"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quinta-feira, 22 de março de 2012

CONHECENDO AS RELAÇÕES SOLO/ÁGUA/PLANTA

Geraldo Victorino de França (Voinho)

A água de precipitação ( chuva) que atinge o solo pode tomar três caminhos: a) infiltração ou penetração no solo; b) deflúvio ou escoamento superficial; c) evaporação.
A água que escoa na superfície do solo forma as enxurradas, que vão desaguar nos rios, lagos e mares. Da água que se infiltra, parte fica retida no solo e parte percola, isto é, sofre drenagem em profundidade, indo abastecer o lençol freático.
Duas são as fôrças responsáveis pela retenção de água pelas partículas de solo: a)força de adesão - atração que as partículas de solo exercem sobre as moléculas de água; b) força de coesão - atração que as moléculas de água exercem entre si.
No solo, distinguem-se três formas de água: a) água higroscópica - uma delgada camada localizada na superfície das partículas coloidais ( argila ), retida sob alta tensão; b) água capilar - localizada nos microporos, em grande parte utilizável pelas plantas; c) água gravitacional -localizada nos macroporos e facilmente removida pela ação da gravidade.
A água capilar é a mais importante, porque inclui a água considerada disponível pa-
ra as plantas, que fica compreendida entre dois limites: a) inferior ou ponto de murchamento -teor de umidade no qual ocorre o murchamento das plantas; b) superior ou capacidade de campo- teor de umidade máxima que o solo pode reter contra a ação da gravidade.
As plantas absorvem grandes quantidades de água do solo para atender às suas necessidades de crescimento e produção. Uma vez que apenas uma pequena proporção de água do solo fica nas proximidades dos pêlos absorventes das raízes, o suprimento de água é garantido por dois mecanismos: a) movimento capilar da água do solo em direção às raízes; b) crescimento das raízes no interior do solo úmido. Além disso, as plantas usam um terceiro mecanismo: c) o fechamento dos estômatos ( pequenas aberturas existentes na superfície das folhas ) a fim de reduzir as perdas de água por transpiração.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá, Voinho.

Gostaria de saber por que os conceitos de água gravitacional, água capilar e água higroscópica deixaram de ser utilizados?

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget