"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

domingo, 5 de setembro de 2010

Conhecendo os animais com cauda

(lemur)
CONHECENDO OS ANIMAIS COM CAUDA
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Dá-se o nome de cauda ou rabo ou apêndice posterior, mais ou menos comprido, do
corpo de vários animais.
Nos vertebrados, geralmente existe uma cauda vertebral, atrás da bacia. Quando longa, essa cauda é musculosa, às vezes preênsil (camaleão, macacos da América), ou que pode soltar-se (lagarto, lagartixa).
Alguns macacos sul-americanos, como o macaco-peludo, macaco-aranha e guariba, têm cauda preênsil tão forte que pode suportar o peso do corpo, pendurado numa árvore.
É bem conhecida a reação de auto-amputação da cauda nos lagartos, quando em situação de perigo; a qual pode regenerar-se, posteriormente.
Nos morcegos, a cauda serve às vezes de extensora da membrana da asa. Nos carnívoros e animais ungulados (com cascos), não chega a ser mais que um espanta-moscas, aliás muito eficiente.
Por outro lado, a cauda desempenha um papel importante na locomoção dos cangurus. Quando se movem lentamente, a cauda funciona como um quinto membro, apoiando-se no chão. Porém, quando aceleram a marcha, saltam sobre as duas patas traseiras, com o corpo equilibrado pela cauda, esticada para trás.
As aves têm apenas uma curta cauda vertebral, sobre a qual se inserem as penas retrizes, que usam para voar (andorinha), ou para ostentação (pavão).
Os peixes cartilaginosos (esqualo, arraia) têm uma potente cauda vertebral natatória, enquanto os peixes ósseos (arenque, salmão) possuem uma nadadeira caudal frequentemente bifurcada, em forma de " rabo de peixe", que lhes serve de leme. Os mamíferos aquáticos (cetáceos ) também possuem cauda de forma semelhante.

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget