprovidos de asas ( traça, formiga, cupim ) e as formas lar-
vais ( lagartas ).
Dentre os mamíferos, à rigor só os morcegos conseguem realizar vôo autêntico. Porém, existem várias espécies que se deslocam pelo ar, planando ou saltando de um galho para outro. Assim, os chamados esquilos-voadores e lêmures-voadores, na realidade não voam mas planam no ar, flutuando com o auxílio de membranas que unem os membros anteriores aos posteriores.

100- CONHECENDO A DISPERSÃO DAS SEMENTES

As sementes são os órgãos de reprodução das plantas superiores, isto é, que produzem flores (Fanerógamas). Elas resultam do amadurecimento do ovário da flor e precisam ser dispersadas para garantir a sobrevivência das plantas. A disseminação das sementes é feita por vários agentes, tais como: vento, água, animais e o próprio homem.
Algumas sementes, como as das orquídeas, são tão pequenas e leves que basta ma ligeira brisa para dispersá-las. Outras plantas desenvolveram estruturas apropriadas para facilitar o seu transporte pelos agentes de dispersão.
Muitas sementes dependem dos animais para a sua distribuição. Neste caso, apresentam ganchos ou espinhos, como o picão e o carrapicho, os quais se prendem aos pêlos dos animais ou à roupa do homem. Outras desenvolveram expansões finas e dilatadas que funcionam como pára-quedas, como é o caso da paineira e da barba-de-bode.
Algumas leguminosa, como a ervilha, quando as vagens secam, se abrem e lançam as sementes à certa distacia da planta.
Animais frugívoros (que comem frutas), como o esquilo, também contribuem para espalhar as sementes de certas plantas.
Outras sementes, como as do lótus, flutuam na água, graças aos espaços cheios de ar que possuem.
A erva-de-passarinho é uma planta parasita, cujas sementes viscosas são dejetadas por passarinhos e grudam nos ramos da p lanta hospedeira, onde germinam.

101- CONHECENDO AS GELEIRAS

Geleiras ou glaciares são massas de gelo acumuladas nas regiões onde a queda de neve supera o degelo. Existem dois tipos principais: a) geleiras de latitude ou continentais; b)geleiras de altitude ou de montanhas.
As geleiras continentais são de ocorrência mais ampla, compreendendo: a) as capas de gelo que cobrem indistintamente todo o relevo - vales e elevações - como acontece na Antártida e Groenlândia; b) a banquisa ou camada de gelo flutuante que cobre o Oceano Ártico.
As geleiras de altitude são de ocorrência mais localizada, encontradas na parte mais alta das cadeias de montanhas - Andes, Rochosas, Alpes, Himalaia, etc.
As geleiras são passíveis de deslocamento, seja a favor das encostas de montanhas e/ou vales, seja sob a forma de " icebergs " - grandes blocos de gelo, que se destacam das geleiras continentais e flutuam no mar, constituindo um perigo para a navegação marítima.
Estima-se que mais de 10% da superfície sólida da Terra esteja permanentemente coberta de gelo, abrangendo cerca de 75% de toda a água doce existente. O restante encontra-se nos rios e lagos.
As geleiras continentais desempenham papel importante na erosão e na formação do relevo terrestre. Os materiais transportados e depositados pelas geleiras recebem o nome de "morenas".

102- CONHECENDO OS INSETOS SOCIAIS

Denominam-se insetos sociais os que vivem em colônias, formando sociedades organizadas, com várias castas de indivíduos que diferem tanto na função como na estrutura. Os indivíduos não sobrevivem fora da colonia, cujo desenvolvimento é controlado por um ou mais indivíduos reprodutores.
São representados por duas ordens da classe Insetos: a) Himenópteros - abelhas, vespas e formigas; b) Isópteros - cupins.
1. Abelhas. Formam colonias que vivem em ninhos chamados colméias, produzindo mel e cera. Numa colônia de abelhas encontram-se indivíduos de três castas: uma rainha, numerosas operárias e vários zangões.
A rainha é responsável pelo desenvolvimento da prole; sua única função é por ovos. As operárias sâo fêmeas estéreis, que se encarregam de todos os trabalhos da colméia: limpeza das células, construção de favos, alimentação da rainha e das larvas que darão origem a novas operárias. Também defendem a colméia e fazem a coleta de pólen e néctar.
2. Vespas e marimbondos.Constroem ninhos de arquitetura variada, desde células individuais conjugadas até vespeiros enormes, com grandes populações.Possuem um ferrão venenoso, cuja picada é muito dolorosa.
3. Formigas. Formam colônias que vivem em formigueiros, onde se encontram fêmeas fecundas, machos e operárias ( fêmeas estéreis ). Seus ninhos podem estas localizados no solo, com várias câmaras ou " panelas " ligadas por galerias subterrâneas, ou em ocos de paus, troncos de árvores ou embaixo de pedras. Existem vários tipos de formigas: cortadeiras (saúvas, quenquens), lava-pés, caseiras correição, etc.
4. Cupins.Também chamados térmitas, apresentam castas reprodutoras – casal real, e não-reprodutoras - operárias e soldados. Distinguem-se: a) cupins de madeira, na qual escavam galerias; b) cupins de solo, no qual erguem ninhos em forma de montículos, chamados cupinzeiros ou " murundus ".

103- CONHECENDO OS SATÉLITES ARTIFICIAIS

Satélite natural, ou simplesmente satélite, é todo corpo celeste que gira em torno de um planeta. Exemplo: a Lua, que gira ao redor da Terra.
Satélite artificial é um engenho feito pelo homem e lançado para gravitar em torno da Terra, da Lua, ou de outro astro.
O lançamento de um satélite artificial requer, basicamente, duas operações: a) elevação, por meio de um foguete; b) colocação em órbita, que depende de atingir velocidade adequada para contrabalançar a força de atração do astro em torno do qual deve girar.
Equipados com emissores e receptores de dados, os satélites artificiais são empregados para duas finalidades principais: a) científica ou coleta informações sobre a atmosfera ou sobre os astros ao redor dos quais orbitam; b) tecnológica ou de aplicação, utilizando os dados obtidos para previsão do tempo, cartografia, telecomunicações, navegação, estudo dos recursos naturais da Terra, etc.
A esses tipos básicos devem ser acrescentados os satélites do observação ou satélites- espiões.
Quando os satélites são tripulados, recebem o nome de sondas espaciais. Quando são de grandes dimensões e destinados a permanecer em órbita por longo tempo, são chamados de estações orbitais ou estações espaciais.
Quando destinados à exploração do espaço interplanetário, são denominados astronaves ou sondas espaciais.
Os Estados Unidos e a Rússia são os países que lançaram maior número de satélites artificiais. O primeiro satélite - Sputnik I, foi colocado em órbita 4/10/1957, pela Rússia. O
primeiro satélite tripulado - Vostok I, também foi lançado pela Rússia, em 12/04/1961. levando a bordo o major Iuri Gagarin.

104- CONHECENDO AS PLANTAS COM ESPINHOS

Espinhos são apêndices que se desenvolvem nos caules, ramos ou folhas de plantas pertencentes a diversas famílias botânicas. Fazem parte da estrutura do vegetal, sendo lignificados ( endurecidos ) e pontiagudos, como os da laranjeira. Não é possível removê-los sem causar lesões nos tecidos subjacentes.
Os espinhos não devem ser confundidos com os acúleos, que são formações epidérmicas ( superficiais ) e facilmente destacáveis, como os da roseira. Outra diferença é que os espinhos estão ligados ao sistema vascular, ao passo que os acúleos não possuem elementos condutores de seiva.
As plantas espinhentas ocorrem principalmente nas regiões áridas ( desertos ) e semi-áridas (estepe, caatinga), onde predominam plantas das famílias Cactáceas - cacto, mandacaru, xique-xique; e Bromeliáceas - ananás, gravatá, caroá, macambira.
Outras plantas com espinhos, de diferentes famílias, são: faveleira, arranha-gato, primavera, joá-bravo, urtiga-brava, etc.
Entre as planta frutíferas providas de espinhos, podem ser citadas: laranjeira, limoeiro, abacaxi, figo-da-Índia, etc.
Entre as plantas espinhentas usadas para cercas vivas, destacam-se: coroa-de-Cristo, espinho-de-cerca, pinhão-bravo, etc.

105- CONHECENDO OS ANIMAIS OFIÓFAGOS

Animais ofiófagos, como o nome indica, são animais que se alimentam de cobras. A proteção a esses animais constitui importante medida auxiliar no combate ao ofidismo.
No Brasil, são conhecidas várias espécies de animais que atacam e ingerem cobras. Dentre elas destacam-se as seguintes: a) zorilho ou cangambá; b) gambá; c) ema e seriema; d) gavião chamado carancho, também conhecido no Nordeste por carcará; e) aranha-caranguejeira, capaz de comer cobras pequenas. Entretanto, o mais notável animal ofiófago é a muçurana, uma cobra preta que atinge 2.5 metros de comprimento, a qual ataca corais, cascavel, jararaca e outras cobras, e as devora. Outra cobra ofiófaga é a parelheira, bem menor que a muçurana; por isso, alimenta-se apenas de cobraspequenas.
Na África e na Índia encontra-se o mangusto, um pequeno mamífero carnívoro, que
se alimenta de ovos, ratos, rãs e cobras pequenas. Na África do Sul existe o serpentário, uma ave que possui pernas longas e um poderoso bico adunco, que se alimenta principalmente de serpentes.

106-CONHECENDO AS PLANTAS CARNÍVORAS

Normalmente, as plantas servem de alimento para muitos animais, principalmente os herbívoros. Entretanto, algumas plantas invertem essa regra do jogo ecológico e devoram pequenos animais, principalmente insetos ( larvas e adultos ), sendo por isso chamadas plantas carnívoras ou insetívoras. Elas possuem folhas modificadas, isto é, transformadas em armadilhas para capturar insetos e outros pequenos animais; também segregam enzimas que digerem os animais capturados.
A maioria dessas plantas crescem nos pântanos, e algumas em solos pobres em nutrientes minerais. As principais plantas carnívoras são as seguintes:
1. Drósera. Planta herbácea comum nos terrenos pantanosos, com ampla distribuição
mundial. Possuem folhas redondas providas de longos pêlos pegajosos, aos quais ficam presos os insetos que nela pousam; e em seguida, são digeridos.
2. Nepenthes. Gênero de plantas trepadeiras e epífitas, que ocorrem nas matas, cujas folhas se modificaram formando urnas pendentes e cheias de água, nas quais os insetos são aprisionados e digeridos.
3. Dionéia. É uma planta herbácea cujas folhas são dobradas em duas lâminas com bordos denteados. Quando um inseto pousa sobre uma das lâminas, a folha se fecha subitamente e os bordos denteados se entrelaçam, aprisionando o pequeno animal que é digerido. Dias após, a folha volta a se abrir.
4. Utriculária. É uma planta herbácea aquática, cujos caules submersos possuem folhas profundamente modificadas, formando urnas ou ascídeas que têm na parte superior uma abertura com alçapão coberto de pêlos. Ao contato com um inseto, o alçapão se abre e o animalzinho cai no interior da urna. A seguir o alçapão se fecha e a presa é digerida.
Êta plantinhas danadas!

107- CONHECENDO OS TIPOS DE COSTAS

Denomina-se costa ou litoral a faixa de contato entre a terra firme e o mar, ou melhor, a faixa situada entre o limite de influência das ondas do mar (vagas ) e a linha das marés baixas.
O modelado das costas resulta de: a) ações múltiplas da água do mar ( vagas, marés, correntes marinhas ); b) de influências estruturais ( relevo continental, natureza das rochas);
c) de movimentos do terreno ( soerguimentos, afundamentos ).
Existem dois tipos fundamentais de costas: a) tipo Atlântico, com estruturas de dobramentos e/ou falhamentos oblíquos à costa; b) tipo Pacífico, com estruturas de dobramentos e/ou falhamentos paralelas à costa.
As costas do tipo Atlântico são mais ricas em acidentes ( cabos, penínsulas, baías,
golfos, enseadas, etc. ) e são discordantes ou transversais, isto é, as elevações do terreno formam ângulos, maiores ou menores, com a linha do litoral. Nas costas do tipo Pacífico, as elevações são concordantes ou longitudinais, isto é, são paralelas à linha do litoral.
Quanto à articulação, a linha de costa pode ser retilínea ou recortada. Segundo o as
pecto geral, podem ser baixas ou planas e altas ou abruptas.
Para designar os diferentes tipos de costas, empregam-se vários termos: a) praia -faixa plana, formada pelo acúmulo de areia; b) falésia - escarpa formada pelo trabalho erosivo do
mar; c) recife - elevações rochosas, de arenitos ou de corais; d) mangue - pântano costeiro; e) atol - recife lagunar; f) delta - depósito aluvial na foz de alguns rios; g) estuário - foz com ampla abertura.

108- CONHECENDO OS ANIMAIS DOMÉSTICOS

O homem primitivo obtinha seu alimento de animais silvestres ( caça e pesca ) e de plantas naturais, espontâneas. Depois aprendeu a agricultura ( plantas cultivadas ) e a criação de animais domésticos, assim chamados em oposição aos animais silvestres, que têm vida livre, na natureza.
Os animais domésticos são criados na própria casa do homem ( animais caseiros ), ou nas fazendas, em pastagens e/pou instalações apropriadas - estábulo, cavalariça, pocilga, galinheiro, apiário, etc.
Os animais domésticos são utilizados para várias finalidades, a saber:
a) fonte de alimentos - carne, leite, banha, ovos, mel, etc. Os principais animais deste grupo são: boi de corte, vaca leiteira, porco, cabra, coelho, galinha, peru, abelha, etc.
b) fonte de matérias-primas para vestuário - couro, peles, lã, seda, etc. Principais exemplos: boi, ovelha, bicho-da-seda, etc.
c) montaria e força de trabalho: cavalo, boi, burro, camelo, lhama, etc.
d) estimação e recreação:cão, gato, papagaio, etc.
e) pesquisa científica: cobaia.
Todos os animais domésticos descendem de animais selvagens. O primeiro a ser domesticado foi provavelmente o cão, como auxiliar na caça. Depois foram sendo domesticados o boi de corte, a vaca leiteira, a ovelha, a cabra e o porco. Depois seguiram-se as aves: galinha, ganso, pato, peru, etc.
Os animais que servem ao homem como bestas de carga também foram domesticados em épocas remotas, porém não tanto como os animais produtores d carne e leite. O burro e o cavalo foram, provavelmente, os primeiros. Supõe-se que o cavalo tenha sido domesticado depois. A lhama é usada como animal de carga nas regiões andinas.

109- CONHECENDO OS PADRÕES DE TERRA

São chamadas "padrões de terra " as plantas consideradas como indicadoras da condição de fertilidade do solo no qual crescem. Evidentemente, os padrões têm caráter regional,devendo observar-se o seu porte e freqüência.
Tratando-se de terras do Estado de São Paulo, podemos dizer o seguinte:
a) Em terras cobertas de matas, são consideradas padrões de terra fértil: jequitibá, figueira-branca, pau-d'alho, paineira, ceboleiro, palmito-branco, etc., como é comum nas terras roxas.
b) Nas terras de capoeira ( mata em processo de regeneração ) e de cerradão, são consideradas padrões de fertilidade média: lixeira, unha-de-vaca, guarantã, faveiro, etc.
c) nos terrenos ja cultivados, os padrões de terra fértil são plantas herbáceas, geralmente ervas invasoras, tais como: beldroega, caruru-de-porco, serralha, picão, carrapicho, etc.
d) Por outro lado, são consideradas como padrões de terra de baixa fertilidade (campos e cerrados ): 1) plantas herbáceas - barba-de-bode, indai´s, sapé, etc.; 2) arbustos e árvores retorcidas ( "paus tortos" ) - barbatimão, cambará-do-campo, pequi. guabiroba, leiteiro, vassoura-de-alecrim, etc.

110- CONHECENDO O CICLO VITAL DOS INSETOS

A classe dos Insetos é a mais numerosa do reino animal, contando com cerca de um milhão de espécies, o que representa mais de 80% do total de espécies animais.
O ciclo vital dos Insetos apresenta vários aspectos curiosos, compreendendo quatro etapas: a) ovo; b) larva; c) ninfa; d) adulto.
1.Ovo. A vida dos Insetos começa com o ovo, que é depositado pela fêmea depois de fecundada pelo macho. Esses ovos podem ser postos isoladamente ou em grupo, tanto expostos como protegidos por formações especiais. Dias depois, de cada ovo nasce uma larva.
Como esse processo é comum, os Insetos são considerados ovíparos. Porém, existem alguns casos em que a larva nasce imediatamente após o ovo ser posto; e então, tais insetos são ovovivíparos. Pode também acontecer, como é freqüente nos pulgões, que as larvas saiam do ovo antes que este chegue ao exterior. Neste caso, as fêmeas põem, na realidade, larvas vivas, razão pela qual tais insetos são chamados vivíparos,
2. Larvas. As larvas dedicam-se exclusivamente a comer, quer mastigando alimentos vegetais ou animais, quer sugando seiva de plantas ou sangue de animais. Seu tamanho aumenta rapidamente, e como a sua pele tem crescimento limitado, as larvas são obrigadas a efetuar " mudas " ou trocas de pele, em número de três a sete.
Mesmo a olho nu podem ser distinguidos dois tipos fundamentais de larvas: a) semelhantes aos adultos, com a diferença que não têm asas ( gafanhoto, barata ); b) diferentes dos adultos ( maioria dos insetos ). Neste caso, recebem o nome de lagartas.
3. Ninfas. As larvas comem vorazmente e vão mudando de pele até atingir o estado larval final, quando se transformam em ninfas.
Estas permanecem em repouso, enquanto se processam várias mudanças no seu organismo.
As ninfas de borboleta recebem o nome de crisálidas, enquanto as de moscas são denominadas pupas.
4 Adultos. Após um período de tempo variável com a espécie, a pele da ninfa se abre e dá saída ao inseto adulto.


111-CONHECENDO O TEMPO MÉDIO DE VIDA DOS ANIMAIS

Arara: 63 anos Girafa: 15 anos
Avestruz: 50 anos Golfinho: 65 anos
Baleia-azul:25 anos Gorila: 20 anos
Burro: 12 anos Hiena: 25 anos
Cachorro: 12 anos Hipopótamo; 40 anos
Camelo: 50 anos Jegue: 18 anos
Canguru: 7 anos Leão: 20 anos
Carneiro: 12 anos Mosca-de-fruta: 14 dias
Cavalo: 30 anos Papagaio: 80 anos
Chimpanzé: 20 anos Pica-pau: 15 anos
Coelho: 12 anos Pinguim: 30 anos
Coruja: 20 anos Porco: 10 anos
Crocodilo: 50 anos Rato: 2 anos
Dromedário: 35 anos Rinoceronte: 70 anos
Elefante africano:60anos Tamanduá: 20 anos
Elefante asiático:78 anos Tartaruga: 100 anos
Esquilo: 11 anos Tigre: 25 anos
Galinha: 7 anos Urso: 20 anos
Gambá: 4 anos Vaca: 15 anos
Gato: 15 anos Zebra: 20 anos


112-VOZES DOS ANIMAIS

Cão - late Peru - gruguleja
Gato - mia Leão - ruge
Boi - muge Porco - grunhe
Cavalo - relincha Rã - coaxa
Abelha - zumbe Macaco - guincha
Galinha - cacareja Papagaio - parla
Galo - cucurica Pombo - arrulha
Lobo - uiva Pato - grasna
Cabra - berra Sabiá - gorjeia
( Fonte: Enciclopédia Barsa )

113-LINGUAGEM DO “P”

Pedro Paulo Pinto Pereira Peixoto, pacato pintor português, pinta perfeitamente prédios,paredes, portas, portões por pouco preço, pagamento parcelado.
Parece piada: periquito procura parecer papagaio parlador, porém prefere proferir poucas palavras pequenas, pergunte pro presunçoso pavão.
Pare para pensar: padre Paulo Peçanha profere pungentes preces pedindo paz, prosperidade, perdão para pobres pecadores.
Pôxa !

114- CONHECENDO OS FELINOS

O termo felino é usado popularmente para designar os animais mamíferos e carnívoros pertencentes à classe Felídeos. São animais de porte pequeno ou médio, musculosos, ariscos e de grande flexibilidade de movimentos, dispondo de boa visão e audição apurada. Apresentam cabeça arredondada e corpo alongado, possuindo um rabo e quatro patas com unhas ou garras retráteis. Também possuem dentes cortantes, caracterizando-se como predadores típicos, isto é, atacam e matam outros animais para sua alimentação.
O gato é o único felino doméstico; os demais são animais silvestres, destacando-se:
gato do mato, lince, jaguatirica, onça, tigre, leão, leopardo e guepardo.
Curiosidades sobre os felinos:
a) o gato é o animal que dorme mais horas por dia;
b) o leão macho é o único felino com juba;
c) o guepardo é o animal terrestre mais veloz, podendo ultrapassar a velocidade de 100 km/h, porém por pouco tempo; isto porque a temperatura do seu corpo sobe muito,precisando parar para que ela volte ao normal

115- COMPORTAMENTO VEGETAL

O girassol acompanha o movimento do sol.
A sensitiva se retrai quando é tocada.
O alho mostra os dentes.
A grama se arrasta pelo chão.
A ervilha sobe se enrolando no suporte.
A erva-de-passarinho vive como parasita de outras plantas ( árvores e arbustos ).
A hera cresce grudada no muro.

116- DEFINIÇÕES INCOMPLETAS

Ilha - porção de terra cercada de água por todos os lados... ( menos por
cima ).
Cão - melhor amigo do homem ... ( e também da mulher e das crianças ).
Ladrão - amigo do alheio... ( e também do que é nosso ).
Deputado - político eleito representante do povo no congresso para legislar
sobre as relações públicas... ( e também legislar em causa própria ).
Lula - molusco marinho cefalópode... ( e também o atual presidente do
Brasil ).

117- BODAS

São as comemorações de aniversários de casamento, as quais
recebem as seguintes denominações:

ANOS BODAS
5 madeira
10 estanho
15 cristal
20 porcelana
25 prata
30 pérola
35 coral
40 esmeralda
45 rubi
50 ouro
60 diamante
75 brilhante

118- CONHECENDO A BANANEIRA

A bananeira, pertencente à família das Musáceas, é uma planta curiosa. O caule verdadeiro é um rizoma, horizontal e subterrâneo. O que parece ser um caule vertical é um pseudocaule, formado por bainhas das folhas. O fruto é um cacho, com várias pencas de bananas, sem sementes. Após a colheita do cacho, o pseudo-caule deve ser cortado, ou morre naturalmente. O rizoma possui gemas, das quais brotam novas folhas, originando novos pseudocaules, ou seja, novas bananeiras. Assim, forma-se uma touceira, com tendência a aumentar lateralmente.

119- APRIMORANDO O PORTUGUÊS

a) Parônimos
São palavras parecidas na escrita e/ou na pronúncia, mas com significados diferentes. Exemplos: eminente ( elevado ) e iminente ( pendente ); era ( período de tempo ) e hera ( planta trepadeira ); concerto ( sessão musical ) e conserto ( reparo ); acender ( atear ) e ascender ( subir ); Cuidado com a grafia!
b) Pleonasmos
Consistem na repetição de palavras com o mesmo sentido. Exemplos:
meio ambiente
subir para cima
ver com os olhos
sair para fora
Não recomendáveis, porém toleráveis.
c) Cacófatos
Referem-se ao efeito desagradável ou palavra obscena resultante da junção das sílabas finais de uma palavra com as sílabas iniciais da palavra seguinte. Exemplos:
Uma mão lava a outra ( mamão )
Faca, garfo e colher ( cagar )
Descascar alho ( caralho )
Ela tinha dois gatos ( latinha )
Obviamente, devem ser evitados.
Em tempo: a letra do hino nacional brasileiro contém um cacófato:
" De um povo o heróico cobrado ( herói...cobrado ".)

120- CONCEITOS NEM SEMPRE VÁLIDOS

Os conceitos de que a raiz é um órgão vegetal subterrâneo e o caule, um órgão aéreo, nem sempre correspondem à realidade. Existem raízes aéreas, assim com são encontrados caules subterrâneos.
RAIZES AÉREAS
a) Raízes-escora, que servem de suporte para os mangues.
b) Raízes coletoras, encontradas nas plantas epífitas, isto é, que se desenvolvem sobre outras plantas sem parasitá-las, como é o caso das orquídeas e filodendros.
c) Raízes sugadoras, típicas das plantas parasitas de outras plantas, como a cuscuta e a erva-de-passarinho.
CAULES SUBTERRÂNEOS
Funcionam também como órgãos de reserva.
a) Bulbos, com folhas transformadas em escamas, como na cebola e no alho.
b) Tubérculos, encontrados na batatinha, cará e inhame.
c) Rizomas, caules horizontais subterrâneos ou semi-enterrados, típicos do bambu e da bananeira.

121- CONHECENDO OS ASTROS COM LUZ PRÓPRIA

Os astros com luz própria são corpos celestes gasosos, brilhantes, com temperaturas
elevadíssimas. Incluem os cometas, as estrelas, as nebulosas, as constelações e as galáxias.
COMETAS
São pequenos corpos celestes de aspecto nebuloso que giram ao redor do Sol em órbita elíptica de grande excentricidade. São constituídos por: a) um núcleo brilhante; b) uma cabeleira difusa, ao redor do núcleo; c) uma cauda também luminosa. Existem vários cometas, sendo o seu aparecimento periódico. O mais famoso é o cometa de Halley, que aparece a cada 76 anos.
ESTRELAS
São astros com brilho cintilante, de tamanho variável, desde anãs até gigantes.Existem bilhões de estrelas, sendo o Sol uma estrela média. As maiores sâo Betelgeuse e Aldebaran, consideradas estrelas super-gigantes. Sirius é a estrela mais brilhante.
NEBULOSAS
São nuvens luminosas, constituídas por estrelas, gases e poeira cósmica. Geralmente estão associadas com as constelações, apresentando forma espiralada ou circular.
CONSTELAÇÕES
São agrupamentos de estrelas formando uma determinada configuração. São em número de 88. Exemplos: Andrômeda e Leão, visíveis no hemisfério norte; Capricórnio e Cruzeiro do Sul, visíveis no hemisfério sul.
GALÁXIAS
Sistemas estelares formados por bilhões de estrelas, muitas vezes associadas a grandes quantidades de gases e poeira cósmica. A mais conhecida é a Via-Láctea, que inclui o sistema solar.

122- A ECOLOGIA E AS PLANTAS

Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente em que ocorrem. No caso das plantas, além do ar atmosférico ( fonte de oxigênio e gás carbônico ) e da água e nutrientes minerais ( nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, etc. ) retirados do solo, elas necessitam de luz ( fotossíntese ) e de temperaturas adequadas para o seu desenvolvimento.
Assim, o clima é um fator importante na distribuição das plantas, permitindo distinguir: a) plantas das regiões tropicais ( seringueira, cacaueiro, cana-de-açúcar ); b) plantas das regiões temperadas ( oliveira, trigo, aveia ); c) plantas das regiões áridas e semi-áridas ( cáctos, tamareira, barriguda ).
No tocante à necessidade de água, distinguem-se: a) plantas aquáticas ( aguapé, cabomba, vitória-régia ); b) plantas hidrófitas ( arroz, tabôa, agrião ); c) plantas mesófitas ( milho, cafeeiro, laranjeira );d) plantas xerófitas ( cactos, juazeiro, faveleira ).
Quanto à relação entre plantas, distinguem-se: a) simbiose - interação mutuamente benéfica entre duas plantas, sendo o melhor exemplo os líqüens, constituídos pela associação de uma alga com um fungo; b) plantas epífitas, que se desenvolvem sobre outras plantas sem parasitá-las ( orquídeas, cipós ); c) plantas parasitas de outras plantas ( cuscuta, erva-de-passarinho ); d) plantas invasoras de culturas, também chamadas ervas daninhas ( grama-seda, tiririca, carrapicho ).

123- TIPOS DE PLANTAS 1

A palavra planta recebe um grande número de qualificativos, conforme o critério adotado.
Na mensagem " a Ecologia e as plantas", pode-se verificar como elas se classificam segundo critérios ecológicos.Considerando o critério tamanho,distinguem-se: árvores, arbustos, palmeiras e ervas.
Árvores são plantas lenhosas, de grande porte ( mais de 4 metros de altura ), possuindo caule bem definido, denominado tronco, que se ramifica ( galhos ) na parte superior, bem acima do nível do solo, formando com as folhas uma copa. Nas regiões tropicais tem-se como exemplos: seringueira, jequitibá, mangueira, etc.
Nas regiões temperadas encontram-se: carvalho, castanheira, macieira, etc.
Arbustos são plantas lenhosas de porte médio, não ultrapassando 4 metros de altura e com caule ramificado desde a base.Exemplos: barbatimão, cafeeiro, limoeiro, etc.
O nome palmeiras é atribuído popularmente às plantas da família Palmáceas, que ocorrem predominantemente nas regiões tropicais. Caracterizam-se por possuírem caule fibroso, não ramificado, às vezes atingindo grande altura, chamado estipe. Este apresenta forma cilíndrica ou cônica, com raízes adventícias na sua base e, na sua extremidade superior, um penacho de folhas longas, palmadas ou penadas. Exemplos: babaçu, coqueiro-da-Bahia, tamareira, etc.
O termo erva se aplica às plantas não-lenhosas de pequeno porte, folhosas e que conservam o caule sempre verde e tenro, O caule é do tipo estipe, geralmente dividido em gomos, com folhas compridas e estreitas. Exemplos: arroz, alfafa, capim-colonião,etc.

124- TIPOS DE PLANTAS 2

Deixando de lado outros critérios, vejamos como as plantas são classificadas segundo sua duração e consistência.
Quanto à duração,distinguem-se:
a) Plantas anuais ( até 1 ano ): milho,arroz, tomateiro, etc.
b) Plantas bianuais ( 1 a 2 anos ): mandioca, beterraba, couve-flor, etc.
c) Plantas semi-perenes ( mais de 2 até 10 anos ): cana-de-açúcar, chuchuzeiro, etc.
d) Plantas perenes ( mais de 10 anos, podendo chegar a algumas centenas de anos,
como no caso da sequóia ): seringueira, jequitibá, cafeeiro, etc.
Quanto à consistência, distigüem-se:
a) Plantas lenhosas - ricas em celulose, fornecedoras de lenha e madeira e de matéria-prima para a fabricação de papel. Constituem a maioria das árvores e arbustos, tais como: cedro, pinheiro, eucalipto, etc.
b) Plantas fibrosas - ricas em fibras, utilizadas na fabricação de tecidos. Exemplos: linho, juta, sisal, etc.
c) Plantas tenras - não lenhosas e nem fibrosas, mantendo o caule tenro e sempre
verde. Exemplos: capins, feijoeiro, tomateiro, etc
d) Plantas suculentas, que armazenam sucos, às vezes ficando entumecidas. Exemplos: cana-de-açúcar, cactos, barriguda, etc.


125- TIPOS DE PLANTAS - 3

Além dos critérios abordados anteriormente, as plantas podem ser classificadas também de acordo com a sua utilização, distinguindo-se:
a) Plantas alimentícias - utilizadas na alimentação humana: arroz, trigo, batata,etc.
b) Plantas frutíferas - que produzem frutas: banana, laranja, mamão, etc.
c) Plantas hortícolas - cultivadas em hortas para a produção de hortaliças: alface, tomate, cenoura, etc.
d) Plantas oleaginosas - das quais se extraem óleos: oliveira, soja, amendoim, etc.
e) Plantas têxteis - que fornecem fibras para a fabricação de tecidos: algodão, linnho, juta, etc.
f) Plantas industriais - que fornecem matéria-prima para a fabricação de certos produtos: seringueira ( borracha ), cana-de-açúcar ( açúcar, álcool ), cevada ( cerveja, uisque ), etc.
g) Plantas forrageiras - utilizadas na alimentação dos animais : milho, alfafa, capim-colonião, etc.
h) Plantas madeireiras - que fornecem madeira para construção: peroba, pau-brasil, pinheiro, etc.
i) Plantas ornamentais - utilizadas na ornamentação de residências, parques e jardins: roseira, orquídeas, primavera, etc.
j) plantas medicinais - utilizadas como ingredientes de remédios: hortelã, camomila, confrei, etc.

126- TIPOS DE PLANTAS - 4

k) Plantas de cobertura - utilizadas para a proteção do solo contra a erosão. Como se sabe, erosão é a remoção de partículas do solo pela ação da chuva e do vento, que se processa em três fases: desagregação, transporte e deposição.
As plantas de cobertura mais eficientes pertencem à família Gramíneas, com destaque para as gramas. A proteção do solo é proporcionada de duas maneiras: a) a parte aérea ( folhagem ) amortece o impacto das gotas de chuva, evitando a desagregação do solo; b) a parte subterrânea ( raízes fasciculadas ) trava o solo,impedindo o seu transporte.
As gramas são utilizadas principalmente na proteção de acostamentos de estradas e taludes de cortes e aterros; e também para a formação de gramados de residências, parques e jardins, bem como gramados de campos esportivos. Exemplos: grama-batatais, grama- bermuda, grama-seda, etc.
l) Plantas para adubação verde
Adubação verde é a prática agrícola que consiste no cultivo e posterior incorporação ao solo, de plantas da família Leguminosas. Isto se deve ao fato de que as leguminosas vivem em simbiose com certas bactérias ( rizóbios ) que formam nódulos em suas raízes e que têm a capacidade de fixar o nitrogênio atmosférico.
Por isso, são incorporadas ao solo como " adubo verde " ( fonte de matéria orgânica e nitrogênio. Exemplos: mucuna-preta, feijão-de-porco, lablabe, centrosema, etc.

127- DEFINIÇÕES JOCOSAS

a) Perna-de-pau -- mau jogador de futebol.
b) Frangueiro -- goleiro que toma gols defensáveis.
c) Margarida -- faxineira que faz a limpeza das ruas.
d) Bóia-fria -- operário que leva marmita para o local de trabalho e come comida fria.
e) Lelé da cuca -- deficiente mental.
f) Galinha -- mulher que dá bola para qualquer homem.
g) Veado -- homossexual masculino passivo.

128- PERGUNTAS CRETINAS

a) A Taça Libertadores...liberta dores?
b) Ave chamada saracura...é pleonasmo?
c) A moribunda... será que ouvi direito?
d) Biscoito é fazer sexo duas vezes?
e) Guarda-chuva...serve para guardar água de chuva?
f) A planta chamada canafístula...tem fístula?


129-CONHECENDO AS PALMEIRAS

Palmeiras é a designação genérica das plantas pertencentes à família botânica Palmáceas, da qual são conhecidas cerca de 4.000 espécies. São plantas esbeltas, de aspecto peculiar, próprias das regiões quentes. Encontram-se quer em oásis das regiões áridas e semi-áridas ( tamareira ), quer em pântanos, quer em praias arenosas, quer em florestas das regiões tropicais úmidas.
São plantas lenhosas, em sua maioria de porte arbóreo, com caule cilíndrico e alto, não ramificado, chamado estipe; o qual é suportado por um feixe de raízes laterais, apresentando na extremidade superior um tufo de folhas compridas, palmadas ou penadas ( buritizeiro, coqueiro-da-Bahia ). Algumas apresentam porte arbustivo (jarina, palmeirinha-de-Petrópolis ). Outras têm o caule curto e intumescido, como a palmeira-barriguda. Portanto, o tamanho do caule das palmeiras varia desde alguns centímetros como na indaiá ( palmeirinha comum nos campos limpos e cerrados ), até mais de 30 metros , como no co-
queiro-da-Bahia.
As palmeiras são muito úteis, servindo para várias finalidades. O coqueiro-da-Bahia
e a tamareira produzem frutos comestíveis; o broto terminal de algumas espécies é consumido como palmito. O tronco de diversas palmeiras é empregado como material de construções rústicas; as folhas servem para a cobertura de choupanas e, desmanchadas, se prestam para a confecção de material trançado, como esteiras, tapetes, cestos, chapéus, etc. Dos frutos do babaçu, carnaubeira e dendezeiro se extraem óleos; das fibras da piaçava se fabricam escovas e vassouras. Além disso, muitas palmeiras são utilizadas como plantas ornamentais ( palmeirinha de Petrópolis, palmeira imperial, etc.).

130- CONHECENDO O BICHO-DA-SEDA

O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa chamada "Bombix mori". O fio por ela segregado para formar o casulo é a seda natural.O nome bicho-da-sêda também se aplica ao inseto adulto.
A criação do bicho-da-seda, que recebe o nome de Sericicultura, é feita em instalação apropriada, chamada "sirgaria", a partir de ovos fornecidos por instituto de sementagem ( instituto produtor de ovos ). A alimentação das larvas é feita exclusivamente com folhas de amoreira. Uma área de 10 hectares plantada com amoreiras e um rancho ( sirgaria ) de 60mx7m são necessários para uma criação obtida a partir de 200 gramas de ovos.
O número médio de ovos por grama varia de 1.300 a 2.300, dependendo da raça. As larvas, também conhecidas lagartas ou sirgos,atingem 80 a 100 mm de comprimento na fase final de desenvolvimento. Sofrem 4 mudas de pele ( chamadas de sonos ) e, portanto, passam por 5 estágios ( chamados de idades ). Quando está na fase ativa ou idade, a lagarta come vorazmente; e quando está na fase inativa ou sono, não se alimenta. Terminada a quinta idade, a lagarta começa a fiar o casulo.
O trabalho de fiação demora cerca de 3 dias; depois, tem início a transformação em crisálida. A metamorfose da crisálida dura cerca de 3 semanas; depois o casulo se rompe, saindo a mariposa. No caso da produção de seda, a crisálida é morta dentro do casulo, com água fervente.
Portanto, a produção da seda envolve três tipos de atividade: a) agrícola - cultura da
amoreira, cujas folhas servem de alimento para o bicho-da-seda; b) zootécnica - criação propriamente dita do bicho-da-seda; c) industrial - bobinagem, isto é, enrolamento dos fios de seda.

131- CONHECENDO O BAMBU

Bambu é o nome popular das plantas pertencentes a 25 gêneros da família das Gramíneas, das quais são conhecidas mais de 600 espécies. São plantas arborescentes, de colmos lenhosos e não ramificados, divididos em gomos ou internódios por meio de septos ou nós. Entre os bambus se encontram as plantas superiores de maior crescimento: crescem cerca de 4cm por dia e em menos de dois meses atingem a altura de 30 metros.
Existem espécies gigantes, que chegam a atingir 40m de altura; mas também existem espécies anãs, que não ultrapassam 15cm de altura. Todas possuem rizomas que emitem novos brotos, formando densas touceiras que, reunidas, constituem comunidades homogêneas ou bambuzais.
Os bambus ocorrem principalmente nas regiões tropicais e subtropicais, sendo utilizados principalmente com material de construções rústicas. Usam-se os colmos fechados para postes e vigas; e os colmos abertos para fazer tabiques e cobrir tetos de ranchos. Os bambus servem ainda para fazer cercas, bengalas, flautas e trançados ( esteiras, jacás, cestos, etc. ). Os brotos tenros são comestíveis.

132- CONHECENDO A MINHOCA

A minhoca é um verme Anelídeo, isto é, que tem o corpo alongado e dividido em anéis, possuindo cerdas com função de locomoção.É um animal hermafrodita, mas a fecundação é cruzada, ou seja, os espermatozóides de um indivíduo só fecundam os óvulos de outro indivíduo, e nunca os seus próprios. Caracterizam-se pela propriedade de regeneração que possuem: cortada em duas, a minhoca forma dois animais inteiros.
A minhoca é um importante componente da fauna do solo, vivendo em terra úmida, sendo mais numerosas em terras férteis, com alto conteúdo de matéria orgânica. Comem terra incessantemente, cavando galerias subterrâneas e expelindo fezes com aspecto característico. Assim, revolvem e arejam o solo, incorporando matéria orgânica e tornando-o mais fértil. Portanto, são muito úteis para a agricultura, além de servirem de isca para a pesca de peixes.

133- CONHECENDO AS PEDRAS PRECIOSAS

Dá-se o nome de pedras preciosas ou gemas aos minerais raros e que se empregam, depois de polidos e devidamente lapidados, na confecção de jóias e objetos de arte. O seu estudo, bem como de outras substâncias de origens diferentes e com a mesma finalidade ( pérolas, âmbar, coral, marfim ) é chamado Gemologia. Esse ramo do conhecimento humano também estuda os produtos sintéticos que, fabricados com perfeição, procuram imitar as pedras preciosas naturais.
As propriedades físicas dos minerais raros que os tornam valiosos como pedras preciosas são a cor, o brilho, a dispersão da luz e a dureza. As principais pedras preciosas são: diamante ( incolor ), rubi ( vermelho ), safira ( azul ), esmeralda ( verde ), turmalina (cor variada ), granada ( vermelha ), etc.
Curiosamente, o diamante, que é a pedra preciosa mais valorizada, é constituído por carbono puro, cristalizado no sistema cúbico; portanto, com composição semelhante à da hulha ou carvão-de-pedra, usado como combustível, que tem um teor de 80 a 88% de carbono, porém, não cristalino.
As pedras preciosas sintéticas são as que se obtêm artificialmente, utilizando-se na sua confecção os mesmos elementos químicos encontrados nas pedras naturais. Possuem as mesmas propriedades físicas e químicas das pedras naturais, daí a dificuldade para fazer a
distinção entre as gemas naturais e a sintéticas.
As imitações incluem produtos diversos, confeccionados com a finalidade de imitar as gemas naturais. As imitações mais comuns são vidros espelhados, plásticos e imitações de pérolas; lembrando que as pérolas naturais são produzidas por ostras.


134- CONHECENDO AS GRUTAS CALCÁREAS

Dá-se o nome de gruta ou caverna à cavidade subterrânea originada por agentes geológicos. As grutas mais conhecidas são resultantes da dissolução de calcários pelas águas subterrâneas carregadas de ácido carbônico.
As grutas calcárias chamam a atenção pela variedade de formas que apresentam, tornando-se atração turística. Nelas ocorre um constante gotejar de água saturada com bicarbonato de cálcio. Em conseqüência da evaporação de cada gota de água pendente do teto, o carbonato de cálcio se precipita, formando uma saliência de forma cônica ou cilíndrica. O restante de cada gota cai no chão e vai formando outra saliência, também de forma cônica ou cilíndrica.
Com o decorrer do tempo, ambas se juntam, formando uma coluna ou pilar. A reunião de várias colunas forma uma parede ou cortina.
As cavernas podem atingir vários km de extensão, como a de Holloch, na Suíça, a maior do mundo, com 74km. No Brasil, as grutas calcárias mais conhecidas são: a de Maquine ( Minas Gerais ), com 440 meros; a Caverna do Diabo ( São Paulo ), com 4.500 metros; e a dos Brejões ( Bahia ), a maior caverna brasileira, com 7.750 metros.

135- CONHECENDO OS INSETOS
Os insetos são animais de pequeno porte, pertencentes ao ramo Artrópodes ( pés articulados ) e à classe Insecta. Constituem o grupo mais numeroso do reino animal, com mais de 700.000 espécies conhecidas.
Curiosamente, o ciclo vital dos insetos passa por 4 estágios: ovo, larva, ninfa e adulto. As larvas, popularmente chamadas " lagartas ", comem vorazmente, quer mastigando alimentos vegetais ou animais, quer sugando seiva de plantas ou sangue de animais. Seu tamanho aumenta rapidamente, de modo que precisam trocar de pele ( 3 a 7 vezes ). No estágio seguinte, as ninfas permanecem em estado de repouso, ocorrendo a transformação em adulto. Após um certo tempo, a pele da ninfa se rompe e surge o inseto adulto.
Pelo número de patas podem ser chamados hexápodes ( seis pés ); e pelo número de asas podem ser: a) ápteros ( sem asas ), como as formigas; b) dípteros ( duas asas ), como as moscas e borboletas; c) tetrápteros, como os besouros.
O abdome também é dividido em segmentos ( no máximo 11 ), sendo que em algumas
espécies, o último segmento possui um ferrão, como nas abelhas e vespas.
Muitas pessoas pensam que todos os insetos são prejudiciais, seja como praga das plantas ( saúva, grilo, gafanhoto,etc. ), seja como parasitas de animais ( piolho, pulga, percevejo, etc.). Porém, há muitos insetos que são benéficos, fazendo a polinização das flores ( abelhas, borboletas, etc. ); ou úteis, como abelha ( produtora de mel e cera ) e o bicho-da-seda ( produtor da seda ).

136- CONHECENDO AS ESTRELAS

As estrelas são corpos celestes gasosos, com temperaturas elevadíssimas, que brilham com luz própria, estando situadas tão longe de nós que, apesar de seus movimentos muito rápidos, parecem fixas no céu. Nas noites mais límpidas são vistas a olho nu cerca de duas mil estrelas. Com a mudança das estações, novas estrelas aparecem, totalizando cerca de seis mil estrelas visíveis durante o ano. Com os telescópios modernos podem ser observadas alguns bilhões de estrelas.
De acordo com o seu tamanho e luminosidade, as estrelas se classificam em: a) anãs - menos brilhantes, do tamanho de um planeta; b) gigantes - brilhantes, com 15 a 40 vezes o diâmetro do Sol; c) supergigantes - estrelas milhares de vezes maiores e mais brilhantes do que o Sol. Entre as estrelas mais brilhantes estão: Sirius, Canopus, Alfa do Centauro e Vega.
Certos agrupamentos de estrelas, em número de 88, são chamados de constelações.
Entre outras, no Hemisfério Norte vêm-se as constelações: Hércules, Lira, Escorpião, Andrômeda, Leão, etc. No Hemisfério Sul podem ser vistas as constelações: Aquário, Capricórnio, Cruzeiro do Sul, Órion, Gêmeos, etc.

137- FOTOSSÍNTESE E AS PLANTAS

Fotossíntese é o fenômeno natural mais importante para a vida vegetal e animal, o qual consiste na assimilação do gás carbônico da atmosfera, com auxílio da energia luminosa.
É uma reação química que se processa nas folhas das plantas verdes, isto é, providas de clorofila. Sem a fotossíntese não seria possível a vida, porque a fixação do carbono é necessária para: a) para a síntese das substâncias orgânicas ( amido, açúcares, proteínas, lipídeos, etc.); b) para o armazenamento de energia, que é posteriormente liberada através da respiração.
As plantas que não possuem clorofila e, portanto, não realizam fotossíntese, tirando as substâncias necessárias ao seu desenvolvimento de outros seres vivos, são chamadas heterófitas. Por outro lado, as plantas com folhas verdes ( clorofila ) e que fazem fotossíntese, recebem o nome de autótrofas.
As plantas heterófitas que se alimentam de restos de organismos mortos chamam-se saprófitas; e as que tiram substâncias orgânicas de organismos vivos chamam-se parasitas. No caso de plantas verdes que se desenvolvem sobre as árvores sem parasitá-las, aplica-se o nome epífitas.
As saprófitas são representadas principalmente por fungos e bactérias. Entre as plantas epífitas incluem-se as orquídeas, os filodendros e a maioria dos cipós. Como exemplos de plantas parasitas de outras plantas tem-se: cuscuta, erva-de-passarinho, cipó-chumbo.
Finalmente, autótrofas são todas as plantas com folhas verdes e que, portanto, realizam fotossíntese, abrangendo a maior parte das plantas superiores (ervas, arbustos e árvores ).

138- CURIOSIDADES SOBRE A AMAZÔNIA

a) A Bacia Amazônica é a maior bacia hidrográfica do mundo. O rio Amazonas é o maior rio em volume e o segundo em extensão, somente sobrepujado pelo rio Nilo.
b) A floresta amazônica é a maior floresta tropical do mundo, também chamada "Hiléia Amazônica ". É formada por vegetação muito densa, úmida e sempre verde. É rica em árvores formando vários andares, com muitas trepadeiras, possuindo espécies típicas, tais como: seringueira, castanheira, mogno,guaranazeiro, etc.
c) A Amazônia é rica em papagaios, contando com onze espécies, sendo às vezes referida como " terra dos papagaios ".
d) A pororoca é uma onda de maré que ocorre na foz do rio Amazonas. Como a água do rio é mais leve, penetra pelo mar, atrasando a onda de maré. Esta, com a impetuosidade aumentada pelos ventos alíseos, ergue-se em ondas que atingem até 40m de altura e avançam rio a dentro, fazendo grande ruído.

139- AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO

São as seguintes:
a) A estátua de Zeus, na Grécia.
b) O templo de Artemis, na Turquia.
c) Os jardins suspensos da Babilônia, no Iraque.
d) A pirâmide de Gizé, no Egito
e) O mausoléu de Alicarnasso, na Turquia.
f) O farol de Alexandria, no Egito.
g) O colosso de Rodes, na Grécia.
A única que permanece até hoje, é a pirâmide de Gizé.
Estão sendo votadas as sete maravilhas do mundo moderno; e a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, está entre as candidatas.

140- AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO MODERNO

Em meados de 2007 foi divulgado o resultado da pesquisa, feita em nível mundial, para escolha das sete maravilhas do mundo moderno, que foi o seguinte:
1. Grande Muralha - China
2. Petra - Jordânia
3. Cristo Redentor - Brasil
4. Chichén Itzá - México
5. Machu Pichu - Peru
6. Coliseu - Itália
7. Taj Mahal - Índia.


141- CONHECENDO A VEGETAÇÃO BRASILEIRA

A vegetação natural do Brasil se distribui, primeiramente, em função do regime de chuvas; e, em segundo lugar, em função da natureza dos solos. Assim, distinguem-se:
a) Zona da floresta amazônica, abrangendo 40% do território nacional. É uma floresta
exuberante, composta por vários andares de árvores latifoliadas, isto é, de folhas largas, entremeadas de trepadeiras, epífitas e parasitas.Dentre as inúmeras espécies de árvores, destacam-se: castanheira-do-Pará, mogno, caucho, seringueira, etc.
b) Zona das caatingas do Nordeste, composta de plantas xerófitas como Cactáceas
e Bromeliáceas; e árvores caducifólias, isto é, que deixam cair as folhas na estação seca, co-
mo a barriguda.
c) Zona das matas costeiras, onde ocorre vegetação higrófita ( de ambiente úmido),
que inclui a Mata Atlântica. Entre outras plantas, destacam-se: jequitibá, ipê, cacaueiro, coqueiro-da-Bahia, etc.
d) Zona das florestas temperadas, abrangendo a parte sul do país, onde se encontram: pinheiro-do-Paraná, imbuia, cedro, erva-mate, etc.
e) Zona dos campos, que ocorre no Brasil Central, onde se encontram: campos cerrados e campos limpos. Os campos cerrados caracterizam-se pela presença de árvores e arbustos tortuosos e de casca grossa, disseminados em meio a uma cobertura de gramíneas, representada principalmente pela barba-de-bode. Entre as árvores e arbustos destacam-se: pau-santo, barbatimão, faveiro,etc. Os campos limpos caracterizam-se pela presença de poucos arbustos e da palmeirinha indaiá, em meio à cobertura de barba-de-bode.
f) Zona das formações litorâneas, que compreende o " jundu " ou " nhundu " e os manguezais.

142- CONHECENDO AS PLANTAS TREPADEIRAS

Dá-se o nome de trepadeiras às plantas que crescem apoiando-se em um suporte qualquer, inclusive outras plantas.
Nas florestas tropicais são freqüentes as lianas ou cipós, que pendem das árvores ou nelas se enroscam, tais como: cipó-caboclo, cipó-cabeludo, cipó-chumbo, etc. Este último ocorre também como parasita de plantas cultivadas.
Certas trepadeiras se utilizam de gavinhas, como: ervilha, chuchuzeiro, maracujá, etc. Outras trepadeiras enrolam o seu caule em torno do suporte, subindo mais a cada volta que executam ( caule volúvel ), como: feijoeiro, glicínia, soja perene, etc.
Algumas trepadeiras sobem com o auxílio de espinhos que se prendem em tudo que possa servir de suporte, como a roseira e a primavera. Outras, ainda, utilizam-se de pequenas raízes, que crescem de espaço em espaço, ao longo de seus caules, como a hera, o que lhes permite subir em muros.

143- CONHECENDO OS ANIMAIS PEÇONHENTOS E VENENOSOS

Dá-se o nome de veneno a toda substância de qualquer natureza ( animal, vegetal ou mineral ) capaz de causar transtornos, comprometendo as funções vitais do organismo. Sendo a substância de natureza animal, é referida como "peçonha".
O adjetivo peçonhento, porém, é restrito aos animais que secretam substâncias tóxicas com a finalidade de utilizá-las como arma de ataque ou defesa e que possuem a aparelhagem necessária, especializada, para efetuar a inoculação.
Como venenosos são alistados somente somente os animais que dispõem de secreções tóxicas, mas lhes faltam órgãos especializados para a sua inoculação
Peçonhentos são, portanto, as aranhas, as lacraias, os escorpiões e as cobras providas de aparelho inoculador de peçonha (cascavel, jararaca, urutu, naja, coral venenosa). Como animais venenosos são alistados os sapos, alguns peixes e as cobras que, embora secretem peçonha, não podem utilizá-la por falta de aparelho inoculador ( jibóia, píton ).

144- CONHECENDO OS COMETAS

Dá-se o nome de cometas aos pequenos corpos celestes nebulosos que se movimentam ao redor do Sol em órbitas geralmente elípticas, de grande excentricidade. Os cometas visíveis a olho nu são muito raros.
Os cometas se distinguem dos demais astros do sistema solar pelo seu aspecto nebuloso. Apresentam-se geralmente com uma cabeça, constituída por um pequeno núcleo brilhante, cercado por uma cabeleira ou coma, também brilhante; e um prolongamento ou cauda, também brilhante. Alguns se apresentam sem cauda, outros com várias caudas, como o cometa de Cheseseaux, que tem seis.
Os cometas têm quase sempre uma forma encurvada, com a cauda estendida em oposição ao Sol. As órbitas que descrevem são geralmente elípticas, mas também podem ser parabólicas ou hiperbólicas.
Conhecem-se atualmente mais de 500 cometas, dos quais 215 têm órbitas elípticas. O período de retorno é muito variável,sendo que o cometa de Halley, o mais famoso, reaparece a cada 76 anos.

145- CONHECENDO AS PLANTAS SEM FLORES

As plantas podem ser divididas em dois grandes grupos: a) Criptógamas, plantas que não produzem folhas e, portanto, nem sementes, reproduzindo-se por outros processos. São consideradas plantas inferiores; b) Fanerógamas, plantas superiores que produzem flores e, portanto, se reproduzem por sementes.
As Criptógamas compreendem: a) Talófitas - vegetais sem flores, sem caule e sem folhas, cujo aparelho vegetativo se restringe a um "talo" (formado por células aproximadamente homogeneas ), como acontece com bactérias, algas, fungos e líqüens; b) Briófitas - vegetais avasculares, isto é, sem xilema e floema, compreendendo musgos e hepáticas; c) Pteridófitas - vegetais sm flores, mas com xilema e floema, possuindo raízes, caule e folhas. Exemplos: selaginela, salvínia, cavalinha, avenca, samambaia, etc.

146- CONHECENDO AS AVES AQUÁTICAS E QUE NÃO VOAM

A maioria das aves é terrestre e apta para o vôo. Porém, existem muitas aves adaptadas para a vida aquática, principalmente as chamadas Palmípedes, isto é, que têm os dedos das patas unidos por uma membrana natatória, tais como: pato, marreco, ganso, cisne, albatroz, gaivota, pelicano,etc. Existem ainda outras aves que, sem serem exclusivamente aquáticas freqüentam os pântanos, beiras de rios e lagoas, ou praias. As mais conhecidas são as chamadas "aves ribeirinhas", tais como: saracura, garça, cegonha, jaburu,etc.
Existem também várias aves que não voam. O grupo mais importante é constituído pelas Ratitas - grandes aves corredoras, tais como: avestruz, ema, seriema, casuar da Austrália, kiwi da Nova Zelândia.Outro grupo é constituído por: perdiz, inambu, jaó, macuco,etc., encontrados no Brasil.Há ainda outro grupo, representado pelos pingüins, nos quais as asas se transformaram em aletas adaptadas á vida aquática.
Finalmente, existem ainda aves com pouca aptidão para o vôo, tais como:galinha, peru, pavão, faisão,etc.

147- CONHECENDO OS MAIORES RIOS DO MUNDO

Os maiores rios do mundo, em extensão, são os seguintes:

Rio Extensão (km)
Nilo 6.696
Amazonas 6.571
Mississipi-Missouri 6.418
Obi 5.150
Yangtsé 4.989
Amur 4.670
Congo 4.667
Lena 4.603
Yenissei 4.506
Mekong 4.500
O rio Amazonas, segundo em extensão, é o mais volumoso, possuindo também a maior bacia hidrográfica.

148- CONHECENDO AS ONOMATOPÉIAS

Dá-se o nome de onomatopéia à palavra que imita vozes de animais ou sons de objetos ou coisas. Na nossa língua existem numerosas palavras que mostram essa tendência imitativa, dentre as quais podem ser citadas:
Arrulhar - pombo, rolinha
Badalar, bimbalhar - sino
Ribombar - trovão
Rugir - leão
Cacarejar - galinha
Cocoricar - galo
Farfalhar - folhas das árvores
Gorgear - pássaros
Zumbir - abelha
Grasnar - pato
Grugulejar - peru
Grunhir - porco
Latir, uivar - cão
Miar, rosnar - gato
Palrar - papagaio
Relinchar - cavalo
Rufar - tambor
Coaxar - rã
Tilintar - moedas
Tique-taque - relógio
Trilar - apito
Guinchar - macaco
Zurrar - burro

149- CONHECENDO AS AVES DE RAPINA

As aves de rapina são carnívoras, estando adaptadas para a atividade predatória, possuindo grande capacidade de vôo. Todas têm bico curvo para rasgar a carne das vítimas; e as que capturam presas vivas possuem garras aduncas, tais como: gavião, águia, condor,etc. O abutre e o urubu, que se alimentam de carniça, têm pés mais fracos, um vez que não precisam agarrar a presa. A coruja é uma ave de rapina noturna.
As aves de rapina caçam mediante vôo de mergulho, apanhando pequenos animais como: ratos, coelhos, pássaros, insetos, etc. Algumas se alimentam de peixes, tais como: gaivota, martim-pescador, atobá, etc. O serpentário, como o nome indica, é uma ave de rapina que se especializou em caçar serpentes; por isso suas longas pernas são protegidas por verdadeiras couraças. O minhoto, que gosta de vespas, tem uma armadura facial feita de pequenas penas escamosas e duras. O gavião-caramujeiro, que se alimenta de caramujos, tem um enorme gancho no maxilar superior.
Algumas aves mostram tendência para a pirataria. As fragatas, por exemplo, perseguem os atobás quando êles voltam da pesca no mar, obrigando-os a vomitar os peixes que engoliram. Do mesmo modo, as gaivotas-rapineiras assaltam outras gaivotas e os trinta-réis.
Existem ainda outras aves que são onívoras, isto é, comem de quase tudo. Os corvos e os gaios, por exemplo, devoram filhotes de aves ou de ratos, insetos, frutos ou carniça.

150- CONHECENDO OS LÍQÜENS

Os líqüens constituem um importante grupo de plantas pioneiras, mais rústicas do que as outras. Alguns deles formam crostas coloridas na face das rochas, outros formam moitas no solo, ao passo que outros ainda, recobrem a casca das árvores. No alto das montanhas ou nos confins do Ártico, onde as outras plantas mal conseguem medrar, devido ao frio intenso, os líqüens representam a principal de vida vegetal. Na Antártida, eles são os vegetais predominantes.
Quando uma delgada lâmina de líquen é examinada sob o microscópio, verifica-se que ele é constituído de duas plantas distintas: uma alga azul-esverdeada ou verde e um fungo, cujas hifas, em filamentos, se entretecem formando uma película que envolve a alga. Esta, dotada de clorofila, realiza a fotossíntese e fornece nutrientes orgânicos ao parceiro, ao passo que o fungo proporciona à alga, água e nutrientes minerais, bem como proteção. trata-se de um caso típico de simbiose, no qual dois organismos totalmente diferentes vivem em sociedade, beneficiando-se mutuamente.

151- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS -1

a) Lago Titicaca - situado nos Andes Centrais, entre o Peru e a Bolívia, a uma altitude de 3.850 m acima do nível do mar, ocupando uma área de aproximadamente 8.000km, com
uma profundidade máxima de 280m.
b) Delta do Nilo. O rio mais extenso do mundo, situado no nordeste da África, desemboca no mar Mediterrâneo por meio de um vasto delta triangular,formado à jusante da cidade do Cairo, no qual se destacam dois braços: o de Rosetta e o de Damietta, intercalados por vários canais naturais. É uma grande planície aluvial, rodeada por desertos,mas que se destaca pela fertilidade de suas terras, justificando a célebre frase: " O Egito é uma dádiva do Nilo ".
c) Ilha do Bananal - maior ilha fluvial do Brasil, situada na parte ocidental do Estado do Tocantins e formada por uma bifurcação do rio Araguaia, que emite pela margem direita o chamado " braço menor ". A ilha estende-se por 320km no sentido norte-sul e mede, em seu trecho mais largo, cerca de 70km.
d) "Grad canyon do Colorado". Nome dado ao grandioso vale em garganta escavado pelo rio Colorado na região nordeste do Estado do Arizona ( Estados Unidos ), cuja beleza não pode ser descrita. O rio foi aprofundando o seu leito, através dos tempos, produzindo escarpas que chegam a ter 1.500 - 1.800m de altura, no fundo das quais corre como uma fita prateada e tortuosa.


152- CURIOSDADES GEOGRÁFICAS - 2

a) O " Grand Canyon " é a maior garganta ou desfiladeiro do mundo, escavado pelo Rio Colorado no Arizona ( Estados Unidos ). Tem 300km de extensão, 7 a 25km de largura e profundidade variando de 1,300 a 1.800m.
b) " Grandes Lagos " é o nome dado ao conjunto de 5 lagos que se encontram na região limítrofe entre os Estados Unidos e o Canadá, a saber: Superior, Michigan, Hudson, Erie e Ontário.
c) Próximo a Ponta Grossa (PR) , a ação erosiva da água e do vento originou um extraordinário conjunto de formas extravagantes de relevo, conhecido como " Vila Velha ", local de atração turística.
d) A " Caverna dos Mamutes ", nos Estados Unidos, é uma enorme caverna esculpida em rochas calcárias. Não se sabe exatamente as suas dimensões, embora já tenha sido explorada em mais de 200km. Nela se encontram cinco níveis, três rios subterrâneos, oito cascatas e dois lagos subterrâneos.

153- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 3

a) A região mais seca do mundo é o deserto de Atacama, no norte do Chile onde praticamente não chove: a precipitação média é inferior a 1mm/ano. Isso permite a existência, nessa região, de depósitos de salitre ou nitrato de sódio, um sal muito solúvel em água e que é explorado comercialmente para uso na agricultura como adubo nitrogenado.
b) Por outro lado, a localidade mais úmida é Cherrapunji, na Índia, onde a precipitação média gira em torno de 12.000mm/ano.
c) O lago com maior altitude é o Titicaca, situado nos Andes, entre o Peru e a Bolívia, com 3.812m de altitude.
d) A massa de água com menor altitude é o Mar Morto, na Ásia Meridional, situado a 394m abaixo do nível dos oceanos.

154- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 4

a) Os continentes são grandes extensões de terra emersas, circundadas pelas águas dos oceanos e que ocupam aproximadmente 30% da superfície da Terra. Tradicionalmente, admitem-se cinco continentes: Europa, Ásia, África, América do Norte e América do Sul. Alguns autores acrescentam mais um, a Austrália; porém há divergência: alguns autores consideram a Austrália como o menor continente, outros a consideram como a maior ilha.
b) Os oceanos são grandes extensões de água salgada, que circundam os continentes, ocupando cerca de 70% da superfície da Terra. Três oceanos são admitidos sem discussão: Atlântico, Pacífico e Índico. Porém, os autores divergem quanto aos outros dois: o Ártico e o Antártico. O Ártico é considerado por alguns autores como um mar continental. Quanto ao Antártico, alguns nem o admitem, pois seria apenas um prolongamento, em direção ao Sul, do Atlântico, do Pacífico e do Índico; e quando aceito, discutem a sua delimitação.
c) Um canal artificial, construído na parte mais estreita do Panamá ( um país da América Central ), liga os oceanos Atlântico e Pacífico. Esse canal foi construído pelos Estados Unidos, após um contrato firmado com o Panamá, em 1.903. A grande importância dessa obra é óbvia: os Estados Unidos foi o país mais beneficiado, pela enorme facilidade de comunicação entre as duas costas: os navios que antes demoravam cerca de um mês para fazer essa ligação, agora podem fazê-la em poucas horas.


155- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 5

A) Devido ao seu isolamento, no continente australiano desenvolveram uma flora e uma fauna muito típicas. A sua flora conta com a estranha árvore-garrafa e o eucalipto; este é uma das árvores mais altas do mundo, que foi levado para outros países, inclusive o Brasil. A sua fauna apresenta espécies peculiares, tais como: a) canguru - um marsupial que se locomove aos saltos sobre as patas traseiras e que possui uma bolsa onde carrega o filhote; b) ornitorrinco - estranho mamífero ovíparo ( que bota ovo ) e que tem bico e patas semelhantes aos do pato; c) kiwi - curiosa ave não voadora com pescoço curto e bico longo e fino.
B) Na Cordilheira do Himalaia, situada na Ásia Central, fica a montanha mais alta da Terra, chamada Everest, que atinge 8.840m de altitude no seu ponto culminante.
C) No Brasil, o ponto culminante é o Pico da Neblina, situado no Maciço das Guianas, com aproximadamente 3.000m de altitude. Em segundo lugar vem o Pico das Bandeiras, localizado na Serra do Caparaó ( Espírito Santo), com 2.890m de altitude.
D) Por outro lado, a fossa oceânica mais profunda fica no Oceano Pacífico, próximo da costa da Ásia, ou melhor, das Ilhas Marianas, co mais de 11.000m de profundidade.


156-CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 6

a) Com exceção da Cordilheira dos Andes, que fica na América do Sul, as grandes cadeias de montanhas ficam no hemisfério norte, a saber: Montanhas Rochosas, na América do Norte; Himalaia e Montes Urais, na Ásia; Alpes, na Europa; e Maciço da Etiópia, na África.
b) O Brasil é o maior país da América do Sul, cuja área é de 8.511.000 km2, ocupando o quinto lugar entre todos os países do mundo; sendo superado apenas por: Rússia, Canadá, China e Estados Unidos.
c) A Grande Muralha da China, uma das sete maravilhas do mundo moderno, é uma antiga fortificação com 2.300km de extensão, altura máxima de 15,24m, largura média de 6,09m e altura média de 6,70m. Dentre as incontáveis obras feitas pelo homem, é a única que os astronautas conseguem ver do espaço.
d) Machu Pichu, outra das sete maravilhas do mundo moderno, é o nome pelo qual são conhecidas as ruínas de uma antiga cidade construída pela civilização Inca, nos Andes ( Peru ).
e) O Taj Mahal é um suntuoso túmulo construído na Índia, com rica ornamentação de pedras preciosas incrustadas em mármore branco.

157- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 7

a) Os continentes ocupam cerca de 30% da superfície terrestre, sendo que mais de dois terços se encontram no hemisfério norte, incluindo: América do Norte, Europa, Ásia e grande parte da África.
b) As duas Américas, a Ásia e a África apresentam um afunilamento em direção ao sul.
c) A chamada Oceania nada mais é do que um aglomerado de ilhas, umas grandes, como a Austrália e a Nova Zelândia, e grande número de ilhas menores.
d) A Antártida ou Continente Antártico, situado ao redor do Pólo Sul, é inteiramente coberto por geleiras. Não possui vegetação, exceto musgos e líqüens; e no mar encontram-se quase que exclusivamente focas e baleias.


158- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 8

a) O maior lago de água doce é o Superior, localizado na fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos, com área de 82.497km quadrados; porém, o lago de maior volume é o Baikal, na Ásia Central, com 1.150.000.000 km cúbicos.
b) A China é o terceiro maior país em tamanho e o primeiro em população. Sua área é
de 9.571.300km quadrados e a população, cerca de 1.150.000.000 de habitantes ( 1.991 ).
c) O canal de Suez, construído pelos franceses entre 1.859 e 1.869, liga o mar Mediterrâneo ao mar Vermelho, através do território egípcio, no istmo que une a África à Ásia.Tem 171km de extensão, 61m de largura mínima e 13,5m de profundidade.
d) As famosas cataratas do Niágara, formadas pelo rio do mesmo nome na fronteira entre os Estados Unidos e o Canadá, são as de maior volume de água do mundo. Apresentam o formato de um semi-círculo com 1.200m de extensão, dividindo-se em duas quedas distintas: uma em território dos Estados Unidos, com altura média de 51m; outra em terras do Canadá, cuja altura é de 48m. Entre ambas fica a ilha de Goat.

159- CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 9

a) Os pontos culminantes dos vários continentes são os seguintes:

Pico Altitude ( m ) Continente

Everest 8.840 Ásia
Aconcágua 7.040 América do Sul
Mc Kinley 6.192 América do Norte
Kilimanjaro 5.895 África
Monte Branco 4.810 Europa

Observação: além do Everest, a Cordilheira do Himalaia possui mais 27 picos com altitudes maiores que 7.000m, superando o Aconcágua da Cordilheira dos Andes.
b) Considerando a Austrália como continente, a maior ilha do mundo é a Groenlândia, com 2.175.600 quilômetros quadrados.
c) A floresta amazônica é a maior floresta das regiões tropicais, ainda pouco devastada. Nela predominam árvores de ambiente (higrófilas), de folhas largas (latifoliadas ) e de folhas perenes (perenifólias). Exemplos: seringueira, mogno, sumaúma, etc.
d) A maior floresta das regiões temperadas é a taiga, já bastante devastada e que se encontra no norte da Europa e da Ásia, logo abaixo da tundra (vegetação das regiões frias). A taiga se caracteriza pela predominância de Coníferas, plantas adaptadas às condições de inverno frio e seco: as folhas são pequenas e duras (aciculifoliadas) ou caducas (caducifólias ), visando reduzir a perda de água por transpiração. São árvores típicas da taiga: pinheiro, epícea, abeto, cedro, lariço, etc.


160-CURIOSIDADES GEOGRÁFICAS - 10

a) A maior queda d' água do mundo é a catarata chamada "Véu da Noiva ", que se precipita de uma altura de 190 metros, sobre o vale do Yosemite, na Califórnia ( Estados Unidos ).
b) A ponte mais extensa é a de Casueway, sobre o lago Pontchertrain, na Lousiania (Estados Unidos ), com 38.000 metros de comprimento.
c) A pororoca é uma grande onda ruidosa de alguns metros de altura, produzida pelo encontro das correntes de maré com as correntes fluviais. O termo é de origem tupi-guarani ( poroc-poroc ) e onomatopaico, isto é, lembra o estrondo produzido pelo embate das águas. Embora o fenômeno tenha maior amplitude na foz do rio Amazonas, também ocorre nos estuários de outros rios, como no Sena (França ) e no Ganges ( Índia ).
d) O Japão, um dos países mais desenvolvidos do mundo, ocupa um conjunto de ilhas e ilhotas cuja área total é de apenas...377,815 quilômetros quadrados, mas que abriga uma população d 125 milhões de habitantes; só a capital Tóquio, possui cerca de 25 milhões de habitantes (dados de 1993).


161- CONHECENDO AS PLANTAS AQUÁTICAS

Plantas aquáticas são plantas que vivem na água, doce ou salgada, desde que ela contenha os nutrientes minerais necessários ao seu desenvolvimento.Em primeiro lugar, devem ser citadas as algas, plantas inferiores que se encontram em lagos, rios e mares, formando colônias.
Nos rios da Bacia Amazônica encontra-se a vitória-régia, com enormes folhas flutuantes. Nas planícies litorâneas inundadas, ocorrem plantas típicas, com raízes respiratórias ( pneumatóforos ), vulgarmente chamadas de " mangue "; distinguem-se: mangue-preto, mangue-vermelho, mangue-branco, etc.
Nas águas de muitos rios encontra-se o aguapé, planta flutuante que se multiplica muito rapidamente, chegando a dificultar a navegação. Nas várzeas ou banhados ocorre a tabôa, planta cujas fibras são utilizadas para empalhamento de cadeiras e para fazer cortinas e redes.
Várias plantas aquáticas são utilizadas ornamentais, em aquários e tanques, tais como: cabomba, rabo-de-raposa, alface-dágua, ninféia, vitória-régia,etc

162- CONHECENDO A CORDILHEIRA DOS ANDES

A Cordilheira dos Andes é uma grande cadeia de montanhas da América do Sul, que se estende no sentido norte-sul por 7.500km, bordejando o Oceano Pacífico, desde a Venezuela até a Terra do Fogo.
Os Andes resultaram de movimentos tectônicos geologicamente recentes, como atestam os numerosos vulcões ativos, dentre os quais se destacam: Aconcágua ( ponto culminante, com 6.959m de altitude ), Chimborazo, Cotopaxi, Tolima, etc.
Os geógrafos costumam dividir os Andes em três partes: a) Andes setentrionais, na Colômbia, Venezuela e Equador; b) Andes centrais, no Peru e Bolívia; c) Andes meridionais, no Chile, Argentina e Terra do Fogo.
Nos Andes centrais, entre Peru e Bolívia, localiza-se o Lago Titicaca, a 3.850m
de altitude.
Devido à influência de diversos fatores, como altitude, latitude, correntes marinhas e movimentos de massas de ar, ocorrem diferentes tipos de clima, desde quente e úmido até frio com geleiras nos picos; ou árido como no deserto de Atacama ( Chile ). A vegetação também é bastante diversificada, incluindo florestas, savanas, vegetação xerófita (de deserto ).
A fauna apresenta espécies típicas, tais como: condor, lhama alpaca, vicunha,etc.
Os Andes possuem grandes riquezas minerais, como por exemplo: cobre e estanho (Peru, Bolívia, Chile ) e petróleo ( Venezuela).

163- CONHECENDO AS ARANHAS

As aranhas são Artrópodes ( pés articulados ), apresentando o corpo dividido em cefalotórax e abdome, sendo conhecidas mais de 20.000 espécies. Têm um par de quelíceras, um par de pedipalpos e quatro pares de patas. O abdome possui glândulas elaboradoras do fio elástico e resistente, com o qual tecem teias que capturam pequenos animais para a sua alimentação, principalmente pequenos insetos, que matam com as quelíceras. Estas, que substituem as mandíbulas, funcionam como agulhas hipodérmicas, por terem a ponta dura e afiada, na qual desembocam as glândulas produtoras de veneno, localizadas no cefalotórax.
Muitas aranhas devoram os machos, após a fecundação. Há várias espécies cuja picada pode causar dores fortes e paralisantes nas mãos, pernas ou outras regiões do corpo humano. Entre as espécies perigosas podem ser citadas: armadeira, tarântula, caranguejeira, viúva-negra, etc. O Instituto Butantã fabrica soros específicos contra as picadas de aranhas.

164- AS PLANTAS: FÁBRICAS DE PRODUTOS QUÍMICOS

A célula vegetal, embora diminuta, é uma fábrica de produtos químicos, alguns de grande complexidade. Contém milhares de compostos e produz, incessantemente, centenas de substâncias, cujo estudo é objeto da Bioquímica, ou seja, Química das substâncias biológicas.
A matéria-prima provém de duas fontes: a) absorção de água e nutrientes minerais, extraídos do solo pelas raízes; b) assimilação do carbono do ar atmosférico, por meio da fotossíntese, realizada nas folhas providas de clorofila.
Encontram-se nas células vegetais substâncias insolúveis como a celulose; e substâncias solúveis em água, como os açúcares. Também se encontram proteínas, aminoácidos, lipídeos, enzimas, substâncias aromáticas, etc
Dentre os produtos químicos produzidos pelas plantas destacam-se:
a) Amido, fabricado por : arroz, trigo, batata, mandioca, etc.
b) Celulose, constituindo as madeiras: peroba, pinheiro, eucalipto, etc.
c) Fibras, produzidas por: algodão, linho, juta, etc.
d) Óleos, extraídos de: oliveira, soja, amendoim, etc.
e) Látex ( borracha ), extraído de: seringueira, caucho, etc.
f) Açúcar e álcool, provenientes de: cana-de-açúcar, beterraba, videira ( vinho ), cevada ( cerveja, uísque ), etc.
As plantas fabricam ainda: proteínas, aminoácidos, vitaminas, enzimas, substâncias aromáticas, pigmentos, etc.

165- CONHECENDO OS MARES

Denomina-se mar uma parcela dos oceanos, que destes difere pela menor extensão e características particulares de suas águas.
Os mares são classificados em três tipos: a) costeiros; b) continentais; c) interiores.
Os mares costeiros ou abertos comunicam-se com os oceanos por amplas aberturas, como por exemplo: mar das Antilhas, mar da Mancha, mar Amarelo, mar do Norte, etc.
Os mares continentais ou mediterrâneos comunicam-se com os oceanos por passagens estreitas, tais como: mar Mediterrâneo, mar Báltico, mar Negro, mar Vermelho, etc.
Os mares interiores ou fechados não dispõem de nenhuma comunicação com os oceanos, à semelhança dos lagos; porém se diferenciam destes pelo fato de suas águas serem salgadas. Exemplo: mar Cáspio, mar de Aral, mar Morto, etc. Às vezes, encontram-se abaixo do nível dos oceanos, como o Cáspio ( -26m ) e o Morto ( 394m ). Quando evaporam mais água do que recebem, tendem a desaparecer.
Existem ainda os mares gelados, que se encontram nas regiões polares, como o mar Ártico.

166- CONHECENDO AS PLANTAS XERÓFITAS

Dá-se o nome de xerófitas às plantas e associações vegetais que vivem em ambientes secos, isto é, adaptadas morfologica e/ou fisiologicamente à vida em ambientes com escassez de água ( áridos ou semi-áridos ). Tão importantes quanto as adaptações morfológicas, nas quais predominam o reforço das paredes celulares e a presença de cera, são os mecanismos fisiológicos, ressaltando entre eles a rapidez de abertura e fechamento dos estômatos e a perda das folhas na estação seca.
Como exemplos de associações vegetais xerófitas podem ser citadas: vegetação de deserto, estepe russa, caatinga do nordeste brasileiro, etc.
As plantas xerófitas são principalmente: a) plantas suculentas, tais como: cactos, mandacaru, caroá,etc.; b) plantas caducifólias, como a catingueira e a barriguda; c) plantas praticamente sem folhas, como as Cactáceas; d) plantas com sistema radicular muito profundo, como a algarobeira.

167- CONHECENDO OS MAMÍFEROS COM CASCO

Os mamíferos com os dedos protegidos por casco são chamados Ungulados, os quais se dividem em duas ordens que se distinguem pelo número de dedos de seus membros. A menos numerosa é a ordem dos Perissodáctilos, com 16 espécies, pertencentes a três famílias de Ungulados que possuem número ímpar de dedos: cavalos, rinocerontes e antas. A maior ordem é a dos Artiodáctilos,com cerca de 200 espécies distribuídas em 10 famílias, abrangendo:veados,bois,porcos,camelos,girafas,antílopes,etc. São todos herbívoros e, com exceção dos porcos, pecaris e hipopótamos, são também ruminantes.

168- CONHECENDO O UNIVERSO

Dá-se o nome de Universo ao conjunto matéria e energia existentes no espaço. Os astrônomos admitem que, inicialmente, toda a matéria do Universo estava concentrada em uma espécie de núcleo gigante, que sofreu uma grande explosão - " big bang ", provocando a expansão do Universo.
No Universo, tudo é fantástico. Existem milhões de galáxias - aglomerados estelares cada um formado por bilhões de estrelas unidas gravitacionalmente e geralmente associadas a grandes quantidades de poeira e gases! As distâncias são medidas em anos-luz, isto é, a distância percorrida pela luz, com a velocidade de 300.000km/s, durante 1 ano!
A Via-Láctea é a galáxia na qual está situado o nosso sistema solar. O seu aspecto externo é o de uma nebulosa espiralada.
O sistema solar compõe-se de 1 estrela média - o Sol, 8 planetas, 32 satélites, cerca de 1.500 asteróides e mais de 500 cometas, além de aglomerados de poeiras e gases.
Aproximadamente 99% de toda a matéria do sistema solar está concentrada no Sol; do 1% restante, a Terra e a Lua, em conjunto, constituem menos de 1%.
Atualmente, são reconhecidos 8 planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Recentemente, os astrônomos excluíram Plutão, agora considerado asteróide, juntamente com Ceres, Palas, Juno, Vesta, etc.

169- CURIOSIDADES DO UNIVERSO - 1

a) A nossa galáxia, a Via Láctea, abrange o sistema solar ( com o Sol, os planetas e satélites ), mais de 500 cometas e cerca de 100 bilhões de estrelas.
b) Rodeado por três anéis, Saturno é o mais deslumbrante dos astros do sistema solar. Possui 9 satélites, sendo Titan o maior deles.
c) As estrelas cadentes não são estrelas, e sim aerólitos, isto é, fragmentos de meteoritos que, ao penetrarem na atmosfera terrestre, se tornam incandescentes.
d) As auroras polares são um dos fenômenos mais belos oferecidos pela natureza. Ocorrem nas regiões vizinhas aos pólos terrestres, freqüentemente nas latitudes próximas a 60 graus e a uma altitude em torno de 100km. Sua luminosidade é baixa, semelhante à da Lua cheia.Recebem os nomes de: Aurora Boreal, quando ocorre no pólo sul; e Aurora Austral, quando ocorre no pólo norte.


170- CURIOSIDADES DO UNIVERSO - 2

a) Arco-íris é o fenômeno que ocorre quando chove e, ao mesmo tempo, há sol ; forma-se uma curva espectral que se apresenta sob a forma de arcos concêntricos, cada um com uma das cores do espectro solar, resultantes da refração e da reflexão dos raios solares
pelas gotas de chuva. Vê-se, então, diversos arcos concêntricos nas cores: vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta.
b) As fases da Lua - lua cheia, quarto minguante, lua nova e quarto crescente - resultam do movimento da Lua em relação ao Sol. Quando a Lua está exatamente entre a Terra e o Sol, o lado voltado para a Terra não é iluminado, por isso não se vê a Lua. À medida que o satélite se desloca, começa a ser visto ( quarto crescente ), até ser visto totalmente ( lua cheia). Daí por diante a parte visível vai diminuindo (quarto minguante) até desaparecer novamente.
c) O eclipse da Lua é a ocultação total ou parcial do satélite, que ocorre quando a Terra se encontra entre o Sol e a Lua, de modo que o satélite penetra no cone de sombra da Terra e deixa de ser visto.
d) O eclipse do Sol ocorre quando a Lua se interpõe entre o Sol e a Terra. Como a distância Terra-Lua é aproximadamente igual à altura do cone de sombra da Lua, o eclipse do Sol pode ser: total, parcial ou anular.

171- CURIOSIDADES DO UNIVERSO - 3

a) As estrelas cadentes não são estrelas, e sim meteoritos que se tornam incandescentes ao penetrarem na atmosfera terrestre.
b) Dos bilhões de estrelas existentes no universo, cerca de 700 são visíveis a olho nu. Porém, o brilho aparente não é a mesma coisa que o brilho verdadeiro. Por exemplo: a estrela Deneb, da constelação do Cisne, é a mais brilhante de todas, porém ocupa apenas a 19ª posição pelo brilho aparente, porque está muito distante da Terra.
c) Saturno é um enorme planeta gasoso, com 95 vezes a massa da Terra, mas apenas sete décimos da densidade da água. Além de possuir 10 satélites, Saturno apresenta a peculiaridade de possuir um anel, completamente isolado do planeta e subdividido em três zonas de brilhos diferentes. Acredita-se que esse anel seja um satélite ainda em formação.
d) Os chamados asteróides são pequenos planetas cujos diâmetros variam de 770
a menos de 50km. O número de asteróides conhecidos ultrapassa 1.500, sendo que a maioria tem diâmetro inferior a 50km. Entre os maiores estão: Ceres, Palas, Vesta, Juno e Plutão, este último recentemente excluído da lista dos planetas.


172- CURIOSIDADES DO UNIVERSO - 4

a) O maior telescópio do mundo é o do Monte Palomar, na Califórnia ( U.S.A. ), dotado de um espelho de 5 metros, montado em um tubo aberto com 16 metros de comprimento e 125 toneladas de peso, assentado em uma base de 300 toneladas. O tubo é giratório.
b) Os meteoritos ou aerólitos são fragmentos sólidos provenientes do espaço exterior. Atraídos pela gravidade terrestre, penetram na atmosfera tornando-se incandescentes pelo atrito com o ar, sendo vulgarmente chamados " estrelas cadentes ". Os menores transformam-se em poeira, porém os maiores atingem a superfície terrestre, como o meteorito de Bendengó, com cêrca de 5.300kg, que caiu na Bahia em 1.784 e se acha exposto no Museu Nacional do Rio de Janeiro.
c) O planeta vizinho Marte, que alguns cientistas supõem abrigar alguma forma de vida, tem um diâmetro igual à metade do da Terra. Sua massa é um décimo, sua gravidade dois quintos e sua densidade três quartos das do nosso planeta. Sua atmosfera contém pelo menos duas vezes mais dióxido de carbono, mas nenhum oxigênio livre foi detectado. Nuvens flutuam sobre a superfície e ventos varrem o solo árido. A temperatura varia de máximos de 70-80 graus centígrados até mínimos de 150 graus negativos. Certa quantidade de água se acumula como calotas de gelo em ambos os pólos.

173- CONHECENDO OS CEREAIS

Cereal é o têrmo usado para designar as plantas da família das Gramíneas, cujas sementes são amplamente utilizadas na alimentação humana e dos animais domésticos, na forma de grãos ou farinha, ricos em carboidratos. O nome provém de Ceres, deusa da agricultura na antiga mitologia romana.
Os cereais são geralmente plantas herbáceas, anuais e graníferas, largamente cultivadas, tanto nas regiões temperadas ( trigo, aveia, centeio, cevada,etc.), como nas regiões tropicais ( arroz, milho, sorgo, etc.).
Os cereais constituem a base da alimentação de vários povos ( principalmente asiáticos), de muitas indústrias e também da alimentação dos animais domésticos.

174- CONHECENDO O CICLO HIDROLÓGICO

A transferência de água da terra ( solo, organismos vivos, rios, lagos e oceanos ) para a atmosfera ( nuvens ) e desta novamente para a terra é chamada de ciclo hidrológico ( de hidros = água, logia = estudo ). A importância deste ciclo é devida a dois motivos: a) o grande volume de água existente na Terra; b) a quantidade de água existente nos organismos vivos. Como se sabe, mais de 3/4 partes da superfície da Terra são cobertas por água; sendo que o principal constituinte dos organismos vegetais e animais ( inclusive o homem ) é a água, em proporções que atingem 70-75%.
O ciclo hidrológico compreende os fenômenos de evaporação da água do solo e das superfícies líquidas e transpiração dos seres vivos, que resultam na formação de nuvens. O vapor d'água contido nas nuvens sofre condensação e ocorre a precipitação, seja na forma líquida ( chuva, orvalho, nevoeiro ), seja na forma sólida ( neve, granizo ). A seguir, repete-
se a mesma seqüência de fenômenos.
O ciclo hidrológico costuma ser dividido em dois: a) grande ciclo, representado pelas enormes massas de vapor dos oceanos que, graças aos ventos alíseos, são transportadas para os continentes; b) pequenos ciclos, determinados pela evaporação da água do solo, dos
rios, lagos e pântanos, pela transpiração dos seres vivos, pela formação de nuvens e pelo retorno da água à terra, através de uma das formas de precipitação.

175- CONHECENDO AS PLANTAS FORRAGEIRAS

São assim chamadas as plantas que servem para a alimentação dos animais herbívoros (boi, vaca, cabra, cavalo, etc.).
Podem ser utilzadas de várias maneiras: a) pastejo direto - capins das pastagens, naturais ou cultivadas; b) fornecida pelo homem na forma natural - forragem verde, cortada de capineiras; c) forragem conservada em silos - silagem ( milho ); d) forragem sêca - feno ( alfafa ) ou palha ( milho ).
Tais alimentos, ricos em fibras e pobres em nutrientes digestíveis, são chamados volumosos, em oposição aos alimentos concentrados ( grãos, farelos, ração, etc.
As plantas forrageiras utilizadas em pastagens e capineiras são geralmente gramínea - capins gordura, jaraguá, colonião, etc. As plantas forrageiras utilizadas para corte verde podem ser gramíneas ( capim-elefante, cana-de-açúcar,etc.) ou leguminosas ( soja perene, guandu,etc. ). O milho é utilizado como silagem e na forma de palha. A alfafa é utilizada para o preparo de feno ( forragem seca ).

176- CONHECENDO OS INSETOS NOCIVOS E ÚTEIS

Os insetos constituem a classe mais numerosa do reino animal, sendo conhecidas cerca de 1 milhão de espécies!
O conjunto das outras espécies animais e vegetais, reunidas, não atinge esse número!
Os insetos podem ser nocivos ou prejudiciais ao homem de várias maneiras: a) por sua picada venenosa ( vespa, marimbondo, etc.; b) como vetores de doenças ( paludismo, peste bubônica, tifo, etc.; c) como pragas de plantas cultivadas (saúva, gafanhoto, brocas, lagartas,etc. ); d) como parasitas de animais domésticos ( berne,barbeiro ou chupança, piolho, etc.; e) como parasitas do próprio homem ( bicho-do-pé, piolho, pulga, etc.).
Por outro lado, muitos insetos devem ser considerados úteis ou benéficos, por várias razões: a) polinização das flores ( borboleta, libélula, abelha, etc. ); b) destruição de outros insetos ( joaninha, louva-a-Deus, besouros caçadores, etc.); c) produção de seda ( bicho-da-seda );d) produção de mel e cera ( abelha ).


177- CONHECENDO OS ANIMAIS COM CARAPAÇA

Dá-se o nome de carapaça ao revestimento córneo, quitinoso ou calcário que protege todo o corpo de diversos animais, ou parte dêle. Geralmente dura e sólida, a carapaça pode ser: a) rígida, como nos Quelônios ( tartaruga, cágado, jabuti, etc. ); b) móvel, constituída por peças articuladas, como no tatu e no pangolim. No caso dos Moluscos ( caracol, caramujo, ostra, etc. ), a carapaça calcária é chamada de concha.
Os Crustáceos ( camarão, caranguejo, siri, lagosta,etc. ) possuem uma carapaça quitinosa, incrustada de sais calcários.
Cabe mencionar também os Paquidermes ou animais de pele grossa, como por exemplo: elefante, hipopótamo, rinoceronte.

178- CONHECENDO A POLUIÇÃO

O termo poluição designa o conjunto de compostos tóxicos introduzidos no ambiente, que alteram as condições ecológicas naturais, de modo a prejudicar os recursos biológicos, ou seja, a flora, a fauna e o próprio homem. Os agentes que causam essas alterações são chamados poluentes. Estes são, em geral, substâncias sólidas, líquidas ou gasosa que poluem o ar, a água e o solo.
Os poluentes podem ser naturais, como as erupções vulcânicas, que lançam cinzas e gases tóxicos, ou decorrentes da atividade humana, como o aumento do teor de gás carbônico na atmosfera, em conseqüência do uso de combustíveis.
O homem sempre poluiu a natureza, o problema é que, nos últimos anos, a intensida-
de de poluição vem aumentando progressivamente.
As principais fontes de poluição são: a) produção e utilização de combustíveis, incluindo vazamentos e lançamentos na atmosfera, de diversos compostos tais como: gás carbônico, óxidos de enxofre, óxidos de nitrogênio e hidrocarbonetos; b) atividades da indústria química, fonte de numerosos poluentes, alguns de difícil decomposição ( plásticos, pneus velhos, pilhas usadas, etc.); c) atividades agrícolas, pelo uso de fertilizantes, principalmente nitratos; e uso de agrotóxicos ou defensivos agrícolas ( inseticidas, fungicidas, herbicidas, etc. ).
Os poluentes atmosféricos podem passar para a água e o solo, através da chamada chuva ácida. Os óxidos de enxofre, em contato com a água da chuva, são convertidos em ácido sulfúrico; do mesmo modo, os óxidos de nitrogênio são convertidos em ácido nítrico.

179- CONHECENDO AS PLANTAS QUE PRODUZEM FLORES

Mais da metade das espécies de plantas se incluem entre as que produzem flores, chamadas Fanerógamas, em oposição às Criptógamas, cujos órgãos reprodutores são menos aparentes. As Fanerógamas são as plantas mais evoluídas, e também as mais disseminadas, devido ao fato de possuírem flores, órgãos reprodutores muito eficientes.
As flores geralmente contêm pólen e óvulos, que devem ser postos em contato (polinização ) para que haja fecundação. A polinização pode ser feita pelo vento e também por insetos, que são atraídos pelo néctar que as flores fabricam; também pode ocorrer autofecundação. Após a fecundação, o ovário se desenvolve e forma o fruto, que contém as
sementes, responsáveis pela propagação da espécie.
As plantas que produzem flores são bastante diversificadas, compreendendo: a) ervas ( milho, feijoeiro, girassol, etc. ); b) arbustos ( cafeeiro, amoreira, limoeiro, etc. ); c) árvores ( laranjeira, ipê,jequitibá, etc. ); d) palmeiras ( babaçu, coqueiro, tamareira, etc. ).

180- CONHECENDO OS ANIMAIS QUE CONSTROEM TOCAS

Dá-se o nome de toca ao abrigo subterrâneo construído por diversos animais, principalmente mamíferos. As tocas podem ser: a) simples, representadas por um buraco escavado no solo como fazem certos besouros, coelho, rato, tatu, etc.; b) complexas, formadas por diversas câmaras ligadas por galerias subterrâneas, como fazem a saúva, castor, toupeira, texugo,etc.
As doninhas podem viver em qualquer buraco, inclusive ocupar tocas de ratos.
Os formigueiros ou sauveiros constam de uma entrada ou "olheiro " e várias câmaras ou "panelas", ligadas por vários canais; as câmaras recentes são as mais profundas, situadas a alguns metros abaixo da superfície do solo.
As toupeiras constroem uma câmara ou ninho, que forram com capim ou folhas secas; a partir do ninho cavam um túnel, que se afasta e depois volta à superfície, funcionando como uma saída, em caso de perigo. Várias galerias partem do ninho para os lados, em diversas direções; são caminhos que a toupeira escava em busca de minhocas, seu alimento principal.
O castor é um hábil construtor de tocas, famoso por suas represas e "cidades". Vivendo nas margens de rios, fazem barragens com galhos de árvores e troncos de arbustos, onde constroem câmaras com respiradouros. entradas e saídas.


181- CONHECENDO AS RELAÇÕES SOLO/ÁGUA/PLANTA

Dá-se o nome de precipitação à água de chuva que atinge o solo, a qual se divide em
duas porções que tomam caminhos diferentes: a) infiltração ou penetração no solo; b) deflúvio ou escoamento superficial da água em excesso.
A água que penetra no solo é em parte armazenada sob a forma de películas ao redor
das partículas de solo, sendo que a água em excesso sofre drenagem ou penetração m profundidade. A água armazenada no solo pode ser absorvida pelas raízes das plantas, juntamente com os sas minerais nela dissolvidos.
A água que não penetrou no solo se escoa pela superfície do solo formando as enxurradas, que buscam os rios ou lagos da região. No seu trajeto, a água de escoamento pode provocar erosão, que é o processo de desagregação do solo e transporte de suas partículas. A desagregação começa com o impacto direto das gotas de chuva sobre o solo, daí a importância de uma cobertura vegetal protetora, que pode ser natural ou plantada pelo homem.
Os solos chamados Latossolos possuem relevo suave e horizonte B ( camada inferior ) tão porosa e permeável como o horizonte A ( camada superior ); por isso, favorecem a infiltração e são menos susceptíveis à erosão. Por outro lado, os Solos Podzólicos possuem relevo ondulado e horizonte B mais compacto e menos permeável que o horizonte A; por isso, são mais susceptíveis à erosão.

182- CONHECENDO OS ANIMAIS QUE CONSTROEM NINHOS

Ao contrário da toca, que é escavada, o ninho é construído. No caso das aves, a nidificação ou construção do ninho é feita para por os ovos, chocá-los e criar os filhotes.
Os ninhos podem ser construídos em ocos de árvores, na bifurcação de um galho, ou
suspensos; ou mesmo no chão.
Os pássaros ( bem-te-vi, sabiá, tico-tico, etc. ) geralmente fazem seus ninhos com capins, gravetos, palhas, penas, fios de teia-de-aranha,etc. O joão-de-barro, como o próprio nome indica, faz seu ninho com argamassa de areia e lama, assim como o flamingo. Outros constroem ninhos suspensos dos galhos laterais das árvores, como o japu e o papa-figo.
Os ninhos variam de tamanho: o do beija-flor tem cerca de 2cm de diâmetro, enquanto o da águia tem mais de 2m, tanto de diâmetro como de profundidade.
Algumas aves fazem o ninho no chão, como a codorna, a perdiz e o pica-pau; outras põem os ovos em simples depressões do terreno, como a ema o avestruz. Por outro lado, a águia e o condor fazem seus ninhos nas montanhas.
Existem aves parasitas, isto é, que põem seus ovos em ninhos de outras aves, como fazem o cuco e o chupim.
Além das aves, vários animais também fazem ninhos, mas o destaque cabe aos insetos sociais, que fazem ninhos coletivos, geralmente divididos em alvéolos ou câmaras. Assim, as abelhas e as vespas fazem ninhos elevados, chamados colméias e vespeiros, respectivamente, enquanto os cupins de solo fazem ninhos erguidos sobre o solo, chamados murundus ou cupinzeiros.

183- CONHECENDO AS ÁRVORES E ARBUSTOS

Dá-se o nome de árvore aos vegetais lenhosos, perenes e de grande porte ( altura superior a 4m ), que possuem um caule ereto chamado tronco, do qual saem, a certa altura, galhos ou ramos de menor diâmetro providos de folhas, formando uma copa. Por outro lado, são chamados arbustos os vegetais lenhosos, perenes e de porte baixo ( não ultrapassando 4m de altura ) e ramificados desde a base, de modo que não se pode observar facilmente o seu tronco principal.
As árvores podem ser classificadas segundo vários critérios: porte, largura das folhas, duração das folhas, utilização, etc.
1. Porte: a) baixo - cambuí, murici, resedá,etc.; b) médio - flamboiã, pau-brasil, tipuana, etc.; c) alto - casuarina, paineira,peroba, etc.; d) muito alto - eucalipto, jequitibá, mogno, etc.
2. Largura das folhas: a) latifoliadas ( folhas largas ) - laranjeira, figueira-branca, pau-d'alho, etc.; b) aciculifoliadas ( folhas estreitas e duras ) - pinheiro-do-paraná, álamo, lariço, etc.
3. Duração das folhas; a) perenifólias ( folhas sempre verdes ) - aroeira, mangueira, pinheiro-do-paraná,etc.; b) caducifólias ( folhas que caem na estação seca ) - ipês roxo e amarelo, flamboiã, paineira, etc.
4.Utilização: a) frutíferas - laranjeira, macieira, mangueira, etc.; b) industriais oliveira ( óleo de oliva ), cacaueiro ( chocolate ),seringueira ( borracha ), etc.; c) ornamentais -alecrim-de-campinas, flamboiã, paineira, etc.;d) medicinais - pau-d'arco ou ipê-roxo, quineira,ipecacuanha, etc.
Como exemplos de arbustos podem ser citados: cafeeiro, barbatimão, limoeiro, etc.


184- CONHECENDO OS ANIMAIS COM CHIFRES

Chifres são protuberâncias rijas e alongadas que se encontram na cabeça de vários mamíferos, os quais podem ser usados como armas de ataque e defesa.
Distinguem-se 3 tipos: a) chifres não ramificados ( cornos ) encontrados no boi, búfalo, bode, carneiro,etc. São prolongamentos derivados do osso frontal, cobertos por queratina; são permanentes e de crescimento lento; b) chifres ramificados ( galhos ) encontrados no veado e na rena.
São de osso puro e temporários - caem e se regeneram anualmente; c) chifres curtos como o da girafa e do ocapi, revestidos por pele, ambos permanentes.
No rinoceronte existe sobre o focinho uma protuberância formada exclusivamente por fibras aglutinadas longitudinalmente.
Em geral, só os machos possuem chifres; quando presentes em ambos os sexos, os chifres das fêmeas são menores e mais fracos.


185-CONHECENDO A FLORA E A FAUNA DA REGIÃO AMAZÔNICA

Dá-se o nome de flora ao conjunto das espécies vegetais de uma determinada região; e de fauna ao conjunto de espécies animais.
A Região Amazônica, também chamada Paraíso Verde ou Hiléia Amazônica, abrange cerca de 40% do território brasileiro, além de partes dos territórios dos países vizinhos: Guianas, Venezuela, Colômbia, Peru e Bolívia.
É a maior floresta tropical do mundo, caracterizada pela presença de árvores higrófitas ( ambiente úmido ), latifoliadas ( folhas largas ) e perenifólias ( folhas sempre verdes )
Do ponto de vista ecológico, pode ser subdividida em três: a) mata de igapó - terreno alagadiço, sempre inundado; b) mata de várzea - terreno temporariamente inundado; c)mata de terra firme - área nunca inundada.
Na mata de igapó encontram-se plantas aquáticas, como nenúfar e vitória-régia. Na mata de várzea ocorrem seringueira, cacaueiro, copaíba, etc. Na mata de terra firme formam-se váris andares de vegetação, sendo que as árvores emergentes atingem 40 - 50m de altura. A castanheira, o mogno e o pau-rosa são árvores típicas da terra firme. São freqüentes as lianas ou cipós, bem como as epífitas ( orquídeas ).
O rio Amazonas e seus afluentes são habitados por abundante fauna aquática, incluindo: peixes ( pirarucu, tucunaré, etc. ) e mamíferos aquáticos como o peixe-boi. Acrescentando-se os igapós e as várzeas, nesses meios são encontrados também répteis anfíbios, como o jacaré, a tartaruga e a sucuri.
Na mata de terra firme habitam vários mamíferos, como onça, jaguatirica, anta, macacos, etc. Entre as aves predominam: papagaio, arara, tucano, gavião, etc. Finalmente, é
grande o número de insetos e outros animais inferiores.


186-CONHECENDO OS ANIMAIS COM GARRAS

As unhas dos dedos das patas de diversos animais sofreram adaptações e se transformaram em: a) cascos - estojos córneos que protegem os dedos e põem o animal em contato com o solo, como no cavalo, boi e porco; b) garras - unhas recurvadas e pontudas, como nos felinos e nas aves de rapina.
As garras servem para diversas finalidades, tais como:
a) capturar e matar presas, como nos felinos ( gato, leão, tigre, onça, etc. );
b) para subir em árvores: lagarto, urso, preguiça, etc.;
c) para cavar o solo: tatu, toupeira, texugo, etc.;
d) para empoleirar-se: pica-pau, arara, papagaio, etc.;
e) para destruir murundus ou ninhos de cupins: tamanduá.
Nos felinos, as garras são retráteis, isto é, invaginadas quando em repouso, o que evita o seu desgaste.

187-CONHECENDO AS PLANTAS RASTEJANTES

Plantas rastejantes são aquelas cujo caule não se desenvolve no sentido vertical, mas sim horizontalmente, sobre o solo. Como exemplos, podem ser citadas:
a) Gramas - designação geral de um grupo de plantas da família das Gramíneas, perenes e de crescimento rasteiro, tais como: grama-batatais, grama-missioneira, grama-seda, etc.;
b) Cucurbitáceas - família de plantas anuais ou perenes, a maioria delas de crescimento rasteiro, tais como: abóbora, melão, melancia,etc.;
c) Morangueiro - planta herbácea, rastejante, que produz os saborosos morangos;
d) Algumas plantas tanto podem ser rastejantes como trepadeiras, dependendo de encontrar ou não, um suporte. Exemplos:batata-doce, pepino, bucha, etc.

188-CONHECENDO OS ANIMAIS COM CASCOS

Dá-se o nome de casco à unha extremamente desenvolvida dos Ungulados, isto é, mamíferos que têm os dedos das patas anteriores e posteriores protegidos por um estojo córneo que põe o animal em contato com o solo.
Possuem cascos os eqüídeos ( cavalo, jumento, zebra, etc. ), os ruminantes ( boi, cabra, carneiro, etc, ) e os suínos ( porco, cateto, javali, etc. ).
O casco geralmente compreende a muralha ou parede, a sola e a renilha - uma saliência de tecido elástico.
Os primeiros Ungulados possuíam cinco dedos, mas com a redução gradual do número destes, foram ganhando eficiência no andar e no correr. Alguns têm número ímpar de dedos, como o rinoceronte e a anta, que têm três, mas o cavalo só tem um: seu casco é a unha do dedo médio.
Os cascos fendidos dos Ungulados de dedos pares, como o porco, o boi e o veado, representam o resultado da evolução do terceiro e quarto dedos, recobertos por queratina.
A ovelha e a cabra têm patas com cascos de bordos afiados e faces inferiores côncavas, o que lhes permite andar em terreno montanhoso e irregular. Os cascos fendidos do camelo são largos e acolchoados com grossas solas, adaptação que lhe permite caminhar no solo do deserto.

189-CONHECENDO OS TIPOS DE REVESTIMENTOS DOS ANIMAIS

O corpo dos animais é revestido por diferentes tipos de órgãos, tais como: pele, pêlos, penas, escamas, espinhos.
1.Pele. A pele é a membrana que recobre o corpo de muitos animais. No caso dos vertebrados, a pele apresenta duas camadas: a externa ou epiderme, a interna ou derme, além de anexos: pêlos, penas, escamas, unhas, espinhos, etc. Cabe destacar a pele grossa dos paquidermes: elefante, hipopótamo, rinoceronte.
2. Pêlos. São excrescências filiformes da pele de certos animais, principalmente
mamíferos. Os animais das regiões frias, como os ursos, às vezes renovam sua pelagem à entrada do inverno ( muda ). Certas espécies caracterizam-se por pêlos lanosos ( carneiro ), picantes ( ouriço ), de dois tipos ( coelho ), ou pela ausência de pêlos ( baleia ). Os pêlos de certas lagartas são venenosos.
3. Penas. São órgãos característicos das aves. As grandes penas das asas e da cauda sustentam a ave em vôo. Certas aves têm penas de tipo especial, como o pavão macho e o avestruz.
4. Escamas. São placas duras que, associadas a outras placas semelhantes, constituem o revestimento protetor de todo ou de parte do corpo de muitos animais. Os mamíferos que possuem escamas são os Desdentados ( tatu, pangolim, etc. ), mas alguns Roedores ( castor ) têm cauda escamosa. Dobras escamosas cobrem todo o corpo dos Répteis ( lagartos e cobras ). Os Peixes têm o corpo revestido por escamas de vários tipos: independentes ou imbricadas, de bordo livre dentado ou arredondado.
5.Espinhos. São excrescências da pele de certos animais, como ouriço-cacheiro e porco-espinho; servem como arma de ataque e defesa.

190-CONHECENDO AS PLANTAS HERBÁCEAS

As plantas herbáceas ou simplesmente ervas são plantas não lenhosas, cujas partes aéreas vivem menos de um ano ( as partes subterrâneas podem ser perenes ), o que limita o
seu tamanho. Compreendem grande número de plantas cultivadas, com destaque para:
a) Cereais - trigo, arroz, milho, aveia,centeio, cevada, etc.
b) Plantas forrageiras - alfafa, capim-colonião, capim-jaraguá, capim-gordura, etc.
c) Outras culturas - cana-de-açúcar, algodoeiro, mandioca, etc.
d) Leguminosas - feijão, amendoim, ervilha, soja, etc.
e) Hortaliças - tomate, batata, couve, repolho, etc.
f) Floríferas - cravo, dália, lírio, roseira,etc.
Cabe mencionar também as chamadas ervas daninhas - que crescem em locais onde sua presença não é desejada, como entre as plantas cultivadas. As ervas daninhas prejudicam cultura pela concorrência em água e nutrientes o solo. Exemplos: picão, carrapicho, caruru, tiririca, etc.

191- CONHECENDO AS ADAPTAÇÕES DOS BICOS DAS AVES

Dá-se o nome de bico à região bucal das aves, formada por duas mandíbulas ósseas,
cada uma revestida por um estojo córneo, pontudo ou cortante.
A forma do bico das aves geralmente está adaptada ao regime alimentar. Exemplos:
a) o pica-pau tem um bico apropriado para furar a casca das árvores, a fim de buscar insetos para a sua alimentação;
b) o bico em forma de funil do noitibó capta, em pleno vôo, os insetos dos quais se alimenta;
c) a espécie de peneira formada pelas denteações do bico e da língua do pato, re-
têm os minúsculos animais que se encontram na lama;
d) o bico fino e alongado do beija-flor lhe permite aspirar o néctar das flores;
e) o pelicano tem um bico longo que sustenta, inferiormente, um verdadeiro saco de provisões;
f) a garça tem um bico em forma de lança, para apanhar peixes;
g) o bico curvado e cortante das aves de rapina ( gavião, águia, falcão, etc.) lhes
permite rasgar com facilidade a carne de suas presas.
Algumas espécies de aves usam o bico curvo, juntamente com os pés, para se
agarrar e trepar em árvores, como a arara, o papagaio e o periquito.

192- CONHECENDO O RELEVO TERRESTRE

Dá-se o nome de relevo às desigualdades da superfície terrestre, representadas por três formas básicas: a) elevações; b) vertentes; c) depressões.
As elevações se destacam na paisagem por sua maior altitude, em relação ao nível das formas vizinhas. Quando isoladas, recebem os nomes de colina, morro, montanha. Quando
agrupadas, são denominadas serra, cordilheira ou cadeia de montanhas.
Vertentes ou encostas são as superfícies laterais inclinadas que limitam as elevações, ligando o cume à base. Quanto à forma, as vertentes podem ser: a) planas; b) convexas; c) côncavas.
Quando duas vertentes se unem pela parte superior, formam uma crista, espigão ou divisor de águas; quando se ligam pela parte inferior, formam um vale, em cujo fundo ou talvegue correm os rios. Se a passagem é estreita e escarpada, recebe o nome de garganta ou desfiladeiro.
As depressões se caracterizam por sua menor altitude, em relação às formas vizinhas. É a posição ocupada por lagos, lagoas e pântanos.
Quando a superfície do terreno é relativamente uniforme, recebe os nomes de; a) planície, se situada à baixa altitude; b) planalto, se situada à grande altitude.
As vertentes costumam apresentar declividades ou inclinações muito diferentes, de modo que se pode distinguir, na superfície do terreno, áreas com relevo ora mais, ora menos ondulado. Para a sua descrição, usam-se cinco classes de relevo: a) plano; b) suavemente ondulado; c) ondulado; d) fortemente ondulado; e) montanhoso.

193- CONHECENDO O PANTANAL MATOGROSSENSE

Dá-se o nome de Pantanal Matogrossense à região situada no sudoeste de Mato Grosso e oeste de Mato Grosso do Sul, no Brasil, e que se prolonga em direção à Bolívia e Paraguai, onde passa a ser denominada Chaco. É constituída por uma vasta planície sedimentar, ainda em formação, cujas altitudes são inferiores a 200m acima do nível do mar, tendo a contorná-la um semi-círculo formado pelas terras altas do Planalto Central e do Planalto Meridional, do lado brasileiro. Sua superfície não é inteiramente plana, apresentando pequenas elevações isoladas.
Através dessa planície correm as águas do Rio Paraguai e de vários dos seus tributários, como São Lourenço, Cuiabá, Taquari, Negro, Miranda, Aquidabã, etc.
Por ocasião das chuvas, os rios transbordam e grande parte da área é inundada. Entretanto, isto não significa que toda a região seja formada por pântanos e brejos. Ao contrário, por ocasião da estação seca fica inteiramente livre das águas, transformando-se em excelente área de pastagens naturais.
O clima da região assemelha-se ao do Brasil Central - tropical úmido, com totais anuais de chuvas entre 1.000 e 1,500mm, que se concentram nos meses de verão.
A região é coberta por uma vegetação peculiar, que difere das outras regiões brasileiras - o chamado Complexo do Pantanal, em que se misturam espécies típicas dos cerrados, das
Trata-se de uma região tipicamente pastoril, onde existem grandes fazendas dedicadas terras alagadiças e da própria floresta amazônica.à criação e engorda de bovinos de corte.

194- CONHECENDO OS VÁRIOS MODOS DE LOCOMOÇÃO DOS ANIMAIS

Os animais desenvolveram diferentes adaptações que lhes permitem locomover-se em
todos os meios: terra, ar, água, árvores.
A locomoção terrestre é feita principalmente por meio de patas, que permitem andar, pular ou correr. Segundo o número de patas, os animais podem ser: a) bípedes (duas patas):homem, aves; b) tetrápodes ( quatro patas ): boi, cavalo, crocodilo, sapo; c) hexápodes ( seis patas ): insetos; d) octópodes ( oito patas ): aranha, escorpião, polvo; e) decápodes ( dez patas ): lula, siba: f) miriápodes ( muitas patas ): lacraia ou centopéia.
O canguru, apesar de ter quatro patas, se locomove saltando sobre as patas traseiras. Sapo, rã e perereca também por saltos. As cobras e os vermes são ápodes (sem patas), locomovendo-se por reptação, ou seja, rastejando sobre o solo.
A locomoção aérea é feita por meio de asas, que permitem voar, distinguindo-se: a) dípteros ( duas asas ): mosca, morcego, aves; b) tetrápteros ( quatro asas ): barata, besouro, formiga-leão.
Vários insetos são ápteros ( sem asas ), como as formigas e a traça, por isso não voam, assim como certas aves que, embora possuindo asas, também não voam, tais como: pingüim, ema, avestruz, etc.; porém, se locomovem andando ou correndo sobre o solo.
A locomoção aquática ou nado é feita por: a) animais terrestres que sabem nadar: crocodilo, capivara, hipopótamo, etc.; b) animais possuindo patas com os dedos ligados por membranas: palmípedes ( pato, ganso, cisne, etc. ); c) animais com corpo cilíndrico e barbatanas: baleia, peixes .
A locomoção arbórea é feita por animais que possuem: a) patas adaptadas: urso, esquilo, preguiça, etc.; b) pés e mãos preênseis ( às vezes também cauda preênsil ): sagüi, bugio, gibão, etc.; c) certas aves, como arara, papagaio, periquito, usam o bico em gancho, juntamente com os pés dotados de garras, para se agarrar e movimentar-se em árvores.

195- CONHECENDO AS CADEIAS ALIMENTARES

Denomina-se cadeia alimentar a transferência da energia alimentar da fonte, representada pelas plantas, através de vários organismos, com estágios de comer e ser comido. Os captores de energia, também chamados de produtores de matéria orgânica, são as plantas capazes de realizar a fotossíntese ou assimilação do dióxido de carbono do ar atmosférico, produzindo uma série de compostos orgânicos: carboidratos, proteínas, lipídios, aminoácidos, etc. Os organismos cujo alimento provém das plantas ou é obtido de outros organismos, são chamados de transformadores da matéria orgânica ou de consumidores.
Nas comunidades naturais, os organismos cujo alimento é obtido através de determinadas etapas, são considerados como pertencentes ao mesmo nível trófico. Assim, as plantas ocupam o primeiro nível trófico ( nível dos produtores ); os comedores de plantas ( herbívoros ), pertencem ao segundo nível trófico ( nível dos consumidores primários ); os carnívoros que comem os herbívoros ocupam o terceiro nível ( o dos consumidores secundários ); e ainda um quarto nível ( consumidores terciários ), representado por carnívoros que comem outros carnívoros.
Uma dada população de uma espécie pode ocupar um ou mais níveis tróficos, de acordo com a fonte de energia assimilada. É o caso da população humana, que consome alimentos tanto de fontes vegetais como animais.


196- CONHECENDO OS ANIMAIS OVÍPAROS

Dá-se o nome de ovíparos aos animais que põem ovos, ou melhor, que se reproduzem por ovos que são fecundados antes ou depois da postura. Quando são fecundados no organismo materno e a eclosão precede o parto, são chamados vivíparos.
Dentre os mamíferos, somente o ornitorrinco e a équidna põem ovos. Os ovos mais conhecidos são os das aves, dotados de uma casca calcária que envolve a clara e a gema, esta contendo o embrião. O seu tamanho varia de acordo com a espécie, assim como o número qe ovos que elas põem em cada postura ou ninhada.
Os ovos dos répteis ( cobras , lagartos tartarugas ), podendo ser incubados na areia sobre restos vegetais ou no corpo da mãe. Algumas serpentes são ovovivíparas, o que quer dizer que, logo depois de posto o ovo, o filhote nasce sem precisar de incubação.
Os anfíbios ( sapo, rã, perereca, salamandra ) geralmente põem os ovos na água: são tênues e uma espécie de gelatina os mantém grudados uns aos outros.
Os ovos dosa peixes também são postos na água, contando-se aos milhões. Os de
algumas espécies são usados como alimento; por exemplo, os ovos de esturjão, com os quais se prepara o caviar.
Os moluscos e os crustáceos também produzem milhões de ovos, mas pouco sobrevivem: a maioria é comida, principalmente pelos peixes.
Os insetos põem seus ovos de forma isolada, ou agrupados. A mosca doméstica deposita cerca de 2.000 ovos durante sua vida. Certas formigas põem até um milhão de ovos por ano.

197- CONHECENDO O SISTEMA RADICULAR DAS PLANTAS

A raiz é o órgão vegetativo das plantas terrestres com geotropismo positivo ( se a- profunda no solo ) e que desempenha as funções de fixação da planta ao solo e absorção de água e sais minerais nela contidos. As raízes podem desempenhar outras funções, como armazenamento de reservas alimentícias.
A raiz que se origina diretamente da radícula embrionária é chamada raiz principal. À medida que se desenvolve, a raiz principal emite ramificações chamadas raízes secundárias ou radicelas. As raízes também podem nascer na face inferior de um rizoma ou de um caule rasteiro ( estolho ), sendo chamadas raízes adventícias, como no morangueiro.
Nas plantas aquáticas e aéreas, as raízes podem manter suas funções básicas e/ou adquirir outras.
Normalmente, uma raiz consta das seguintes partes: a) coifa, que protege a ponta da raiz; b) zona lisa ou de crescimento; c) zona pilífera, contendo os pêlos absorventes; d) zona suberosa ou das raízes secundárias.
Distinguem-se vários tipos de sistema radicular: a) pivotante, quando possui uma raiz principal bem desenvolvida, da qual saem raízes secundárias finas, como no feijoeiro; b) fasciculado, quando a raiz principal não tem desenvolvimento acentuado, desenvolvendo-se com força igual várias raízes laterais, como nas Gramíneas; c) ramificado, quando a raiz principal emite várias raízes secundárias bem desenvolvidas, como na laranjeira.
Como adaptações do tipo normal, podem ser citadas: a) raízes tuberosa, que também são órgãos de reserva ( mandioca ); b) raízes sugadoras, próprias das plantas parasitas, isto é, que sugam a seiva de outras plantas ( cipó-chumbo ); c) raízes aéreas, como nas plantas epífitas ( orquídeas ), que vivem sobre outras plantas sm parasitá-las; d) raízes respiratórias, próprias dos mangues.

198- CONHECENDO A EROSÃO

Erosão é o desgaste de solos e/ou rochas por agentes naturais ( chuva, gelo, vento ). Distinguem-se dois tipos gerais de erosão:a) erosão natural ou geológica, que se processa lentamente; b) erosão acelerada ou provocada pelo homem, principalmente por suas atividades agrícolas.
De acordo com o agente natural provocador de erosão ela pode ser classificada em: a) erosão pluvial, causada pelas chuvas; b) erosão fluvial, provocada pelos rios; c) erosão glacial, causada por geleiras; d) erosão marinha ,provocada pelas ondas; e) erosão eólica, causada pelos ventos.
O processo erosivo se dá em três fases: a) desagregação ou soltura das partículas do solo ou fragmentos das rochas; b) transporte ou remoção; c) deposição ou sedimentação. Assim, por exemplo, parte do material erodido que as enxurradas levam aos rios, se deposita nas planícies aluviais ( ou várzeas ) e nos deltas, quando os rios transbordam; outra parte vai para o mar.
A erosão natural é um dos fatores responsáveis pelo modelado da paisagem. Apesar de se processar lentamente, a erosão geológica pode produzir efeitos espetaculares como o "Grand Canyon" do Rio Colorado, nos Estados Unidos; ou como " Vila Velha ", no Paraná ( Brasil ).
As chuvas fortes podem produzir efeitos prejudiciais às terras agrícolas, seja removendo delgadas camadas do solo superficial, justamente as mais férteis, seja formando sulcos ou ravinas, ou ainda abrindo crateras chamadas voçorocas. Seus efeitos são mais acentuados nas fases de preparo do solo e desenvolvimento inicial da culturas, quando o solo está sem a proteção da cobertura vegetal.
A erosão causada pelos ventos assume maior importância nas regiões áridas e semi-áridas, principalmente nas áreas arenosas e desprovidas de vegetação, onde se formam as dunas. A poeira levantada do Deserto do Saara, no norte da África, chega a se depositar no sul da Europa.

199- CONHECENDO OS ANIMAIS COM ADAPTAÇÕES DEFENSIVAS E OFENSIVAS

A luta pela vida obrigou muitos animais a desenvolverem adaptações ofensivas e defensivas. Na verdade, a eficiência no ataque e na defesa é uma necessidade básica para a sobrevivência dos animais.
Distinguem-se três formas de ataque defesa, a saber: a) estruturas físicas especializadas; b) especializações menos evidentes; c) comportamento.
a) Estruturas físicas especializadas: 1) para ataque - garras e dentes: felinos ( leão, tigre, onça, etc. )
- garras e bicos curvos: aves de rapina ( gavião, águia, falcão, etc. )
- chifres: boi, búfalo, carneiro, etc.
- presas: elefante, javali, morsa, etc.
- ferrão: abelha, vespa, escorpião
- língua pegajosa: camaleão, tamanduá, etc.
- órgãos golpeadores: cauda ( lagarto ), tromba ( elefante )
2) para defesa:
- carapaça: tatu, jabuti, tartaruga
- concha: caracol, caramujo, ostra
- espinhos: ouriço, porco-espinho
- pêlos urticantes: taturana ou bicho-de- fogo
b) Especializações menos evidentes
1) para ataque:
- glândulas produtoras de veneno: aranha, escorpião, cascavel,etc.
- músculos constritores ( para estrangulamento ): jibóia, sucuri,etc.
- órgãos sugadores de sangue: morcego, sanguessuga, barbeiro ou chupança
2) para defesa:
- glândulas produtoras de substâncias repelentes: cangambá, zorrilho
- camuflagem: certas borboletas, girafa, leopardo,etc.
- mudança de cor ( para confundir-se com o ambiente ): camaleão
c) Comportamento
1) táticas de ataque:
- emboscada, para surpreender a presa: felinos
- ataque em grupo: formiga- correição, piranha, leão, lôbo, etc.
2) táticas de defesa:
- dar coices: cavalo, boi, zebra
- fugir correndo: maioria dos animais quando ameaçados
- levantar vôo: insetos com asas, aves voadoras
- entrar na toca: coelho, rato, tatu
- subir em árvore: animais arborícolas: macacos, esquilo,raposa,etc.

200- CONHECENDO O CAULE DAS PLANTAS

As plantas superiores têm o corpo basicamente dividido em duas partes: a) sistema radicular, geralmente subterrâneo, que fixa a planta ao solo e absorve a água e os nutrientes nela dissolvidos; b) sistema aéreo, representado pelo caule juntamente com os ramos, portadores das folhas . O caule e suas ramificações estabelecem a necessária ligação entre as folhas e as raízes .
O caule e os ramos sustentam as folhas, assegurando-lhes a possibilidade de entrar em contato com a luz solar, essencial para a realização da fotossíntese; leva-lhes a seiva bruta, também chamada seiva mineral ou ascendente; e transporta em sentido contrário a seiva elaborada, também chamada seiva orgânica ou descendente, resultante da atividade elaboradora das folhas.
Basicamente, a estrutura do caule apresenta, em corte transversal: a) casca ou tecido protetor; b) um sistema de transporte de seiva, constituído por tubos, distinguindo-se o lenho ou xilema que transporta a seiva bruta e o líber ou floema que transporta a seiva elaborada; c) parênquima ou tecido de enchimento.
De acordo com suas diferentes características, distinguem-se vários tipos de caule: a) tronco - caule lenhoso e ramificado, como o das árvores; b) estipe - caule lenhoso e não ramificado, como o das palmeiras; c) haste – caule de pouca consistência e herbáceo, como o das ervas e trepadeiras; d) colmo - caule dividido em gomos, que podem ser cheios ( cana-de-açúcar ) ou ocos ( bambu ); e) bulbo - caule subterrâneo, armazenador de reservas alimentícias ( cebola ); f) tubérculo - caule subterrâneo ou aéreo, rico em reservas e brotos ( batata ); g) rizoma - caule horizontal, geralmente subterrâneo, rico em reservas e que emite folhas para cima e raízes pa-a baixo: h) estolho - caule rastejante, capaz de formar, vegetativamente, outras plantas ( morangueiro ).


201- CONHECENDO AS FLORES BOTANICAMENTE

Do ponto de vista botânico, a flor é a estrutura que abriga os órgãos reprodutores das plantas superiores ou Fanerógamas. Consta de um conjunto de folhas modificadas que formam o perianto ( cálice e corola ), do androceu ( órgão masculino ) e do gineceu ( órgão feminino ) na flor completa. A forma, a organização, a coloração e demais características da flor são muito variáveis, conforme a espécie.
Se ambos os sexos estão reunidos na mesma flor, esta é chamada hermafrodita. Se separados em flores distintas, as flores são denominadas unissexuais. Quando ocorre a separação, mas as flores dos dois sexos se encontram em diferentes locais de um mesmo indivíduo ou pé, diz-se que a planta é monóica. Se a separação for mais acentuada, com os sexos dispostos em pés distintos, as plantas são chamadas ióicas.
O órgão feminino - gineceu, consta de um ou mais pistilos; cada pistilo é formado por três partes: ovário ( futuro fruto ), estilete e estigma. O órgão masculino - androceu, é formado pelos estames; cada estame consta de filete e antera. Cada antera possui duas lojas ou tecas, em cujo interior estão os sacos polínicos, onde se formam os grãos de pólen.
Geralmente as flores estão protegidas por um envoltório chamado corola, formado por pétalas; a corola, por sua vez, é envolvida pelo cálice, formado por sépalas.
Às vezes as flores se apresentam agrupadas, formando as chamadas inflorescências, de que há vários tipos: cacho, espiga, panícula, etc.
Assim com os estames produzem os grãos de pólen, os pistilos produzem certo número de óvulos. Para que ocorra a fecundação, é preciso que o pólen seja transportado da antera para o estigma, processo que é chamado polinização. São agentes polinizadores: o vento, a
água, os insetos e o próprio homem, quando faz a chamada polinização artificial.
Além da sua função reprodutora, as flores são admiradas por sua beleza e utilizadas para ornamentação.

202- CONHECENDO O TRABALHO DOS RIOS

Rio é um curso d'água natural, mais ou menos caudaloso, que corre no fundo de um vale e que deságua m outro rio, no mar ou num lago. Todo rio tem nascente, curso e foz. O curso desenvolve-se por um leito limitado lateralmente pelas margens.
Um rio principal sempre tem afluentes ou tributários que, por sua vez, recebem outros cursos d'água menores ( córregos, ribeirões ), compondo uma rede hidrográfica.
Os rios possuem volume d'água e velocidade variáveis, com ou sem quedas d'água, podendo ser permanentes ou temporários. Os rios temporários ocorrem nas regiões áridas ou semi-áridas.
A água que flui pelo leito está dotada de energia, que realiza diferentes trabalhos: erosão, transporte e deposição ( ou sedimentação ). A ação erosiva s processa no fundo do leito e nas margens, de modo que os rios tendem a alargar-se e/ou aprofundar-se. O material erodido pelo rio, juntamente com o trazido pelas enxurradas, é transportado de várias maneiras: flutuação, suspensão, dissolução e rolamento. A deposição de parte do material transportado ocorre quando há diminuição da velocidade do fluxo, originando as planícies aluviais ou várzeas ( nas margens ) e os deltas ( na foz ); outra parte do material vai para o mar.
As planícies aluviais se formam quando os rios transbordam ( inundação ) e há deposição de material.
O trecho final dos rios pode apresentar-se sob duas formas: a) estuário, caracterizado pela presença de um único canal ( rio Amazonas); b) delta, cujo canal apresenta várias ramificações ao redor da quais ocorre sedimentação ( rio Nilo ).

203- CURIOSIDADES SOBRE OS INSETOS

a) A classe dos Insetos é a mais numerosa dos seres vivos, sendo conhecidas cerca de 1 milhão de espécies, ou seja, 80% das espécies do reino animal.
b) Pelo número de patas os insetos são hexápodes ( seis pés ); e pelo número de asas podem ser: 1) ápteros ( sem asas ), como a saúva; 2) dípteros ( duas asas ), como a mosca ; 3) tetrápteros ( quatro asas ) , como o besouro.
c) O ciclo vital dos insetos passa por 4 etapas: ovo, larva, ninfa e adulto. Começa pelo ovo, depositado pela fêmea, depois de fecundada pelo macho. Do ovo nasce a larva, que come vorazmente, quer mastigando alimentos vegetais ou animais, quer sugando seiva das plantas ou sangue dos animais que parasitam. Também chamada de lagarta, aumenta de tamanho rapidamente, sendo obrigada a mudar de pele ( 3 a 7 vezes ).Depois entra em repouso, passando a ninfa. Se a ninfa é de borboleta, é também chamada de crisálida; e se é de mosca, denomina-se pupa. Após um certo tempo, a pele da ninfa se rompe e surge o inseto adulto.
d) O louva-a-deus, assim chamado por causa da sua postura que lembra uma pessoa em oração, é na verdade um inseto predador, que apanha outros insetos para comê-los, chegando algumas espécies a praticar o canibalismo: muitas vezes a fêmea, de tamanho maior, devora o macho após a cópula.

204- CONHECENDO AS PLANTAS CULTIVADAS

O homem cultiva um grande número de plantas para diferentes utilizações práticas alimentação humana, alimentação animal, industrialização, ornamentação, etc.
De acordo com o ciclo vegetativo, podem ser divididas em 4 grupos: anuais, bianuais, semi-perenes e perenes. Consideram-se culturas anuais aquelas cujo ciclo vegetativo se completa em menos de 1 ano, tais como: trigo, arroz, milho, feijão, tomate, etc.Culturas bianuais são aquelas com ciclo vegetativo compreendido entre 1 e 2 anos: mandioca, beterraba, etc. Consideram-se culturas semi-perenes aquelas cujo ciclo vegetativo se completa num período de 2 a 5 anos: cana-de-açúcar, guandu, etc. Culturas perenes são aquelas com ciclo vegetativo superior a 5 anos: cafeeiro, laranjeira, capins das pastagens, eucalipto, etc.
Quanto à finalidade, distinguem-se vários tipos: a) culturas alimentícias ( arroz, feijão, batata, tomate,etc. ); b) culturas forrageiras ( alfafa, capim-colonião, soja perene, etc. ); c) culturas oleaginosas ( oliveira, amendoim, soja, etc. ); d) culturas têxteis ( algodão, linho, juta, etc. ); e) culturas florestais ( eucalipto, pinheiro, etc. ); f) culturas frutíferas ( laranja, banana, uva, etc. ); g) culturas ornamentais, incluindo flores ( roseira, ipês, orquídeas, etc. ) e folhagens ( samambaia, filodendro, espada-de-são-jorge, etc.).


205- CONHECENDO AS QUEDAS D´ ÁGUA

Chama-se queda d'água a massa d'água de um rio que se precipita em conseqüência de um forte desnível no seu leito. De acordo com as características locais, recebe várias denominações: catarata, cachoeira, cascata, salto, corredeira.
a) Catarata. Queda d'água de grande altura, resultante da mudança brusca no perfil longitudinal de um rio de grande volume d'água. Exemplos: catarata do Niágara, na fronteira entre Estados Unidos e Canadá; catarata do Iguaçu, na fronteira entre Brasil e Argentina.
b) Cachoeira. É quando um curso d'água, ao precipitar-se por um declive abrupto, provoca a formação de borbulhões. Exemplo: cachoeira de Paulo Afonso, no Rio São Francisco.
c) Cascata. É uma sucessão de quedas d'água que ocorre num leito formado por
rochas dispostas em degraus. Exemplos: cascata de Gavarnie, situada nos Montes Pirineus;
cascata da Tijuca, no Rio de Janeiro.
d) Salto.Queda d'água em que um rio se precipita direta e verticalmente, por um
precipício rochoso. Exemplos: Salto de Urubupungá, no rio Paraná; Salto Grande, no rio Paranapanema.
e) Corredeira. Trecho de um rio em que as águas, devido a um aumento acentuado da declividade do seu leito, passa a correr velozmente entre afloramentos rochosos. São comuns em rios de planalto.

206- CONHECENDO AS FLORES ORNAMENTAIS

Em mensagem anterior, focalizamos as flores do ponto de vista botânico. Além de serem os órgãos reprodutores das plantas superiores, as flores são admiradas pela beleza de suas formas e cores e se perfume, sendo utilizadas para ornamentação.
As plantas floríferas são cultivadas em floriculturas e jardins, públicos ou residenciais.
As floriculturas geralmente são administradas por profissionais e visam o abastecimento dos mercados floristas. Os amadores cultivam flores em jardins residenciais ( canteiros ) ou em vasos.
As plantas floríferas podem ser de ciclo curto ou longo. As de ciclo curto vivem desde 1 ano até 3 anos; florescem uma ou mais vezes e necessitam ser plantadas de novo. Exemplos: amor-perfeito, petúnia, margarida, boca-de-leão, ervilha-de-cheiro, etc. As floríferas de ciclo longo têm um ciclo de vida superior a 3 anos, tais como: roseira,primavera, angélica, camélia, violeta, etc.
O plantio das plantas floríferas pode ser feito de várias maneiras: sementes, mudas, estacas, bulbos, etc.
Muitas plantas floríferas são trepadeiras, tais como: alamanda, maracujá ( flor-da- paixão ), roseira, primavera, etc.; algumas são epífitas, como as orquídeas; e outras são aquáticas, como: nenúfar, vitória-régia, etc.

207- CONHECENDO A ESTRUTURA DA TERRA

A estrutura do nosso planeta consta das seguintes camadas: a) atmosfera ou envoltório gasoso ( ar ); b) hidrosfera, constituída pelas massas d'água; c) litosfera ou crosta rochosa; d) pirosfera ou manto; e) barisfera ou núcleo.
A atmosfera tem aproximadamente 1.000km de altura, sendo composta essencialmente por 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e 1% de outros gases ( argônio, dióxido de carbono, ozônio, etc. ). Contém ainda vapor d'água em proporção variável de 0 a 4%.
A hidrosfera é representada pelas massas d'água que constituem os oceanos, mares, lagos, rios, geleiras e neves eternas.
Na litosfera distinguem-se a crosta continental e a crosta oceânica. A crosta continental ocupa cerca de 30% da superfície da Terra, com espessura variável, podendo atingir 70km; a crosta oceânica possui espessura menor. Ambas são constituídas principalmente por granito e basalto, rochas em cuja composição predominam silicatos de alumínio ( Sial ). A sua temperatura aumenta à razão de 0,5 graus centígrados para cada 33m de profundidade, devendo atingir 1.000 graus à profundidade de 33km.
Abaixo da litosfera encontra-se a pirosfera, cuja espessura é pouco superior a 3.000km, representando cerca de 82% do volume da Terra. Na sua composição predominam silicatos de magnésio ( Sima ),
A parte central da Terra é chamada barisfera ou núcleo, onde a temperatura deve atingir valores elevadíssimos. Supõe-se que a sua composição é formada principalmente por níquel e ferro ( Nife ).

208- CONHECENDO AS AVES QUE NÃO VOAM

De modo geral, as aves são animais vertebrados, com o corpo revestido de penas, com dois pares de membros: os anteriores transformados em asas para voar; e os posteriores adaptados para caminhar, empoleirar ou nadar.
Entretanto, existe grande número de aves que perderam a capacidade de voar e adaptaram-se à vida aquática ou terrestre. Destas, o grupo mais importante é constituído pelos avestruzes, emas, casuares da Austrália e kiwis da Nova Zelândia.Outro grupo de aves não voadoras é constituído por perdizes, nhambus, jaós e macucos, muito comuns no Brasil; suas asas são diminutas e atrofiadas.Há ainda outro grupo, representado pelos pingüins, nos quais as asas transformaram-se em aletas apropriadas para nadar. Finalmente, há ainda um grupo de aves com pouca aptidão para o vôo, incluindo: codorna, galinha, pavão, peru, etc.

209- CONHECENDO OS FRUTOS BOTANICAMENTE

Do ponto de vista botânico, fruto é o órgão vegetal resultante do desenvolvimento do ovário da flor, após a fecundação; e os óvulos contidos no ovário transformam-se em sementes.
A parte essencial do fruto é, evidentemente a semente, responsável pela propagação das plantas superiores.
O fruto é chamado deiscente quando se abre para liberar a semente madura ( vagem do feijão ); e indeiscente quando não se abre ( maçã ).
Os frutos deiscentes e indeiscentes, por sua vez, subdividem-se em secos ( noz ) e carnosos ( mamão ).
Os frutos indeiscentes secos podem ser dos tipos: aquênio, núcula, cariópse; os carnosos são: baga e drupa.
Chama-se aquênio o fruto seco e indeiscente em que a semente única se prende à parede do fruto em um só ponto ( girassol ).Quando a parede do fruto é lenhosa e o fruto pequeno, este é chamado núcula ( noz, amêndoa ). O fruto denominado cariópse apresenta a semente soldada com a parede do fruto ( cereais ). As bagas são frutos carnosoas indeiscentes, freqüentemente com várias sementes ( uva, tomate ). Já a drupa é um fruto carnoso com caroço ( pêssego, manga ).
Os frutos deiscentes seco são: folículo, legume, cápsula; os carnosos são representados pela cápsula carnosa.
O folículo é um fruto seco deiscente que se abre pela sutura do único carpelo de que é formado, podendo conter uma ou mais sementes. O legume é semelhante ao anterior, com número variável de sementes ( vagem de feijão ). A cápsula é um fruto deiscente, em geral com várias sementes ( algodão ). A cápsula carnosa é típica das Cactáceas.
Dá-se o nome de infrutescência ao fruto originado das diversas flores de uma inflorescência ( abacaxi, figo ); e de pseudo-fruto àquele que, procedente de uma única flor, tem desenvolvida qualquer outra parte que não o ovário; por exemplo, o pedúnculo, no caso do caju.
Popularmente, os frutos comestíveis são chamados de " frutas ".

210- CONHECENDO AS FRUTAS

Dá-se o nome de fruta aos frutos, pseudo-frutos e infrutescências comestíveis. A definição é imperfeita, porque arroz, trigo, milho, vagens de feijão e de ervilha, pepino, pimentão, etc. são, indiscutivelmente, frutos comestíveis, mas nunca são chamados de frutas. Portanto, o conceito de fruta depende também da tradição.
Relembrando, os frutos resultam do desenvolvimento do ovário, após a fecundação da flor. Os pseudo-frutos resultam do desenvolvimento de qualquer outra parte que não o ovário como, por exemplo, o pedúnculo, no caso do caju. Infrutescências são os frutos originados das várias flores de uma inflorescência, como o abacaxi, a banana e a uva.
Consumidas principalmente como suco ou sobremesa, as frutas desempenham papel importante na alimentação humana, como fontes de vitaminas ( principalmente vitamina C)
e de sais minerais.
As frutas podem ser carnosas, como banana, laranja, mamão, etc.; ou secas , como noz, amêndoa, avelã, etc. Várias frutas têm “caroço”como azeitona, pêssego, manga, abacate.
O cultivo de plantas frutíferas, visando a produção de frutos comestíveis, chama-se Fruticultura. As principais frutas produzidas são: laranja, banana, uva, maçã e manga, seguidas de azeitona, pêra, pêssego, marmelo e ameixa; e por fim, abacaxi, tâmara, figo, caju, abacate, goiaba e morango.
A uva, a maçã e a pêra, por exemplo, são frutas de clima temperado; enquanto a laranja, a banana, o caju e a manga são típicas de clima tropical.
As frutas podem ser consumidas de vários modos: a) ao natural; b) previamente processadas: sucos, cozidas, torradas, etc.; c) ou ainda, transformadas em : doces, geléias, conservas, compotas, refrescos, passas, sorvetes, etc.

211- CONHECENDO A CROSTA TERRESTRE

A crosta terrestre, também chamada litosfera, é a camada externa e sólida do nosso planeta, em grande parte recoberta por água e envolvida por uma camada gasosa (atmosfera ). Assim, distinguem-se duas partes: a crosta continental e a crosta oceânica.
A crosta continental ou emersa tem espessura variável, podendo chegar a 70km; a crosta oceânica ou submersa tem espessura menor, porém abrange área maior ( cerca de 71% da superfície total ).
Em muitos locais da crosta continental, as rochas que a compõem se encontram expostas ( afloramentos rochosos ); mas freqüentemente estão cobertas por uma capa de material não consolidado, de espessura variando de alguns centímetros até dezenas de metros, que recebe o nome de regolito ou manto de intemperismo. A porção superior do normalmente se apresenta diferenciada em camadas ( horizontes ), as quais são exploradas pelas raízes das plantas, constituindo o solo.
A crosta continental se encontra repartida entre os continentes e ilhas. A sua superfície possui relevo irregular, apresentando montanhas, vales, planaltos, planícies, etc. Em vários pontos é penetrada pela hidrosfera, através de lagos, lagoas, rios e afluentes, sendo que nas regiões polares se apresenta coberta por geleiras.
Por outro lado, no interior da crosta freqüentemente se encontram aqüíferos ou lençóis de água subterrâneos, bem como jazidas de petróleo.

212- CONHECENDO AS PLANTAS COM CAULE SUBTERRÂNEO

Na maioria das plantas o caule é aéreo, podendo ser: a) ascendente ou de crescimento vertical, como o tronco das árvores e o estipe das palmeiras; b) prostrado ou de crescimento rasteiro, apoiando-se sobre a superfície do solo, como os estolões das gramas e do morangueiro. Todavia, existem muitas plantas cujo caule é subterrâneo.
Os caules subterrâneos podem ser dos tipos: a) tubérculo; b) bulbo; c) rizoma.
Tubérculo é um caule subterrâneo ou semi-subterrâneo, arredondado e rico em reservas nutritivas e gemas. Exemplos: batatinha, inhame, dália.
Bulbo é um caule subterrâneo formado por um disco dotado de gemas protegidas por escamas ou túnicas e que armazena substâncias nutritivas. Podem ser de três tipos: a) escamoso ( alho ); b) tunicado ( cebola ); c) cheio ( gladíolo ).
Rizoma é um caule subterrâneo ou semi-subterrâneo, de crescimento horizontal, espesso e contendo reservas nutritivas; distingue-se da raiz tuberosa ( mandioca ) pela presença de gemas que emitem folhas para cima e raízes para baixo. Exemplos: samambaia, bambu, bananeira.
Tubérculos, bulbos e fragmentos de rizoma são utilizados para a propagação das respectivas plantas.

213- CONHECENDO AS SEMENTES

A importância das sementes se deve ao fato de serem o meio de propagação das plantas que produzem flores ( Fanerógamas ). Resultam do desenvolvimento do óvulo, após a fecundação da célula feminina ( oosfera ) nele contida, Normalmente, a semente se encontra protegida pelo fruto.
A semente é composta de tegumento e amêndoa, sendo que no interior desta fica o embrião. Este apresenta um ou mais cotilédones, abaixo dos quais se encontra um eixo que possui, na extremidade inferior, a radícula, que
dará origem ao sistema radicular; e na outra extremidade, o caulículo, que dará origem à parte aérea da futura planta.
Os cotilédones são folhas modificadas, cujo número tem grande importância na classificação das plantas superiores: a) com um só cotilédone - Monocotiledôneas, como as palmeiras e gramíneas; b) com dois cotilédones – Dicotiledôneas, compreendendo a maioria das árvores e arbustos; c) com muitos cotilédones - Policotiledôneas, como as coníferas.
As plantas inferiores ( Criptógamas ), como avencas e samambaias, não produzem sementes; seus elementos de reprodução são simples esporos.
Além do embrião, a amêndoa freqüentemente contém tecido de reserva ( albúmen ), cuja natureza é variável: a) celulósica ( café ); b) oleaginosa ( mamona, nozes ); c) amilácea ( cereais, leguminosas ),
A dispersão das sementes pode ser feita pelo homem e outros animais, pelo vento, pela água, etc. Em algumas plantas a dispersão também pode ser feita por dispositivos que lançam as sementes à distância ( mamona ).
Além da sua importância como meio de reprodução das plantas superiores, muitas sementes são utilizadas como alimento devido às suas reservas nutritivas tais como: cereais ( trigo, arroz, milho,etc ), leguminosas (soja, feijão, amendoim, etc.), castanhas, etc.

214- CONHECENDO OS ANIMAIS COM BARBATANAS

Chamam-se barbatanas ou nadadeiras os órgãos membranosos de certos animais que lhes permitem nadar, isto é, locomover-se na água. Alguns desses animais se deslocam nas águas do mar e outros, nas águas de rios e lagos.
As barbatanas são órgãos típicos dos peixes, animais adaptados à vida aquática; mas também são encontradas em alguns mamíferos da ordem Cetáceos e nos pingüins.
Nos peixes, conforme a sua localização, são denominadas: a) dorsais; b) peitorais; c) ventral; d) anal; e) caudal. Podem ser pares ( peitorais e ventrais ) ou ímpares ( dorsal, anal e caudal ). As nadadeiras pares e a caudal servem para a propulsão, enquanto que as ímpares servem para direção e estabilização.
Os cetáceos são mamíferos que têm as patas dianteiras transformadas em barbatanas, corpo pisciforme ( em forma de peixe ), sem patas traseiras e dotados de uma nadadeira caudal. Exemplos: baleia, orca, foca, golfinho, boto, etc.
Os pingüins são aves marinhas, incapazes de voar, mas que podem nadar porque as asas se transformaram em nadadeiras. Também podem se locomover em terra, usando as duas patas.

215- CONHECENDO A HIDROSFERA
Dá-se o nome de hidrosfera à camada líquida ( água ) da Terra, que recobre a maior parte ( 71% ) da camada sólida, chamada litosfera ou crosta terrestre. Ambas são envolvidas pela camada gasosa, denominada atmosfera,
A hidrosfera compreende as massas d'água constituídas por: a) água salgada - oceanos, mares e alguns lagos; b) água doce – lagos, rios e ´lençóis subterrâneos; c) geleiras e neves
eternas.
Na realidade, existe um só oceano, dado que as águas marinhas comunicam-se entre si, não havendo nenhum obstáculo a separá-las. Todavia, costuma-se fazer distinções arbitrárias. Três oceanos são admitidos sem discussão: Pacífico, Atlântico e Índico. Porém, existem dúvidas quanto aos oceanos glaciais: o Ártico e o Antártico. O primeiro é considerado por alguns autores um mar continental; quanto ao segundo, alguns autores nem o admitem, sendo considerado um simples prolongamento do Pacífico, do Atlântico e do Índico, em direção ao sul; e quando admitido, discute-se a sua delimitação.
Os mares são parcelas dos oceanos, deles diferindo por sua menor extensão.
Distinguem-se três tipos de mares: a) costeiros: b) continentais: c) fechados. Os mares costeiros ou abertos comunicam-se com os oceanos por amplas aberturas, como os mares Amarelo, das Antilhas e do México. Os mares continentais ou mediterrâneos comunicam-se com os oceanos por passagens estreitas, como é o caso dos mares Mediterrâneo, Báltico e Vermelho. Os mares fechados não têm nenhuma comunicação com os oceanos, como os mares Cáspio, Aral e Morto.
Os lagos são grandes massas de água acumuladas em depressões do terreno, sendo alimentados por cursos d'água e enxurradas. Geralmente são de água doce, como os Grandes Lagos da América do Norte; porém, lagos de água salgada são comuns nas regiões
áridas e semi-áridas, como o Grande Lago Salgado e o "mar" Morto. Quando possuem dimensões menores, são denominados lagoas.
Águas correntes são encontradas nos rios e ses afluentes. Encontra-se água acumulada também em aqüíferos ( lençóis subterrâneos ), geleiras e neves eternas.

216- CONHECENDO AS HORTALIÇAS

Hortaliças é a designação dada às plantas cultivadas em hortas, as quais desempenham papel de grande importância na alimentação humana como fontes de vitaminas e sais minerais. Muitas delas são chamadas de verduras e outras, impropriamente de " legumes ", termo que em Botânica tem um significado preciso, aplicando-se aos frutos secos e deiscentes ( tipo vagem ), característicos das plantas da família Leguminosas, que inclui a soja, o feijão e o amendoim.
As hortaliças podem ser melhor classificadas em 4 grupos: a) hortaliças tuberosas, que produzem bulbos, tubérculos ou raízes tuberosas, tais como: batatinha, cebola, beterraba, cenoura, mandioca, rabanete, etc.; b) hortaliças herbáceas, das quais se consomem as folhas, caule ou inflorescências, cozidas ou como salada, exemplificadas por: agrião, alface,couve, couve-flor, espinafre, repolho, etc.; c) hortaliças de frutos, das quais se consomem os frutos ou sementes, tais como: abóbora, abobrinha, chuchu, berinjela, ervilha, feijão-de-vagem, pepino, pimentão, tomate, etc.; d) hortaliças de condimento, usadas como tempero, tais como: alho, cebolinha, hortelã, pimenta, orégano, etc.

217- CONHECENDO OS ANIMAIS CARNÍVOROS

O termo carnívoro tem dois significados: a) ordem da classe mamíferos que inclui aqueles que se alimentam de carne de outros animais; b) qualquer animal que se alimenta basicamente de carne.
A ordem dos Carnívoros abrange cerca de 230 espécies, que se distribuem por todas as partes do mundo, exceto a Austrália e a Antártida. Geralmente possuem dentes fortes, adaptados para cortar e mastigar carne.
Os felinos, além de dentes especializados, possuem afiadíssimas garras retráteis, tais como: gato, leão, tigre, onça, jaguatirica,etc. Além dos felinos, outros grupos da ordem Carnívoros incluem: a) hienas que, embora se alimentem principalmente de carniça, são predadores eficientes; b) cães e seus parentes – lobo, raposa, coiote, etc.; c) ursos e pandas; d) guaxinim e seus parentes, como o quati; e) doninhas e seus parentes - lontra, cangambá, texugo, etc.
A maioria das aves é insetívora ( comedora de insetos ). As chamadas aves de rapina caçam e comem pequenos animais, pertencendo a várias ordens que, antigamente, eram reunidas em uma só, a dos Rapaces. Geralmente possuem garras curvas e afiadas e bico superior curvado e adunco, tais como: gavião, águia, falcão, condor, etc. Os abutres se alimentam de carniça, enquanto a coruja é uma ave predadora noturna.
As aves marinhas, como gaivota, atobá, pelicano, mergulhão, etc. se alimentam de peixes. As aves ribeirinhas, como garça, cegonha, colhereiro, saracura, etc. freqüentam as áreas pantanosas e se alimentam de peixes, rãs, crustáceos, etc.
A maioria dos peixes é carnívora, alimentando-se de outros peixes menores e pequenos animais marinhos.
Entre os répteis, são carnívoros:
a) cobras - cascavel,jararaca, jibóia, sucuri, etc. b) lagartos - lagarto comum, jacaré, crocodilo, camaleão ( insetívoro )
Os anfíbios ( sapo, rã, perereca, salamandra, etc. ) alimentam-se de insetos, vermes, lesmas, etc.
As aranhas são insetívoras e os escorpiões caçam pequenos animais.

218- CONHECENDO A ATMOSFERA

Atmosfera é a camada gasosa (ar) que envolve o globo terrestre. Tem aproximadamente 1.000 km de altura, embora vestígios dela possam ser encontrados acima desse limite. A atmosfera é mantida junto à Terra pela ação da gravidade.
De maneira geral, o ar que respiramos se compõe essencialmente de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e 1% de outros gases ( argônio, dióxido de carbono e outros gases, chamados gases raros - ozônio, hidrogênio, hélio, etc. ).
Até 100 km a composição do ar é constante, sendo ess camada chamada homosfera; acima de 100 km até 1.000 km, predominam os gases leves ( nitrogênio, hélio, hidrogênio ), sendo essa camada chamada heterosfera; a partir de 1.000 km começa a exosfera, cujas moléculas mais leves escapam à ação da gravidade e se perdem no espaço interplanetário.
A atmosfera contém ainda vapor d'água, em proporção variável de 0 a 4%, resultante da evaporação das massas d'água existentes na superfície terrestre e da transpiração dos seres vivos. Sua presença não ultrapassa o limite de 4 km, sendo responsável pelos meteoros aquosos ( nuvens, chuva, neblina, orvalho, etc. ).
Na faixa de 20 a 100 km encontra-se uma camada difusa de ozônio, a qual funciona como filtro da radiação solar, servindo como barreira para os raios ultra-violetas, prejudiciais aos seres vivos.
Na faixa de altitude entre 80 e 400 km, os átomos e moléculas encontram-se eletricamente carregados ( ionizados ); por isso, essa camada é chamada ionosfera.

219- CONHECENDO OS MÉTODOS DE PROPAGAÇÃO DE PLANTAS

Entende-se por propagação de plantas os processos de multiplicação das espécies vegetais. A propagação é feita natural ou artificialmente ( pelo homem ). A eficiência dos métodos naturais é comprovada pelo fato de que por toda parte encontram-se plantas crescendo e multiplicando-se livremente. Dos métodos naturais, o mais geral é, sem dúvida, a propagação por sementes. As plantas inferiores geralmente e propagam por meio de esporos.
A propagação artificial é feita pelo homem com as plantas cultivadas, cujos métodos podem ser divididos em dois grupos: a) propagação sexuada; b) propagação assexuada.
A propagação sexuada é feita por meio de sementes, que são distribuídas diretamente em covas ou sulcos e cobertas com terra. Este método é utilizado para os cereais ( trigo, arroz, milho, etc. ), leguminosas ( soja, feijão, amendoim, etc. ), mamão, tomate, etc. Outras plantas são semeadas em viveiros, com o objetivo de formar mudas que, posteriormente, são transplantadas para o local definitivo, como é o caso do cafeeiro, eucalipto, pinheiro, etc.
Quando se deseja preservar uma qualidade instável ou híbrida, recorre-se á propagação assexuada, que emprega métodos vegetativos, ou seja, que utiliza partes da planta ( estacas, bulbos, tubérculos, rizomas ou pedaços de caules ). Quando esses órgãos são difíceis de enraizar ou quando se deseja uma floração e frutificação precoces, recorre-se á enxertia.
Exemplos de propagação: a) por estacas: cana-de-açúcar ( toletes ), mandioca (manivas ); b) por tubérculos: batatinha, dália; c) por bulbos: cebola, lírio; d) por pedaços de rizoma ( filhotes ): bambu, bananeira; e) por estolões ( brotos laterais do caule ): gramas, morangueiro; f) ramas: batata-doce.
A enxertia é geralmente utilizada para: laranjeira, videira, roseira, etc.

220- CONHECENDO OS METEOROS

O termo " meteoro " tem dois significados: a) em Astronomia, designa o fenômeno luminoso conhecido como " estrela cadente ", provocado pelo atrito de um corpo sólido, proveniente do espaço, com a atmosfera terrestre; b) no conceito mais amplo, designa qualquer fenômeno que ocorre na atmosfera terrestre, os quais constituem objeto de estudo da Meteorologia.
Os corpos sólidos de pequena dimensão ( de 1 mg a alguns kg ) e que ao penetrarem na superfície terrestre se incendeiam e se transformam em poeira são chamados meteoróides; os de dimensões maiores, que chegam a atingir a atmosfera terrestre, denominam-se meteoritos.
Considerando o conceito mais amplo, os meteoros se classificam em 4 grupos: a) aéreos; b) aquosos; c) luminosos; d) ígneos.
Os meteoros aquosos são aqueles cujo elemento essencial é o ar: brisa, vento, ciclone, redemoinho, etc.
Os meteoros aquosos são aqueles cujo papel principal é desempenhado pela água: nuvens, chuva, orvalho, neblina, granizo, neve, etc.
Os meteoros luminosos são aqueles que produzem luz: arco-íris, miragem, halos, auroras boreais, etc.
Os meteoros ígneos são aqueles que se relacionam com o fogo: raio, relâmpago, estrela cadente, etc.

221- CONHECENDO AS PLANTAS COM ACÚLEOS OU ESPINHOS

Acúleo é uma formação epidérmica com aspecto de espinho, encontrada em caules (roseira ) ou em folhas ( joá-bravo ). Distingue-se do espinho por ser facilmente destacável e não possuir elementos condutores.
Espinho é parte de um caule ou folha, modificada e transformada em ponta aguda e rija. O espinho difere do acúleo por sua inserção profunda e por estar ligado ao sistema vascular da planta ( laranjeira ).
Muitas plantas trepadeiras sobem com o auxílio de acúleos ou espinhos, que se prendem ao suporte. Como exemplos podem ser citadas: roseira, primavera, unha-de-gato, etc.
Dentre as plantas frutíferas, além dos Citrus ( laranjeira, limoeiro, etc. ), o abacaxi apresenta folhas estreitas armadas de espinhos.
As Cactáceas possuem epiderme espessa eriçada de espinhos, que reduzem a perda de água por transpiração e impedem os animais herbívoros de comê-las.
Várias plantas espinhentas são usadas para a formação de cercas vivas, tais como: coroa-de-cristo, limão trifoliata, buxinho. ligustro.

222- CONHECENDO OS ANIMAIS QUADRÚPEDES

O termo quadrúpedes é usado para designar os animais que têm quatro patas, em contraposição aos bípedes ( duas patas ) e aos ápodes ( sem patas ). As aves, o canguru e o homem são exemplos de bípedes, enquanto a baleia, os peixes e as cobras são ápodes.
Entre os mamíferos quadrúpedes, distinguem-se dois tipos de patas: a) com garras; b) com cascos.
São quadrúpedes possuindo patas com garras: a) desdentados - tatu, tamanduá, etc.; b) insetívoros - ouriço, toupeira, etc.; c) roedores - rato, paca, capivara, etc.; d) felinos - gato, leão, tigre, onça, etc.
São quadrúpedes possuindo patas com cascos: a) perissodáctilos - cavalo, burro, anta, elefante, etc.; b) artiodáctilos - boi, cabra, carneiro, veado, etc.
Além dos citados mamíferos, também são quadrúpedes: a) anfíbios - sapo, rã, perereca, etc.; b) lacertílios - lagarto, camaleão, jacaré, crocodilo, etc.; c) quelônios - cágado, jabuti, tartaruga,etc.
Os quadrúpedes de patas com cascos abrangem diversos animais domésticos, quer ruminantes - boi, cabra, carneiro, etc., quer não-ruminantes - cavalo, burro, porco, etc.

223- CONHECENDO AS ROCHAS

Rochas são agregados naturais, consolidados, que compõem a litosfera ou crosta
terrestre. São encontradas tanto na crosta emersa ou continental, como na crosta submersa ou oceânica.
Enquanto a crosta oceânica está coberta pela hidrosfera ( oceanos e mares ), a
crosta continental em sua maior parte se apresenta coberta por uma camada de material não consolidado, chamada regolito ou manto de intemperismo, cuja espessura varia de alguns centímetros a dezenas de metros. Todavia, são freqüentes os afloramentos de rochas, principalmente m áreas escarpadas.
O regolito resulta da ação dos agentes atmosféricos ( temperatura, chuva, vento, etc.) sobre as rochas, provocando a sua desagregação e alterando a sua composição.
Grande é a diversidade de rochas, cujo estudo cabe à Petrologia. Quanto à sua composição, distinguem-se: a) rochas uniminerais ou que contêm um só mineral: calcário (carbonato de cálcio ), dolomito ( carbonato duplo de cálcio e magnésio ), quartzito (quartzo ), etc.; b) rochas poliminerais ou que contêm dois ou mais minerais: granito (quartzo, feldspato e mica ), basalto ( plagioclásio e augita, com ou sem olivina ), etc.
Quanto à origem, as rochas podem ser divididas em 3 grupos: a) ígneas ou magmáticas; b) sedimentares; c) metamórficas.
As rochas ígneas resultam do resfriamento do magma vulcânico. Quando este se consolida na superfície da crosta, as rochas são chamada efusivas ou extrusivas; quando se consolida no interior da crosta, entre camadas de outras rochas, são denominadas intrusivas. As rochas ígneas com baixo teor de sílica ( óxido de silício ) recebem a designação de rochas básicas ( basalto ); as que possuem alto teor de sílica são consideradas rochas ácidas ( granito).
As rochas sedimentares resultando transporte, deposição e consolidação de material detrítico no fundo de mares e lagos. Exemplos: argilito, folhelho, arenito, calcário, etc.
As rochas metamórficas resultam de transformações de rochas preexistentes, por ação de altas pressões e/ou altas temperaturas. Exemplos: gnaisse, xisto, mármore, etc.


224- CONHECENDO AS CORRENTES MARINHAS
Também chamadas correntes oceânicas, são massas d'água que se deslocam nos oceanos, provocando a circulação d água. As correntes podem se formar tanto junto aos litorais, como em pleno oceano. Podem ser pequenas, abrangendo áreas restritas, ou de grandes proporções, estabelecendo troca de água entre pontos distantes. Podem ser ainda de superfície ou de profundidade. Assim, a sua trajetória pode ser horizontal ou vertical.
As correntes marinhas possuem salinidade, temperatura, densidade e, às vezes, até cor característica. Em geral, sua velocidade e direção variam durante o ano.
Duas são as causas principais da circulação das águas oceânicas: a) a ação do vento sobre a superfície do oceano; b) as diferenças de densidade da própria água.
Distinguem-se correntes de água quente e correntes de água fria, conforme a temperatura da massa d'água em movimento. Assim, a Corrente do Brasil, que se dirige do equador para o sul ao longo da costa brasileira, é uma corrente quente; ao passo que a costa da Argentina é sujeita à Corrente das Falklands, uma corrente fria que se desloca do sul para o norte.
As grandes correntes oceânicas influem sobre o clima, ocasionando a elevação ou o abaixamento da temperatura do ar atmosférico nas costas que banham, como também o aumento (correntes quentes) ou a diminuição da precipitação pluviométrica (correntes frias).
As correntes marinhas influem também na navegação, auxiliando ou dificultando o deslocamento dos navios. A Corrente do Golfo, por exemplo, torna mais rápida a travessia do Atlântico de oeste para leste, do que de leste para oeste.
São ainda as correntes marinhas que transportam das regiões polares os " icebergs ", tão perigosos para a navegação marítima.

225- CONHECENDO O TEMPO MÉDIO DE VIDA DOS ANIMAIS

Arara: 63 anos Girafa: 15 anos
Avestruz: 50 anos Golfinho: 65 anos
Baleia-azul:25 anos Gorila: 20 anos
Burro: 12 anos Hiena: 25 anos
Cachorro: 12 anos Hipopótamo; 40 anos
Camelo: 50 anos Jegue: 18 anos
Canguru: 7 anos Leão: 20 anos
Carneiro: 12 anos Mosca-de-fruta: 14 dias
Cavalo: 30 anos Papagaio: 80 anos
Chimpanzé: 20 anos Pica-pau: 15 anos
Coelho: 12 anos Pingüim: 30 anos
Coruja: 20 anos Porco: 10 anos
Crocodilo: 50 anos Rato: 2 anos
Dromedário: 35 anos Rinoceronte: 70 anos
Elefante africano:60anos Tamanduá: 20 anos
Elefante asiático:78 anos Tartaruga: 100 anos
Esquilo: 11 anos Tigre: 25 anos
Galinha: 7 anos Urso: 20 anos
Gambá: 4 anos Vaca: 15 anos
Gato: 15 anos Zebra: 20 anos


226- CONHECENDO AS CIDADES MAIS POPULOSAS DO MUNDO

De acordo com a " Enciclopédia Compacta de Conhecimentos Gerais " - Guinness, 1.993, as cidades mais populosas do mundo são as seguintes:

Cidade ( país ) População
1. Tóquio (Japão ) 25.000.000
2. Nova York (EUA ) 18.100.000
3. São Paulo (Brasil ) 16.830.000
4. Cidade do México (México) 15.050.000
5. Los Angeles ( EUA ) 14.530.000
6. Xangai (China ) 13.340.000
7.Bombaim (Índia ) 12.590.000
8. Cairo (Egito ) 12.290.000
9. Buenos Aires (Argentina ) 11.380.000
10. Rio de Janeiro (Brasil ) 11.140.000
11. Calcutá ( Índia ) 11.020.000
12. Pequim ( China ) 10.820.000

13 comentários:

Mara Bombo disse...

Data: 2009-08-17 10:07:04
Nome: Mara Bombo
Voinho: obrigada pelo incentivo às nossas crianças, e adultos também.

Anônimo disse...

Data: 2009-08-21 09:42:06
Nome: Maria Fernanda
E-mail:
mariafernanda_fc@yahoo.com.br

Voinho! O Blog está excelente , repleto de informações interessantes !
Parabéns!

Anônimo disse...

Substantially, the post is in reality the sweetest on this deserving topic. I harmonise with your conclusions and will eagerly look forward to your future updates. Saying thanks will not just be enough, for the wonderful lucidity in your writing. I will right away grab your rss feed to stay privy of any updates. Admirable [url=http://pspgo.info/favorites.html]games[/url] work and much success in your next topics!

Anônimo disse...

Greets!

It is my first time here. I just wanted to say hi!

Anônimo disse...

Thank you, that was extremely valuable and interesting...I will be back again to read more on this topic.

Anônimo disse...

Thanks for sharing this link, but unfortunately it seems to be down... Does anybody have a mirror or another source? Please answer to my post if you do!

I would appreciate if a staff member here at aprendendocomovoinho.blogspot.com could post it.

Thanks,
William

Anônimo disse...

Thanks for sharing the link, but unfortunately it seems to be offline... Does anybody have a mirror or another source? Please reply to my post if you do!

I would appreciate if a staff member here at aprendendocomovoinho.blogspot.com could post it.

Thanks,
John

Anônimo disse...

"Hi there, I observe that your published content material is rather understanding because it talks about lots of fascinating info. In Any Occasion, was wondering regardless of whether you would want to interchange net links with my web site, as I'm searching to establish contacts to more amplify and acquire floor for my world-wide-web portal. I do not mind you laying my web hyperlinks in the major web page, just approving this back links on this specific word wide web page is more than sufficient. Anyway, would you be type sufficient message me again at my internet site if you might be keen in swapping links, I'd actually worth that. Thanks a great deal and I hope to hear from you shortly! "


my website is Climbing Rope .Also welcome you!

Anônimo disse...

What's Happening everybody, excellent forum I find It vastly useful and it has helped me out alot
I hope to contribute and assist other people like this site has helped me

_________________
[url=http://iphoneusers.com]blackra1n[/url]

Anônimo disse...

Então agradável este espaço parece muito organizado.........bom estilo:)
Adorei Continua assim !

Anônimo disse...

Hello,

I have a message for the webmaster/admin here at aprendendocomovoinho.blogspot.com.

May I use some of the information from this blog post right above if I give a link back to this website?

Thanks,
Daniel

Anônimo disse...

hola, Chicos, Es evidente que hay mucho que aprender acerca de esto. Creo que hizo algunas cosas buenas en características también. Sigue trabajando, gran trabajo!

Anônimo disse...

Hey man! Cool site! I really liked being here.

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget