"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

domingo, 13 de junho de 2010

As patas dos animais


CONHECENDO AS PATAS DOS ANIMAIS
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Dá-se o nome de patas aos apêndices pares dos animais, ventrais ou laterais, que servem para apoio do corpo e para a locomoção terrestre. Tende-se a denominar " patas " apenas os apêndices rígidos e articulados; daí surgindo o emprego de outros termos, como patas falsas para as ventosas abdominais das lagartas e tentáculos para para os braços dos polvos e lulas. Assim compreendidas, as patas são encontradas em apenas dois filos ( ou ramos): vertebrados e artrópodes.
Nos Artrópodes ( aranhas, escorpiões, insetos, etc. ) existe um par de patas por anel; os miriápodes ( centopéias ) têm patas quase todas iguais, em número elevado e variavel. As patas dianteiras, porém, se modificaram para formar apêndices especializados, como antenas e peças bucais, enquanto as patas abdominais se reduziram ( crustáceows ) ou desapareceram ( insetos, aracnídeos ). Assim, é o meio do corpo ( tórax ) que permanece portador das patas ambulatórias ou preênseis, em número restrito e constante para cada grupo: cinco pares nos crustáceos decápodes, quatro pares nos aracnídeos, três pares nos insetos.
Nos Vertebrados, a transformação das patas dianteiras em asas ocorre nas aves e nos morcegos. As patas traseiras permanecem ambulatórias ou saltadoras. Compreendem segmentos articulados: coxa, perna e pé.
Nos quadrúpedes ( mamíferos que têm quatro patas ), as patas dianteiras são muito semelhantes às traseiras. Alkgumas espécies possuem patas com garras, como os felinos ( gato, tigre, leão, etc. ). Outras possuem patas com cascos, com o boi, cavalo, elefante, etc.

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget