"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

sábado, 21 de janeiro de 2012

CONHECENDO OS VENTOS


Geraldo Victorino de França (Voinho)

Dá-se o nome de vento ao deslocamento horizontal de massas de ar dentro da troposfera, isto é, da camada inferior da atmosfera, provocado por diferenças de pressão atmosférica. Nas áreas de baixa pressão, o ar em ascensão é substituído pelo ar das áreas de alta pressão, dando origem ao vento.
Os ventos podem ser: a) uniformes - com fluxo laminar, exemplificados pelos alíseos;
b) turbulentos - com fluxo turbulento, como os ciclones. Também podem ser regionais ou locais.
Os ventos regionais ocorrem em regiões bem definidas, podendo citar-se como exemplos o iroco, no norte da África, e o minuano no sul do Brasil. Os ventos locais ocorrem em áreas restritas. Existem ainda ventos periódicos, como as brisas, que são ventos fracos que ora sopram da terra para o mar (brisas terrestres), ora do mar para aterra ( brisas marinhas). Isto se deve ao fato de a terra se aquecer ou esfriar mais rapidamente do que as águas do mar. Sob o ponto de vista da Agricultura, a ação dos ventos pode trazer efeitos benéficos ou nocivos. Assim, os ventos fracos ou moderados produzem efeitos benéficos no transporte de pólen, sementes e frutos, sendo responsáveis pela multiplicação de muitas espécies vegetais.
Desempenham também papel importante na evaporação d a água do solo e da transpiração vegetal. Como exemplo de ação nociva pode ser citada a erosão eólica (transporte de partículas do sol ), que ocorre quando ventos fortes atuam em áreas planas sem ou com pouca vegetação, principalmente nos desertos, onde formam as dunas. Outra ação nociva é provocada por ventos muito fortes, denominados furacão, tufão ou tornado, que podem adquirir grandes velocidades, superiores a 100km por hora, causando estragos, principalmente em áreas povoadas.
Nas regiões onde os ventos são frequentes, costuma-se usar barreiras densas, chamadas quebra-ventos, formadas por renques de árvores e arbustos, dispostos perpendicularmente à direção dos ventos predominantes.

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget