"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quinta-feira, 11 de maio de 2017

CONHECENDO FRASES DE PÁRA-CHOQUE DE CAMINHÃO


Geraldo Victorino de França (Voinho) 

            Os caminhoneiros encontraram uma forma interessante de comunicação, pintando frases curiosas nos pára-choques de seus caminhões. Vamos conhecer algumas:
           1. Cana na fazenda dá pinga, pinga na cidade dá cana.
           2. Na vida tudo é passageiro, menos motorista e cobrador.
           3. Não sou notícia ruim, mas ando muito e depressa.
           4. Quem inventou o trabalho, não tinha o que fazer.
           5. Devagar se vai ao longe.
           6. Quem madruga fica com sono o dia inteiro.
           7. Casei-me com Maria, mas viajo com Mercedes.
           8. Cada ovo comido é um pinto perdido.
           9. O sol nasce para todos, a sombra para quem merece.
          10. As mulheres perdidas são as mais procuradas.  
          11. Quem gosta de mulher feia é salão de beleza.
          12. 70 me passar, passe 100 atrapalhar.
           13. O mundo gira, eu rodo.
          14. Feliz foi Adão, que não teve sogra nem  patrão.
           15. O rico pega o carro e sai; o pobre sai e o carro pega.
            16. Ser canhoto é fácil; difícil é ser direito.
            17. Se casamento fosse bom, não precisava testemunhas.
            18. Estrada é como mulher: cheia de curvas.
            19. A fila do lado sempre anda mais depressa.

            20. Se homem fosse dinheiro, baixinho seria troco.

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget