"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Conhecendo a idade das árvores

CONHECENDO A IDADE DAS ÁRVORES
Geraldo Victorino de França (Voinho)

É possível saber a idade de uma árvore examinando-se o número de anéis anuais de
crescimento do seu tronco. O crescimento transversal do tronco de uma árvore se dá numa delgada camada de células que há entre o lenho e a casca, chamada câmbio.
O cerne do tronco, constituído de lenho maciço, não pode expandir-se. É evidente que o crescimento também não poderá realizar-se na casca da árvore. A camada intermediária de câmbio produz células dos dois tipos, isto é, células de lenho, voltadas para dentro; e células de casca, voltadas para fora. Assim,o lenho vai se tornando cada vez mais largo, enquanto a casca vai se afastando progressivamente do centro.
Em regiões de clima com inverno frio ou com uma estação seca, as árvores têm uma fase de repouso, na qual o crescimento em espessura do tronco cessa durante a estação desfavorável. Assim, durante um ano, formam-se dois anéis, um delgado e outro mais espesso. Examinando a sequência de anéis anuais do tronco, os especialistas conseguem avaliar a idade da árvore. Na Califórnia ( Estados Unidos ), por exemplo, existem sequóias com mais de 3.000 anos de idade.
Por outro lado, nas regiões de cima tropical úmido sem estação seca definida, como na floresta amazônica, o crescimento do tronco em espessura é relativamente uniforme e os anéis pouco nítidos, o que dificulta a avaliação da idade das árvores.

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget