"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Tipos de Chuva

CONHECENDO OS TIPOS DE CHUVA
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Dá-se o nome de chuva à condensação e precipitação do vapor d'água da atmosfera (nuvens), sob a forma de gotas com 1 a 3 mm de diâmetro. As gotas maiores caem mais rapidamente e absorvem, em sua queda, as gotas menores; quando o ar está seco, a chuva fraca não chega a cair, evaporando-se antes de atingir o solo.
O calor do sol provoca a evaporação das massas d'água e da água armazenada no solo, bem como a transpiração dos organismos vivos ( principalmente plantas ), formando as nuvens. Quando o ar das nuvens fica mais frio, devido à altitude ou ação dos ventos, o vapor d'água se condensa, formando gotas que caem sob a forma de chuva.
A quantidade de chuva caída é medida em aparelhos chamados pluviômetros, sendo expressa pela altura em milímetros da respectiva lâmina d'água. Além da quantidade, outras características importantes da chuva são a intensidade, expressa em mm/h, e a sua duração.
As chuvas podem ser de diferentes tipos, desde chuvas fracas, com pequenas gotículas, como a "garoa ", até violentas tormentas, como as " trombas d'água ".
De acordo com a sua intensidade, as chuvas são classificadas em 3 tipos: a) fracas, com intensidade inferior a 2,5 mm/h; b) moderadas, com intensidade entre 2,5 e 7,5 mm/h; c) fortes, com intensidade maior que 7,5 mm/h.
A chuva é importante porque alimenta as nascentes e os reservatórios de água e reabastece a água do solo, necessária á vida das plantas.
As chuvas fracas são vulgarmente chamadas de "chuva criadeira ", porque se infiltram totalmente no solo, sem provocar escoamento superficial (enxurrada) e nem erosão do solo, sendo altamente benéficas às plantações.
O granizo ou "chuva de pedra " resulta do congelamento das gotas de chuva, quando a temperatura da atmosfera cai abaixo de zero graus centígrados.

Um comentário:

Richard Mathenhauer disse...

Chuva de pedras.
Que delícia voltar a recordar da alegria de criança nos dias em que chovia pedras! Que encantamento que a ignorância oferecia! Mas mesmo hoje sabendo como se processo o fenômeno, ainda a criança interna fica alegre colhendo as pedras pelo quintal...

Abraços,

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget