"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Conhecendo os Desertos

CONHECENDO OS DESERTOS
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Deserto é a designação que se dá às regiões onde as chuvas são escassas e a cobertura vegetal é praticamente ausente ou, então, reduzida a algumas plantas adaptadas à seca. Geralmente ocorrem nas regiões áridas, onde a precipitação média é inferior a 250 mm/ano. Também ocorrem nas regiões muito frias.
Distinguem-se três tipos de desertos: a) quentes, como o deserto do Saara, no norte da África; b) temperados, como o deserto de Atacama, na costa do Peru e do Chile; c) frios, ou Tundra, no norte do Canadá e da Sibéria.
A Tundra se caracteriza pela presença do "permafrost" ou subsolo permanentemente congelado e pela cobertura de musgos e liquens na superfície do solo.
Os desertos típicos são constituídos predominantemente por areias, podendo conter pedras e oásis. Neles a ação do vento ( erosão eólica ) ocorre de forma intensa. Quando formados de areia e pedras pequenas, o vento leva as partículas de areia e deixa os seixos, dando origem ao chamado " pavimento de deserto ", uma espécie de pedreira. Em geral, as areias finas são transportadas e vão sedimentar fora do deserto, enquanto as areias grossas sedimentam-se no próprio deserto, formando as dunas.
Os desertos pedregosos normalmente apresentam pedras, às vezes maciços rochosos, com formas e altitudes muito variáveis.
Oásis são pequenas áreas úmidas,no meio do deserto, onde a cobertura vegetal
é mais desenvolvida, sendo freqüente a presença de tamareiras.
Poucas plantas são adaptadas às condições de aridez do deserto, sendo chamadas xerófitas, representadas principalmente pelas Cactáceas e Bromeliáceas.

Um comentário:

Richard Mathenhauer disse...

Importante lembrar do processe de desertificação que o nosso país sofre nalgumas regiões e que parece não receber tanta atanção do Governo!

Mas, sendo mais ameno e puxando para a literatura: falar de desertos remete-me àquele pequenino Príncipe e seus Diálogos com o Aviador acidentado.

Abraços.

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget