"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

terça-feira, 10 de março de 2015

CONHECENDO A FLORA DO BRASIL - 2

(Cerrado)
Geraldo Victorino de França (Voinho)

            B. Formações de transição. Incluem: a) cerrados; b) caatinga; c) complexo do Pantanal.
            4. Cerrados. Constituem a transição entre campo limpo ( ou simplesmente campo ) e
a floresta perenifólia. Predominam no chamado Planalto Central, sendo formados por: a) arbustos e pequenas árvores esparsas, com tronco e galhos retorcidos e de casca grossa, com folhas coriáceas; b) estrato herbáceo - gramíneas e ciperáceas que só vegetam durante a  estação chuvosa, como a barba-de-bode. Dependendo da densidade e do porte das árvores e arbustos, recebem as denominações de campo cerrado, cerrado propriamente dito e cerradão. Entre as  árvores e arbustos destacam-se: faveira, barba-timão, lixeira, pequi, pau-santo, etc.
             5. Caatinga. Constitui a transição entre campo e floresta caducifólia ( que perde as
folhas na estação seca ). Localizada na zona semi-árida do Nordeste Brasileiro, pode ser subdividida em: a) caatinga hipoxerófita, que ocorre  nas áreas de clima menos seco; b) caatinga hiperxerófita, nas áreas tipicamente semi-áridas.
              Suas árvores e arbustos apresentam, em geral, caráter xeromorfo, mais acentuado na caatinga hiperxerófita; sendo providas de folhas miúdas que caem na estiagem, e freqüentemente armados de espinhos. São espécies típicas da  caatinga: jurema, faveleira, juazeiro, pereiro,etc.bem como cactáceas como o xique-xique, o facheiro , o mandacaru, etc.
              6. Complexo do Pantanal Mato-Grossense. Formação vegetal que ocupa a
extensa planície aluvial do Rio Paraguai e seus afluentes, na qual se misturam espécies típicas dos cerrados, das terras alagadiças e da floresta amazônica, com predominância das espécies  do cerrado. Serve como pastagem natural.
            C. Campos. São áreas de vegetação rasteira, geralmente gramíneas, que ocorrem em

diferentes locais, como planícies litorâneas, várzeas de rios e, principalmente, no sul  do  Rio Grande do Sul, onde recebe o nome de pampa.

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget