"VOINHO"

Geraldo Victorino de França é engenheiro agrônomo, professor aposentado da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Foi casado com a professora Zilda Giordano Victorino de França, tiveram 4 filhos, 12 netos e cinco bisnetas. Os verbetes surgiram como um hobby,enviados pela Internet aos filhos e netos. São curiosidades e notas explicativas sobre temas diversos. Como são assuntos interessantes e educativos, surgiu a ideia de compilá-los num livro. Muitos desses verbetes já foram publicados na Enciclopédia Agrícola Brasileira, editada pela Esalq/USP e também na coluninha PLANETA TERRA que era publicada aos sábados no Jornalzinho, suplemento infantil do JORNAL DE PIRACICABA. Também já colaborou na coluna PECADOS DA LÍNGUA, coordenada por Elisa Pantaleão, veiculada aos sábados no jornal A GAZETA DEPIRACICABA.
É membro da Academia Piracicabana de Letras - Cadeira n° 27 - Patrono: Salvador de Toledo Pisa Junior

“Voinho” é o apelido carinhoso como é chamado pelos netos e bisnetas.

Seguidores

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Geraldo e Zilda ( Voinho e Voinha)

Voinho, neta e bisnetas

Aprendendo com o Voinho

Aprendendo com o Voinho
by Mara Bombo

quarta-feira, 18 de julho de 2012

CONHECENDO O CAULE DAS PLANTAS



Geraldo Victorino de França (Voinho)

As plantas superiores têm o corpo basicamente dividido em duas partes: a) sistema radicular, geralmente subterrâneo, que fixa a planta ao solo e absorve a água e os nutrientes nela dissolvidos; b) sistema aéreo, representado pelo caule juntamente com os ramos, portadores das folhas . O caule e suas ramificações estabelecem a necessária ligação entre as folhas  e as raízes .
         O caule e os ramos sustentam as folhas, assegurando-lhes a possibilidade de entrar em contato com a luz solar, essencial para a realização da fotossíntese; leva-lhes a seiva bruta, também chamada seiva mineral ou ascendente; e transporta em sentido contrário a seiva elaborada, também chamada seiva orgânica ou descendente, resultante da atividade elaboradora das folhas.
       Basicamente, a estrutura do caule apresenta, em corte transversal: a) casca ou tecido protetor; b) um sistema de transporte de seiva, constituído por tubos, distinguindo-se o lenho ou xilema que transporta a seiva bruta e  o líber ou floema que transporta a seiva elaborada; c) parênquima ou tecido de enchimento.
         De acordo  com suas diferentes características, distinguem-se vários tipos de caule: a) tronco - caule lenhoso e ramificado, como o das árvores; b) estipe - caule lenhoso e não ramificado, como o das palmeiras; c) haste – caule de pouca consistência e herbáceo, como o das ervas e trepadeiras; d) colmo - caule dividido em  gomos, que podem ser cheios ( cana-de-açúcar ) ou ocos  ( bambu ); e) bulbo - caule subterrâneo, armazenador de reservas alimentícias ( cebola ); f) tubérculo - caule subterrâneo ou aéreo, rico em reservas e brotos  ( batata ); g) rizoma - caule horizontal, geralmente subterrâneo, rico em reservas e que emite folhas  para cima e raízes pa-a baixo: h) estolho  - caule rastejante, capaz de formar, vegetativamente, outras plantas ( morangueiro ).

Nenhum comentário:

Profª Zilda e Dr. Profº França

Profª Zilda e Dr. Profº França

Esta é a mais nova netinha do Voinho, a Maria Valentina

ORAÇÃO DOS ANIMAIS DA POETISA IVANA M F NEGRI DECLAMADA POR BETTY GOFFMAN NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO

Ocorreu um erro neste gadget