"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

sexta-feira, 9 de abril de 2010

LENDA DE BACO

CONHECENDO A LENDA DE BACO
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Baco é o deus do vinho, na mitologia romana, correspondente a Dionísio na mitologia grega. Filho de Júpiter e Sêmele, uma mortal. Sua esposa Juno, ao saber da traição de Júpiter, quis matar Baci, mas Júpiter o escondeu na forma de um cobertor, no monte Helicon. Quando cresceu, ficou com pequenos cornos, resultantes dessa transformação.
Dizem que viajou pela Ásia Menor e Índia com seu amigo Silene, os Sátiros e as Menades. Fez excursões ao Egito , onde levou o vinho, na Líbia e em Faros, uma ilha que segundo alguns estudiosos, refletia a perseguição dos conservadores em relação à nova bebida e seus efeitos.
Enamorou-se de Ariadne e com ela se casou, depois dela ter sido abandonada por Teseu. Tiveram vários filhos e mais tarde Ariadne foi transportada aos céus, onde se tornou uma constelação.
Posteriormente, Baco passou a se sentar no Olimpo , à direita de Júpiter. Baixou aos infernos para resgatar a alma de sua mãe Sêmele, e a levou aos céus, onde a fez imortal.

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget