"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Conhecendo o Espaço


CONHECENDO O ESPAÇO
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Dá-se o nome de espaço ao meio ilimitado que contém todos os corpos celestes, ou melhor, o universo. Frequentemente, é concebido como sendo um vazio ilimitado. Embora pareça ter três dimensões, é conveniente, por razões científicas, associá-lo com o tempo, passando a ser concebido como uma entidade de quatro dimensões, sendo o tempo a quarta dimensão. Assim, o espaço é um " continuum " temporal-espacial , quadridimensional.
Nesse contexto, admite-se que o espaço pode não ser infinito, ou seja, pode estender-se por todas as direções sendo, no entanto, fechado. De acordo com esse conceito, o espaço apresenta uma curvatura, de modo que um corpo que se desloca no que se acredita
ser uma linha reta, permanecerá dentro de um volume limitado. É semelhante sobre a superfície da Terra no que parece ser uma linha reta: pode-se viajar o quanto se desejar, mas nunca se deixa a superfície finita.
Se o universo tiver uma idade definida, essa idade determinará quão longe podemos ir na investigação do espaço: ele só pode ser penetrado até a distância que pode viajar a luz durante o tempo correspondente.

Um comentário:

Richard Mathenhauer disse...

É muito bom aprender. O espaço nos encanta na medida em que se nos revela como um grande mistério.

Lendo sua postagem, lembrei-me de que em 19 de maio de 1910 o cometa Halley viajava pelo espaço, aproximando-se da Terra e causando pânico...

Abraços do Seguidor,

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget