"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

sábado, 10 de março de 2012

CONHECENDO AS SEMENTES


Geraldo Victorino de França (Voinho)

A importância das sementes se deve ao fato de serem o meio de propagação das plantas que produzem flores ( Fanerógamas ). Resultam do desenvolvimento do óvulo, após a fecundação da célula feminina ( oosfera ) nele contida, Normalmente, a semente se encontra protegida pelo fruto.
A semente é composta de tegumento e amêndoa, sendo que no interior desta fica o embrião. Este apresenta um ou mais cotilédones, abaixo dos quais se encontra um eixo que possui, na extremidade inferior, a radícula, que
dará origem ao sistema radicular; e na outra extremidade, o caulículo, que dará origem à parte aérea da futura planta.
Os cotilédones são folhas modificadas, cujo número tem grande importância na classificação das plantas superiores: a) com um só cotilédone - Monocotiledôneas, como as palmeiras e gramíneas; b) com dois cotilédones – Dicotiledôneas, compreendendo a maioria das árvores e arbustos; c) com muitos cotilédones - Policotiledôneas, como as coníferas.
As plantas inferiores ( Criptógamas ), como avencas e samambaias, não produzem sementes; seus elementos de reprodução são simples esporos.
Além do embrião, a amêndoa freqüentemente contém tecido de reserva ( albúmen ), cuja natureza é variável: a) celulósica ( café ); b) oleaginosa ( mamona, nozes ); c) amilácea ( cereais, leguminosas ),
A dispersão das sementes pode ser feita pelo homem e outros animais, pelo vento, pela água, etc. Em algumas plantas a dispersão também pode ser feita por dispositivos que lançam as sementes à distância ( mamona ).
Além da sua importância como meio de reprodução das plantas superiores, muitas sementes são utilizadas como alimento devido às suas reservas nutritivas tais como: cereais ( trigo, arroz, milho,etc ), leguminosas (soja, feijão, amendoim, etc.), castanhas, etc.

Um comentário:

Richard Mathenhauer disse...

O texto é bastante didático. Porém, peço licença para partilhar de uma "mania" que tinha quando mais jovem: andava pelas ruas e ia recolhendo sementes e colocando-as nos bolsos. Em casa, tentava recordar de quais árvores eram, e então as colocava em pequenos frascos. Muitas se conservaram até pouco tempo, quando resolvi joga-las (à guisa de semeadura) num terreno próximo a meu bairro...

Um abraço,

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget