"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Conhecendo a lenda de Apolo

CONHECENDO A LENDA DE APOLO
Geraldo Victorino de França (Voinho)

Apolo é o deus mais belo e mais conhecido da mitologia grega, que conduzia o carro do Sol, adorado como rei da luz, quer fosse a do dia, quer a do entendimento. Era filho de Zeus e de Leto e irmão gêmeo de Ártemis.
Um dos primeiros serviços prestados por Apolo foi eliminar, com as setas forjadas por Vulcano, a enorme serpente Piton, que molestava as pessoas nas proximidades de Parnasso. É a vitória do bem sobre o mal, simbolizados em Apolo e na serpente.
Para comemorar sua vitória, instituiu os Jogos Píticos, nos quais os gregos competiam em corridas, lutas e outros torneios. Com a ajuda de sua irmã Ártemis, Apolo exterminou os filhos de Niobe, que se vangloriavam de serem superiores a Leto.
Por ter morto os Cíclopes, gigantes que tinham um só olho, Zeus castigou Apolo, expulsando-o temporariamente do Olimpo.
Lutou contra Hércules, embora não tenha havido vencedor, pois Zeus separou os combatentes com um raio. Predileto entre os deuses, teve de enfrentar a cólera de Zeus quando participou de uma conspiração junto a Hera e Poseidon, na tentativa de impedir Zeus de descer à Terra para cortejar as mulheres mortais. Apolo foi condenado a servir de pastor para Leomedonte durante um ano.
Era músico e tocava lira. A musa Calíope deu-lhe um filho, Orfeu, que de todos os músicos era o que tocava com mais doçura. Outro de seus filhos, Fáeton, conduziu uma vez o carro do Sol em lugar do pai, e o fez tão mal que secou partes da Terra e deixou outras regiões desoladas e frias.

2 comentários:

Patricia s2 disse...

Adorei conhecer a lenda de Apolo, não conhecia. Saudades. bjs amigo

Richard Mathenhauer disse...

Mitologia grega é um assunto que me fascina desde adolescente.

Gosto do uso que Nietzsche fez de Apolo e Dionísio para falar de sua filosofia.

Abraços fraternos,

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget